segunda-feira, 25 de março de 2013

Ronaldo - superstar

Aproveitando o post anterior e porque há muito ando para escrever algo sobre Ronaldo...e Mourinho (vai no próximo), é hoje chegada a altura de o fazer...
Sei que é um assunto "melindroso", quase de lesa majestade, e desde que se juntaram os dois, é terreno minado, capaz para queimar o mais pintado - aos média só lhes falta andar de açaime...

Estou-me nas tintas - assim como fui dos primeiros a perceber (quando os lambe-cus de hoje apenas os criticavam com veemência) e a louvar as suas capacidades, nunca duvidando que ambos viriam a ser figuras de grande nível mundial, sou dos primeiros a criticar a/s suas formas de pensar ou de estar na vida, se assim o entender.
É-me completamente indiferente, quando critico uma figura publica, se esta é de origem portuguesa, chinesa, ou espanhola - estou-me completamente a borrifar para isso.

Ronaldo...
Futebolista impressionante - fantástico goleador - dos melhores do mundo.
É o melhor futebolista do mundo e o mais talentoso? - Não. Nem de perto nem de longe...
Podia citar, de imediato, 5 ou 6 jogadores bem mais talentosos, na minha opinião, mas não é isso que interessa para agora...

Ronaldo (Alex Fergusson) percebeu, que com as suas magnificas condições físicas e forte mentalidade, poderia, se quisesse (e ele quis e continua a quer muito) ser um futebolista de grande nível mundial.
Com aquele físico, era óbvio que as "bicicletas" e os números de circo teriam os dias contados com o avançar da idade, e que, com a mais que natural perda de eficácia no um para um, tenderia a definhar, algures, talvez até, num qualquer clube de segunda linha...

Assim, ou evoluía para se transformar na terrível maquina de fazer golos que é hoje, ou poucos estariam dispostos a aturar as suas birras e números circenses - sem eficácia, em breve as bancadas o rejeitariam...
Começaria aí verdadeiramente - grande trabalho de mentalização de Ferguson, que o deixava muitas vezes no banco, não para lhe dar descanso como a CS estupidamente anunciava, mas para o moldar e ensinar - a fantástica carreira de Ronaldo...

Com a saída para o Real Madrid, Ronaldo teria a oportunidade de ouro, para definitivamente, se afirmar num futebolista universal. No Manchester, onde não era sequer o jogador mais importante, ao contrário do que muitos pensam, o seu tempo (de evolução) terminara. 
Em Madrid, talvez o mais mediático e poderoso clube do Mundo - longe, muito longe do "coitadinho" que passou a ser aos olhos de alguns (intoxicados) portugueses, teve a "sorte" de apanhar José Mourinho, um individuo de excepcional inteligência, que rapidamente percebeu (tal como Ferguson) que tinha nas mãos um manancial de títulos e honrarias.
Depois de Ferguson...Mourinho - maior sorte não lhe podia calhar.

Sem Mourinho, Ronaldo há muito que estava acabado em Madrid - com o feitio de merda que tem, os vários campeões da Europa e do Mundo da equipa, há muito que lhe tinham feito a cama e o tinham posto a andar.
Eu, se estivesse nas mesmas condições, seria dos primeiros a fazê-lo - mais; se tivesse um fedelho egocêntrico e mal educado a refilar comigo por causa de uma bola que ele a seguir perderia por tentar o remate a quarenta metros da baliza, ou para correr com ela até a perder, à terceira ou quarta vez que o fizesse, dava-lhe um estalo no focinho - aprendia a ter respeito na hora.

Mourinho, (ao contrario de Ferguson) montou a equipa à medida de Ronaldo, obrigando a que jogadores como, Mesut Özil, Kaka, Benzema, Iguain ou Xabi Alonso, sejam obrigados a um papel secundário, apenas para o servir, e obrigando a que outros como, Raul, Arjen Robben, Guti, ou Sneijder tivessem de sair do clube. 
Não há espaço para mais nenhum craque - ponto final.
Ronaldo seca tudo à sua volta e ao contrário do que por aí se vai "martelendo", é levado às costas pela equipa, que se anula (demasiadas vezes) para que a sua capacidade goleadora possa aparecer e jamais o contrário - o seu legado? Golos e vitórias - muitos golos e muitas vitórias. Só por isso o vão (mal) suportando...

Ronaldo é um dos melhores goleadores do mundo, e, esgota-se aí (na minha opinião) o seu talento de nível superior - em tudo o mais, ou é banal, ou pouco acima da média...
É um fraquíssimo jogador de equipa, é mau colega, chegando ao ponto de não festejar, mostrando enfado com os golos marcados pelos companheiros, esbraceja sempre que quer a bola só para si, refila com quem não lha passa, e refila até quando é ele a perdê-la, o que cada vez mais acontece com frequência.

Perde inúmeras bolas por falta de clarividência, preferindo sempre o lance individual, ignorando o campainheiro mais bem colocado...
Tem pouca visão de jogo - nem isso lhe interessa um caracol - e jamais será um playmaker capaz de pôr toda a equipa a girar à sua volta. Nunca será, por isso, o "melhor jogador do mundo"

Põe sempre os seus interesses acima dos interesses da equipa. É egoísta e mau companheiro, foge sempre dos jornalista nas horas más, deixando para os colegas o odioso da derrota, não se coibindo de criticar o treinador, com palavras a roçar o insultuoso, como fez com Queirós, que tinha sido mais do que um pai para si durante os primeiros tempos em Manchester.
Comportamento estúpido e miserável.

Pior - faz isso como capitão de equipa, demonstrando mau carácter e um mau perder incompreensível e vergonhoso - irracional.
Ainda neste ultimo jogo, se viu Ronaldo - antes de desaparecer para parte incerta - ignorar o comprimento de Moutinho à saída do campo, fugindo cobardemente às responsabilidades de capitão de equipa.

Nem as lavagens ao cérebro que lhe são ministradas (à posteriori) pelos assessores ou pelo seu empresário, apagam a burrice ou criancice dos seus actos.
Não presta como pessoa e menos ainda como capitão de equipa - não tem perfil, não tem educação (ainda me está na memória o tratar por você o presidente da Republica numa cerimónia oficial) não é um líder natural, não passa de um fedelho mimado e irresponsável.

Há algo, contudo, que ao contrario dos (poucos) críticos de bancada, não lhe faço; o facto de não ajudar a defender - era o que faltava; corre que nem uma lebre, fazendo sprint's uns atrás uns dos outros e depois ainda tinha de fazer o trabalho dos Joões Pereiras deste Mundo!!!
Nem pensar - um jogador assim - ou dá-se-lhe condições para que faça que o melhor sabe fazer, mantendo-o fresco o mais possível, ou então escolhe-se outro modelo de equipa, outro modelo de jogador.

É por isso que (re)afirmo - Ronaldo não leva a equipa às costas, embora seja quase sempre o pai das vitórias, e é por isso que lhe vão perdoando todos os pecados, todas as birras...
São golos, senhor, são os golos...

Enquanto tiver por trás de si Jorge Mendes, o Real Madrid e a Nike, que juntos, têm uma força e poder mediático descomunal, pode conquistar qualquer troféu, mas nunca será - intrinsecamente - o melhor e mais talentoso futebolista do mundo - o que, de resto, só abona a sua fantástica capacidade de se transcender...

Se não tivesse uma chusma de idiotas atrás se si, lambendo-lhes os tintins e fazendo-o acreditar que é o melhor do mundo e arredores, obrigando-o a um stress suplementar e permanente, atrofiando-lhe o intelecto e a capacidade de ver um pouco mais além que o próprio umbigo, poderia ser muito melhor pessoa e - não tenho qualquer duvida - ainda melhor jogador...
Mas isso...

1 comentário:

  1. Amigo Guachos mais uma vez maravilhoso e certeiro. Por pensar exactamente o mesmo, alguns pontos já os tinha referido num comentário ao post "Selecção de Mendes-à medida do seu capitão"
    Abraço
    Henrique Cordeiro

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.