domingo, 25 de maio de 2014

Uma época Gloriosa.

Por José Albuquerque

Por mais optimista que eu seja e sou, há um ano não ousei sonhar com uma época tão brilhante da Nossa Equipa. Recordo-me ou de escrever, ou de ler escrito por algum Companheiro (Guachos?), que a Equipa poderia repetir algo semelhante ao que sucedera ao Bayern e vencer todas as provas que acabava de ver fugir-lhe entre os dedos, mas, confesso, essa era apenas uma hipótese que eu admitia ser improvável: felizmente, enganei-me redondamente e esta época pode ficar na História Gloriosa do Benfica quer pelo seu imenso valor especifico, quer por vir a definir o inicio de um ciclo de repetidas Vitórias.

Oxalá!

Os antecedentes.

Tentando não pensar como Adepto (e fanático, ahahah), admito que esta época teve de ser, inicialmente, influenciada pela memória da terrível montanha russa de emoções e acontecimentos de maio de 2013, uma herança que não pode ter deixado de estar bem (mal) presente na cabeça de todos os Atletas, Técnicos e Dirigentes: quer a punição recebida, quer, sobretudo, a sua flagrante injustiça, não podiam ser esquecidas com facilidade.
Paralelamente e talvez como forma de tentar combater esse “handicap” negativo (a Final da CL só pode ter sido um argumento para efeitos de discurso), a SAD decidiu recusar todas as ofertas que recebeu para transferir alguns dos Atletas mais importantes e, assim, fazer nascer a “bandeira do melhor Plantel dos últimos 30 anos”.

Não vou repetir as criticas que, quer em setembro, quer em janeiro (a propósito do “caso Matic”), aqui enunciei, não só porque isso nada acrescenta, como, sobretudo, porque a decisão de junho da SAD foi amplamente reconhecida como compreensível por todos, mesmo pelos que, como eu, a criticaram.

Importante, realmente, é recordar que esse discurso do Presidente não foi seguido nem pelo Técnico (o JJ afirmou que no final da época se veria se sim, ou não, se tratava do “melhor Plantel”, embora reconhecendo que era aquele que mais opções lhe iria permitir, desde que chegara ao Clube) e foi muito gozado por todos os adversários, pela esmagadora maioria dos “especialistas” e, até, por muitos Benfiquistas.
De facto, temos de reconhecer que essa “declaração” do Presidente resultava da confiança que ele depositava nos “reforços” conseguidos (Markovich, Duricic, Sulejmani, Sílvio, Siqueira e Oblak) e na respectiva integração na Equipa, tal como a de eventuais “promovidos” da Equipa B.
Obviamente, essa “declaração” do Companheiro LFV também esteve sustentada pela sua convicção de que o Tacuara ia continuar a ser a mais valia de sempre e na sua esperança na regularidade dos Atletas que transitavam da época anterior.

E tudo isto vale a pena ser recordado para que ninguém diga que o Presidente (e todo o CA da SAD) só “estiveram sós” na decisão de manter o Técnico principal, uma vez que a esmagadora maioria não perdera a fé apenas na capacidade do JJ como também tinha pouca ou nenhuma no chamado “contentor sérvio”.

Passado um ano sobre aquelas decisões e se lhes adicionarmos o fenomenal plano de lançamento da Nossa BTV, não há só motivos mais que suficientes para um imenso aplauso de gratidão ao Presidente e a toda a sua equipa de gestão: acima desse reconhecimento tem de estar a consciência de que foi “ali” que nasceu o epicentro do fenómeno telúrico que quase devastou o “xistrema”, com consequências ainda imprevisíveis.

Do inicio até ao “Manel”.

Olhando para trás, para julho e agosto, creio que já percebo aquele começo titubeante da Equipa e, mesmo sem ser “especialista”, estou convencido que ele foi marcado por uma decisão do Técnico de promover a integração da Equipa num sistema tácito (uma “ideia de jogo”, para usar as palavras habituais do JJ) ligeiramente diverso do que ele usara antes, começando por privilegiar os chamados “momentos defensivos”, quer em transição, quer em organização.

Tremenda decisão e … tremendamente decisiva!

Perante a necessidade de integrar os (3) laterais (Siqueira, Sílvio e Cortez), agravada (pela grave lesão do Sálvio) pela necessidade de integrar o Markovic e o Cavaleiro na componente defensiva da ala direita, humildemente eu acredito que o Jorge Jesus avaliou a situação perfeitamente e “sacrificou” tudo (inclusivamente cometendo o “pecado” de desfazer a melhor dupla de médios centro de que me recordo, quando colocou o Enzo na ala direita), a esse objectivo parcial fundamental: colocar a Equipa a defender de uma forma absolutamente soberba.

Tratou-se de um processo muito complicado por uma série arrepiante de lesões (ambos os André, Sílvio, Siqueira, Amorim e o próprio Markovic), mas que começou a revelar uma progressiva solidez logo após o “desaire” de Paris, até culminar na lesão do Artur, que conduziu o Oblak para a titularidade.

Parece-me de inteira justiça abrir, aqui e agora, um parêntesis para elogiar os espectaculares resultados do trabalho do LORD (ou Benfica Lab), quer nos casos dos “reforços” (impressionante a evolução do Markovic), quer na recuperação da resistência do Amorim e do Sílvio, dois Atletas com um historial horrível de lesões musculares. O melhor e maior exemplo do impacto deste tipo de trabalho, parece-me ser o próprio André Gomes (vejam fotografias dele agora e há um ano), que terminou a época com uma capacidade atlética assombrosa.

E assim a Equipa acrescentou a uma reconhecida competência ofensiva, que muitos consideram ser “a marca” do JJ, o que a minha Filha designou como “o bailado defensivo” que, para mim, vai ficar a caracterizar esta época e, espero, todas as próximas.
Cada vez que penso, digo ou escrevo o que se segue, quase me ferve o sangue de jubilo: esta foi a melhor Equipa de futebol de que eu me lembro no que toca aos momentos defensivos, quer em organização, quer em transição, com superioridade ou inferioridade numérica. Simplesmente espantosa!

A “janela” de janeiro.

Quem me conhece sabe que eu sou declaradamente contra o facto de a Equipa contar com Atletas emprestados, mas, por não ser fundamentalista, entendi os motivos pelos quais a SAD optou por iniciar a época com 3 laterais sob esse tipo de contrato. Veremos nas próximas semanas se esta estratégia Nos permite acrescentar valor ao Plantel de forma permanente, ou se ela “apenas” adiou a solução das debilidades do passado naquelas duas posições de campo.

Mas foi na “janela” de janeiro que esta fórmula dos empréstimos foi elevada a um expoente impensável, com aquele formato das vendas dos “passes” do Rodrigo e do André, que constituiu, na minha humilde opinião, o melhor negocio desde sempre concretizado por um clube nacional.
O negócio foi de tal modo que a esmagadora maioria dos anti ainda reza por uma confirmação de “milhões da treta”, baseados nas infelizes incidências da venda, a dois tempos, do “passe” do Roberto Jimenez. Não tenho pena nenhuma de saber que esses continuam animados por uma esperança completamente vã.

De facto a SAD, com essas operações, conseguiu o quase milagre de, sem beliscar a competitividade da Equipa, como que antecipar um fecho de exercício 2013/14 equilibrado, multiplicando os seus graus de liberdade nas tarefas de preparação da nova época desportiva e, eventualmente, no planeamento de investimentos na BTV.
Fantástico, soberbo, magnifico, perfeito … não tenho adjectivos suficientes para qualificar o brilhantismo com que este negocio terá sido preparado e, indiscutivelmente, foi concluído, com o “bónus” adicional de ter espoletado mais um comportamento ridículo da CMVM.

Se já considerei que foi em maio e junho de 2013 que ficou desenhado o epicentro do terramoto por causa do qual o POLVO ainda anda de tentáculos assaralhopados, creio que foi nesta operação de janeiro que se confirmou o sucesso desportivo desta época e, espero, da próxima também!

Claro que se me perguntarem se a SAD deve manter estes dois Atletas no Plantel a partir de junho, a minha resposta é negativa, mesmo que o comprador lhes pagasse os vencimentos na integra.

Agora que me deu (dá e ainda vai dar mais) um gozo especial ver todos os “especialistas” sem saber como justificar, explicar ou mesmo entender o que se passou, voltarem-se contra o André, tentando martirizar todos os erros que ele cometeu em campo (trata-se de um garoto de 20 anos, mas “eles” esquecem isso) e ignorar todo o tanto que ele conseguiu de bom nas suas exibições e, como cereja no topo do bolo, terem de engolir aquela chapelada ao “lula” na eliminação dos andruptos da Taça de Portugal, disso tenho de me penitenciar.

Um final de sonho.

Não me lembro da última vez em que senti “nervoso miudinho” com um “zero zero” (muito menos com uma vantagem tangencial)!, fosse com 11, 10 ou 9 jogadores e contra quantos quer que “eles” fossem!

Mas que “gandequipa”, carago!

Maturidade, inteligência, controle quase absoluto dos desafios e dos adversários e um regalo para quem gosta de bom futebol

Obrigado, Equipa! Obrigado, Querido Benfica!

E como Nos apareceram uns quantos batoteiros e um boche apintador, não vai ser assim muito difícil fazer ainda melhor em 2014/15.

Viva o Benfica!

P.S.: deixo para os Leitores e para a caixa de comentários a atribuição de alguns prémios individuais. 

19 comentários:

  1. E com esta resenha de tal maneira completa acabas de me tirar a vontade de eu próprio fazer o balanço da época...está feito e de forma brilhante!

    O meu destaque vai para o Manel. E o meu Manel é precisamente André Gomes.
    O comportamento miserável, de verdadeiros filhos da puta, dos cumentadeiros da sic, contra André Gomes, (fizeram o mesmo com Markovic no jogo com a Juventus) nos vários jogos decisivos no final da época, apenas o confirmam. Foi o Manel mais importante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E o Oblak que não tinha experiência?

      Eliminar
    2. Oblak foi uma confirmação. E beneficiou muito dos ataques ao Artur. O mesmo beneficio que o próprio Artur tivera no primeiro ano por contraste com Roberto...Para a próxima época acaba-se o amor por Oblak. Vai uma aposta?

      Eliminar
    3. Enormerrimo Guachos, Companheiro e Bom Amigo,

      Fico grato pelo elogio, mas sinto que ainda resta muita coisa importante por escrever (o texto ja' ia demasiado longo), mesmo para alem das avaliacoes individuais (ou por setores).

      Enorme FranciscoB, Companheiro,

      Apesar de eu ter "escapado" a analises individuais, estou de acordo que alguem tem de as fazer e foi por isso que eu acabei o texto com essa sugestao.

      O Oblak e' um exemplo da injustica que seria nao fazer referencias individuais, por mais que se prefira, como foi o meu caso, sublinhar o valor da Equipa.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
    4. Meu Amigo, não se pode dizer tudo em tão poucas linhas...eu quando começo a escrever do Benfica, por minha vontade nunca mais acabava...já faço posts demasiado longos - imagina se não tivesse de me conter. Ninguém tinha pachorra para os ler.
      Temos muito tempo (durante os próximos meses) para o fazer...

      Eliminar
  2. "“bónus” adicional de ter espoletado mais um comportamento ridículo da CMVM"

    Sempre me pareceu que esta entidade (CMVM) era influenciada pelo xistrema, desde o tempo do JVA, qd todos aplaudiam as continuas intromissões e "cacetadas" q eram dadas a um Benfica fragilizado pelo "rasgar dos contratos" c/ a olivedesporcos e aparentemente integradas nessa guerra juridicofinanceira...

    Quais as perspectivas q temos no relacionamento c/ esta entidade que parece ser dirigida por dragõesdouro e que prejuízos podem advir para o Benfica?

    Estarão mesmo em risco os nossos direitos televisivos com a marioneta q a olvedesporcos quer por na Liga?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Francisco, Companheiro,

      Eu nao iria tao longe (a ponto de "colar" alguns comportamentos da CMVM ao conceito "ladrao de ouro") e prefiro pensar que a CMVM e' muito (muitissimo) mais exigente com a Nossa SAD por causa da Nossa dimensao bolsista, que e' muito maior que a soma de todas as outras SAD.

      Ja' quanto ao passado longinquo (era JVA), estou inteiramente de acordo contigo, porque houve, de facto, uma atitude persecutoria.

      Nao sendo, nem de longe, um especialista na material dos direitos televisivos, o que te posso dizer e garantir e' que o Benfica estudou o tema demoradamente e com o maior rigor (a ter havido falha, so' se foi pelo exagero), como o comprovam, alias, as sucessivas vitorias conseguidas junto da Autoridade da Concorrencia e do ICP.

      O erro do POLVO foi ter "empurrado" o Glorioso para esta solucao (pensavam que o Benfica nao teria a coragem de assumir o risco de transformer a BTV em muito mais que uma TV de clube): agora, perante o estrondoso sucesso, ja' nada Nos pode parar.
      Na minha humilde opiniao, nesta altura o Benfica ate' ja' poderia "alinhar" na centralizacao da negociacao dos direitos televisivos e, ainda assim, fazer valer o potencial verificado ("real", demonstrado e indiscutivel), conseguindo uma receita anual superior aos 40ME.

      Sinceramente, Companheiro, nao creio que a SAD esteja minimamente preocupada com essa ameaca, embora tenha de se manter vigilante (como foi este caso em que conseguimos impedir o monopolio dos distribuidores do sinal.)

      Viva o Benfica!

      Eliminar
    2. Agradeço os esclarecimentos - estou curioso para tomar conhecimento da estratégia para a próxima época.

      Eliminar
    3. Caro Francisco, compreendo a tua curiosidade mas as estratégias de uma empresa que se preza e tem uma gestão competente não torna pública as suas estratégias. Por motivos óbvios que me abstenho de comentar.

      Eliminar
  3. Caríssimo e enormérrimo amigo José Albuquerque,

    Extremamente bem delineada e melhor executada esta análise. Fico com tanta inveja ( positiva ), que quase me apetece chamar- te o Luís Freitas Lobo do Blog ( Hehehehhehe... vê bem o tamanho da minha inveja, toda a gente sabe que é feio chamar nomes aos amigos ).

    Agora, mais a sério, está perfeita e estou em total concordância com tudo o que referes e explanas!

    Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eheheheh, Amigo e Enormerrimo Mathayus,

      Como eu sou um incondicional dos teus textos, ficas "autorizado" a chamar-me o que te der na real gana, ahahah, mesmo que seja "luis freitas lobo".

      Mas como me "provocaste", vou contar uma estoria .... do meu Amigo Enrique Sanchez Flores.

      Quando ele era o Nosso Tecnico, eu fui assistir a alguns treinos da Equipa e recordo-me de 2 em especial, em dias consecutivos, em que ele "atava" os 4 defesas com uns elasticos compridissimos (talvez uns 40 metros) e, depois, atava os medios ala aos laterais com uns elasticos de uns 10 metros cada.

      Nessa altura perguntei ao Quique para que raio e' que aquilo servia e ele, sempre um "gentleman", tentou explicar-me ... sem sucesso.
      Nunca falei com o JJ, mas ele (e a Equipa) "explicou-me" muito melhor, ahahah.

      Ha' que reconhecer que se trata de um "bailado" notavel e muito dificil de conseguir, especialmente no "controle da profundidade" (a cena de avancar e/ou recuar a linha dos 4 ultimos defesas), porque implica que cada um dos Atletas esteja sempre consciente da posicao da bola e de todos os adversarios mais adiantados.

      Magnifico! Deleito-me a ver e rever e rever e rever ...!

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  4. Caro Albuquerque: eu destacaria dois triângulos que merecem evidência: -1- o do Futebol, cujos vértices são LFV, RCosta e JJ e o 2- o da SAD encabeçado tb por LFV, DSO e tb Rui Costa.... Estes são os destaques maiores no que à estrutura do Benfica diz respeito.
    Quanto a equipa de futebol destacaria PRIMEIRAMENTE 6 jogadores que constituíram a espinha dorsal desta época: 1- O grande OBLAK, GARAY, MAXI, LUISÃO, ENZO, GAITAN e logo de seguida os Maneis: R.AMORIM, A.GOMES e A. ALMEIDA sem desprimor para TODOS OS RESTANTES....ABRAÇO
    PS: Estou ansioso pelo próximo r&c. Penso que nesta época o glorioso vai rebentar c os proveitos!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme 218.219, Companheiro,

      Eu tambem estou como tu, na espectativa de poder calcular quais foram os proveitos da BTV entre janeiro e marco: esse numero, que eu espero "magico" vai determiner tanta coisa ...

      E gostei dos teus "triangulos", que corrigem o facto de eu me ter esquecido do Nosso "Maestro" e do tremendo sucesso do seu departamento de Prospeccao (ja' muito elogiado pelo proprio JJ, que sabemos nao ser Homem para elogios imerecidos).

      Quanto a essa "constelacao de estrelas" que tu destacaste, fazes-me pensar como ela seria se a Equipa tivesse contado sempre com o Fejsa e, sobretudo, o Salvio.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
    2. José: sabes que esses 2 triângulos com um lado comum, eixo, formado por LFV e RCosta é a forma como vejo a estrutura de sucesso do Benfica; Ou seja a um eixo central, pivot do futebol e finança , somamos o responsável pelas questões técnico /tácticas a que se dá o nome de JJ, formando o triângulo do futebol propriamente dito, e por outro lado acrescentamos D.S Oliveira conselheiro para a área das finanças que dá forma à outra triangulação.... Esta é a meu ver a estrutura do Benfica.... E dito isto pergunta-se: pode abdicar-se, nesta estrutura de algum dos seus vértices? De forma nenhuma se pode mexer no eixo, e nas pontas, JJ e DSO, só com garantias de igual performance !!! O que não é fácil, digo eu! Até porque em equipa vencedora não se deve mexer!!!

      Eliminar
  5. Caríssimos Guachos e Albuquerque

    Perdoem-me pelo que vou dizer, por não ser relativo ao tema em discussão, mas não posso deixar de o fazer:
    Como benfiquista, deu-me vontade de vomitar ao saber que o desiquilibrado carniceiro Pepe fez alusão ao imortal Eusébio. Seja pelo que for e em que circunstâncias for, personagens daquele calibre enojam-me de tal forma que deveria ser-lhes vedado o direito de invocarem o nome de um deus.

    Abraços benfiquistas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu caro Alma, estou 100% de acordo e posso-te garantir que já tinha essa engatilhada num escrito que acabo de ultimar. Cada macaco no seu galho! Vade retro satanás. Mas quem se julga esse carniceiro para invocar o nome do King em vão?

      Eliminar
  6. Guachos

    Pela ideia que vou tendo de ti é óbvio que não precisas de me garantir que ias abordar a alusão feita pelo dito sanguinário. Só podias mesmo. Confesso-te que é o jogador de futebol por quem sinto mais asco, mas asco mesmo. Aliás, ainda hoje me faz confusão que esta aberração de desportista não tenha sido irradiado e proibido da prática de qualquer tipo de competição, até mesmo de jogar ao berlinde.
    De resto, sempre que miro o facies da espécime, para além da repugnância que sinto, de imediato me vem à memória Lombroso, que, por muito que custe aos falsos moralistas e outros hipócritas que tais, se hoje fosse vivo, ao olhar, só de relance, para esta criatura, diria, como tu bem disseste: "Arreda-te, Satanás"!
    Um merdas destes que se a natureza fosse perfeita não abriria a cloaca em circunstância alguma, quanto mais para citar um dos escassos deuses que tivemos a felicidade de conhecer!

    Grande abraço

    ResponderEliminar
  7. Parabéns por um post que mostra que o Benfica é campeão porque também cuidou dos pequenos detalhes :)

    Este foi um campeonato de todos e só espero que muitas destas coisas representem já vantagens para a nova época.

    Por fim... a silly season começou e eu pergunto-me... porque raio é que há jogadores a querer ir para o Zenit ou para o Valência?

    ResponderEliminar
  8. Caro José Albuquerque,

    Gostei do seu post mas discordo em dois pontos:
    - Não me parece que o sucesso da BTV nos permita "apostar" na centralização dos direitos desportivos. O sucesso da BTV tem de ser potenciado no sentido de desmascarar e pôr a nu a verdadeira dimensão do roubo do qual o Benfica tem sido vítima nos últimos anos (desde que existe sporcostv). O que me parece é que ainda não se percebeu bem a caixa de pandora que o Benfica está a abrir com este sucesso da BTV. Há muitas sportvs por esse mundo fora pouco interessadas neste sucesso. E essa pode ser uma das razões para "a pouca vontade que a UEFA demonstrou em despenalizar Markovic).
    - Como já escrevi, e o José comentou, não acho o negócio do André Gomes estrondoso. Ou melhor, acho-o estrondosamente precipitado. O André Gomes é um dos actuais jogadores do Benfica com maior potencial. É um misto de Paulo Sousa e Rui Costa, mas com uma resiliência brutal. Estamos muito habituados a vibrar com as performances ofensivas dos jogadores, mas defensivamente o AG é simplesmente brutal. Só lhe falta um pouco mais de experiência para não ser "comido" pelos espartalhões mais experientes (vide sevilha e juventus que usaram e abusaram da permissividade dos árbitros para agarrar e puxar continuamente AG), e colocar em campo todo o seu porte atlético que é simplesmente excepcional. Por isso, e porque é um jogador made in Benfica (lá em contumil só se aprende merda) que sente a Mística será sempre um jogador a manter até não podermos mais. E não podermos mais, para mim, significa no mínimo 30M€.
    De resto estou de acordo com tudo e partilho desse sentimento que já não tinha há muitos, muitos anos, de ver o Benfica jogar com 0-0 e sentir a equipa segura, e capaz de ganhar o jogo a qualquer momento.
    CARREGA BENFICA!

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.