quarta-feira, 23 de setembro de 2015

As arbitragens e os milagres do intervalo...

Parece-me que a malta ainda não percebeu bem a coisa...
Por muitas voltas que lhe queiram dar - e eu já repeti isto "milhares de vezes" - serão sempre os árbitros a decidir os jogos equilibrados, sobretudo entre equipas da mesma qualidade ou de valia semelhante. Mesmo quando decide bem, como na marcação, ou não, de uma grande penalidade...na expulsão ou na não expulsão de um ou mais jogadores, o árbitro, com o seu poder discriminatório e irrevogável, vai sempre influenciar o resultado. Em jogos equilibrados e de resultado tangencial todas as decisões dos árbitros, certas ou erradas, contam para o desfecho final. E recorde-se que estes são jogos de 6 pontos; aos três que podes perder juntam-se os três pontos que podes deixar de ganhar. 

E porque é que os árbitros, mesmo 'acertando' nas suas decisões mais polémicas, influenciam os jogos equilibrados? Ora! Porque a maioria das suas decisões importantes, são sempre alvo de controvérsia; quer ele 'acerte' ou não. Sempre vão aparecer especialistas a jurar que ele errou mesmo que tenha acertado. E o contrario também é verdade! Por isso é que todos os jogos equilibrados (muitos só ficam desequilibrados após as boas ou más decisões dos árbitros) sofrem da influencia arbitral. E é por isso que todo o poder do futebol gira em redor da arbitragem e do controle dos árbitros. Controlas os árbitros, controlas os jogos, as taças e os campeonatos. O resto é conversa fiada. 

No (não) controle anti-doping é a mesma coisa. Há um enorme mundo sub-reptício que foge à compreensão dos espectadores (também existem os totós crentes) mas que é decisivo para o apuramento dos campeões. E é por isso que se vêm equipas que saem para o intervalo mortas e regressam como se tivessem visto o diabo!! O Casagrande explica como se faz...

42 comentários:

  1. Caríssimo e grandíssimo amigo Guachos,

    E por falar em arbitragens, lembro um pormenor interessante e que logicamente toda a imprensa desportiva fez questão de esquecer ou fingir que não percebeu...

    No jogo com os porcos azuis e na segunda parte ouve várias paragens, ora reza a história que o menino Arturinho Soares Dias, quis honrar o seu ídolo Pedro Proença, concedendo um tempo de compensação de... zero segundos!!!

    E porque digo isto?

    Simplesmente porque as regras da arbitragem, obrigam à atribuição de 30 segundos de compensação por cada substituição. Foram seis, logo só aí já foram consumidos os 3 minutos de compensação dados pelo menino Arturinho.

    Traduzindo por miúdos, por todas as interrupções e perdas de tempo durante a segunda parte, Arturinho deu... zero segundos de compensação real!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. * Peço desculpa...

      Onde se lê ouve, devia estar obviamente houve.

      Eliminar
  2. Nunca é demais relembrar as pulhices q foram (des)construindo a estrutura mafiosa do actual pôtô ao longo dos últimos 35 Anos...

    Penso q a poção mágica não é a mesma dos "gloriosos" anos 80 e 90 mas quem acardita q os toxicoindependentes deixaram de consumir? nem q seja metadona, ou noz moscada, ou redbull...

    Qt ao artista do apinto, é fazer 1 resumo da UFC do ladrão e enviar à comissão arbitral da UEFA... como não devem ter a BenficaTV talvez se divirtam...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão. Era diferente no tempo do pai do André André, um dos 5 "carecas" aos 25 anos (André, Semedo, Jaime Magalhães, Jaime Pacheco e Bandeirinha).

      "O paradigma mudou relativamente aos agentes dopantes. As substâncias que conhecemos foram substituídas por outras que actuam nos mesmos receptores, têm o mesmo mecanismo de acção mas com uma estrutura química completamente diferente", explicou à Lusa o professor Félix Carvalho da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto.
      Essas modificações, introduzidas nos anabolizantes ou em substâncias como a eritropoeitina (EPO), dificultam a detecção do doping uma vez que o desenvolvimento dos agentes dopantes se dá um ritmo muito superior ao dos métodos de análise. "Os laboratórios antidopagem ainda não estão preparados e ainda não têm a quantidade suficiente de padrões para conseguirem detectar os novos compostos. A detecção de doping acaba por ser "um jogo do gato e do rato", que obriga os laboratórios "a um trabalho contínuo".

      Jean-Pierre de Mondenard, um especialista do doping no desporto e no futebol, autor de, “Dopage dans le football. La loi du silence” .

      P. Quando se fala de doping no desporto, temos de incluir a cocaina?

      Evidentemente. A cocaina é um estimulante do sistema nervoso central. Ela dá um empurrão. Nos anos 70 uma estrela do basquete americano dizia que sempre que jogava sob a cocaína era a chave do jogo e sentia-se imbatível. Antes de ser consumida pelos drogados era utilizada pelos atletas. É um dos dopantes mais antigos.

      É um estimulante como a efedrina. Quando um desportista é apanhado com coca não se diz que se dopou mas que esteve a festejar. É mais valorizante. Recusam a mistura entre cocaina e dopagem mas asseguro-vos que me faz rir.

      O futebol é o último da classe anti-dopante. Um ciclista tem uma probabilidade em 10 de ser controlado. Um futebolista 1 em 2000. A luta antidopagem é eficaz quando temos 10% de atletas controlados, no futebol a probabilidade é de 0,05%.

      No futebol é a condição física e as qualidades atléticas que sobressaem. É necessário “um grande motor” para brilhar e a dopagem é muito eficaz para melhorar as capacidades físicas. Ajuda a driblar mais rápido, a aumentar a potência de um disparo, a correr mais depressa, a saltar mais alto na grande área.

      Nos vestiários fala-se em “produtos de recuperação” nunca em dopagem. Encondem-se atrás das palavras. O paradoxo é que quase todos os jogadores dizem abertamente que tomam vitaminas imediatamente antes ou no intervalo de um jogo. Mas está medicinamente demonstrado que o seu efeito é quase nulo durante o jogo.

      E depois tudo depende do tipo de jogador. Um atacante vai ter de tomar um estimulante tipo “efedrina” para aumentar a sua potência de arranque. O guarda-redes do cannabis para desinibir. Os produtos mais utilizados são as hormonas de crescimento, porque desaparecem muito rapidamente após a injecção e a Synacthène, um activador não detectável que, ao estimular as glândulas supra renais, produz hormonas naturais.

      Há transfusões que não se detectam, o EPO quando utilizado em microdoses não é detectável no controlo. Há numerosos productos ergogénicos, autênticos dopantes, tais como o Néoton (creatina injectável) o Actovegin (sangue de bezerro) destinados a melhorar o desempenho e que não são proibidos. Os preparadores físicos e os médicos participam na dopagem.

      O especialista que escreve sobre doping desde 1979 defende que o objectivo da FIFA e das federações é fazer "acreditar que lutam contra o doping, que o futebol está limpo porque não é benéfico para seus interesses apanhar alguém".

      "Como a luta antidoping está nas mãos das próprias federações, este é um processo talhado para o insucesso, é como ser juiz a julgar um detido da própria família".
      "Ao longo da história do desporto, desde os anos 50, cada vez que há um país ou grupo que domina a modalidade, o doping está por detrás disso", disse o médico, para quem "os controlos são ineficazes".

      Eliminar
    2. Certíssimo, mas eles têm andado 1 pouco às aranhas devido aos controlos de surpresa e às análises ao sangue... agora podem estar a adaptar-se a novas drogas, mas isso leva tempo para testes nos juniores e outras sacanices do género...

      Penso q é importante q o Benfica traga o assunto para a opinião pública e q se movimente nas estruturas da UEFA e da FIFA na denúncia de jogos como este, em q é evidente o uso de substâncias dopantes... isto para o gato poder vencer, de vez em qd, o rato (porco)...

      Eliminar
    3. Depois de ter visto o jogo e de ter visto alguns jogadores do Porto, especialmente na 2ª parte, a correr como se não houvesse amanhã, fiquei com dúvidas. Uma pessoa com quase 100 anos mas que ainda não cegou, que via o jogo connosco notou a "exuberância" física dos jogadores do Porto e afirmou-o. Eu fiquei surpreendido e com suspeitas que alguns jogadores do Porto se doparam. Um tenho a certeza, o André André com 100% de certeza depois de ver o que aconteceu a seguir ao jogo.

      Estando sintonizado na Sic Notícias, passados uns 15 minutos do fim do jogo vi a entrevista ao André André que apareceu já com um blusão por cima dos ombros (foi o que mais correu durante os 90 minutos), em que ele ARFAVA sem parar e tinha dificuldade em responder às perguntas do repórter. Entrecortava as respostas com ofegância e arfares profundos e sonoros no fim de cada frase, o que só é normal quando a pessoa se encontra com o batimento cardíaco próximo do máximo.
      O próprio repórter referiu esse facto, dizendo que era natural (??) o facto de ele ainda estar a arfar por ter corrido tanto!! WTF!!! LOL! 15 minutos depois do jogo terminar?????

      Eu via aquilo e não acreditava, estava a ver o André André a manifestar os mesmo sintomas que alguns dos jogadores do Porto manifestavam nos saudosos anos 90.

      Penso que muita gente terá visto o mesmo que eu mas não terá ligado. Not me!!! Porque eu sei que eles este ano estão a colocar a carne toda no assador! E estão a jogar em vários tabuleiros ao mesmo tempo!

      Não é normal um nível de ofegância que impede jogadores profissionais de falar normalmente quando hoje a condição física permite que 5 minutos depois do jogo acabar o coração já tenha voltado perto do normal.
      Eu próprio joguei futebol não profissional, mas por mais que corresse 5 minutos depois do fim do jogo o meu coração já estava de volta ao normal. Cansado e suado mas sem arfar. Acham que André André sofre de asma?
      Já vi centenas de flash entrevistas em vários países e juro que nunca vi nada igual.

      O Porto mostrava ao intervalo um grande desespero que se viu não só nas reacções dos jogadores como do próprio treinador. Estavam obrigados a ganhar, mostraram uma agressividade pouco normal quando voltaram com outra disponibilidade física para a 2ª parte. O árbitro sabendo disso, ele arbitra sempre assim connosco, à primeira falta nossa os jogadores do Benfica levaram cartão enquanto que tanto o Maxi como o André só à 8ª falta. O blogue do Hugo tem lá os vídeos. Contra tais imagens não há argumentos!

      Vamos todos estar muito atentos ao desempenho do André André e da equipa do Porto nos próximos jogos. Será interessante ver quem será escalado para o próximo jogo e como alguns jogadores irão recuperar do "esforço"!!! Uma coisa é certa, se andam com doping, como eu suspeito, é só uma questão de tempo até encostarem em alguns jogos.

      O Jackson que mostrava uma "exuberância" física no Porto no AM não se distingue. O Fernando e o Mangala no City são uns flops e já os querem despachar! Do Alex Sandro nunca mais se ouviu falar e o Danilo lesionou-se logo! lol!
      Enfim são uns atrás dos outros e depois pensam que nos enganam. A mim não enganam eles!

      Têm um mês de Setembro muito complicado e vou ficar muito atento à disponibilidade e à "exuberância" física do Aboubakhar, André André, Brahimi, Imbula, Danilo, Maxi, Corona, Cissoko (que também era uma máquina antes de sair, depois foi flop!) e o novo defesa esquerdo mexicano. Tenho muito a seguir.
      Se alguém tiver uma cópia da entrevista do André André no fim do jogo era interessante colocá-la na net. Suspeito que já tenha desaparecido! ALLÔ algum benfiquista da SIC!!!

      Eliminar
    4. Houve 1 companheiro q pôs o link no Blogue Benfiliado - ainda não o retiraram da net, não se devem ter apercebido...

      http://portocanal.sapo.pt/noticia/69509

      Eliminar
    5. Obrigado Francisco. É pena darem tão pouco tempo porque a entrevista foi muito mais longa durou para aí 2 minutos e ouvia-se bem o arfar do animal. O entrevistador até comentou esse facto com ele.
      Desafio todas as pessoas a vê-la e ouvirem e a tirarem as suas próprias conclusões. Comparem o seu arfar com o do Maicon e do Maxi que é um jogador que dá tudo durante os jogos. Acredito que não durma nada pois as drogas ficam no corpo durante muito tempo. Vamos a ver o que ele joga na próxima partida se estiver em condições o que eu não acredito.
      Não acredito é que o link vá ficar muito tempo no ar. É aproveitar e alguém que leia este post que o copie para memória e prova futura. Eu não o sei fazer.

      Eliminar
    6. A entrevista que a SIC fez foi antes desta feita pelo Porto Canal, durou bastante mais tempo e o arfar do André era bem mais pesado, entrecortava as palavras, o que já não se nota nesta que foi feita posteriormente. Gostei muito do pormenor do blusão vestido. Com o motor ainda a ferver, provavelmente devida à gasolina de avião que utilizaram em vez da normal, como é usual, não fosse apanhar alguma pneumonia.

      Eliminar
  3. Isso mesmo. Concordo.

    - O Sonho de Damião -

    ResponderEliminar
  4. A confissão foi feita pelo antigo jogador brasileiro dos dragões no programa de Jô Soares.
    CLIQUE AQUI para ver o vídeo da entrevista.
    "Quando cheguei à Europa, no dia em que me estreei no FC Porto, um jogador chegou perto de mim e avisou-me, pois ninguém sabia a equipa antes do jogo. Eu entrei no campo para ver como estava o relvado, ele chegou ao pé de mim e disse-me que ia ser titular, que me ia estrear. Mas depois ele disse-me 'tens de passar ali atrás, que tem ali um negócio para usar'. Fui lá e usei... Usei umas quatro vezes. É uma situação que me envergonha, o que menos gosto de lembrar. Atrapalha-me muito mais do que pensar em todas as drogas que tomei. Era injetado e dava disposição acima do normal", disse o brasileiro, que chegou a Portugal para representar o FC Porto na temporada 1986/87.
    Casagrande, hoje com 50 anos, esteve internado em clínicas de desintoxicação e lançou recentemente uma autobiografia a relatar a sua lota com as drogas.

    ResponderEliminar
  5. Recuamos cerca de 19/20 anos no tempo`até à temporada de 94/95 , e vamos até ao estádio das Antas onde proliferava naquele tempo como nos tempos que correm um autêntico laboratório de receitas obscuras, que procuravam aumentar a capacidade física de um atleta de alta competição até aos obscuros esquemas de troca de urina de juniores/juvenis vulgarmente escondidas em gabardines que visavam sobretudo cobrir um jogador até aos pés que continham o maravilhoso líquido que seria entregue para o controle anti-doping e que limparia o jogador escolhido. As arti-manhas eram conhecidas nas esferas da alta competição e médicos do laboratório de anti-dopagem limitavam-se a assobiar para o lado e a fazer de conta que nada viam.

    ResponderEliminar
  6. O caso que recordamos é antigo tem cerca de 16 anos e leva-nos a falar de um jogador que deu tudo à causa do FC Porto, António Orlando Vinha Rocha Semedo, tinha à data cerca de 30 anos de idade quando foi um dos escolhidos juntamente com Emerson Moisés Costa para o dito controle anti-doping a táctica utilizada estava mais que gasta e caia em descrédito pelo que a solução encontrada foi trocar a urina dos 2 atletas, até porque Emerson recentemente contratado ao Belenenses e num excelente momento de forma e que poderia render ao clube alguns milhões não poderia de forma alguma ser suspenso, perdendo assim o FC Porto o seu melhor homem do meio-campo e perdendo milhões com uma eventual suspensão do atleta.
    Resultado de toda a situação, as culpas recaíram sobre Semedo que acusou positivo no teste de doping sendo assim suspenso pelo período de 1 ano de jogar.

    ResponderEliminar
  7. Assim, de autênticos pés de chumbo e jogadores banais se fabricam jogadores bomba, que assim que saem do FC Porto para outros clubes se transformam em jogadores banais e sem qualidade...
    O crime vai continuando a compensar para aqueles lados já que nem UEFA nem Lab. Anti-dopagem nacional nada querem com aquela gente que têm como cientista o já conhecido e famoso Dr. Póvoas e a sua amarelinha e que conseguiu colocar no seio do control de anti-dopagem da UEFA um tal de Domingos Gomes que durante anos a fio foi o responsável pelo laboratório de amarelinha das Antas.

    ResponderEliminar
  8. Mais tarde, o caso voltou à actualidade, com o jogador, que viu a carreira destruída, a prometer declarações bombásticas. “Talvez um dia fale”, disse Moreira ao Maisfutebol. Um dos contornos estranhos desta história é o facto de o Maisfutebol ter... apagado a notícia, que poderia ser lida através do seguinte link: http://www.maisfutebol.iol.pt/ii-liga/moreira-oliveirense-fc-porto-porto-helder-postiga-bruno-alves/1104412-1442.html (reparem em todos os nomes do link sobre uma notícia de doping...

    ResponderEliminar

  9. Depois de algum tempo remetido ao silêncio, Moreira decide abrir a sua alma e não foi meigo, apesar de ter ficado algo por dizer... O avançado viu um sonho transformar-se em pesadelo: abriam-se as portas da equipa principal, mas o destino foi a dispensa...

    "Olhando para o meu passado, claro que me entristece a situação. Na altura, marcou-me bastante. Ainda para mais, sabendo que sou inocente. Calhou ser sorteado para o controlo. Eu apanhei seis meses, enquanto ao colega, que estava comigo, não aconteceu nada. Enfim, é melhor nem falar muito sobre esse assunto.Talvez um dia fale", disse Moreira, ao Maisfutebol.

    ResponderEliminar
  10. Houve doping no FC Porto, isso é certo. Mas... quem o tomou? Este procedimento é uma regra? Os jogadores são obrigados a fazê-lo? Talvez um dia eles falem...Já nem sei há quantos anos se fala no doping no fcp, até se perguntava porque é que a maioria eram carecas, será que é por alguma substãncia que tomavam? Acredito que sim porque é demasiada coincidência. E agora gostava de saber porque o controle anti-doping não vai aos Olivais já que ao Seixal vão várias vezes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O stock de urina dá para todo o ano!

      Eliminar
  11. 05.07.2007. Os portistas Rui Pedro e Fábio Pereira foram suspensos preventivamente porque, no final de um jogo entre o Benfica e FCPorto no dia 5 de Maio a contar para o campeonato nacional de Juniores foram ao balneário antes de comparecerem atrasados, ao controlo anti-doping, situação proibida pelos regulamentos antidopagem.

    ResponderEliminar
  12. António Carlos Santos, extremo esquerdo que passou pelo FCPorto no início da década de 90, admitiu numa entrevista a um jornal mexicano que se sentiu mal num jogo dos dragões com substâncias administradas pela equipa médica à data liderada por Domingo Gomes. “Deram-me uma injecção. Sabia que era uma vitamina. Senti-me mal aos 10 minutos de jogo contra o IFK Gotemburgo. Fiquei tonto, parecia que só via para os lados e o meu treinador não percebia o que se passava, enquanto os meus companheiros corriam como feras!”.
    Nessa noite o corpo de António Carlos não respondia e, apesar da vitamina ter sido aplicada aos jogadores do FCPorto, não teve o mesmo efeito em todos. A António Carlos foi como se desligasse o corpo do cérebro, escreve o jornal mexicano.

    ResponderEliminar
  13. Ainda nos recordamos bem o Jackson na epoca passada vindo de uma grave lesao num jogo que nao me recorda contra quem foi,corria cmo uma lebre,essa nao foi necessario esperar pelo intervalo correu o jogo todo como um cavalo,ja me recorda com quem jogaram Bayern de Munique,pronto num futuro proximo havera muitos mais carecas por aquelas bandas eh malta acordem se nao querem perder o cabelhinho procurem jogar em outros clubes.No que toca a arbitragem sempre vao errar isso faz parte do ser humano mas acho que ja erraram demasiado contra o Benfica em cinco jogos ja erraram o suficiente para nos tirarem la de cima quer gostem ou nao do Victoria a verdade e esta ja nos gamaram 2 a 3 pontos isto contando mal.

    ResponderEliminar
  14. Mário Jardel abriu o jogo e falou sobre os tempos de futebolista, especialmente numa altura em que envergava a camisola do FC Porto e ao mesmo tempo... consumia cocaína

    ResponderEliminar
  15. O jogador do FCPorto, Emanuel Garcia, foi castigado com 6 meses de suspensão pelo CD da FPF na sequência do processo de que foi alvo devido a um resultado positivo num controlo anti-doping realizado após o jogo FCPorto-Benfica

    ResponderEliminar
  16. Só para informação, o André André já chegou ao Pocinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E foi a pé, de bicicleta ou a correr? É que a droga fica muito tempo no corpo e dá para muitas horas a correr. lol

      Eliminar
    2. Não como referi num comentário anterior meu, foi subindo o Douro a nado.
      Nesse momento tinha sido avistado no Pinhão.

      Eliminar
  17. Só para esclarecimento....a UEFA/FIFA preparam para breve a introdução obrigatória do Passaporte Biológico que irá dificultar a vida aos corruptos pois a partir desse momento todos os atletas terão obrigatóriamente de possuir esse Passaporte e terem controlos periódicos regulares de modo a serem detectados quaisquer alterações significativas do seu rendimento ou dos valores hormonais.

    Acho que devem abrir a Primeira Secção no Olival

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se se confirmar, será não só uma excelente e tremenda notícia, como será o fim dos porcos do olival...

      Terão de estacionar os Andrés Ferraris alimentados a bolota importada e... voltar a andar de bicicleta com bolota certificada!!!

      Eliminar
  18. Este assunto é demasiado grave para não ter consequências- sempre se ouviu falar nisto, mas porque não se avança mais? Existem indícios, depoimentos, condenações, suspeições, mas a prova, como se pôde ver no caso LArmstrong, pode demorar anos, e depende muito de denuncias, e uma investigação implacável.

    Pergunto eu- depois de vermos no que realmente deu o Apito Dourado, ou seja, perda de 6 pontos num ano em que não eram necessários para o FCPorto ser campeão, condenações depois revogadas, bodes expiatórios como o Boavista e o Gondomar, alguem acredita que este caso muito mais difícil alguma vez terá condenação? Existem muitas pessoas com poder para não deixar estes casos vingarem, as mesmas que colocam na CS as pessoas certas para exaltar feitos do Porto, e menorizar sistematicamente as do Benfica.
    Difícil, muito difícil, e agora que existe um acordo tácito de não agressão entre o Porto e o SPorting, para evitar o Tri, muito pior será.

    Vamos acreditar que estarão a ser feitas diligencias para, pelo menos, trazer o assunto para a praça publica, mas não me parece.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Portugal não é os Estados Unidos, infelizmente. Quem tramou o Armstrong foi o procurador norte americano que nunca desistiu de o perseguir, de interpelar pessoas, de procurar provas porque sabiam que ele era culpado. Levou anos mas no fim o procurador como um cão de fila que nunca desiste, conseguiu confissões de pessoas que lhe estavam próximas e um conjunto de provas que no fim ele teve de confessar, não tinha saída.

      Isso em Portugal seria impossível como se viu no Apito Dourado em que foram elementos da própria PJ a alertarem o principal suspeito que sonegou provas decisivas e que apesar das 720 (!!!!) escutas feitas a Pinto da Costa no fim consideraram-nas ilegais por que mudaram as leis já com essa intenção. Nos EU as escutas tramaram um presidente (Richard Nixon) que foi demitido precisamente por causa das escutas que valeram como provas, doesse a quem doer. E ninguém discutiu ou questionou se eram legais ou ilegais. As provas estavam à vista de todos! E ai de quem tentasse anular o que quer que fosse nos bastidores que a CS americana nunca perdoaria. Comparem agora com Portugal!

      Ainda neste último jogo o Mitroglou foi agredido, ficou com um olho negro e não vi em lado algum referência a isso na CS. Nem sequer na comunicação do Benfica!
      Se fosse um jogador do Porto a acabar o jogo com um olho negro tenho a certeza que todos os dias vinham para a CS com fotos e o próprio jogadores seria mostrado em público para verem a "barbaridade" do jogador do Benfica que nem amarelo levou.

      Ao contrário do que dizem os porcos, as escutas do AD foram legais porque foram feitas de acordo com as leis, com permissão dos juizes.
      No fim pagou o justo (Boavista), que também era culpado, pelo pecador (Porto). Entretanto já conseguiram anular o castigo e num acto burocrático já o puxaram para cima. Isto só é possível numa Republica das Bananas!

      A justiça em Portugal é uma palhaçada e sabemos bem quem está por detrás disto tudo. Existe uma gigantesca teia de interessas e de tráfico de influências em que a maçonaria e alguns partidos têm um papel crucial. No caso do PC (e do Sporting) foram os socialistas que são os mais bem representados dentro da Maçonaria.

      O Sporting nunca poderia ter feito o que fez noutro país qualquer, Espanha incluída, teria mesmo de fechar as portas devido às gigantescas dívidas que tem/tinha, grande parte delas perdoadas inexplicavelmente num atropelo claro às leis. Nunca houve ninguém no MP que tomasse contra da ocorrência e fizesse valer a letra da lei e a defesa da concorrência leal no desporto.

      Um procurador que quisesse fazer isso, armado em espanhol Garçon, receberia imediatamente ordens superiores para largar o caso e iriam fazer-lhe a vida negra, receberia ameaças assim como a família poderia ver a sua carreira profissional em perigo!

      Vejam o que aconteceu aos policias da PJ que investigaram o Apito Dourado, um foi desterrado para França e o outro para a Guiné! Quiseram marcar uma posição e dar um exemplo! Porra, isto é pior do que o Zimbawe!!




      Eliminar
    2. Obrigado pelos esclarecimentos que colocou abaixo, já conhecia alguns, mas é sempre bom partilhar.

      Infelizmente, os nossos defensores na CS são muito brandos em face daqueles que defendem o FCPorto, como por exemplo, o que escreve hoje na ABola, que construiu um mundo só dele, e qual psicopata desenvolve uma série de teorias ridículas e descabidas, como por exemplo defendia hoje, que o Benfica e o SCP tinham um complexo de inferioridade em relação ao FCPorto - complexos de um clube corrupto? só para rir.

      Eliminar
  19. O inspector Teófilo Santiago da PJ era um dos encarregados do caso Aveiro Connection assim como do Apito Dourado. O prémio para a sua competência, profissionalismo, esforço e para o pisar de calos foi ter sido despedido da PJ onde trabalhou toda a vida, assim como o seu superior hierárquico, dr. Artur Oliveira, da PJ do Porto, despedidos pelo então Director Nacional da Judiciária, Adelino Salvado, colocado no posto apenas com esse fito: parar o Apito Dourado e despedir quem teve o atrevimento de o investigar. Até desterrados foram do pais como criminosos, imaginem ao que chegou o despautério da corrupção!

    (Entrevista ao Notícias Magazine, 2/3/2014)
    TS - No “Aveiro Connection” foi a primeira vez que não estávamos perante um simples caso de contrabando de tabaco, foi corrupção generalizada nas forças policiais. Mas as equipas que liderava não vacilaram porque a hierarquia tinha absoluta confiança em nós.
    Em Aveiro pela primeira vez foram apreendidos prédios inteiros porque não respeitavam as regras da boa construção, um crime novo. Recebíamos notícias de factos mais ou menos delicados de várias partes do país, pessoas que queriam dar conhecimentos às equipas.

    DN - Li algures, que o «Apito Dourado» foi o processo com o qual diz que perdeu a inocência.
    TS - É verdade. Nunca me passou pela cabeça… Sempre transmiti às pessoas que estavam comigo para que não se preocupassem. Que era impensável que alguém nos pudesse querer fazer o que quer que seja, porque nem se atreveriam a tal. E olhe, as circunstâncias falam por si… O sermos despedidos se calhar foi o menos… O que se passou foi feio, foi das coisas mais feias… Nem consigo encontrar um adjectivo para qualificar o procedimento ou o processo que levou à nossa saída.

    DN - Responsabilidade apenas da hierarquia de então?
    TS - Também teve a ver. Mas, como foi dito, por vontade do poder político. Depois vem por aí abaixo.

    DN - Foi o poder do futebol? Não tinha a noção desse poder?
    TS - Tínhamos. Mas o problema ali não foi o futebol. Foram as implicações de pessoas que estariam ligadas aos vários poderes, nomeadamente ao político, em tudo aquilo. E a necessidade enorme que alguns responsáveis tinham em saber o que é que se passava na investigação (n.r. para poderem organizar a defesa). Até aí, o poder político, pelo menos que eu me apercebesse, independentemente de pessoas mais ou menos próximas serem tocadas, nunca tinha ultrapassado aquela linha. Aqui não! Ultrapassou-se tudo. Disseram-me claramente, «até às tantas horas, tem que se saber quem são as pessoas e o grau de envolvimento». Eu ri-me.
    (NR. Esta exigência tem a ver com a vontade de proteger os arguidos, neste caso Pinto da Costa e restante matilha, o clube FCP e para poderem organizar a defesa. Como veio a ser feito).

    ResponderEliminar
  20. (continuação)

    DN - Conta-se que na lista das buscas colocou alguns nomes no fim para que ninguém se apercebesse. Isso é uma história ou foi verdade?
    TS - Não foi assim. Nem tive um peso tão grande na investigação do «Apito Dourado» como tive noutras. Tinha as equipas de vigilância comigo e a partir da morte do Fehér há uma situação particular na investigação que dá o salto e aí é que, juntamente com os outros elementos da direcção, tivemos que tomar uma opção de estratégia a seguir. E a opção foi não comunicar à hierarquia o que se estava a passar. Se nós cumpríssemos com esse dever de lealdade que nos era exigido, então o director nacional da PJ (Adelino Salvado) teria também que ter o mesmo dever para com a ministra da Justiça e lá ia tudo, como sói dizer-se em linguagem policial, com os ciganos. Mas nunca me passou pela cabeça o que se seguiu… Quer dizer … pressentia-se qualquer coisa, mas aquilo?! A grande vítima foi o Dr. Artur Oliveira (NR. seu superior hierárquico na PJ do Porto).

    DN - A história do pai e do irmão (do dr. Artur Oliveira) serem investigados em Coimbra por burla na Caixa Agrícola?
    TS - Investigados?! Uma história que já estava mais do que encerrada, ressuscitou-se, fazem-se buscas com aparato e tudo mais para justificar o que iam fazer!!! Não se faz!
    (Abriram um caso já encerrado sobre familiares do então director da PJ do Porto, dr. Artur Oliveira, que deu cobertura à investigação sobre o Apito Dourado e que levou à demissão deste. O seu sucessor no posto foi convidado para o cargo ainda antes do dr. Artur Oliveira se ter demitido).

    DN - Ele (dr. Artur Oliveira), director, demitiu-se. Vocês, adjuntos, solidarizaram-se… Esperava ser reconduzido? Não acha que foi de alguma ingenuidade?
    TS - Rejo-me por princípios. Perdi a inocência nesta coisa porque apesar de já ter muita experiência disto há limites. Adivinhava o que se estava a passar, ele não era o alvo. Por isso é mais lamentável ainda o que lhe foi feito. Houve pessoas, “n” pessoas, que me disseram «não ponha o lugar à disposição, não faça isso, obrigue-os a ser eles a tomar a atitude». Mas por uma questão de ficar bem comigo, uma questão de ética…

    DN - Os alvos eram vocês os dois, você e o João Massano?
    TS - Éramos. A partir daí…

    DN - E a causa era o «Apito Dourado»?
    TS - A causa não era o «Apito Dourado», eram os poderes entenderem que não podia haver uns cidadãos, embora com responsabilidades policiais, que não lhes respondessem àquilo que eles queriam saber.

    DN - Alguma vez se sentiu injuriado ou injustiçado? Quando foi nomeado oficial de ligação com Cabo Verde depois de ser demitido da direcção do Porto da PJ?
    TS – Injustiçado sobretudo quando não posso responder. Até tenho o papel onde escrevi o que é que foi acordado. Qual demissão! Fui despedido, pura e simplesmente! Foi-me dito, na cara, que nunca mais chefiaria ninguém e que havia de passar o tempo a passear o cão em Espinho. Assim, num gabinete do Director Nacional (Adelino Salvado, director nacional da PJ). E não, não perdoo.
    DN – Estamos a falar de Adelino Salvado.
    TS – Disse-me que eu era um indivíduo poderoso, tinha todo o mundo por mim, mas que com ele nunca mais chefiava nem mais um homem.
    E não foi encontrada outra solução que não fosse ir para Cabo Verde.
    (NR. Foi desterrado para Cabo Verde)

    ResponderEliminar
  21. Aconteceu o “Apito Dourado”, com as escutas cujo conteúdo ninguém contestou nem questionou, com testemunhos e investigações que ninguém pode negar. No entanto, todos os crimes cometidos, até crimes de perjúrio descarado por parte de alguns arguidos em pleno tribunal nunca tiveram consequências. Porquê?

    Que “MÃO INVISÍVEL” haverá que durante tantos anos tem mantido este “status quo” justiceiro que nunca foi colocado em causa nem pelas autoridades judiciais nem políticas, como teria acontecido em qualquer outro país?

    Costuma dizer-se que “a verdade é como o azeite, mais tarde ou mais cedo vem à superfície”. Apareceu agora o testemunho do ex-juiz José Costa Pimenta, um antigo juiz reformado compulsivamente, que a propósito de ir publicar um livro sobre o assunto que, por coincidência, se chama, “A Máfia dos Tribunais Portugueses”, afirmou:

    "O sistema de justiça português é constituído por lojas maçónicas e controlado pela maçonaria. Além de controlar as decisões dos processos -incluindo os casos da Universidade Moderna, Portucale, Casa Pia, Apito Dourado e Isaltino Morais -, controla igualmente a carreira dos juízes e dos magistrados do Ministério Público e dos altos funcionários do Estado".
    E continua, “A verdade é que a maçonaria que controla os tribunais se deixou infiltrar por aquilo que ela própria de “jesuitismo” e “profanos do avental” – um grupo de indivíduos que inclui juizes, magistrados do MP, ministros, advogados, banqueiros, presidentes das câmaras – os quais lhes capturam e mantém refém o sistema judicial português, distribuindo sentenças entre si em benefício dos seus irmãos”.

    Não será por acaso que Carolina Salgado, no seu último livro, afirma que no DIAP do Porto, quase todos os processos vão parar às mãos da procuradora Teresa Morais, apesar dos processos serem distribuidos por sorteio. Conta quem anda nos meios da justiça que se trata de uma espantosa coincidência… Mais uma.

    Ao contrário do que afirmam alguns membros, a maçonaria é uma organização que tem um grande poder. Porquê? Porque, para além de secreta e não estar sujeita ao controlo de qualquer instituição democrática, tem acesso à coisa mais preciosa no mundo moderno: a INFORMAÇÃO. A razão que leva pessoas em posições sociais de destaque a querer pertencer a uma organização deste tipo tem, com certeza, que ver com vantagens que essas pessoas podem colher e usufruir na sua vida profissional. A simples partilha de informação privilegiada deve dar um sensação de poder e de segurança extraordinárias. A informação dá poder para influenciar as suas próprias carreiras (“cunhas”, etc.) assim como as carreiras dos outros. Esta influência nota-se em todas as partes da sociedade. Eis alguns processos:

    O juiz Lúcio Barbosa, adepto portista e dragão d´Ouro, que apareceu nas escutas do Apito Dourado, e que já depois disso foi escolhido para Presidente do Tribunal Administrativo (posição de grande poder perante outros juizes), foi um dos que se recusou a responder às perguntas do jornal onde saiu a notícia.

    (Blogue "Pulpus Corruptus")

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Manuel,
      Obrigado pelo comentário.
      Desconhecia esta entrevista, apesar de acompanhar com alguma regularidade o blog pulpus.
      Estou chocado, mas não surpreendido.
      Que nojo. Assim se compreende a total inoperância do sistema judicial português.

      CARREGA BENFICA!

      Eliminar
    2. Nené, o Pulpus tem muita informação, é mesmo o blogue que tem mais informação desde os primeiros posts sobre estas tramóias todas. Dá é muito trabalho a ler tudo porque leva muito tempo. É preciso paciência.

      Eliminar
  22. Mas porque e que o Benfica nao pede control antidoping para os jogos com os porcos?

    Sport Luis Benfica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aqui há uns anos o Benfica pediu controlo antidoping em todos os seus jogos (não apenas com os rivais directos), sendo que os encargos seriam suportados pelo próprio clube. Mas claro que esta pretensão lhe foi negada..... porque será?

      Eliminar
  23. E a roubalheira continua a favor dos mesmos de sempre. Hoje em Moreira de Cónegos o 2º golo do clube do putedo é precedido de um fora de jogo de Boubakar (a bola é rematada contra ele, que se encontra em posição de fora de jogo e volta para trás para o Corona que remata para golo) e o no 2º golo do Moreirense na altura do cruzamento há um defesa do clube que equipa de cor de cagalhão que agarra um dos jogadores que se faz ao lance... felizmente um outro jogador faz golo,,, pois o arbitro e o fiscal de linha mais uma vez estavam a pensar na fruta e nada viram.

    João

    ResponderEliminar
  24. Nostraguachos ou Nostradamuachos. A ressaca da amarelinha é fodjida mesmo. Nem com os ares do Minho a ajudar, a mistela é excretada totalmente do organismo. No fim de semana passado ao ler a escumalha dragarta e a pura merda taliban, pensava que o campeonato tinha acabado, fiquei preocupado e tive que tomar um ansiolítico, depois, é que olhei para o calendário e vi lá que ainda estávamos em Setembro. Faz lembrar Agosto do ano passado ou n situações idênticas em n anos anteriores. Olhem, bom fim de semana aos Benfiquistas e as melhoras para todos os cabeçudos de Norte a Sul.

    PS: No rascord falam em "deslize" (que isso de humilhações e afins é sempre sempre noutros lados). O que também desliza que é uma maravilha é uma rennie pela garganta abaixo, mais uma vez, as melhoras e bom fim de semana...
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  25. Aí está a ressaca... porcos ao fundo, e iremos ficar a apenas 2 pontos.

    Tudo na nossa mão e na Luz, teremos churrascada da boa.

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.