domingo, 6 de setembro de 2015

Luís Filipe Vieira - entrevista








14 comentários:

  1. Enormérrimo Guachos, Companheiro e Bom Amigo,

    Eu já tinha lido esta excelente entrevista (no blogue daquele Companheiro que faz o programa com o João Tomaz), mas estava à espera que tu a colocasses aqui, quer para dar uma opinião sucinta, quer para fazer uma pergunta aos Leitores do GUACHOS ...

    Primeiro e quanto à entrevista, comecei por não me surpreender pela qualidade das perguntas colocadas pelo Delgado (na minha humilde opinião, o melhor jornalista dos pasquins) e considero que as respostas foram quase perfeitas, quer pelo conteúdo, quer pelas "omissões" (há temas sobre os quais não valeria a pena dizer mais nada).
    Com maior ou menor detalhe, foram suficientemente tratados todos os temas pertinentes e oportunos nesta data (após o "fecho do mercado"), de modo a que não restem dúvidas a quem está atento ao momento do Nosso Clube.

    Eu sei bem que pertenço à minoria que concorda (globalmente) com a Nossa estratégia de comunicação (só não gosto daquelas intervenções do João Gabriel nas redes sociais), mas continuo a considerar correta (e oportuna, nesta data) esta entrevista, dada ao Delgado e sem concorrer com a BTV (por não ter sido televisionada): quanto a entrevistas a TV's, eu considero que ou elas são dadas às cadeias que transmitem em "aberto", ou devem ser exclusivo da Nossa BTV.

    Creio que o Presidente cometeu um único erro importante (não é grave, mas deveria ter sido evitado), quando largou aquela do "gostaria de ter dado mais 2 Atletas ao Rui Vitória, mas não foi possível", uma escorregadela absolutamente desnecessária (embora permita concluir que a SAD andou a tentar outras aquisições até ao fim de agosto) e que pode ter consequências negativas.
    Das duas uma, ou o Presidente guardava o silêncio sobre este tema, ou, querendo falar, deveria ser o mais transparente possível, dando detalhes sobre o tipo de atletas que tentou recrutar e não conseguiu, bem como quanto aos motivos pelos quais entendeu "deixar essas lacunas na Equipa".
    Tratando-se de recursos fundamentais para a prossecução dos Nossos objetivos, a missão do Presidente é consegui-los e, em caso de insucesso assumido, creio que a informação deveria ser mais detalhada.

    Finalmente, há uma parte desta entrevista em que o Presidente fala dos resultados económicos que são esperados como consequência do Nosso "novo paradigma de Gestão" e, embora eu já tenha escrito bastante sobre esse tema, pergunto aos Leitores do GUACHOS se acham que estão suficientemente esclarecidos, ou, em alternativa, se gostariam que eu tentasse voltar a este assunto através de mais um texto a ele especificamente dedicado.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também concordo que Vieira podia e devia evitar dar pedras aos franco atiradores. E como leitor do GV digo-te já que adoraria todo o tipo de explicações que entendas úteis para o melhor esclarecimento dos benfiquistas...é que, há séculos que não te pomos a vista em cima...

      Eliminar
    2. Tb não gostei da história dos 2 jogadores em falta - é 1 sinal de fraqueza e indica q não há intenção de os contratar... é q ainda há jogadores na mesma situação do Jonas na época passada e há o mercado russo em aberto... espero q os jogadores q ficaram provem q não era necessário + ninguém...

      Eliminar
    3. Os jogadores que Vieira queria mas não conseguiu, porque não quis ultrapassar o tecto salarial e alterar toda a engrenagem interna, foram o Coentrão, Markovic e por último, Siqueira. Os 2 primeiros por causa do tecto salarial e o último porque o AM não o quis largar pois jogam as 2 equipas no mesmo grupo da Champions.
      Coentrão esteve quase a entrar no avião mas o RM recebeu outras ofertas (Monaco) e não quis dar mais dinheiro ao Benfica (ajudar com parte dos salários) depois de ter pago 30M pelo passe.
      Houve outros jogadores sugeridos que Vieira recusou porque não acrescentavam nada ao plantel e iam tirar lugar aos jovens. Eu concordo.


      Eliminar
    4. " pergunto aos Leitores do GUACHOS se acham que estão suficientemente esclarecidos, ou, em alternativa, se gostariam que eu tentasse voltar a este assunto através de mais um texto a ele especificamente dedicado. "

      Apesar de estar suficientemente esclarecido em relação ao que tem escrito, acho que é possível escrever sobre o assunto, quer abordando questões e pormenores que não foram aprofundados, quer reforçando a ideia daquilo que já nos apresentou.

      Eliminar
    5. depende por que lados vimos a (s) coisa(s), esquerda ou direita, neste caso poderá ser para uns que ele está a dizer que a equipa ficou mais fraca, mas à outros que leem que afinal ele diz que não à dinheiro para mais jogadores, assim como outros vão compreender com essa afirmação tudo isto e acrescentar ainda que ele desabafa que esses 2 jogadores não estavam ao nível do que já tem em casa entre muitas outras possíveis, depende do lado da mente de cada pensador. Quanto ao caso económico e desportivo, goste-se ou não se goste deste presidente uma coisa temos que lhe dar como mérito seu e da sua equipa, pôs o SLB no lugar que sempre foi dele mas que esteve pertinho de abandonar só para relembrar os mais esquecidos, trouxe de volta o Respeito e a confiança das instituições internacionais e se não foi o presidente que mais títulos conquistou durante os seus mandatos não anda longe e não falamos só de futebol, lembrança da época 14/15 como histórica com 5 títulos em 6 possíveis (futebol, futsal, hóquei, basket, vólei Masculinos) sem contar com outros feitos Femininos inéditos (Campeã Europeia de hóquei Femininos) nos nossos rivais tanto em títulos como em modalidades olímpicas masculinas e femininas nem ouvimos falar pois ou não tem essa modalidade ou nunca ganharam, e para fechar antes de LFV e hoje basta recordar aquilo que era e como era o SLB (antigo estádio da luz e os terrenos circundantes, relvado com pista de tartan, piscina e 2 pelados, alguns cortes de ténis) e aquilo que tem hoje e como foi construido e organizado. E PLURIBUS UNUM.

      Eliminar
  2. Excelente entrevista do Presidente em que confirma tudo o que por aqui o José foi dizendo.
    Gostaria muito de voltar a ler a opinião do José sobre o assunto sugerido. E, já agora, se não for pedir muito, gostaria também de saber se continuas a achar que a redução do passivo se estará a fazer depressa demais.

    ResponderEliminar
  3. Palavra dada ao sr. Alburquerque!! Que espera meu caro?? Anda la que tamos a espera!!

    ResponderEliminar
  4. Companheiros,

    Se é isso que querem ... é isso que eu vou fazer, ahahah.
    Entretanto, sugiro-vos que leiam (de novo) os 4 textos da série "Reduzir o Passivo: como, quando e quanto" (I, II, III e IV) que o Guachos aqui publicou.

    @ Enorme Manuel,

    O Presidente falou em "2 futebolistas" e é, exatamente, porque eu acho que eles eram o Fábio e o Marko que penso que eles deveriam ter sido especificamente referidos, uma vez que a sua não contratação não permite a conclusão sobre "lacunas no Plantel".
    Já quanto ao Siqueira ... (não te esqueças do pouco que eu sei de futebol), ainda bem que ele não voltou: trata-se de um atleta do mesmo nível do que temos, mas estrangeiro e muito mais caro.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
  5. Viva rapaziada!
    Felicíssimo por o Companheiro Guachos ter voltado e em força (post anterior)!!
    Quanto à entrevista do Presidente também gostei mas tenho um reparo a fazer. Achei que a escolha de exemplos que deu para dizer que o Benfica irá comprar menos estrangeiros no futuro não foi a mais feliz. LFV deu como exemplos os casos de Aimar e Saviola e, na minha opinião, não foram exemplos felizes porque, tal como aliás se fez esta época, o Benfica irá sempre comprar estrangeiros que (se espera) façam a diferença, que venham acrescentar qualidade ao plantel e se traduzam em mais valias, e Aimar e Saviola foram exemplos disso mesmo. Acho que podia ter dado outros (e, infelizmente, muitos...) exemplos que não estes.
    Abraço!

    ResponderEliminar
  6. Nem é preciso ler esta entrevista para se saber que a única questão a definir no próximo acto eleitoral é se LFV ganha com mais de 80% ou mais de 90% dos votos expressos. 10% de variação dependente dos resultados desportivos desta época é um exagero brutal, mas já se sabe que parte do povo futeboleiro é tudo menos serena.

    E isto é assim porque a realidade é o que é. Não carece de explicações a constatação óbvia que LFV vai ganhar as próximas eleições com mais uma maioria esmagadora.
    Claro que não deixa de ser um divertimento ler as conjecturas Taliban sobre esta matéria. E é completamente hilariante verificar que alguns acreditam mesmo que o seu candidato, entenda-se qualquer um que apareça a concorrer contra LFV, tem hipóteses de ganhar. O ar deve ser bastante rarefeito à altitude de cruzeiro por onde anda o Eagle 1.

    LFV vai ganhar esmagadoramente não por ter um bigode impecavelmente aparado, por ter um par de proeminentes orelhas ou pela sua farta cabeleira grisalha superiormente penteada. Vai ganhar pelo trabalho incrível desenvolvido no clube sob a sua égide.
    Isto para dizer que ganhou, fez por merecer, todo o benefício da dúvida que lhe é devido por mim.
    Não me esqueço de de ter defendido que a decisão de renovar com o JJ após a derrota no Estádio Nacional teria sido um erro histórico, e que a falta de resultados desportivos nessa época deveriam levar à sua demissão.
    Após este momento de fraqueza em que coloquei o imediatismo dos resultados desportivos acima de um projecto estruturado de futuro para o clube, mal seria que não entendesse estar-lhe em dívida com todo o benefício da dúvida possível e imaginário.

    Se eu acredito que o Benfica pode ganhar consistentemente com uma aposta forte na formação? Se o presidente entende que sim, acredito.
    Se eu acredito que a aposta num caminho completamente diferente de gestão económica, com uma redução brutal do investimento, da necessidade de financiamento externo, da diminuição do passivo mas também dos activos, deveria ser feita no momento em que nos encontramos? Lembrando que o próprio Presidente diz ser uma opção e não uma necessidade, o que é uma constatação óbvia?
    Se o Presidente diz que sim, eu também digo.

    Caro Albuquerque. O Presidente do Benfica tem que se habituar a arrastar atrás de si umas costas muito, muito largas. Aliás já deveria ter sido inventada uma placa sinalizadora à semelhança das que identificam os veículos longos, com o dito veículo largo a ser usada obrigatoriamente pelo Presidente do Benfica.
    Isto para dizer que retirar pressão do treinador neste momento falando de jogadores imaginários não me parece má estratégia de todo.
    E digo jogadores imaginários porque só quem não conhece nada, mas mesmo nada de LFV, é que ainda poderia acreditar, depois do caminho que definiu claramente após o final da época passada, que se desviaria nem que fosse um centímetro da sua estratégia de fundo, investindo na aquisição de jogadores só porque perdemos jogos de pré-época, a supertaça, e porque há eleições daqui a um ano. Só mesmo para rir.







    ResponderEliminar
  7. Desculpem, só referir que no 'anonimato' de leitor assíduo estava a passar-me com a falta deste blog no meu dia-a-dia. Obrigado por existirem Guachos, José Albuquerque, Mathaus e todos os que dignificam este espaço - mesmo os porcos e FDP (filhos da puta) que nos obrigam a ser mais e mais E Pluribus Unum!
    BVM

    ResponderEliminar
  8. Caro Guachos,

    Parabens pelo teu regresso! Todos os Benfiquistas precisam dos teus Post´s.

    Abraço e tudo de bom

    Ricardo Oliveira

    Benfiquista do Norte

    ResponderEliminar
  9. Em relação as contas gostaria apenas que me explicassem porque é que o Presidente disse que se tudo correr bem vamos voltar a capitais próprios positivos

    Da última vez que Li o nosso R&C os capitais próprios eram positivos. Como é que é possível o Presidente meter uma argolada deste tamanho ?

    Há algo que me escapa?

    Cumprimentos

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.