terça-feira, 12 de março de 2013

De cátedra!

“Mais vale dizer coisas certas com as palavras erradas, do que dizer coisas erradas com as palavras certas"

Para um homem do povo, comum, que embora tivesse uma boa retaguarda, de pessoas (Pais) simples e honradas, foi forçado a trabalhar com apenas 11 anos e a sexta classe por fazer...criado na rua e nas oficinas onde a ignorância era lei, que se fez homem sem ajudas, saiu de casa, sozinho, estudou, trabalhou, cursou, sem ajudas de ninguém - auto-didacta em grande parte da sua vida, 'predicados' deste escriba, e ver Jorge Jesus, homem simples, do povo, self-made men, subir ao palanque, para 'dar' uma aula de mais de duas horas aos alunos da Faculdade de Motricidade Humana (FMH), só pode ser motivo de satisfação e orgulho!

Quantos - quantos de nós, os que "sabemos" tudo, de cátedra, que nunca nos enganamos e raríssimas vezes temos duvidas - sentadinhos à frente do PC - faca na liga, sempre dispostos a achincalharmos os que não nasceram com o dom da palavra - quantos de nós, repito (já pareço o João Malheiro) seriam capazes de nas suas profissões, justificados por um percurso de sucesso, debaixo de uma pressão mediática brutal, chegar à Faculdade de Motricidade Humana e com um sorriso nos lábios 'dar' uma aula a 300 estudantes, respondendo a todas as questões, sem vacilar, dominando o assunto e a plateia, mandando às malvas a presença de dezenas de jornalistas e a pressão do 'circo' mediático? Quantos de nós seriamos capazes? quantos?

A FMH tem credibilidade e peso na sociedade portuguesa - José Mourinho foi o primeiro treinador de uma modalidade desportiva a ser distinguido por um doutoramento honoris causa, sugerido pela Faculdade de Motricidade Humana, e por lá passaram algumas das maiores figuras do nosso desporto, e não só do futebol - por isso, é uma honra para Jesus, para o Benfica e para os benfiquistas, ter nos seus quadros um profissional de tão elevada capacidade.

Nunca se viram, tirando a visita de Mourinho, tantos alunos (entusiasmados) e profissionais da CS naquela faculdade!
Como se pode criticar um profissional, qualquer que seja a sua área de actividade, por dar a conhecer aos alunos o seu saber e experiência de vida?

Jorge Jesus fez muito bem em aceitar o convite.

É sempre uma honra poder demostrar o que se sabe, e,  Jorge Jesus sabe muito.
E transmitiu-o - no sitio certo - na faculdade - onde muitos que o criticam, não fazem a mais pequena ideia de onde fica - para que serve...
Um enorme profissional, que se fez por si próprio, sem ajudas, sem fruta - com árduo e profícuo trabalho.
Com saber - inventando (como ele diz) ciência.

No futebol é catedrático?
Para mim é. Não o trocaria por nenhum outro.
É um homem do povo, mas dá lições de vida a qualquer um, estudioso, domina os segredos da profissão, à qual se dedica de alma e coração - ao serviço do Benfica.
Que mais lhe posso pedir?

Jesus sai prestigiado, mas o Benfica também.
Tomara que muitos mais convites fossem feitos a outros profissionais do Benfica.

--------------------------------
"Não inventei nada. Nem com o Coentrão, nem agora com o Melgarejo. Só se pode fazer este tipo de trabalho quando o jogador tem qualidade. É preciso reunir uma série de características e, a partir daí, trabalha-se nesse sentido", palavras de Jorge Jesus, esta segunda-feira, numa palestra sobre teoria e prática no futebol, no salão nobre da Faculdade de Motricidade Humana.

O treinador do Benfica falou ainda dos jogadores que saíram do clube desde que está em funções, sublinhando que não foram para clubes "superiores ao Benfica".

"Disse a todos os jogadores que saíram que não iriam para clubes melhores do que o Benfica. Que apenas iam para projectos mais vantajosos financeiramente", concluiu.

Quem, de entre os críticos, pode olhar para estas palavras, sem um remoque de consciência?
Assista ao video (parte dele) da aula de Jorge Jesus (aqui) 

Só consigo ver - nestas palavras - um rotundo não a um convite dos corruptos!
Boas notícias portanto...

3 comentários:

  1. "Se querem um treinador para a estrutura não sou eu".

    Pois foi exactamente o que eu pensei quando li isso. Que para os corruptos, para ser mais um carneiro numa máquina deformante da personalidade, nunca iria.

    ResponderEliminar
  2. Começas-te aos 11 com a 6ª por fazer?
    Eheh!
    Ganhi-te!
    Comecei aos 11 só com a 4ª!
    Bom, vamos a coisas do hoje!
    Se queremos (quero) um treinador à 3º anel, com qualidade técnica, que SAIBA ir aprendendo com os erros, que vá absorvendo a mística Benfiquista, que não se deixe cair no erro habitual dos "self-made-mans" (quando acham que já são os maiores), eu quero um "gajo" à JJ!

    Há dias, um "controlador" da blogosfera chamou-me de analfabeto!
    O gajo não faz ideia do elogio que me fez!
    Automáticamente, senti-me logo transportado para o meio dos "broncos" do 3º anel!
    Que maior benesse alguém me podia dar?

    ResponderEliminar
  3. Enormerrimo Guachos, Companheiro,

    Mais um excelente texto, a pontuar um ja longo periodo muito triste para os 'crocodilos' (estou 'cheinho' de pena deles, ahahah): depois de um inicio de epoca em que chegaram a embandeirar em arco de tanta fe que tinham (ou queriam convencer-nos que tinham), desde outubro que andam num sofrimento atroz!

    Se um dia destes uma Escola de Gestao decide convidar o LFV para fazer uma dissertacao sobre Lideranca (ou qualquer outro tema), vamos assistir a uma serie de "hara Kiri" de 'crocodilos'.

    Mudando de assunto, vou confessar-te que eu sou um "Materialista" (seguramente seguidor do Materialismo Dialetico, mas tambem nao muito critico do Materialismo Historico), pelo que considero que o que nos fez evoluir como especie foi a capacidade de oposicao dos polegares das maos, ou seja: a capacidade de trabalhar.

    Tambem por essa (simples) razao, eu sou dos que consideram sempre os que trabalham ... e felicito-te por teres demonstrado que a ausencia de privilegios nao impossibilita o crescimento pessoal, intelectual e social a ninguem.

    Paralelamente, uma das razoes pelas quais sempre pratiquei desporto e incentivei os meus Filhos a fazer o mesmo, passa pela garantia que tenho de que a pratica desportiva nos ensina a conhecer e a ultrapassar os nossos limites, limites esses que sao, as mais das vezes, meramente aparentes.

    Todos estes Valores de que estive a falar, todos sem excecao, transmiti aos meus Filhos com a ajuda do Nosso Clube.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.