domingo, 23 de março de 2014

Vamos a “Contas” (dezembro de 2013) ?

Por José Albuquerque

Como foi amplamente divulgado, a Nossa SAD publicou, em 28 de fevereiro, o seu “R&C” relativo ao primeiro semestre (julho a dezembro) do corrente exercício, anunciando um resultado negativo em quase 16 milhões de euro, um pouco pior do que o que eu esperava,

Antes de entrar na análise dos números, permitam-me dois reparos prévios e as necessárias notas introdutórias:
. O documento tornou público o que o mercado já’ conhecia desde 2 dias após o anúncio da saída da KPMG e do seu ROC, que foram substituídos pela PWC (Price Waterhouse Coopers); sinceramente, eu continuo a não perceber porque raio de razão essa substituição não foi anunciada em simultâneo;
. A publicação deste “R&C” na mesma data em que a osgasad e a cracsad publicaram os seus, sugere que houve um entendimento a 3 nesse sentido e, apesar de se tratar de um assunto pouco relevante, confesso que me não agradam nada estes sinais de “acordos sobre questões de lana caprina” quando subsistem problemas que, esses sim, deveriam unir os 3 concorrentes num debate sério e urgente; como nota positiva deste “acordo”, registo que foi significativamente encurtado o prazo de publicação dos “R&C”.

Notas introdutórias.

. Acima de tudo o resto, o CA assumiu, pela primeira vez formalmente, que colocou de lado qualquer hipótese de promover uma reestruturação financeira que pudesse visar um “salto” dos Capitais Próprios da SAD (e/ou do Grupo), com natural impacto numa redução da “sangria” provocada pelos Custos Financeiros; inversamente, o CA compromete-se a aproveitar o aumento dos proveitos decorrente do novo modelo de exploração dos Nossos direitos de televisão (BTV) e conseguir garantir, com uma “gestão orçamental equilibrada”, a recuperação sustentada dos Capitais Próprios a prazo (o CA reporta para a próxima AG de Accionistas a discussão desta opção) ; mesmo discordando desta opção (considero que pelo menos dois dos principais Bancos – o Millennium e o BES, deveriam ser negocialmente “obrigados” a apoiar a Nossa SAD numa tal reestruturação), deduzo desta decisão que o CA se encontra, agora, muito confortado com as previsões para a evolução do negócio BTV e, ainda, com as expectativas de progressão e valorização  de cada vez mais Atletas da “Fábrica” (Equipa B incluída);  

. Este semestre foi marcado por uma série de acontecimentos relevantes, nomeadamente: a “nova” BTV, a inauguração do Museu e do Lisboa VIP Lounge, o alargamento do Campus e a alteração da partilha da Quotização entre o Clube e a SAD, passando esta a receber apenas 25% do montante global;

. O enquadramento económico depressivo provocou uma quebra dramática (para menos de metade) das receitas de bilheteira;

. Num semestre em que a SAD entendeu, por motivos desportivos, não “vender” nenhum dos Atletas mais valiosos do Plantel, estas operações resumiram-se a renovações (Ruben Amorim, Jan Oblak, Ivan Cavaleiro, Bernardo Silva, Hélder Costa, João Cancelo, Ruben Pinto e vários Atletas sub 19), 5 aquisições (Fejsa, Funes Mori, Pizzi, Lisandro Lopéz e Luís Farina) e 2 “vendas” (Melgarejo por 5M e Mora por 3,5M); persistem as regulares operações com o BSF, que adquiriu 25% do “passe” do Sulejmani por 1,25M, subentendendo-se que o fundo perdurará além da data inicialmente prevista (setembro de 2014);

. Pela primeira vez, este “R&C” (ainda não li os publicados por outras sad) inclui dois pontos (“Risco Desportivo” e “Risco Regulatório – Fair Play Financeiro”, páginas 70 e 71) cuja importância é tal que terei de os abordar num próximo “post”; confirma-se que o Benfica já conseguiu a “licença”, no quadro do FPF, para poder participar nas provas da UEFA da época desportiva 2014/15; nomeadamente, o “R&C” sublinha o facto de o volume total dos Custos com Pessoal ser apenas de 56,2% dos Rendimentos Operacionais;

. No decorrer deste semestre o quadro de Pessoal do Grupo aumentou em 97 (!) Empregados, sobretudo por via da integração da BTV; o número de Atletas sob contrato passou de 60 para 64; os Custos com Pessoal cresceram 3,7M;

. O impacto da “nova” BTV nas “contas” consolidadas ainda não é fácil de avaliar integralmente, especialmente do lado dos Proveitos, que devem ter aumentado muito ao longo do semestre (acompanhando o crescimento das assinaturas); do lado dos custos, o “R&C” refere um acréscimo global de 5M, o que deverá representar cerca de 10M anualizados;

. Finalmente, claro que este “R&C” ainda não inclui as “vendas” realizadas em janeiro (Matic à 25M, Rodrigo à 30M + 10M por eventuais prémios e André G. à 15M + 25% da eventual mais valia numa futura “venda”), tal como não reflecte o eventual impacto dos empréstimos entretanto concretizados (Djaló, John e Mitrovic);

. A titulo de mera curiosidade, recordo-vos os valores pelos quais aqueles 3 Atletas foram “avaliados”, aqui no GUACHOS, quando foi publicado o “post” sobre o valor do Nosso Plantel
As “contas” propriamente ditas.

Se consultarem o anexo, além de ficarem com uma informação sintética sobre os principais números, poderão confirmar que podemos não andar muito longe do que eu tinha admitido como provável no texto intitulado “Vamos a Contas … hipotéticas?” (aqui) publicado há uns meses e no qual discutimos o que poderiam vir a ser os Nossos resultados económicos no final do corrente exercício e procurávamos determinar o valor que a SAD devia obter com “vendas” de Atletas, se quisesse manter a normal capacidade de investimento (e/ou um exercício contabilisticamente “equilibrado”).
Esse anexo divide-se em dois quadros diferentes: Demonstrações de Resultados e Balanços: no primeiro quadro podem comparar os resultados deste semestre com o semestre homólogo do exercício anterior (de julho a dezembro de 2012) e, depois, comparar estes dois grupos com o conjunto dos resultados de 2012/2013 (3ª coluna), com a “previsão” acima citada (4ª coluna) e , finalmente, uma “nova previsão” que arrisco para o final deste exercício (5ª coluna); no segundo quadro podem observar a evolução dos Balanços nos 4 semestres mais recentes.

Demonstração de Resultados.

Ao nível dos Proveitos Operacionais, os destaques vão para o espectacular impacto da Nossa BTV e, em sentido inverso, com alguma surpresa, o tremendo afundamento das receitas com bilheteira (incluindo os red pass), que caíram mais de metade (quase 60% nos 3 desafios da Champions).
Uma vez que não se verificam “surpresas” nos grupos dos Custos Operacionais, os Resultados Operacionais “sem Atletas” foram ligeiramente positivos e sem surpresa.

Uma vez que a SAD não fez nenhuma “venda” importante no semestre, necessariamente os Resultados com Operações sobre “passes” de Atletas foram fortemente negativos (quase 7M) e implicaram o aumento do endividamento bancário, com o consequente agravamento daquilo a que aqui chamamos “factura bancária”.

Previsões.

Como sabem todos os Leitores assíduos do GUACHOS, eu rejeito o rótulo de “previsão” para as estimativas grosseiras que venho fazendo sobre a possível evolução dos Nossos resultados económicos, mas, ainda assim, uma vez que não quero perder o efeito pedagógico que esses raciocínios podem ter junto dos Companheiros menos “especialistas” nestes temas, vou continuar a correr o risco de ser alvo de alguns “talibãs” mais ignorantes e, na última coluna do primeiro quadro anexo, apresento-vos uma estimativa grosseira para o que podem vir a ser os Nossos resultados económicos no final de junho próximo.

Essa estimativa pressupõe as “vendas” já efectuadas (e mais nenhuma de primeira grandeza) e a presença da Equipa na final em Turim, no próximo mês de maio.
Caso essa presença não seja conseguida, creio que a simples concretização de “vendas” de excedentários (fala-se do Kardec e do Jara) com ligeiro lucro, permitirão obter um resultado final equilibrado, tal como parece ser o objetivo mínimo do CA.
Caso o CA entenda começar, já neste exercício, a prosseguir o objectivo de recrudescimento dos Capitais Próprios, então admito que vamos assistir, em maio/junho, a uma ou duas “vendas” de Atletas com mais impacto económico, viabilizando um Resultado do Exercício positivo e com o mesmo significado da mais valia resultante dessa(s) “venda(s)”.

Balanços.

No segundo quadro do anexo, podem verificar como tem evoluído (contabilisticamente) a Nossa SAD nestes últimos quatro semestres (são como 4 “fotografias” tiradas naquelas datas) e comprovar o continuo aumento do Activo não corrente, quer no seu “tangível” (edifícios, equipamentos, etc.), quer nas rubricas do “intangível” (marca Benfica, direitos de TV adquiridos, valor do Plantel, etc.).
Recordem-se que, caso a SAD não mantivesse politicas activas de investimento, estes dois grupos do Activo deveriam “encolher” todos os anos (o tangível por cerca de 10M e o intangível em próximo de 30M) pela simples acção das amortizações contabilísticas.

Olhar para o Balanço nestes 4 semestres consecutivos também serve para compreender o que significa a expressão “Passivo controlado”, face a uma clara estabilidade dos seus montantes. Aliás, creio que há 10 semestres consecutivos que o Passivo total (integrando a antiga Benfica Estádio S.A.) oscila entre os 400 e os 450 milhões de euro.

Conclusão.

No semestre histórico da integração da BTV e da exploração directa dos Nossos direitos televisivos, não sobrevieram surpresas “enormes” e/ou “graves”, apesar de já todos sabermos do fenomenal sucesso que conseguimos com a Nossa BTV (espero que no final de junho, então sim, se concretize a “enorme” surpresa contabilística), pelo que os dados mais relevantes foram: (1) um impacto já positivo nas contas consolidadas por via da BTV, (2) a surpreendente quebra das receitas de bilheteira e (3) o preço “pago” (custos financeiros) pela recusa em vender Atletas importantes.

Acima de tudo e, neste caso com grande surpresa (e lamento) da minha parte, vemos o CA a assumir formalmente que abandona os projectos de reestruturação financeira, apostando num compromisso de obter resultados positivos estáveis nos próximos exercícios e, por essa via, assegurar a “reconstituição” dos Capitais Próprios da SAD (e do Grupo).

Uma vez mais, repito o que sempre, sempre afirmei:
. O Benfica não é Nosso, apenas O temos nas Nossas mãos como que “por empréstimo” das gerações vindouras;
. Mas o Benfica somos Nós e somos Nós que continuaremos a determinar o Nosso futuro colectivo, em todas as suas vertentes e … também nos resultados económicos e financeiros.

Viva o Benfica!
P.S.: ultrapassada a brutal indisponibilidade que explica o atraso na elaboração deste texto, fica o meu compromisso de escrever mais dois: o primeiro, já acima anunciado, sobre Fair Play Financeiro e um outro para comparar estas Nossas “contas” com as da osgasad e da andruptosad.

24 comentários:

  1. Boa análise e queria adicionar uns pontitos:

    1) A mudança do ROC está relacionada com algumas fugas de informação dentro da KPMG. Estas fugas eram relacionadas ao projecto BenficaTV.

    2) Nos últimos 4 anos, a Benfica SAD tem publicado os R&Cs semestrais sempre no último dia de Fevereiro. E o Anual, no último de Outubro. E pelo que me disseram essa é a data limite para apresentar as contas.

    3) O decréscimo das receitas de bilheteira tem vários factores. O terrível final da época passada, o mau começo da época, a crise económica e a falta de jogos grandes no 1º Semestre. Mas o 2º semestre ira por certo ser diferente. A média de espectadores já subiu espetacularmente e poderá ser 10% superior à época passada (nos jogos do campeonato).

    4) O crescimento do pessoal. O grupo empresarial Benfica é cada vez maior e não é só futebol. É hoje também uma empresa de comunicação (com TV, Jornal e Revista, e no futuro, uma rádio também) e isso implica mais empregados... mas também muito mais receitas.

    5) Existe uma mudança de estratégia, que também tem a ver com a quebra de certas parcerias. O principal parceiro financeiro do benfica era o grupo BES. E depois do que se passou com os direitos televisivos, as relações entre Benfica e BES ficaram bastante afectadas.
    Joaquim Oliveira é homem de mão de Ricardo Salgado e nos meses iniciais da época houve imensas polémicas entre LFV, DSOliveira e as gentes do BES, algumas delas Benfiquistas dos 7 costados.
    Existiam planos de renegociação da dívida do Benfica que foram boicotados. E após se perceber que o Benfica não iria continuar na champions, os responsáveis financeiros optaram por um plano B.

    6) O plano B consiste em vender jogadores e usar os recursos para abater na dívida do grupo BES. Especialmente nos empréstimos com maior taxa de juro. A SAD deu preferência a vendas com pagamentos imediatos. A entrada de um valor muito significativo de capital, implica uma redução importante na dívida bancária e também no valor dos juros a pagar.

    7) Previsões: não as gosto de fazer. Mas o certo é que os resultados da BenficaTV e o possível decréscimo dos valor dos juros (tanto pela redução do passivo como do valor médio da taxa de juro paga) levam a um equilibrio de contas muito interessantes.

    E uma segunda metade da época de alto nível, reacendeu o interesse em vários dos nossos jogadores. O Benfica poderá ainda realizar algumas vendas importantes no Verão e continuará por certo a investir em jogadores interessantes. Mas têm agora uma outra alternativa, que são os miudos do Seixal que são cada vez mais opção!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Informações muito interessantes, algumas das quais desconhecia. Muito obrigado V.!

      Eliminar
    2. Enormerrimo V, Companheiro,

      Que bom que e' "ver-te" por aqui: que sejas muito bem vindo!

      Obrigado pelo teu excelente comentario (apesar de eu discordar ligeiramente de algumas destas tuas informacoes) e, claro, pelo vosso (teu e do Enormerrimo No Worries) no glorioso OANTITRIPA.

      Quanto ao tema central do BES, deixa que te diga que um parceiro ao qual o Benfica ja' pagou (e ainda vai pagar) tantas dezenas de milhao de euros, e' um parceiro do qual somos um Enorme Cliente, razao pela qual eles (o BES) tem de Nos AMAR profundamente.

      O Grupo Benfica (e' importante recorder que estas "Contas" sao consolidadas) tem hoje uma dimensao, uma credibilidade e uma rentabilidade que lhe permitem ter alternativas no Mercado bancario, alem de outras alternativas de financiamento.

      Por isso, seria bom que o BES nao se armasse em "esquesito", capice?

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  2. obrigado josé por mais este texto, que irei analisar com detalhe. Antes disso, e na leitura que fiz fiquei preocupado com o aumento do diferencial entre activo e passivo. Paralelamente o que pensas que se está a passar com as acções do SLB...200% não é normal, com alguns volumes assinaláveis... Será que os resultados c BTV serão uma bomba? ou são apenas movimentos especulativos e relacionados c a época futebolística do Benfica?... abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sócio, também partilho da mesma curiosidade... que raio se passou com as nossas ações?

      Eliminar
    2. O que se passou com as nossas acções é a lei da procura e da oferta, a base do mercado de capitais. Não conheço outra.
      Também podia ter havido manipulação da cotação, por parte de alguém ou de alguéns, em virtude das açções terem pouca liquidez.
      Mas isso devia ser a CMVM a responder e não a perguntar, mostrando uma ignorância deprimente.

      Eliminar
    3. As acções das SADs são muito voláteis. Porque os negócios são em pequenas quantidades e não há muitas no mercado, normalmente.
      Basta aparecer alguém que queira comprar 100 mil sem preço fixo, e o valor dispara. E 100 mil mesmos a 2 ou 3 euros, não é nada comparado com o que se movimenta em acções da banca ou da EDP.
      Alguém que de um dia para o outro meteu 100 mil euros na bolsa para comprar acções do Benfica vai logo afectar o preço. Se o fizesse em acções do BCP ou BPI, nem se nota.
      E essa pessoa pode até nem ter comprado 2% das acções pelo que não saberemos que foi. Nem nós nem o Benfica. Não será uma participação qualificada.

      Eliminar
    4. VeRMeLHoVZKy,
      se é assim tão simples porque caralho pediu a CMVM explicações ao Benfica.
      Só porque gostam de marrar com o vermelho?

      Eliminar
    5. V., exacto, dada a pouca liquidez das acções do Benfica, e dos outros clubes, nem são precisos €100.000, o preço move-se até com menores quantidades. Especialmente se houver pressão da procura durante alguns dias seguidos.

      Mas como diz o Guachos, a CMVM tem obrigação de saber e devia ter mecanismos de controlo (se não têm são incompetentes), especialmente em acções com volumes baixos, de onde pode obter as informações que deseja em vez de andar a fazer perguntas estúpidas.

      Não são acções das famosas "pink sheets", que se movem "over the counter", quando ninguém sabe quem compra e quem vende, como acontece nos EUA. Penso eu de que…


      Eliminar
    6. Enorme 218.219, Companheiro,

      Estou completamente de acordo com a resposta que te deram os Companheiros Manuel e V.

      Tal como nao compreendo (e desaprovo, definitivamente) a atitude da CMVM, tanto mais que os papeis das outras duas sad cotadas tambem viram as suas cotacoes subir significativamente.

      Entretanto e como tu sabes que eu considero que a Nossa SAD "vale" bem mais do que o seu Capital Social original, nenhuma cotacao abaixo dos 5 euro me surpreende, mesmo sabendo que se trata de titulos que "nunca" vao distribuir dividendos.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  3. Enormérrimo Companheiro,
    que saudades tínhamos da tua presença por aqui...
    Nunca é demais repetir: obrigado pelo teu inestimável contributo para que todos possamos compreender um pouco melhor as contas da nossa SAD.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Guachos, Amigo e Companheiro,

      Tu sabes que basta que eu tenha tempo para poderes contar com o meu humilde contributo para o GUACHOS e nao tens de me agradecer por isso: este blogue e' tao bom que tu deverias "cobrar bilhetes" 'a entrada, hahaha.

      Viva o GUACHOSVERMELHOS!

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  4. Excelente, caro José Albuquerque. Muito obrigado!
    Não tenho nada a acrescentar a não ser que estou um pouco mais optimista em relação aos resultados líquidos e em especial na questão do cash flow que tenho a certeza irá ser superior ao do ano passado.
    A recuperação do passivo já começou o que eu também acho é excelente (menor factura bancária) desde que a equipa de futebol não se ressinta.
    Também aqui estou optimista, exactamente o contrário do que penso dos outros nossos concorrentes directos.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Manuel, Companheiro,

      Eu e' que te agradeco pelos teus comentarios sempre pertinentes e pelo teu contributo sistematico para o GUACHOS.

      Eu tambem estou absolutamente confiante na capacidade dos Nossos Corpos Sociais e do Nosso CA em encontrar solucoes para todos os desafios de Gestao que enfrentamos, quer a curto, quer a longo prazos. Mesmo assim e muito naturalmente (contigo sucederia o mesmo, tenho a certeza), dado o baixo nivel das informacoes de que eu disponho, admito sempre a hipotese de fazer as coisas diferentemente, caso me competisse tomar decisoes.

      Viva o Benfica!

      P.S.: ainda esta semana o Guachos deve publicar uma breve analise comparative com as "contas" das outras sad.

      Eliminar
  5. Caríssimo e estimado amigo José Albuquerque,

    Obrigado, por mais este excelente Post... e pelo esclarecimento que trazes ciclicamente a todos os Benfiquistas sobre as contas e a « vida » económica do nosso amado e glorioso clube!

    Registo, que também partilho a tua decepção pela não opção pela reestruturação financeira... a qual, espero apenas e só adiada para melhor ocasião.

    Como positivo destaco, o facto da Benfica TV seguir « formosa e segura », adensando - se assim as expectativas sobre o seu impacte financeiro futuro nas contas.

    De resto, tudo parece « controlado », as contas não foram « Rangel(izadas), nem foram alvo de nenhuma
    « Bruno(degradação)!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A restruturação financeira só é possível se tiveres uma boa relação com os teus parceiros financeiros. E isso não acontece, neste momento, com aquele que era o nosso principal parceiro, o BES.

      Eliminar
    2. Caro VeRMeLHoVZKy,

      Aparte o facto de não perceber realmente « patavina » de economia...

      Depreendo, que a estratégia seja amortizar a dívida ao BES, diminuir a sua importância na vida económica do clube e... tentar angariar um novo parceiro que possa viabilizar futuramente... a reestruturação financeira.

      Será algo parecido ao que explanei? Ou estou bem longe?

      Eliminar
    3. Enormerrimos Mathayus e V,

      Infelizmente o tema de uma eventual operacao (ou conjunto de operacoes) de reestruturacao financeira nao so' e' demasiado tecnico, como, sobretudo, e' demasiado sensivel para poder ser objeto de um debate "publico" entre nos.

      Confesso-vos que eu me preparava para, logo que o Nosso CA anunciasse a sua estrategia nessa area, escrever o que fosse necessario para tentar "explicar" essas opcoes (concordasse eu com elas, ou nao), traduzindo-as numa linguagem o mais acessivel possivel a todos os Companheiros.

      Uma vez que, ao que parece, o CA da SAD ja' decidiu nao ir por nenhum dos caminhos alternativos possiveis nessa area, eu vou esperar pelo debate do tema na anunciada AG de Acionistas e, depois, em resultado dos argumentos que o CA apresentar, decidirei se devo, ou nao, escrever sobre o assunto.

      Entretanto, ha' (pelo menos) 3 coisas que eu tenho de recordar a todos os Benfiquistas que por aqui passam:
      1. O Benfica e' um Grande e Excelente Cliente dos Bancos com os quais trabalha;
      2. Uma boa parte dos contratos de mutuo que mantemos em vigor, foram negociados quando o "credit scoring" do Grupo Benfica era bem pior do que e' atualmente e outra boa parte desses contratos foram negociados ja' depois da crise financeira (pela ruptura do Lehman Brothers) e, por isso, em termos tao gravosos que Nos sugeriram a complementacao com contratos de "swap"; e, finalmente
      3. Dois dos principais Bancos que trabalham habitualmente com o Grupo Benfica (o BES e o Millennium), aceitaram um diferimento (por 12 anos) de 80ME, com perdao "integral" de juros, junto de um Nosso concorrente.

      Acresce que se me fosse pedido montar uma operacao de refinanciamento (por consolidacao de parte do Passivo Bancario) de, digamos, 200ME para o Grupo Benfica e com uma "fatura bancaria" significativamente inferior (pouco mais de 60% do atual), eu nao demoraria mais de 5 dias uteis a apresentar um primeiro "draft" (para MoU) com financiadores alternativos.

      Isto basta para podermos afirmar que seria esse o caminho ideal?
      Nao, nao basta!

      Por isso eu vou esperar pelas informacoes (e argumentos) que me faltam.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  6. Agradeço a explanação feita pelo José Albuquerque.
    Mais claro que isto ... só isto.

    Torna-se necessário encontrar um novo parceiro estratégico.
    Sendo verdade que a época da equipa sénior de futebol está a inflacionar determinados parâmetros, teremos que reconhecer que idêntica reacção acontece em qualquer empresa. Produz, vende, exporta, sobe e sobe e sobe.

    Aparentemente fora de tópico, aproveito para chamar a atenção para uma modalidade que nos anda a estragar a vida, pelo simples facto de estar a ser mal gerida. Refiro-me ao andebol.
    Com um investimento enorme, os resultados não estão a surgir. Ainda que esta situação não se reflita no deve-haver contabilístico, será necessário rever tudo o que ao andebol benfiquista diz respeito.
    À atenção, portanto, de quem de direito.

    Se esta minha intervenção for considerada descabida, façam o favor de dizer. Julgo que não é. Sei do que falo. Que faz parte do universo benfiquista.

    Agora, e a uma hora e vinte do Benfica x Académica, deixo os meus cumprimentos. Benfiquistas, sempre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Observador, Companheiro,

      Obrigado por este teu contributo e pelo alerta que aqui deixas sobre a situacao do Nosso Andebol, que nos doi a TODOS (apesar do impressionante "salto" que ja' conseguimos nos escaloes mais jovens).

      Aqui, entre Companheiros, a unica coisa que te posso sugerir e' que continues a acompanhar e apoiar a modalidade com esse mesmo fervor e que te nao inibas de remeter as tuas criticas e eventuais sugestoes para os Corpos Sociais.

      O Desportivismo, naturalmente, e' um dos Nossos Valores essenciais e por ele passa o objetivo/compromisso de fazer melhor (e mais) a cada novo dia. Se isto e' verdade nas modalidades em que ja' conquistamos uma lideranca clara, ainda mais o e' naquelas onde ainda o nao conseguimos.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  7. Parabéns ao autor do post e aos comentadores.

    ResponderEliminar
  8. Caro José Albuquerque,

    Em primeiro lugar, dar-te os parabéns pelo serviço público que continuas a fazer.

    Quanto à questão dos FFP, desde há 1 ou 2 anos que a Benfica SAD apresenta as contas à UEFA segundo o modelo definido por eles, pelo que o cumprimento dos requisitos nunca foi uma grande questão, embora seja necessário ter em atenção a soma dos prejuízos no acumulado dos exercícios (mais do que para 2014/15, preocupam-me os exercícios futuros).

    Quanto à reestruturação, sou da tua opinião, em especial porque há uma verdadeira sangria que os custos financeiros têm infligido no valor acrescentado, ano após ano e até duvido que seja muito fácil proceder a grandes reduções dos instrumentos mais onerosos, até porque eles têm calendários bem definidos, mas esperemos então por mais dados para ter uma opinião mais sustentada.

    Quanto às estimativas, confesso não estar tão optimista como tu. Não que considere que o exercício vá ser muito desequilibrado, mas não vejo qualquer trabalho de monta significativo na área comercial para fazer crescer os proveitos (nem as renovações com a adidas ou os patrocinadores parecem ter acrescentado qualquer valor, algo estranho, tendo em conta que só o QPR recebe cerca de 9 milhões de libras (quase 11 milhões de euros) pelo patrocínio técnico. De resto tenho algumas divergências pontuais, as em termos globais, penso que, sem quaisquer factos não considerados por ti (transacção de jogadores antes do fim do exercício), teremos um exercício negativo entre os 2 e os 5 milhões de euros. Sinceramente, espero estar enganado e tendo sido agradavelmente surpreendido pelos valores dos negócios do Rodrigo e do André Gomes, pode ser que exista qualquer outra surpresa no cofre.

    Seja como for, convém termos em atenção que o Benfica tem escolhido os empréstimos obrigacionistas como forma de financiamento alternativo, talvez por essa degradação da relação com um parceiro estratégico, e que esse modelo de financiamento é tudo menos pouco oneroso. Penso que os valores dos custos com o pessoal e dos fornecimentos de terceiros têm vindo a subir mais do que o desejável, tendo em conta o crescimento dos proveitos operacionais e com isso temos resultados operacionais sem operações de jogadores menos positivos, o que para mim é preocupante.

    Assim sendo, gostaria que fossem anunciadas medidas concretas visando quer a redução dos custos financeiros, quer o controlo efectivo dos custos com o pessoal e fornecimento de terceiros, ao invés de declarações de intenções que sendo muito correctas, apenas se tornam repetitivas, pois todo este discurso já vem de 2009 e pouco ou nada tem mudado em termos concretos, basta ler a entrevista do DSO ao DE em 2009.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este BCool é que deve ser o verdadeiro "Benfiquista Preocupado". Não te cures, não!

      "Não vejo qualquer trabalho de monta significativo na área comercial". Significa isso que o aumento dos proveitos comerciais (publicidade e marketing) em relação à BTV não contam. Será apenas uma nota de roda pé?

      A minha previsão é que iremos ter um resultado líquido positivo de 20M€ ou superior. Mas o "Benfiquista Preocupado" pensa que iremos ter um resultado negativo?
      As contas de somar e subtrair estão cada vez mais difíceis de fazer.

      Eliminar
    2. Enorme B Cool, Companheiro,

      Tenho de te contar uma coisa para perceberes estas minhas respostas ...

      Ontem, racebi um correio do Guachos em que ele me alertava para a (feliz) ocorrencia destes teus comentarios aos mais recentes textos da minha autoria por ele aqui publicados e, logicamente, comecei por responder por ordem cronoligica "inversa"

      Assim ... guardei o melhor para I final, hahaha.

      Das-me a oportunidade de, com toda a franqueza e Benfiquismo, registar a nobreza do teu carater e Benfiquismo, que deveria constituir exemplo entre aqueles que Amam, como nos os dois, este Clube sem rival.

      Dos nossos multiplos "debates" nasceu, alem de uma obvia Estima, uma progressiva aproximacao de opinioes e eu gostaria que te fosse muito claro que eu tenho tanto prazer em constatar essa aproximacao quando e' a tua opiniao que evolui, como quando reconheco ter aprendido contigo.

      Quanto aos teus comentarios especificos, aos quais reconheco razoes de fundo (sobretudo pelo crescimento, em certa medida surpreendente, dos Custos Operacionais da BTV) e apesar de nao ir a Portugal sem ser em visitas rapidas e ha' quase 5 anos, nao podemos ignorar o cenario economico depressivo em que estas "Contas" sao apresentadas.
      Desde 2008 e ano apos ano, eu "gabava-Nos" por estarmos a conseguir "resistir" ao cenario economico tenebroso que se estava a montar e "rezava" (eu sou agnostico) para que nao se verificasse o verdadeiro "assalto fiscal" a que hoje assistimos.

      O aumento do IVA, mais ainda do que a recessao da procura interna, produziu nas Nossas "Contas" um impacto tremendo, quer direta, quer indiretamente (por via dos Sponsors).
      Recordo-me de, ha' uns anos, te ter respondido algo como "devemos ter um potencial de Proveitos de uns 30ME, so' no "Mercado interno"" e espero que nao julgues essa minha conviccao ... a nao ser daqui a mais uns 3 anos, hahaha (ou eu teria de me envergonhar), ou seja: temos de verificar, nos proximos exercicios, se o CA da SAD vai aproveitar um cenario de expansao, pelo menos tao bem como resistiu a estes ultimos 3 anos.

      Eu tambem conto com a consolidacao do Nosso ranking na UEFA (se possivel com mais vitorias nessas provas), para fazer crescer as Nossas principais "receitas comerciais".
      Mas, acima de tudo, conto com a expansao da Nossa BTV, sobretudo no imenso "Mercado Externo", para gerar condicoes para o que tenho referido como um desejavel "novo paradigma de Gestao". Tal como conto com o desejavel Benfica "made in Benfica" para continuar a potenciar aqueles Proveitos que tu consideravas "extraordinarios" (ROPA) e que, felizmente, estamos a conseguir transformar numa excelente "rotina" para qualquer clube que nao possa pagar salaries medios anuais de 6ME aos melhores Atletas.

      Obrigado, Companheiro!
      Obrigado por apresentares, tambem, pareceres diferentes dos meus e por os apresentares com o habitual rigor e Benfiquismo.

      Acredita que e' absolutamente sincera a Estima que aqui te protesto.

      Viva o Benfica!

      Eliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.