segunda-feira, 20 de abril de 2015

Downsizing? Não, obrigado!

Por José Albuquerque

Este texto poderia ser muito mais curto, mormente se eu o quisesse escrever na forma de uma “carta aberta ao Nosso Presidente” e seria sido isso mesmo que eu faria, quer se não confiasse no Companheiro Luís Filipe Vieira (tal como em todos os outros Companheiros que participam nas tomadas de decisão fundamentais para o Clube), quer se já o tivesse ouvido falar em “downsizing”, coisa que não aconteceu.
Uma coisa é ouvir o Presidente valorizar a formação de Atletas em todas as modalidades e, no caso especifico do futebol, dar como excepcionais investimentos da ordem de valor de Atletas como o Tacuara, o Sálvio ou, até, o Samaris, o Pizzi ou o Garay, todos eles avaliados em mais de 10ME quando a SAD adquiriu os seus “passes” e outra, completamente diferente, é concluir que esse carácter excepcional passa a constituir uma qualquer espécie de impossibilidade.

Por tudo isto, confesso que não compreendo como raio é que se generalizou esta aparente unanimidade que condena a Nossa SAD a ter de proceder a uma gestão orientada para uma forte redução dos custos, especialmente os operacionais e, ainda mais especialmente, os salariais.
Repetindo a fórmula anterior, uma coisa é alertar para a necessidade de manter os custos, todos eles, sob perfeito controle (nomeadamente não os deixando crescer além dos proveitos) e outra, completamente diferente, é defender um “downsizing”, nomeadamente dando como exemplo aquilo que a osgalhada teve de concretizar nestes dois anos, ou aludindo ao que muitos afirmam que os andruptos também estão condenados a fazer (quando eu não estou nada convencido de que eles, os andruptos, o venham a fazer).

Que fique muito claro para todos os que habitualmente confiam no que eu escrevo, que eu não só não acredito que a Benfica SAD se esteja a orientar nesse sentido (não vejo disso um único sinal concreto), como o consideraria um erro grave e, ainda, não considero, sequer, que o Presidente tenha legitimidade democrática para tomar uma tal decisão.
Tal como já tive oportunidade de escrever, o Companheiro Presidente (e todos os Nossos Corpos Sociais) foi eleito para continuar a fazer crescer o Clube e a Marca, mantendo investimentos permanentes nos Nossos Valores fundamentais/fundacionais e na competitividade dos Atletas e Equipas. Tudo o que fosse uma inversão dessa estratégia exigiria, na minha humilde opinião, uma justificação absolutamente clara, ou, preferencialmente, eleições antecipadas!

Mas, ó Zé, o Vieira não tem feito uns discursos a falar em contenção de custos, no rigor e na aposta na “Fábrica”?
Claro que sim! E dai?
Nenhum Gestor pode deixar de falar de rigor e de contenção de custos. Depois de todos os investimentos que a SAD já  fez na “Fábrica” (e os que tem continuado a fazer) e dos excelentes resultados desportivos conseguidos, seria uma  irresponsabilidade se o Presidente ignorasse os contributos económicos e desportivos de todo esse esforço.
Por tudo isto e sinceramente, eu considero ilegítimo retirar desses discursos qualquer conclusão que se aproxime (nem de longe) de um sinal de “downsizing”. Eu acredito que toda esta falsa unanimidade em torno dessa alegada “necessidade de downsizing”, não passa de mais uma atoarda dos anti (Taliban incluídos), desejosos de ter encontrado mais uma oportunidade para acusarem o Presidente de mentir, quando os factos demonstrarem que … “não há downsizing para ninguém”.

Mas, ó Zé, e as vendas brutais deste ano de 2014 (perguntam alguns Leitores mais recentes do GUACHOS, que não leram os meus textos a esse propósito)?
Nenhuma delas teve nada a ver com “downsizing”!
Foram, todas, sinais de um modelo ao qual nenhum clube fora dos 4 maiores países e livre dos “bilhardários” pode escapar. Todas excepto os casos do Garay e do Tacuara, que eu não vou voltar a comentar (por mais que continue com o primeiro “entalado” na goela).   

Companheiros,

Há anos que eu me habituei a ser o primeiro (o único, durante bastante tempo) a explicar aos Benfiquistas com quem falo (ou para quem escrevo) como era errada a teoria da “falência técnica”, esclarecendo como as regras contabilísticas (e as melhores praticas contabilísticas) não conseguiam/conseguem descrever a exploração de uma SAD dedicada ao Futebol, cuja actividade é capaz de gerar mais valias só comparáveis com algumas actividades especulativas (ou negócios de legalidade duvidosa, no mínimo).
Foram anos ao longo dos quais senti que convenci alguns, mas foram muitos mais os que foram “vencidos” pelo tempo e pelo sucessivo adiamento da tal “falência”.

Há dois anos que eu desatei a escrever anunciando um “Novo Paradigma de Gestão” para o Grupo Benfica, sustentado em três pilares essenciais: a expansão da Nossa BTV, o sucesso desportivo da Nossa Equipa de Honra (receitas UEFA, etc.) e o contributo (simultaneamente desportivo e económico) da “Fábrica”.
E se eu já estava convicto de que assim teria de ser, cada dia que passa me prova que é esse o melhor caminho para o futuro. O melhor caminho e aquele em que o Clube está a apostar, coerente e sistematicamente.

O Grupo Benfica conseguiu, nestes anos mais recentes, ultrapassar brilhantemente a mais profunda crise económica desde há quase cem anos, agravada por um verdadeiro “assalto fiscal” que ainda vai perdurar e ultrapassou-o sem deixar de crescer em proveitos e em competitividade desportiva.
Não há, repito, não há nenhuma razão, nenhum argumento, nenhuma justificação que possam sustentar a necessidade de iniciarmos um processo de redução de custos. Muito pelo contrário, como passo a explicar: a crescente expansão da BTV, o comprovado sucesso da “Fábrica” (medido no aumento de “vendas” e de candidatos credíveis a reforços do Plantel profissional sénior) e o recentemente anunciado aumento dos prémios na Champions, veem adicionar-se aos sinais de crescimento dos proveitos com Sponsors, consolidando a certeza de podermos ver as principais rubricas dos Nossos proveitos a crescerem significativamente.
Neste quadro, falar-se em “redução de custos salariais”, em diminuição dos investimentos, ou em “downsizing”, é apenas mais um absurdo instigado pelos anti, Taliban incluídos, aterrorizados pelo que se passa no chportAng e com o que alguns anunciam (eu discordo) se deveria passar nos andruptos, quando não há qualquer termo de comparação entre as realidades económicas e financeiras do Grupo Benfica e as desses clubecos.

Mas, ó Zé, tu tens escrito e repetido que a Nossa SAD tem de ter como um dos seus principais objectivos o da recuperação dos Capitais Próprios, pelo menos pela via da obtenção de resultados anuais de exploração contabilisticamente positivos …
Claro que sim! Defendi isso e continuarei a defender, pelo menos até que tenhamos atingido, em mais 5 anos, cerca de metade do Capital Social, mas isso não é um objectivo incompatível com a manutenção de uma politica agressiva de investimento (quer no parque desportivo, quer na competitividade). Não o foi durante esta crise e, por maioria de razão, não o vai ser quando são várias e fundamentadas as expectativas de crescimento dos proveitos, além de que essa desejável recuperação dos Capitais Próprios contabilísticos serve outros objectivos de Gestão 
O Benfica tem de continuar a crescer, a ampliar o seu ecletismo, a generalizar o máximo de modalidades ao desporto feminino e, falando do futebol, a Nossa SAD tem de continuar a aproveitar os benefícios de ter, pelo menos, um dos melhores departamentos de prospecção do planeta, a promover os investimentos que melhorem a eficácia na transformação desses jovens promissores em Atletas de elite, a fazer crescer o nível qualitativo do Nosso Plantel, mesmo que isso implique algum aumento da massa salarial e a garantir que os chamados tubarões aqui encontram tantos alvos da sua inesgotável cobiça que, por mais que sejam os que comprem, sempre deixam suficiente número e qualidade para que os Técnicos aceitem comprometer-se com objectivos desportivos cada ano mais ambiciosos.

Sim, que é disso mesmo que eu quero escrever: objectivos desportivos crescentemente ambiciosos!
Objectivos esses a prosseguir em todas as modalidades ao nível interno e, em algumas delas, com prioridade ao futebol, sobretudo ao nível continental, porque as Nossas Equipas competem nas provas europeias e eu considero que, a partir de agora, se tornou estratégico o sucesso das Nossas Equipas nas competições continentais.
Ainda há só três anos, confrontado com as opiniões de alguns Companheiros que defendiam a prioridade a uma certa internacionalização da Nossa Marca, eu contra argumentava com o potencial ainda existente no mercado interno, adicionado a uma ainda significativa debilidade das Nossas modalidades (com excepção do futsal) e defendia que ainda não tinha chegado o tempo para conceber e implementar uma estratégia de internacionalização; pois bem … agora já estou convencido que essa hora chegou!

O que é que me fez mudar de opinião?
Essencialmente, os seguintes factores:
. a rápida consolidação da BTV (bem mais rápida do que eu admitia ser possível);
. as duas finais consecutivas da Euroliga;
. os vários sucessos internacionais conseguidos pelas Nossas Equipas, com um destaque especial para o hóquei feminino; e
. o anunciado aumento dos prémios atribuídos pela UEFA na Champions.

Chegou a hora da Champions!

Não me entendam mal! Não deduzam nisto que escrevo nenhuma forma de critica pelos resultados recentes na Champions, que eu considero apenas razoáveis e medíocre nesta época em curso.
O que eu gostaria de justificar é que, seis anos depois de JJ (na parte recente da Nossa Gloriosa História, eu aceito a chegada do Nosso Técnico como o marco a partir do qual, para trás e para a frente, devemos medir o tempo), tudo se conjuga para que a Nossa SAD passe a considerar que “passar a fase de grupos da Champions é um objectivo absolutamente prioritário para a Equipa”.
E, para isso, há alguns aspectos a mudar na Nossa Politica Desportiva!
Por exemplo, … compras em julho e agosto, só para colmatar vendas fundamentais, ou para aproveitar oportunidades excepcionais de mercado. Ou seja e mesmo que isso obrigue a investir mais para garantir que a Equipa vai estar mais “afinada” logo em setembro, o objectivo “Champions” passou a ser suficientemente importante para não correr os riscos de “esperar por um melhor negócio”.

Porque razões?
Porque, a partir da próxima época, a simples qualificação para os “oitavos” da Champions vai passar a corresponder a um prémio de 22,5ME (fora o Market Pool), contra os anteriores 15,5ME, ou seja … um acréscimo de 7ME!
7ME de aumento (contas feitas para 10 pontos – 3V + 1E) que correspondem ao acréscimo de amortizações contabilísticas causado por 35ME de contratações de Atletas (contratados a 5 anos).
Caso prefiram, também podem pensar que 7ME correspondem a bem mais do que 10% do actual volume total de salários pagos pela Benfica SAD, ou, em alternativa, qualquer “combinação” dessas duas linhas de custos.
Isto quer dizer que a Nossa SAD, na minha opinião, deve alterar os seus futuros orçamentos e onde deveria ter uma previsão de 20ME em prémios e receitas UEFA, deve passar a ter 30ME (+ 50%, ou 10ME), afinando a sua politica desportiva com um enfoque muito maior na Champions.

Durante as 5 próximas épocas, não podemos permitir-Nos outro desastre como o que aconteceu nesta!
Porque não devemos delapidar o esforço que Nos guindou ao 5º lugar do ranking da UEFA (já caímos para 6º) e nos garante a presença no chamado “pote 1” nos sorteios. Porque, como eu não acredito que volte a acontecer termos 3 clubes nacionais na fase de grupos, também a receita do Market Pool vai aportar mais um aumento que não devemos perder. Finalmente, porque a consolidação da Nossa Marca nos mercados externos a isso Nos obriga.

Mas, ó Zé, não corremos o risco de Nos vermos “apertados” pelas regras do Fair Play Financeiro (FPF)?
Não! A Nossa SAD não corre esse risco!
Pelas minhas contas e considerando o exercício de 2013/14, a Benfica SAD tem uma margem superior a 20ME (e um lucro contabilístico de 15ME) nos “Custos” relevantes em sede de FPF. Ora como sucede que eu considero legitima uma previsão de crescimento dos Proveitos Operacionais (sem Operações s/ “Passes”) nunca inferior a 15ME e que, cumprindo o tal “objectivo mínimo Champions” em 2015/16, pode ultrapassar um acréscimo de mais de 30ME (continuo a comparar com 2013/14), tornam-se evidentes duas coisas: não só a Nossa SAD não está “em risco” em sede de FPF, como, sobretudo e como tenho estado a tentar demonstrar, seria inconcebível optar por uma estratégia de redução de custos.

As vendas na “janela” de janeiro

Os Leitores mais antigos do GUACHOS sabem como me desagradam as vendas de passes de Atletas a meio da época desportiva, excepto, como no caso do Bernardo, quando se trate de vendas sem impacto desportivo imediato, mas eu tenho de reconhecer que, do ponto de vista da Gestão dos equilíbrios económicos e financeiros, esse tipo de operações (como tem vindo a acontecer com o Luiz, o Matic e o Enzo) permitem ao CA da SAD um imenso grau de liberdade no planeamento das épocas subsequentes, o que deveria permitir minimizar o risco nas contratações para a época imediata. Obviamente, o ideal seria juntar todas as vantagens sem nenhuma desvantagem (como na venda do Rodrigo e do AG para o Valência), mas, todos o sabemos, esse tipo de negócios são excepcionais.
Por outras palavras, nunca mais me vão ver a contestar este tipo de vendas (não gosto, mas estou pronto a engolir), desde que o seu resultado económico se imponha e, como tem acontecido, Nos permita exigir ao CA da SAD que consiga reforçar eficazmente o Plantel logo nos primeiros dias do mês de julho subsequente.

Apesar de todas as criticas que foram feitas, o que é incontestável é que o recente desastre na UEFA foi muito mais resultado de factores incontroláveis (uma série absurda de lesões e um sorteio muito infeliz), do que de erros na (re)construção do Plantel. Concomitantemente, todos somos testemunhas da injustiça da eliminação na Taça de Portugal, uma prova pródiga nestes casos, porque tudo pode acontecer num só desafio.
Neste momento em que escrevo, os dois objectivos restantes (presença na final da TL e Bicampeonato) estão ao alcance da Equipa (no Campeonato, a meta dos 85 pontos em 34 jornadas ainda pode ser amplamente ultrapassada), atestando a credibilidade e competência dos sistemas de Gestão implantados.                

Conclusão

Uma vez mais, eu atrevo-me a escrever que o CA da Nossa SAD tem todas as condições reunidas para poder executar um competente planeamento da próxima época desportiva de todo o futebol profissional (Equipa B incluída), sem nenhuma restrição especial ao nível dos Custos e enfiando mais um colossal “menhir” em todas as subespécies de anti, Taliban incluídos, que andam a apostar as suas fichas num tal de “downsizing” que vão ter de procurar longe da Catedral.
                     
Viva o Benfica!

27 comentários:

  1. Subscrevo atenciosamente com elevada consideração e estima:

    Carlos Alberto

    ResponderEliminar
  2. Muito bem Glorioso José!
    Já estava com saudades de uma "palestra" tua!
    Demonstras mais uma vez, além do teu enorrrme saber, uma capacidade de análise das conjunturas, de tal modo que consegues , mediante a evidência dos factos, alterar a tua opinião, tendo SEMPRE em vista o MELHOR para o Benfica!
    Bem hajas!

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
  3. Lendo-te, José, é como vermo-nos livres de uma espessa camada de caspa...
    Benfiquista, solte esse peso de cima dos ombros!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ahahahahah,
      Gosto mais dessa - "o anti-caspa das contas", do que a outra do "patrimonio" (menos, Mathayus, menos, ahahah)

      Voces todos querem e' estragar-me com mimos.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  4. Ó Zé, isto é coisa para deixar um gajo animado!

    ResponderEliminar
  5. Como sempre exímio na suas palavras. Não tenho grandes conhecimentos dos dinheiros do CA da SAD mas do pouco que tenho apercebido ao longo destes últimos anos concordo plenamente consigo. Uma escrita bem definida para todos percebamos. Será mesmo que os dirigentes do CA irão pensar que o bem o benfica deles é o nosso Benfica também. Bem hajas Cuachos.

    ResponderEliminar
  6. Caro José Albuquerque,

    Obrigado pelo "serviço público Benfiquista".
    Venham de lá mais "menhires" para fortificarmos a nossa Alma Benfiquista, e tornarmos cada vez mais frequentes as vitórias contra os "romanos corruptos".

    CARREGA BENFICA!

    ResponderEliminar
  7. Companheiro José Albuquerque,mas k lufada de ar fresco ehehehehhehe

    Onde é k assino?!

    ResponderEliminar
  8. Companheiro Zé

    Um amigo meu, benfiquista dos sete costados e cuja vida quotidiana é lidar com os números, já me tinha tranquilizado e a respectiva visão vai ao encontro daquilo que nos deixas aqui.
    Seja como for, e se eu já estava tranquilo quanto à qualidade que o plantel da próxima temporada seguramente terá, de resto num post anterior em que o Guachos abordou esse tema manifestei a minha concordância com aquilo que então ele expressou, espero que a tua análise e o que perspectivas seja capaz de serenar os descrentes e os espiritos mais inquietos que visitem este blogue.

    Grande abraço

    ResponderEliminar
  9. Está tudo muito bem, tudo muito certo, mas não ganhes aos corruptos no domingo e vais ver como é depois....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a certeza que serias um dos primeiros a correr para o teclado sem conseguires evitar deixar cair uns pinguinhos de excitação simiesca...

      Eliminar
    2. Seja como for, Guachos, o Anónimo continua a ter razão, com ou sem pinga.

      Eliminar
  10. Caríssimo e grandíssimo amigo José Albuquerque,

    Hoje, nem vou perder tempo a elogiar-te ( porque teria de escrever um monte de coisas ). Assim, passo à frente e declaro-te Património Benfiquista!!!

    Ficas a ser uma espécie de monumento do Benfica, obrigado a continuar a deliciar o pessoal, com estas magníficas reflexões sobre a vida e gestão económica e desportiva do nosso Glorioso ( toda a gente sabe que os monumentos não correm e nós precisamos de ti aqui. Bem seguro a tranquilizar e informar a massa adepta e a... fazer lacrimejar a massa des(adepta ), os famigerados talibans ).




    ResponderEliminar
    Respostas
    1. «Património Benfiquista»
      É isso mesmo amigo Mathayus. Quando é que começa a recolha de assinaturas?

      Eliminar
  11. Companheiros,

    De uma so' penada, agradeco-vos a todos, pelos vossos incentivos e provas de confianca: oxala' possam ser os instigadores da contra corrente que vai desfazer essa absurda e aparente "unanimidade" que deseja ver a Nossa Equipa condenada a ter de refocar-se apenas na "Fabrica" ou em compras de Atletas de alto risco (provavelmente muito jovens e por maior que seja o seu potencial).

    Eu nao percebo como e' que se instalou esta "certeza" em toda a merdi@ e "especialistas" (ou percebo, bem demais), mas essa cambada vai ter uma enorme surpresa.

    E nao se esquecam de, se confiam em mim, nao esperar por demasiadas "poupancas" da parte dos andruptos: sem querer comparar a situacao economica deles com a Nossa, eu ainda vejo muito por onde eles podem continuar a investir na manutencao de um plantel bem mais caro (e com mais qualidade) do que aquilo que os proveitos da andruptpsad permitiria.

    A osgalhada sim, sao de outro campeonato (bem mais proximos dos pedreiros que de Nos): vao ter de deixar sair os melhores, por incapacidade de lhes renovarem os contratos, a menos que os "investidores" antecipem o "golpe de estado" e tomem o poder no futebol (pode acontecer que o brunalgas aldrabao comece a ter um salario que se veja, ahahah).

    Viva o Benfica!
    (Jose' Albuquerque)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso que falo pela maioria,nós Benfiquistas assíduos leitores de GV é que agradecemos a vossa incansável luta contra talibans,dragartos e cs.
      Seven

      Eliminar
  12. Caro José Albuquerque,

    Nao podia estar mais de acordo com essa leitura estrategica do momento que vivemos.

    Se houve investimento que trouxe retorno doreto e indireto, foi o investimento na equipa princioal feito em 2007 e 2008. Mas hoje o nível competitivo do futebol bem superior ao de 2006/07. E o mesmo se aplica a todas as modalidades (excepto o Andebol)

    O Benfica está a atingir um patamar de estabilidade e consolidação da estratégia desportiva e comercial que tornam "obrigatório" uma presença mais afirmativa no plano desportivo internacional.

    Nao creio que tal implique um investimento desmesurado ou tenha reflexos demasiado negativos a nivel nos encargos financeiros ( o contexto atual parece-me favorável e mais favoravel será com melhores parceiros), desde que se realize com critério, rigor e competência.

    Não vislumbro, porém, qualquer discurso nesse sentido. Estará o nosso Presidente acomodado ao patamar alcançado?

    Viva o Benfica!
    E Pluribus Unum!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Superaguia1904, Companheiro,

      Pelo menos ate' esta data, mais do que os discursos do Presidente, eu acredito na Gestao concreta (nos factos) que ele tem impulsionado e eu sinto que vais concordar comigo que se ha' coisa que o distingue como Gestor e', exatamente, a coragem de promover investimentos.
      Neste momento (no ocaso da crise e depois do que aconteceu ao antigo BES), eu creio que tudo sugere que o Grupo Benfica se esforce por recuperar os seus Capitais Proprios contabilisticos (acumulando resultados economicos positivos e iniciando alguma reducao, paulatina, do Passivo oneroso), mas o que eu pretendi combater com este texto nao tem nada a ver com isso: temos de "desmontar" essa expectativa que anda a ser criada que da' como "inevitavel" uma forte reducao do valor (e competitividade) do Plantel, uma perpetiva que nao so' nada tem de "inevitavel", como seria, na minha humilde opiniao, um erro colossal, alem de constituir uma inversao estrategica para a qual, repito, eu nao considero que o Presidente tenha a devida legitimidade democratica.

      Sinceramente, eu acredito que o Presidente vai renovar com o Tecnico, vai continuar a promover investimentos estruturais e na competividade de todas as modalidades, com o futebol em destaque, por forma a que ele acompanhe (na Champions) os desempenhos da Youth League, do Hoquei, do Atletismo, do Volei, do Basquete e de todo o chamado "Projeto Olimpico".
      Diferentemente do que acontecia ha' 3 anos, o Clube ja' tem hoje todas as condicoes (e instrumentos como a BTV) para estabelecer uma estrategia "continental" (com Objetivos e metas definidas, com recursos, um Plano e o nome dos responsaveis) ambiciosa.

      Quanto ao Nosso Andebol ... dou-te a imagem mais simples possivel: os resultados estao em linha com os indices atleticos (altura, peso e potencia) das equipas, ahahah.
      Eu sei do que falo, porque ate' pratiquei a modalidade a nivel federado: o andebol e' a modalidade coletiva em que e' mais fundamental o indice atletico, uma vez que e' aquela que mais duelos atleticos permite..
      Ora sucede que a Nossa Equipa e' menos alta e menos pesada (e tambem me parece menos potente) do que a maioria dos seus adversarios.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  13. Por muito paradoxal possa parecer, e no que respeita ao "Património Benfiquista", o nosso Zé, é o "Alberto Miguéns", na vertente económico-financeira do Glorioso. Faço-me entender?

    ResponderEliminar
  14. Concordo com quase tudo, do princípio ao fim mas com especial relevo para a perspectiva de aumento no investimento em atletas ainda melhores.
    Por todas as razões que o José assertivamente descreveu e mais uma, o investimento em infraestruturas terá cada vez menor dimensão e um saudável excedente para recuperar no que a custos da divida também é possível não apenas o aumento dos Cap. Próprios.
    Discordo apenas na parte em que referiu não acreditar no downsizing na frutaria da fernanda, eu sucintamente justifico a maior das convicções na concretização do mesmo com os seus mesmos argumentos.

    Perspectiva de Sucesso Desportivo
    + Persp. de Receitas
    + Historial Contabilístico Recente
    + Hist. Cont. Recente de Mainsponsors

    = Downsizing e não é pouco

    Antevejo um futuro onde aquilo será vendido a um qualquer milionário, será fácil arranjar comprador apesar de tudo.
    Veremos se conseguem ultrapassar os lags na sua cavalgada que até em tal cenário conseguiam dizer ser pioneiros com orgulho.


    Saudações benfiquistas

    ResponderEliminar
  15. Assim sendo, e tendo em conta o acréscimo das receitas da CL, os resultados desportivos internos e externos assumem uma relevância enormérrima. Um ano sem CL ou dois consecutivos sem oitavos terão um impacto brutal.

    O mesmo sucederá com a BTV, pois, se não houver resultados desportivos, provavelmente haverá uma diminuição de assinaturas do canal. La Palissada, não obstante.

    Claro que, por outro lado, num mundo ideal, veríamos chegar mais Salvios e Nicos e menos Taliscas e Pizzis, ou mesmo Samaris...

    PS - Ouvi ontem um atoleimado dizer que os 3 melhores jogadores da liga seriam o infiltrado do Norte, o Nico e o contornador de pinos do Bocas de Parvalho. Se fosse um campeonato de gincana, ainda perceberia...

    PS1 - Aquele labrego do Manel Queirós é um enorme filho da puta (com todo o respeito pela mãe). O monte de esterco, ontem, na sua ânsia de atacar o Benfica, fez alusão ao «hino de campeão» e, quando lhe disseram que o SLB já havia desmentido, o corno do caralho insistiu que «até há pouco» não tinha havido desmentido. Só depois do pedante do Sousa Martins ter dito que já havia comunicado desde a hora do almoço, o peido calou a matraca.

    PS2 - O único gajo com colhões foi o Rui não sei quantos (não, não é o monte de merda do caracolinhos), quando disse que o primeiro golo do Porto frente aos alemães não tinha sido fruto de pressão nenhuma, mas de falta do infiltrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Companheiro (que raio de nickname, ahahah),

      "Um ano sem CL ..." ja' nao me parece uma hipotese admissivel, honestamente.
      Cada ano que a Equipa venha a estar fora dos oitavos da CL (mesmo vencendo a Euroliga), passa a ser um desperdicio minimo de 10ME (5,5 de premio + 1,5 de bilheteira + 3 de Market Pool).

      Discordo dessa alegada sensibilidade dos Proveitos BTV aos resultados desportivos nas provas da UEFA e nem sequer admito a hipotese de vermos a Equipa deixar de competir em todas as provas internas.
      Se considero essa hipotese inadmissivel nao e' por "birra", nota bem: a diferenca de orcamentos para todos os outros adversarios internos (fora os andruptos) vai determinar esse grau de competitividade interna, especialmente se mantivermos a estabilidade tecnica.

      Quanto aos Atletas que referiste, eu gosto muitissimo de todos eles e espero continuar a ve-los a ganhar mais titulos e mais valor na Equipa. Alem disso, gostaria de os ver a todos a ter crescente dificuldade para serem indiscutiveis no Plantel, cujo valor global eu defendo que deve continuar a crescer.

      E e' esse o objetivo do meu texto: nada de "downsizings", antes pelo contrario!

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  16. Off topic, sorry...

    Quaresma: «Ainda bem que a minha mãe não me deixou jogar hóquei»

    Haveria de ser bonito este gajo a dar trancadas com um stick na mão!

    ResponderEliminar
  17. Fantastica analise como sempre, agora rumo ao BI!!

    ResponderEliminar
  18. GV dsc o off topic mas tava aki a pensar com os botoes ja que fizeste um post sobre o assunto: na alemanha nos blogs do bayern (percebo alemao e ingles) andam a falar do caso jackson tal como nos,(talvez) levou o guardiola a mandar aquela "boca" ou muito me engano ou ninguem toca no Jackson e nao os culpo, olha o maogolas, fernandinhas, falcao etc mas uma vez dsc o off topic caro Jose!

    ResponderEliminar
  19. Zé, temos hoje um tesouro nas mãos que não tínhamos há 5 ou 10 anos atrás.
    Hoje com o Seixal, podemos ir buscar jogadores mais cedo para acabarem a sua formação. Há vários casos na B que podem ser de sucesso.
    O Benfica investiu muito numa altura em que era preciso lutar contra o Polvo. Mas as circunstâncias mudaram.
    A SPORKOTV está cada vez mais afundada. Os corruptos gastam como se não houvesse amanhã, e têm um buraco cada vez maior. Os Lagartos nem sabem para onde se virar para conseguir mais esmolas.
    O Benfica tem hoje uma situação que lhe permite ser mais conservador e pragmático. Sem perder competitividade.
    Mas atenção. Não vai deixar de investir. Este ano investimos tanto como em anos anteriores. Mas em alguns casos tivemos que ser inteligentes e esperar pelo momento ideal. Casos de Julio César e Jonas. Samaris custou 10 milhões, e aí se viu que o Benfica tem capacidade de investimento. E esses 10 milhões são facilmente recuperáveis e já existe no plantel opções para o substituir no futuro próximo.
    O Benfica é hoje muito mais que um clube de futebol. É uma estrutura empresarial desportiva que tem centenas de empregados. Tem muito para crescer mas tem que ser de forma sustentada é responsável.
    Tem que se criar condições para que os atletas vivam os seus melhores momentos no clube.
    Vejam o que se passa nas Modalidades. No Hóquei, os melhores jogadores do Mundo aceitam, com prazer, os convites do Benfica. No Futsal, no Voley, no Basquete, no Atletismo, etc... As condições são das melhores no mundo. E há um sentimento de família enorme.
    A BTV é uma enorme máquina de BENFIQUISMO. Arrasou com a SPORTTV. E o futuro do canal vai ser ainda melhor. Tenho a certeza que na cabeça de Vieira, tudo já está pensado e planeado.

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.