sábado, 30 de agosto de 2014

Os “Fundos” e o “Fair Play Financeiro” I.

Por José Albuquerque

Há semanas que estava para escrever sobre estes dois temas, ambos completamente na moda, mas numa perspectiva diferente do que já tenho lido, ou seja, centrando-me nas possíveis relações entre ambos e porque, bem ao contrário do que possam pensar, essa relação pode fazer uma imensa diferença.

Infelizmente, este desafio obriga-me a sujeitar os Leitores a mais uma daquelas sessões de “economia para totós” sem me livrar de duras criticas de Colegas, por evitar os rigores do “economês” e a extensão de um tratado, castigos a que eu não fujo, mesmo abusando da vossa pachorra, porque insisto em acreditar que um domínio, ainda que mínimo, destes conceitos, acrescenta muitíssimo aos suportes da capacidade critica dos Benfiquistas quando convidados a interpretar as decisões daqueles em quem confiámos o Nosso voto.

Comecemos pelo principio …

Receitas vs. Proveitos e, sobretudo, Despesas vs. Custos.

Já são inúmeras as vezes em que eu repito estes conceitos, a ver se baixa a frequência dos erros crassos que lemos pela internet a este propósito, quando Companheiros confundem “alhos com bugalhos”, acabando os seus raciocínios em conclusões absurdas.
Tem uma estória que vale a pena dar como exemplo: num blogue recente (creio que se chama “o guerreiro da luz”) o texto la’ posto tinha uma tremenda bacorada deste tipo e eu, cheio de solidariedade Benfiquista, deixei um comentário sugerindo a correcção, comentário que foi publicado e, alguns minutos depois, “apagado”; entretanto, o autor do texto alterou-o e só não digo que o corrigiu porque ele persistiu … num novo erro, ahahah; logicamente e mesmo sabendo que voltaria a ser censurado, escrevi novo comentário a sublinhar o novo erro e a sugerir que ele procurasse a ajuda de alguém com os mínimos conhecimentos que o pudesse ajudar, se ele quisesse ser ajudado.
É aquela treta dos “encaixes”, que eu detesto porque se trata de uma palavra que sugere uma Receita, quando a venda pode ter sido realizada com 100% de crédito ao clube comprador e, consequentemente, sem que nem um cêntimo entre imediatamente na “caixa” do clube vendedor. Ainda assim, não há quem não insista em falar nos tais “encaixes”.      
É a eterna comparação entre as “compras” e as “vendas” em cada janela de transferências, como se fizesse alguma lógica relacionar umas com outras (e não faz).
E, sobretudo, é a sistemática comparação entre os valores das “vendas”, por um lado, e a soma do “preço da compra” com os salários pagos, para se concluir se o Atleta deu “lucro”, ou não: um colossal disparate.

Para esclarecer estas confusões, começo por convidar quem delas não sofre a “saltar” imediatamente para a “Conclusão”, poupando a leitura desnecessária dos parágrafos seguintes.

Quando falamos de Receitas e Despesas, estamos a falar numa perspectiva estrita de “tesouraria”, tal qual fazemos quando falamos dos movimentos que vemos no extracto da nossa conta bancária. Em Gestão, a área especifica da “tesouraria” é uma parte menor da área financeira, uma vez que se limita a impedir roturas pontuais e excessos que corresponderiam ao desperdício dos juros que se poderiam obter com a aplicação desses excedentes (ou da redução dos custos financeiros a pagar por empréstimos de curto prazo contratados).
Em negócios marcados por uma grande sazonalidade de Receitas e/ou Despesas, é habitual a contratação de “plafonds” de crédito automático de curto prazo (frequentemente com débito diário dos juros) que garantem a liquidez imediata (os chamados “pagamentos no vermelho”), deixando aos Gestores a liberdade de decisão sobre os “excessos” de liquidez e a forma de os aplicar.
Uma vez mais eu insisto que o Nosso Grupo não tem, nem podia, nenhuma dificuldade em financiar a sua tesouraria, como comprova o facto de não ter registado nenhum incumprimento, seja qual for o credor, há mais de uma década.

Quando falamos em Proveitos e Custos, saímos definitivamente dessa  óptica da “tesouraria” e entramos na área da Gestão da Exploração e no campo dos suportes que definem, ou não, a sustentabilidade da Empresa em causa e a manutenção da sua capacidade de investimento a prazo.

Numa linguagem simples podemos dizer que a Gestão de Tesouraria (das receitas e despesas) é uma pequena área da intervenção de quem gere uma Empresa, quer na importância, quer no horizonte temporal (falamos do muito curto prazo), enquanto a verdadeira Gestão de um negócio se faz em torno daquilo que realmente importa: os seus Proveitos e Custos, quer individualmente (para aumento dos primeiros e controle dos segundos), quer na sua relação, visando a maximização da rentabilidade a longo prazo (Proveitos maiores que os Custos).
No caso de um Grupo Empresarial de raiz desportiva, normalmente este objectivo da “maximização dos lucros a longo prazo” é substituído por uma “maximização dos resultados desportivos, dentro de um quadro de rentabilidade sustentável”      

Vejamos alguns exemplos concretos:

Compra do “passe” de um Atleta por 10ME, com o qual é assinado um contrato por 5 épocas desportivas.

Do ponto de vista da “tesouraria” os impactos de uma tal operação passam, exclusivamente, pelo plano de pagamentos do preço acordado e, ulteriormente, pelo acréscimo nos pagamentos regulares de salários e encargos inerentes.
Ou seja, deste ponto de vista restrito não decorrem “receitas” nenhumas e resulta uma série de “despesas” perfeitamente calendarizadas: não houve nem “lucros”, nem “prejuízos”.

Do ponto de vista da verdadeira Gestão empresarial (Proveitos e Custos), esta compra de um atleta não origina nem “lucro”, nem “prejuízo” (uns e outros chamados “Resultados”, positivos ou negativos) imediato, mas dela decorrem vários Custos perfeitamente previsíveis, a saber: os custos salariais e … as amortizações contabilísticas do valor do “passe” adquirido (acrescido dos eventuais custos inerentes).
Exactamente: os 10ME não são um “Custo”, nem que o negócio fosse pago a pronto!
No caso vertente (10ME e contrato por 5 anos), o Custo contabilístico é de 2ME/ano (10/5).
E algum “proveito”?
Esperemos que sim, mas em termos exclusivamente desportivos.
E se fizermos essa “compra” com recurso (total ou parcial) a um qualquer “empréstimo” (Capitais Alheios)?
Então, temos de esperar e contabilizar os inerentes “Custos Financeiros” desse financiamento, uma realidade por Nós sobejamente conhecida, a que temos recorrido para muitos dos Nossos investimentos (quer em Atletas, quer no Parque Desportivo) e que resultaram na famigerada “factura bancária” que a crise agravou para os 20ME anuais.  

Já agora que chegámos até aqui, vejamos quais podem ter sido os “movimentos contabilísticos imediatos” e o consequente impacto no “Balanço”: se pagarmos o “passe” a pronto (1), diminui a conta bancária (“caixa”) em 10ME e aumenta o “Incorpóreo” (Valor do Plantel) por igual valor (tratam-se de duas “contas” do Activo, pelo que o seu valor total permanece sem alteração), no caso em que pagaremos tudo a crédito (2), o já referido aumento do “Incorpóreo” (conta do Activo) é “compensada” por igual aumento (10ME) de uma “conta” do Passivo (Fornecedores) e, finalmente, (3) quando houver um pagamento parcial imediato e outros diferidos, o aumento do “Incorpóreo” é compensado pela diminuição da parte do valor paga imediatamente na “caixa” e no aumento pelo remanescente de “Fornecedores” (resultando num aumento paralelo de Activo e Passivo pelo valor que fica para pagar a prazo).

Recordem-se que, ao longo dos 5 anos contratados, o “valor de Balanço” deste “passe”, que começa por ser de 10ME, vai diminuindo em 2ME por ano (por via da amortização contabilística), até chegar a “zero” no final do período de contrato.  

Venda do “passe” desse Atleta, um ano depois, por 30ME (líquidos de todos os custos e eventuais comissões).

Na óptica da “caixa”, haverá um calendário de receitas, espraiadas pelo tempo (embora a Nossa SAD já tenha feito varias a p.p.) e nada mais que isso.
Caso a SAD entenda “transformar” esse conjunto de “facturas” em receitas imediatas, isso trata-se de uma operação de financiamento completamente diferenciada da “venda em si”, embora a Nossa SAD tenha usado recorrentemente do “factoring” (uma modalidade de financiamento em que as “facturas” ficam a constituir a “garantia” de amortização do empréstimo e em que o “risco”/juros ficam associados ao clube que “compra” o passe e que é o responsável pelo seu pagamento), porque tem vendido muito para clubes com reputação de “muito bons pagadores”.

Do ponto de vista da exploração (Proveitos e Custos), é neste tipo de operações que se podem realizar as famosas “mais valias”, que são o Proveito resultante da diferença entre o valor (liquido) da venda e o valor de balanço do passe do Atleta no momento da venda. Concretamente e neste exemplo, esse valor seria de 8ME (10 – a amortização ocorrida no ano), resultando um Proveito de 22ME (30 – 8).

Na óptica da contabilidade, tudo se passa ao nível do Activo: diminuição (menos 8ME) do tal Incorpóreo/Valor do Plantel (o passe deixa de ser um valor do Activo) e aumento da “caixa” (pelo valor pago imediatamente) e de “Clientes” (pelo valor das prestações futuras.
Quando, como neste exemplo, os aumentos do Activo (30ME) são superiores ao decréscimo (8ME), resulta um aumento do valor total do Activo, que implica (por não haver variação do Passivo) um “Lucro”.

Conclusão.

Resumindo todo este arrazoado, nem as “compras” são custos imediatos, nem as “vendas” são encaixes e é apenas destas últimas que resulta a maior parte dos proveitos que aparecem nos tais ROPA (Resultados de Operações com Passes de Atletas) e que devem superar a parte importante dos custos nessa rubrica, constituídos pelo somatório das Amortizações do conjunto de passes dos Atletas contratados (e que andam na ordem dos 30ME anuais).

E é por isto que não faz nenhum sentido discutir se “o Benfica tem de vender” ou se “o Benfica não tem de vender”.

O que sucede é que vamos vender, quer queiramos/necessitemos, quer não e pela simples razão de não podermos competir com o nível salarial que os milionários oferecem aos Nossos Atletas mais valiosos.
E os Companheiros que defendem que a Nossa SAD não devia ser gerida a contar com esses Proveitos (que eles designam por “extraordinários”), esquecem quais seriam os efeitos de uma tal Gestão: com contas, digamos, “equilibradas” sem contar com as mais valias resultantes de vendas de passes, a SAD seria como que atirada para lucros “exagerados” sempre que essas vendas acontecessem (e bem as sabemos imparáveis), subvertendo completamente o objectivo essencial de maximização dos resultados desportivos.

Regressando ao subtema do FPF, importa recordar que ele Nos obriga a uma Gestão equilibrada contando com os ROPA, exatamente porque a UEFA tem consciência de que eles fazem parte da Gestão “corrente” da esmagadora maioria dos clubes/SAD (de todos, excepto a dúzia que paga salários mais elevados).

E, para lançar a discussão, tomem nota de um comentário (de um Companheiro anónimo, infelizmente) que me parece o ideal para podermos debater, cimentando todos estes conceitos: Sei que vou ser mal interpretado. Mas se é para pagar divida e assegurar o futuro do Benfica, pois que se venda o Sálvio o Gaitan e o Enzo que se fale verdade aos sócios que eles de certeza vão compreender. Compre-se dois ou três bons jogadores por 10M cada e ainda ficamos com equipa para disputar o campeonato e algo mais.”                                  

É tempo de fazer um intervalo. Retomaremos este texto depois de um daqueles postos (dos Enormes Guachos e Mathayus) dos quais os Taliban tanto gostam, ahahah.

Viva o Benfica! 

46 comentários:

  1. Caríssimo e grandíssimo amigo José Albuquerque,

    Hoje, levas um muito bom na classificação antiga e um já mais do « razoavelzinho » 100% numa escala mais « modernaça ».

    Sinto-me dignificado e finalmente valorizado na minha função de representante oficial da classe do « tótós em economia ». Enfim, reconhecido pela organização estatal Guachense.

    É que, é só através da minha avaliação ( incrivelmente especializada ), podes aferir o índice de aceitação e compreensão do texto, para o tóto em economia comum.

    Todavia, as notícias são extremamente promissoras... não é que eu compreendi mesmo!

    Pois, só que infelizmente comecei pela notícia boa... e a má, meu carísssimo amigo, é que os talibans, só possuem 10 dedos!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Mathayus, Amigo e Companheiro,

      Tu nao serves de exemplo, porque ja' estas quase especialista: nomeadamente, tiveste o brilhantismo para concluir que, caso a SAD estivesse a vender o mais possivel (e ja' sabemos que nunca esteve), poderia estar a fazer a "Reestruturacao Financeira" por essa via e isso, meu Caro, demonstra que ja' tens 'OLHOS' para estes assuntos.

      Entretanto, o que eu gostava era que tu desses a tua opiniao "de Gestor" sobre aquele comentario de um nosso Leitor (infelizmente anonimo).

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Caro Jose Albuquerque o meu anterior comentario saiu como anonimo, nao por qualquer receio mas simplesmente devido a factores tecnicos.contudo reafirmo a opiniao dada.
      Se e para desinvestir tem de ser muito bem feito,porque se perdermos qualidade desportiva nem tao cedo conseguiremos os valores que nos sao “oferecidos” por Enzo,Salvio ou Gaitan.

      Carlos Palma.

      Eliminar
    3. Enorme Carlos Palma, Companheiro,

      Excelente!
      E eu acredito que, depois deste teu esclarecimento, o teu comentario inicial ainda mais e melhor contribui para que os Leitores possam interpretar o conteudo deste texto e fazerem "exercicios" pedagogicos sobre alternativas como a que admitiste (nao vou presumir que a defendas e estivesses a defender).

      Muito Obrigado por este teu contributo.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    4. Enormerrimo Guachos, Companheiro e Bom Amigo,

      Se te for possivel, seria otimo colocar este comentario do Enorme Carlos Palma no texto publicado: nao so' ele explica (e assina) o anterior comentario, como ainda enriquece o conteudo, porque articula a questao do "desinvestimento" com o risco de desvalorizacao global do Plantel, ou seja, faz o contraponto entre "Resultados Economicos" e "Resultados Desportivos", como realidades que nao sao independentes.

      Se o comentario inicial dele ja' me parecera excelente, agora ainda ficou melhor.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    5. Hahahah!
      Estou de férias de telele nas unhas...editar e publicar o teu texto já foi um filme...
      Abraços a todos e desculpem a pouca participação...

      Eliminar
    6. Mas que falta de tacto...com isto tudo até me esqueci de te agradecer por mais um enorme post com que nos brindas...obrigado meu amigo.

      Eliminar
  2. Com mais esta lição (daqui a pouco estou apto para me fazer ao canudo!!!) melhor se pode aquilatar da ignorância que tantos catedráticos da trampa espalham por aí.

    Mas será que esta gente não tem mesmo vergonha de mostrar as cabeçorras burróides que ostentam?

    Além de não saberem ler (muito menos ainda nas entrelinhas) e enquadrar um texto na essência do seu propósito, pensam que ler jornais especializados e rebuscarem os R&C para daí cairem na esparrela da própria ignorância só porque o título da rubrica "lhes diz tudo", dizia, além de não saberem ler e não se darem ao trabalho de consultar alguém especializado nas matérias, publicamente, dão com os burros na água, esquecendo
    que vestem a pele de um desses pachorrentos animais que não têm culpa de serem mais inteligentes que catedráticos de trampa.

    Pessoalmente, e como não discuto o que não sei, limito-me a aprender com quem sabe sem nunca pensar vir a ser "expert".

    E não me importo que me chamem burro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Joseph, Companheiro,

      Muito cuidado: olha que eu nao me considero (nem proximo) "expert" na Gestao de uma SAD como a Nossa, cujo "core business" e' esta coisa estranhissima do Futebol.

      Agora ... de facto nao me vao nunca apanhar a cometer erros de palmatoria como temos visto em alguns "especialistas" que por ai' andam, ahahah.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Pois é meu caro Navegador, sei que não te consideras um "expert" mas, "...limito-me a aprender com quem sabe ..." !

      Quanto aos especialistas que por aí andam, por muitas "peles" que vistam, ficam-lhes sempre as orelhas de fora.

      Viva o Maior!


      Eliminar
  3. Epá... Andei eu feito parvo de blogue em blogue a bater na mesma tecla."Olha que não. Olha que isso não é lucro. Isso é outra coisa..."
    Fisga-se. Haja paciência. Mas enfim, Mal ou bem tudo vai dar no mesmo. No facto de não podermos emitir opiniões sobre assuntos que nos são estranhos para evitar fazermos figura de urso.

    Não fosse a cena dos "talibans" e dos "carneiros" que eu tanto detesto e até comentava mais vezes. Aqui e noutros lados.

    Mas, fugindo propositadamente do tópico, volto a dizer e vou repeti-lo as vezes que foram precisas... Acordámos tarde de mais para o mercado. E para além disso, parece-me que se apostou numa estratégia que com Jesus nunca vai ser prioritária. Ou pelo menos nunca vai ser "A" estratégia.

    O José afirmou várias vezes que o nosso presidente é demasiado voluntarioso ou voluntarista (não sei bem agora qual das palavras é a correcta). No caso da constituição do plantel deste ano acho que para além disso, LFV se deixou embalar por um sonho. E a reacção já aconteceu tarde demais. Conseguiu resolver a tempo a questão das saídas para evitar danos futuros nas eventuais maiores valias ou proveitos com os passe dos entretanto emprestados que são "vendáveis", mas já não foi a tempo de resolver a questão das aquisições. Aquisições no sentido de as conseguir sem contradizer a política de contenção de custos ao nível dos custos com passes e não conseguindo assegurar (sem gastar mais do que queria) as primeiras escolhas de um Jesus que não é só exigente ao nível do seu salário...

    Quanto ao resto e ao invés de muitos outros, eu estou atento. Vou lendo. Compreendo a insatisfação de muitos na perspectiva pura de quem quer ganhar sempre e ter sempre as melhores condições para isso, mas vou-me abstendo de fazer determinados comentários pois é inegável que tudo o que nós por aqui vamos escrevendo, que se assemelhe minimamente a uma opinião numa perspectiva negativa tanto do Benfica como clube como do seu Presidente enquanto líder do clube ou como pessoa, vai acabar por servir para fazer uma capa ou texto sensacionalista num qualquer reles pasquim ou, ainda pior, vai acabar por alimentar os blogs "com pseudónimo" ou sem pseudónimo (sim eu já vou sabendo quem vocês são) que se dedicam exclusivamente a publicar sem escrúpulos e a emitir opiniões sem qualquer fundamento ou conhecimento de causa, baseando-se apenas nas especulações ou tentativas de especulação que circulam na nossa blogoesfera Benfiquista.

    Esses é que são os verdadeiros talibans. E se olharem bem e lerem muito do que eu leio verão que existe um fio condutor claro na forma como são emitidas ou transmitidas muitas das teses dos chamados "opinion makers" do nosso futebol, vulgus "cumentadeiros".

    Saudações Gloriosas
    nunomaf

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Nunomaf, Companheiro,

      Obrigado pelo teu excelente contributo, com o qual estou de acordo para ai' em uns 90%.

      Eu vou guardar-me para comentar o Nosso Plantel e a sua construcao ... a partir de terca feira proxima, mas ja' deves ter lido que manifestei a opiniao (e tentei sustenta'-la) de que a Nossa SAD teve as condicoes quase ideais para enfrentar esta "janela de Mercado".

      Tambem gostava que desses a tua opiniao sobre aquele comentario que eu copiei para o texto (e olha que eu acredito que tu, apesar de seres um profissional das engenharias, TENS de estudar um pouco estas bases da Contabilidade e da Gestao financeira).

      Nao deixa de ter uma certa piada que tu tenhas sido testemunha daquela estorieta que eu contei no inicio do texto e ate' tenhas levado com um "corte por tabela" num teu comentario, ahahah.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  4. Ou seja, caro enorme companheiro José Albuquerque, o comentário do anónimo significa que...?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Vento Lusitano, Companheiro,

      Eu creio que o ideal seria que ele proprio aqui viesse explicar ... ou explicar-se. Sem nenhum medo de ser mal interpretado!

      Humildemente, eu interpreto-o assim: trata-se de um Companheiro que acreditou que a Nossa SAD estaria confrontada com especiais dificuldades (talvez por causa da crise do BES), que ficou "traumatizado" quando descobriu que o Grupo tem uma "fatura bancaria" anual de mais de 20ME e, por tudo isso, pensa que a melhor solucao seria vender o maximo possivel, reinvestindo uma parte em 2/3 novas aquisicoes e, com a diferenca, reduzindo o Passivo bancario o mais possivel.

      Como tu sabes, eu nao concordo com ele, nem no "diagnostico", nem no "receituario".

      Gostava de poder ler a tua opiniao, quer do ponto de vista "economico", quer (sobretudo) do ponto de vista da competitividade da Equipa.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Vou centrar-me na vertente desportiva de forma resumida:

      1- Neste momento, o Benfica está competitivo;

      2- Gostei das últimas contratações - Samaris e Júlio César (embora por vezes eu tenha sido influenciado pelas últimas impredssões do campeonato do mundo, mas, reflectindo melhor, também o David Luís, por exemplo ficou;

      3- Para termos uma equipa competitiva a nível interno e externo necessitamos de manter os nossos actuais melhores jogadores;

      4- Porém, se estivéssemos numa fase ainda inicial do mercado, e houvesse um substituto à altura do Enzo, vendê-lo-ia pelos 30 milhões de euros, ou 25 mais 5;

      5- Com a lesão de Amorim, mantendo-se Enzo, o Benfica deverá contratar mais três médios. Vou pôr nomes: o italiano Cristante, Pedro Tiba e por empréstimo Van Ginkel (2 anos, tal como aconteceu com Fernando Torres para o Milão. Bem sei que são situações muito distintas. Mas nós também temos excelentes relações com o Chelsea);

      6- Para a posição 9, Joel Campbell será/seria uma excelente contratação;

      7- Para mim as posições mencionadas deviam ser cobertas, pois é demasiado evidente que nesses sectores estamos demasiados debis;

      8- Do meu ponto dew vista, seria útil fazer a contratação de um central para fazer dupla com Luisão, ou então acreditar que Lisandro Lopez, ou César vão rapidamente surpreender e assumir a titularidade. Jardel não me dá as garantias mínimas. Veremos como se comporta amanhã. Mas confio pouco nele quando estamos perante jogos mais exigentes;

      9- Se as premissas enunciadas se concretizarem, independentemente do sistema passaremos a ser a principal equipa na luta pelo título;

      10 - Não é do meu agrado especular sobre nomes. Mas hoje decidi fazê-lo. Aceito ser criticado por isso.

      Abraços desportivos.

      Viva o Benfica.

      Amanhã?? Vencerrrrrrrrrrrrrrrrrrrr!

      Eliminar
    3. «Mantendo-se o Enzo o Benfica deveria contratar mais tres medios» =4 +Samaris,Andre Almeida,Fejsa,talisca,pizzi. O que segundo as minhas contas da 9 jogadores para 2 posicoes.
      9 jogadores mas 10 vencimentos, sim o Ruben continua na folha de pagamentos do Benfica.
      Penso que merecia um premio pela sua ideia de gestao.

      Eliminar
    4. 1- Se houver mais lesões?

      2- Se houver a oportunidade de fazer uma mais valia no mercado de Dezembro?

      3- Almeida pode jogar no meio campo, mas vai ser mais útil nas alas, actuando como defesa direito ou esquerdo, no momento de fazer rotações.

      4- Infelizmente Fejsa e Amorim só em Fevereiro é que terão ritmo suficente para serem opção.

      5- Pizzi em princípio ficará, mas também poderá sair.

      6- Nas exigentes provas em que estamos inseridos, um meio campo com várias opções este ano vai ser meio caminho andado.

      7- Enzo, Samaris, Talisca Pizzi, Cristante, Pedro Tiba e Van Ginkel - era um meio campo impressionante...Depois com todos já em pleno há menos problemas se alguém sair em Janeiro....

      Compreendeu?

      É arriscado? É. Mas pode ser uma aposta interessante.

      Certo?

      Eliminar
  5. Foda-se! Não percebi nada, mas se o caro José o diz, eu acredito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Liverpool, Companheiro,

      Ahahahahahah, nao percebeste mesmo nada?
      E eu a pensar que tinha exagerado no detalhe, abusando da vossa paciencia.

      Temos duas alternativas: (1) ou me colocas todas as perguntas (eu prometo responder a todas), ou escreves para o Guachos e vamos trocar e-mail e, talvez mesmo, marcar um Skype.

      Combinados?

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Companheiro José, digamos que nem as contas cá de casa sou eu quem as faço ha ha ha, mas olha que já aqui aprendi muito contigo. Logo leio a coisa mais devagar. Abraço e obrigado pela disponibilidade.

      Eliminar
  6. Percebes tanto desta merda como eu de botânica lunar. Tenta escrever um texto que não venha escrito pelo departamento de comunicação do teu Deus e depois falamos. De certeza que metade das palavras não conheces.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. entao este texto e' ... "Vieirista" ?????

      Ahahahahahah, o malandro do Nosso Presidente ja' se apropriou das regras da Contabilidade, ahahah.

      Enormerrimo Guachos, Companheiro e Bom Amigo,

      A merda que tu tens de limpar aqui todos os dias ... phod@-se.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Ui...fez dói dói, passa pomadinha passa.

      Eliminar
    3. A lagartada anda irritada... ehehehe

      Eliminar
    4. Este Alex Silva é um lagarto que se passa por benfiquista que mesmo por não o ser anda muito mal disposto. O gozo que estes gajos me dão!!!

      Eliminar
    5. Para o Alex.
      Ha tantas plantas na lua.
      Como na tua cabeca neuronios.
      Vai brincar para a tua rua.
      E nao me f**** os cornos

      Eliminar
  7. Se aqui pudesse colocar uma imagem, tenho uma que poderia emoldurar com o none dessa Alexandrina.

    ResponderEliminar
  8. Infelizmente, é uma realidade que é transversal a Portugal, não só ao universo Benfiquista. A falta de conhecimento sobre "economês", mesmo que básico, impele, por incrível que pareça, as pessoas a falar ainda mais em vez de ficarem caladas e ouvir quem sabe. Como eu desejo que quem leia este texto fique a perceber um pouco mais sobre o assunto e, de uma vez por todas, perceba se de facto deve e pode opinar ou deve ficar calado (e ir aprender antes de falar ou comentar). Admiro a vossa paciência para andar a explicar tudo assim, passinho a passinho. Já não há palavras de agradecimento para o vosso serviço público contínuado. Como sempre, um excelente texto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Bitaites, Companheiro,

      Muito Obrigado pelo teu incentivo e aproveito para te felicitar pelo teu blogue, que ja coloquei nos meus preferidos: gostei muito deste teu ultimo texto.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  9. Eu vou ter muita paciência e esprar pelo R&C deste ano para ver se os jogadores foram pagos a pronto ou não.
    Se a maioria esmagadora das verbas das vendas de passes estiver aí incluida deduzo que não vendemos por necessidade financeira mas devido a boa gestão de recursos humanos e financeiros.
    Em vendas pela clausula onde depois se verifica que os montantes são a prestações tenho de retirar a conclusão de que não é feito o suficiente pela competitividade, excepto em atletas em fim de contrato claro.
    Veremos, até agora tudo tem demonstrado uma gestão desportiva e financeira exemplar pois apesar de leigo na matéria não concebo investimentos sem um nivel saudável de endividamento(200 e tal milhões de passivo bancario tendo em conta o equilibrio orçamental, os ativos e o exemplo destes anos em gerar receitas extraordinarias, parecem-me normais e nada assustadores).
    Não sou um expert mas dos que criticam o pagamento de 20M/ano de juros do financiamento gostaria que me explicassem se não pagariamos muito mais impostos sem a tal divida!
    É que muitos esquecem-se dos dolorosos...
    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Fernando, claro que fiscalmente os custos financeiros são dedutíveis à matéria colectável das empresas. O planeamento fiscal é função para o director financeiro e ROC´s.
      No entanto, também deductíveis à matéria colectável são os prejuízos passados penso que dos últimos 5 anos, a não ser que tenham mudado as leis entretanto.

      Eliminar
    2. Enorme Fernando Tomas, Companheiro,

      Como e' habito, mais um excelente contributo, especialmente quando sublinhas que as vendas "pela clausula" so' o sao, de facto, se forem pagas a p.p..

      Ja' quanto ao montante do Nosso endividamento bancario (e respetivos Custos Financeiros), eu nao estou de acordo contigo, embora reconheca que eles foram uma condicao sem a qual nao teriamos chegado ate' aqui em apenas 10 anos.

      Ha' anos que eu defendo que o Passivo nunca fugiu de controle (nem mesmo com esta que foi a maior e mais profunda crise economica da nossa historia), mas tambem ja' acho que chegou o tempo de o fazer baixar um bom bocado.

      Espero que os nossos Leitores tenham percebido essa tua brincadeira ao colocares a "alternativa" de pagar ou juros ou IRC, ahahah.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    3. De acordo José, com a exploração equilibrada, grandes investimentos consolidados e receitas extraordinárias constantes, estas ultimas podem e devem ser canalizadas em grande parte para a diminuição do passivo!

      Eliminar
  10. Companheiros,

    Fico muito contente com a qualidade geral dos vossos comentarios e prometo que, amanha cedo, vou tentar contribuir com algumas perguntas, para (espero) vos ajudar a compreender melhor estes conceitos.

    Agora vou ver a repeticao do desafio do Chelsea, que gravei e acho que vai ficar na minha "biblioteca" dos melhores jogos de futebol de sempre.

    Mais tarde regresso para dar as respostas que, entretanto, possam ser oportunas.

    Viva o Benfica!
    (Jose' Albuquerque)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Valeu a pena ver os desempenhos dos ex Gloriosos Ramirez, Matic (bom golo)... Bom jogo do Chelsea.

      Eliminar
  11. Caríssimo e grandíssimo amigo José Albuquerque,


    No meu modesto entendimento, a opinião do companheiro Carlos Palma deverá ser analisado por dois prismas diferenciados:

    1 - Primeiro a visão do « Ai Jesus », chegamos ao fim da linha ( eles bem tinham avisado.. agora, resta-nos fechar a loja e fazer artesanato ).

    Nesta perspectiva, a opção de venda do trio de craques e a compra de novos cromos a 10 M a peça... é aceitável, inteligente e também creio... permitiria a manutenção de uma equipa competitiva.

    2 - De modo diferente e na visão que partilho, os profetas do fim do mundo, estão destinados a descobrir que o fim... é mesmo só do presunto de qualidade.

    Traduzindo. No curral é que decidiram começar a cavar um buraco tão grande e implementar uma estratégia tão errada ( pela incapacidade de gerar lucros futuros através de empréstimo e aquisições de partes microscópicas dos passes ), que em breve chegarão à China.

    Ora como o Benfica, está a meu ver perfeitamente equilibrado. Assim o indicam os últimos resultados financeiros, a inevitabilidade do crescimento das receitas extra-futebol. Nomeadamente, da Benfica TV e do previsível futuro contrato com a Emirates ( aquele que já será a sério ) e... ao que parece o desanuviamento das obrigações e compromissos com a banca até 2025...

    Resumindo tentaria manter o Enzo ( se baterem os 30 paciência ) e fazer exactamente o que a SAD está a tentar fazer em matéria de contratações. Fortalecer uma equipa que já por si é competitiva e que já está em condições de disputar a a vitória no campeonato.

    E atenção, se não o for possível já... em Dezembro será certamente reforçada.


    Abraço.


    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Mathayus, Amigo e Companheiro,

      Pode-se concordar contigo, pode-se discordar (no todo ou em parte), mas ninguem pode ignorar que tu ja' "digeres" estes temas das economias e contabilidades com crescente 'a vontade.

      Sim senhor, para um Homem de Letras, es um excelente exemplo: felicitacoes!

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  12. Última Hora: a bomba de que falava NES é Álvaro Negredo do City. O Jogador de 29 anos será a bomba de que falava NES.

    NGB há que estudar mais.Chau. 22:50.

    ResponderEliminar
  13. "Em Gestão, a área especifica da “tesouraria” é uma parte menor da área financeira"

    Esta sua afirmação, embora útil considerando o propósito do post, não deixa de ser uma hipérbole que importa esclarecer, uma vez q o fluxo de caixa é um dos melhores indicadores do estado de saúde da empresa...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme FranciscoB, Companheiro,

      Numa Empresa que nao gera EBITDA (que nao "liberta" meios financeiros), eu imagino que a Gestao de Tesouraria possa ser uma dor de cabeca, mas, felizmente, nao e' esse o caso que nos interessa aqui (ha' anos que o Grupo Benfica gera mais de 30ME anuais de "cash flow" de exploracao).

      Num Grupo como o Nosso, em que a maior dificuldade decorre da sazonalidade de boa parte da Receita, a Gestao de Tesouraria e' "como lavar o rabinho a bebes" e pode ser feita por uma simples aplicacao informatica em 245 dos 250 dias uteis de um ano,

      E nos mercados (como e' a situacao atual em Portugal) em que as margens bancarias sao exageradas e, por isso, e' sempre preferivel usar os "superavits" para reduzir os saldos negativos em banco, a coisa ainda menos trabalho da'.

      Acredita, Companheiro, que a Tesouraria so' da' verdadeiro trabalho a "montar" e, depois de montada, so' volta a dar trabalho se houver surpresa da grossa.

      Claro que podes ter opiniao diferente ...

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Caros amigos.
      Desde ja apresento-me como um completo ignorante no que refere a questoes financeiras. Mas penso que ha alguma confusao entre Tesouraria,liquidez e principalmente garantias bancarias.esse sim um grande problema que estamos a enfrentar nos tempos que correm. Isto porque como muito bem diz o companheiro Jose Albuquerque nem as compras nem as vendas sao feitas a pronto pagamento e infelismente quem se debate com grandes dificuldades ao nivel da tesouraria sao as instituicoes financeiras ( nao so BES)

      Carlos Palma.

      Eliminar
    3. Referia-me à importância de ter um fluxo de caixa positivo e não ao trabalho que a tesouraria dá - penso q é uma questão q nos tem diferenciado positivamente dos outros clubes e c/ valor estratégico...

      Isto sem relação c/ o post q está excelente como é habitual...

      Eliminar
  14. O mercado começa a mexer-se fortemente... Ora, ao contrário do que é dito por muitos, Falcao não vai para o Real Madrid... Acabará por jogar num clube inglês... Os da Nova Geração podem começar a elaborar as suas teorias...LOLOL...23:34...

    ResponderEliminar
  15. Companheiros,

    Ontem prometi trazer algumas ideias e/ou interrogacoes que, do ponto de vista pedagogico, vos facilitem uma compreensao ainda mais solida destes assuntos. Ei-las ...

    1 - Uma vez que as "compras" nao geram nem "lucros", nem "prejuizos" imediatos, isso quer dizer que (com a unica restricao da "tesouraria") se pode "comprar" muito mesmo sem estar com boa saude financeira?

    2 - Ha' Companheiros que defendem que o "modelo ideal" de gestao desportiva seria "ter 4 ou 5 estrelas e completar a Equipa com jovens vindos da Fabrica". Como comentam este "modelo ideal" (pontos mais fortes e mais fracos), especialmente em termos de impacto economico (Proveitos/Custos e Balanco).

    3 - Finalmente e aproveitando os soberbos comentarios do Enorme Carlos Palma, admitamos que e' possivel (com alguma adaptacao dos Atletas) "substituir" os Nossos Atletas mais valiosos por outros cujas aquisicoes andem em torno dos 10ME cada (que e' o que tem sido feito, mais coisa, menos coisa, normalmente com investimentos menores), percebem bem as vantagens economicas e os riscos desportivos?

    Espero que se divirtam a pensar estes assuntos.

    Viva o Benfica!
    (Jose' Albuquerque)

    ResponderEliminar
  16. Ora como era de esperar estou completamente f..d... Hj não me venham com o FDP do sistema. Hj o sistema fomos nós.

    Mais fo...d fiquei quando começo a ouvir os comentários do Joaquim Rita a afirmar categoricamente que Enzo Perez vai embora e garantiu que o Benfica vai contratar um avançado e um 6, embora a qualidade desses mesmos jogadores possam não substituir aqueles que saíram. Pede paciência aos Benfiquistas, porque Samaris não tem a qualidade de Enzo.

    Se perdermos no dragay as coisas vão ficar muito negras...

    Também me irritou a cena de um pai e de um filho com a camisola do Benfica a pedirem a camisola do Patrício.

    Farto.

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.