segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A Nossa “Fábrica”, de novo (II).

Por José Albuquerque

Se me permitirem, começo por reproduzir a tese que vou tentar demonstrar por números, imaginando o seu impacto ao nível das Nossas Contas, tal como se apresentaram em 30 de junho passado.

 Uma terceira via que privilegia a maturação do máximo possível dos melhores talentos formados na Fábrica, desde  que tal não agrave os riscos, a curto prazo, ao nível dos resultados desportivos na UEFA, mas apostando nos médio e longo prazos e complementando esta aposta determinada com uma otimização da Nossa Prospeção externa.
Uma fórmula que, reconheço, bem que poderia ser melhorada, ou sintetizada numa ainda mais simples:
Há que manter na Equipa o maior número possível de Atletas de alto nível, mesmo que subremunerados relativamente à média internacional, além de reforçar os meios à disposição do Departamento de Prospeção, tudo por forma a garantir o melhor sucesso possível na substituição daquelas Atletas que não resistirem às ofertas superiores ao teto salarial.
Sendo certo que a Equipa tem os recursos suficientes para assegurar a qualificação para a CL (mesmo que através de eliminatória) em todas as épocas e, depois, ou atingir os “oitavos” (+ de 30M€), ou, na pior hipótese, os “quartos” da Euroliga (15 + 5 = 20M€) e que a Nossa SAD tem de manter Resultados Líquidos ligeiramente positivos, por forma a prosseguir a trajetória de melhoria da relação Ativo/Passivo e continuar a reduzir a chamada “fatura bancária”.

Traduzamos tudo isto em números.

E, para o efeito, comecemos pelos Custos:

C1 – Os Custos Operacionais, que incluem todos os salários e que, nos dois últimos anos, desceram de 109,2 para 106,5M€ (os Custos com Pessoal reduziram de 63,2 para 59,6M€) – considerando a saída da anterior equipa técnica e de dois dos Atletas (Lima e mini) mais bem pagos, não me parece difícil estimar que este fundamental grupo dos custos vai ser contido abaixo de 105M€;

C2 – As Amortizações contabilísticas dos passes de Atletas, parcela negativa dos ROPA, que há anos que andam em torno dos 30M€ anuais (28,9 e 30,4M€ nos dois os mais recentes); e

C3 – Os Custos Financeiros, habitualmente designados por “fatura bancária”, que já percebemos estarem a cair (os números foram estragados pela resolução do BSF) e que vão ficar abaixo dos 18M€.

Ou seja ... (105 + 30 + 18 =) 163M€, uma brincadeira.

Muito bem, pensemos agora na vertente bem mais agradável dos Proveitos:

P1 – Os Proveitos Operacionais, que eu sugiro que comecemos por considerar sem os prémios UEFA; 82,6M€ (105 – 22,4) em 2014 e 87,5M€ (102 – 14,5) em 2015, numa tendência que, considerando as potenciais variações (menos quotização, mais Sponsors, consolidação BTV), eu arrisco que vai ultrapassar os 90M€ em junho de 2016 ;

P1a – Os Prémios UEFA, incluindo tudo menos a bilheteira dos jogos, em que já estão garantidos, hoje, muito próximo de 20M€ (15 de prémios e o “market pool” a dividir só com os andruptos) e que só um desastre impediria o apuramento para os “oitavos” da CL; em síntese, eu prevejo um valor de 35M€.

E é por isto que tudo é muito bonito, desde que se façam as contas: 90 + 35 – 163 = 38M€ negativos

P2 – Vendas (líquidas) de passes de Atletas (+ outros Proveitos com empréstimos, etc.), que já vão a caminho com as saídas do Lima e do Cavaleiro (7 + 15 = 22M€ “brutos”) e já devem ter ultrapassado, nesta data, os 18M€, tornando fácil estimar que, para garantir o equilíbrio económico em 30 de junho de 2016, falte realizar mais cerca de 20M€ em Proveitos (líquidos) com ROPA.

Conclusão 1.

Face à reconhecida pressão de compra que já se exerce sobre vários dos Nossos Atletas, seja dos mais valiosos, seja dos mais jovens e promissores, eu vou atrever-me a escrever que o CA da Nossa SAD não vai ter nenhuma dificuldade em garantir o equilíbrio económico do exercício corrente e, mais do que isso, vai é ter de saber resistir a realizar várias vendas excedentárias (não confundir com vendas de Atletas excedentários), que iriam catapultar este exercício económico para mais um exemplo de “lucros excessivos”.

Conclusão 2.

Outro requiem tocaria no inaceitável caso de não podermos contar com os prémios UEFA (P1a), ou se estes se resumissem ao escabroso resultado da época anterior (14,5M€), situações em que o mais simples respeito pelas regras do FPF Nos obrigariam a realizar vendas de Atletas a ponto de colocar em causa qualquer projeto a médio prazo, ou seja : a sustentabilidade do projecto desportivo.

A Nossa Fábrica e o Modelo para o Futebol.

Vitórias?
Claro que sim! Todos as desejamos e delas necessitamos como do ar que respiramos.
Mais a mais, tê-mo-las na Gloriosa História e no Hino do Clube, que perderia a sua própria razão de existir sem elas.

Mas, entre todos os resultados desportivos ...
equilíbrio económico à nível salarial à competitividade do Plantel
A presença constante na Champions e a ultrapassagem da sua fase de grupos, é muito mais que um “resultado desportivo” e, para um Clube que pretende entrar no restrito grupo dos 20 mais poderosos da Europa, passou a constituir um OBJECTIVO MÍNIMO DE TODA A GESTÃO, só ultrapassado em urgência pelo imprescindível equilíbrio económico das Nossas “contas”.

O próximo defeso (vocês sabem que eu não acredito na “janela de janeiro” para visar objectivos de curto prazo) vai ser o terceiro consecutivo em que o CA da Nossa SAD vai ter todas as condições de Gestão, incluindo a capacidade de investimento (com um EBITDA de mais de 50M€), para garantir a competitividade suficiente à Nossa Equipa de Honra, para que ela prossiga os resultados desportivos que mantenham a sustentabilidade do Modelo escolhido.

Companheiro Presidente,

Tu sabes que, como eu, há milhões de Companheiros que te somos eternamente gratos pelo tanto que tens feito para engrandecer o Nosso Clube e que, por essa gratidão, confiamos na coragem com que sempre enfrentaste e Nos lideraste a Vencer os Nossos obstáculos, adversários e inimigos.

Trata de continuar a Honrar, também tu, Os Azes que Nos Honraram no Passado.

“When the going gets tough, the tough get going”

Viva o Benfica!

PS; não deixem de ler (AQUI) a parte I de «A Nossa “Fábrica”, de novo»

12 comentários:

  1. Caro José,

    Concordo que a 3ª via que defendes e que julgo ser muito próximo daquele que o Presidente propõe.
    E concordo porque o talento que vejo pela a academia é tanto que acredito que o sucesso na CL, e consequente equilíbrio financeiro, ficará mais próximo com aposta nesse talento.
    As gerações de 97,98 e 99 têm talento que o Benfica não pode comprar no mercado.
    Assim saiba a SAD preparar a equipa principal de modo a potenciar o ouro que tem no Seixal.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Cosimo Damiano, Companheiro,

      Estou inteiramente de acordo contigo: se não soubermos capitalizar a soberba qualidade que temos na Fábrica ... não merecemos o Glorioso nome de Benfica.

      Essa é só mais uma das razões pelas quais eu quase rio quando ouço, ou leio, que "só o Rui Costa é que percebe de futebol", como se todo aquele trabalho e qualidade fossem possíveis como que por coincidência.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Se este é o modelo do presidente estamos a ver os resultados!

      Eliminar
  2. Caro JAlbuquerque

    Aproveito mais este belíssimo exemplo de "pensar Benfica" que nos traz, falando da nossa fábrica e dos nossos talentos, para falar de algo que, pese embora a tristeza que me deixou a derrota com o Sporting, a raiva que me deixou a cínica e premeditada parcialidade de Jorge Sousa tão bem demonstrado pelo nosso companheiro Influência Arbitral,me deixou não só triste como espantado - foi a desastrada decisão de colocar Gonçalo Guedes na flash-interview pós jogo.

    Um miúdo de 18 anos a fazer uma rábula sobre o jogo completamente ridícula, descabida e sem sentido. Não havia ninguém com mais maturidade e experiência?

    Não são as derrotas que mais me magoam como Benfiquista, pois essas são acidentes no nosso glorioso percurso, são estas decisões peregrinas que me deixam estarrecido pelo seu aparente amadorismo, quase desleixo na forma de comunicar.

    Neste momento, continuo a pensar que nada de catastrófico está a acontecer, existem muitas atenuantes, e a minha compreensão para com elas é enorme, mas estes autênticos tiros no pé fazem-me questionar quem é que toma estas decisões de forma tão leviana?

    PS_ por falar de eliminações na taça, não foi com JJ que perdemos duas eliminatórias na LUZ, uma ainda a época passada com o Braga, outra com o Guimarães, e uma final com o agora mártir Rui Vitória?

    Então o RV com a equipa que agora temos, resiste ao grande e incensado Sporting e ao JJ durante quase 120 minutos, com penaltys perdoados, com expulsões perdoadas, e com uma expulsão por palavras do Samaris ( quem o manda falar tão bem português?) e não presta? Quantas vezes é que o Benfica eliminou o Sporting para a taça a jogar em Alvalade? Zero, nenhuma, nunca! Nem Eusébio, nem ninguém, por isso estou farto dos chorões que andam a proclamar o Apocalipse, e agradeço ao Bruno de Carvalho, o do Benfica (será?) por mostrar a pequenez da oposição que existe ao actual presidente LFV.

    Precisamos de grandes Benfiquistas a propor alternativas, porque isso não só engrandece o Benfica, como faz com que LFV trabalhe ainda mais e melhor.Mas não, só temos tristes como esse BC, Madalenos e afins...

    Não tem nada a ver com o post mas acredito que estou perdoado pelo desabafo.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Relativamente ao GGuedes não vi a entrevista mas parece-me q ele disse uma verdade insofismável - perdeu a melhor equipa.

      Qt ao resto, totalmente de acordo.

      Estive a rever o jogo na osgatv e fiquei agradavelmente surpreendido - aconselho a quem poder rever do jogo, a frio, s/ a emoção q não nos permite uma analise correcta. Saliento:

      - jorge lagarto levou 1 verdadeiro banho táctico e estratégico de RVitória - criação de superioridade numérica no meio-campo c/ o recuo de Pizzi, variações rápidas de flanco sp q tínhamos a bola, marcação rápida aos centro-campistas do zbording logo q eles tinham a bola, muitas vezes c/ 2 e 3 jogadores, defesas atentos às recepções "entre-linhas" dos avançados.

      - Excelente dinâmica e entrega ao jogo dos nossos jogadores.

      - As variações de flanco e o pontapé para frente não são fragilidades do Benfica mas sim opções estratégicas perfeitamente válidas contra uma equipa q joga c/ as linhas juntas e q colocaram, de facto, problemas a jorge lagarto.

      - 1º golo do zbording completamente injusto, q surge de 2 ressaltos, o 1º devido a carga do slimani sobre o Luisão.

      - Na 2ª parte o zbording melhora, até à entrada de AAlmeida, mas s/ criar situações de golo.

      - No Prolongamento o Benfica esteve melhor e... + um ressalto em q Jardel e Eliseu ficam mal na fotografia...

      - Péssima apintagem, sp contra o Benfica...

      Enfim, considero totalmente injustas as criticas ao Rui Vitória e cada vez me convenço + de q, de facto, temos treinador. O zbording só ganha o jogo pq, como é habitual, matam-se contra o Benfica, o árbitro ajuda e jorge lagarto conhece os jogadores do Benfica como as palmas das mão...

      FranciscoB

      Eliminar
    2. Enorme chakra indigo, Companheiro,

      Claro que estás perdoado (ahahah) por essa fuga ao tópico, mas eu não vou comentar este teu "desabafo", porque teria de escrever algumas coisas pouco agradáveis para quem mandou o garoto ao flash interviu.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    3. Caríssimo FranciscoB,

      Haja alguém de olhos abertos e capaz de fazer uma leitura do jogo para além da bola que entra ou não entra.

      No meu modesto entendimento realiza uma análise perfeita e correcta do que se passou.

      Eliminar
  3. Se eu pudesse marcava este post, sempre no cimo da página; de discussão obrigatória...
    O pior é que por estes dias ninguém quer discutir assuntos sérios. Anda tudo de faca na liga. Tudo o que seja menos de um alguidar de sangue, parece não satisfazer (quase) ninguém!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AHAHAHAHAHAH,

      O importante, meu Bom Amigo, é que a malta o leia e ... pense, a ver se deixamos de ler nos Nossos blogues coisas como, por exemplo, "eu até pagava trinta milhões à osgalhada, para ir buscar já o Marco Silva".

      A menos que, como diz o Companheiro Manuel, quem escreve essas bacorices sejam as tais 3 agências que o brunalgas aldrabão contratou.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  4. Nunca é demais agradecer os seus excelentes Posts.

    Vejo aqui uma novidade polémica - considera a presença na Champions + importante do q ganhar o campeonato? - até se poupava em prémios de jogo, eh eh eh...

    FranciscoB

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme FranciscoB, Companheiro,

      Não é bem assim, que eu até sou daqueles que gostam, mesmo, é de ganhar tudo, ahahah.
      Tenho a certeza de que tu compreendeste perfeitamente a razão para este(s) texto(s) e o que dele(s) resulta em termos de prioridade às competições é muito simples: Campeonato e Champions!

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  5. boa prosa josé... obrigado e abraço
    sócio slb nº218219

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.