sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Patrioteirismos.

Por José Albuquerque

Nem foram necessários dois dias completos, para todos podermos testemunhar uma das mais soberbas exibições de patrioteirismo (o meu dicionário tem esta palavra ... e que não a tivesse, ahahah) de que tenho memória: uma terça feira de glória para um único campeão europeu, ainda que muito bem acolitado por um talixo lusófono, logo seguida por uma quarta feira em que um outro campeão(zito) europeu (zito porque suplente do único auréulio que é visconde nacional e cavaleiro da coroa britânica) se defendeu como um campeão(zão) contra uma horda viking e em que a maior manada de auréulios campeões da Europa jogou, “olhos nos olhos” (sempre me cago de riso com esta verdadeira alegoria da caverna), com o idílico filho da ditosa Mãe do melhor tendão rotulineano do mundo, pentabota, tribola, campeão de todas as europas e salteador do engenheiro perdido.

Porra, Companheiros!
Que canseira esta de tentar acompanhar as crises gástricas de toda a cáfila de especialistas, cumentadeiros e jornaleiros, ainda por cima bem amplificados pela carneirada e pelo coral Taliban.
Que fervor patrioteiro! Que maravilhoso apelo à discriminação positiva das minorias étnicas (ciganos e baianos broncos)! Que soberba ode de apoio ao país a quem a Europa pagou o frete de reciclar o refugiado lixo que tanto fazemos para tentar extirpar das TV’s, talvez para que, como o Capitão, possamos carpir as penas que temos pelos luxos de que já nem nos apercebemos.

Que maravilhosa terça feira, esta que passou, em que o qualesma, sem jogar um berlinde, se fez personagem de Cervantes e emparelhou com um superinovador Sancho, este sem pança, para repor toda a justiça ao minuto 93: qualesma e talixo redentores!
Musas tatuadíssimas inspiradoras de todas as vinganças, aldrabices imbecis e globatinol patrioteiro!
Justiceiros do vento que obrigou à bolina do Glorioso, uma Equipa sem nenhuma desculpa e, acima de tudo, onde joga um tipo grego (imaginem a afronta) e um ex desempregado que não tolera carícias de vinconde novo, razão pela qual recebeu um divino castigo na forma de uma maleita num pé.

O Sport Lisboa e Benfica, por estes dias tratado como o maior clube de Timor Leste (que também é, obviamente), com um Plantel enriquecido por anos sucessivos de investimentos astronómicos e a memória de ter sido treinado por um cérebro tão privilegiado que, inclusive, pensa simultaneamente em duas línguas – dialecto batráquio e o mais hilário portinhol, lá se “colocou a jeito” de nova justa punição do  minuto 93.
“Karma is a bitch”, berraram de anti Benfiquismo dado. Até aqueles que, por “iliteratícia”, se ficaram entre perguntas sobre essa praia.

E foram quase 24 horas de festim!
Um pouco antes dessas 24 badaladas, a barraca andrupta levou um primeiro abano de um viking amigado com o franguillas, provocando um primeiro assomo de tristeza dos patrioteiros do “karma is a bitch”.
Ligeiro assomo, que a tropa aureliana continuava a jogar como nunca lá para Castela e o BOI amestrado reequilibrava as coisas pondo os andruptos a jogar como melhor sabem – contra 10!
Minuto 88, a tão só cinco das 24 badaladas, uma convulsão chorosa do melhor tendão rotulineano de toda a História ... fez o que não queria, coitado. Mas que falta de sorte, ó pátria!
Ainda assim, continuava a sobrar esperança, uma vez que os que roubam os bancos estavam a fazer o mesmo resultado dos que costumam ter milhões no banco, pouco importando que, na noite anterior, tivessem os milhões no banco ... da enfermaria.

Aguentem, patrioteiros, que estão a chegar as 24 badaladas e, com elas, a redenção de todos os vossos pecadilhos!
Ai.
Ai, ai.
Ai, ai, ai.

Por toutatis e todos os auréulios, franguício incluso ...
Puta da praia em que o karma fornicou as megeras que pariram os 93 especialistas, cumentadeiros, jornaleiros e Taliban, obrigados a esfregarem-se com areia. Uma areia muito “bitch”.

Afinal, aquele nada ... e este nem nada!
Afinal o tal do karma vai deixar de ir à praia?
Jogaram como nunca, com o resultado de sempre, digo-vos eu.

O Glorioso, sem desculpas nem milhões no banco, mesmo com dois ou três futebolistas que já nem sub23 são e todos com nomes estrangeiros – um italiano, um sérvio e o tal grego, saiu vergado por uma equipa obscura de um país mais asiático que europeu, onde brilharam a grande altura um campeão europeu auréulio e um outro que não o sendo, merecia sê-lo de tão grande lixo é.
Os andruptos, com um só campeão europeu e que nem auréulio é (coitadito), com uma “equipaça” muito jovem, reforçada pelo frangueiro mais titulado do Paseo La Castellana, batendo-se soberbamente 11 contra 10, conseguiram vergar o campeão de um dos países europeus com maior PIB per capita.
Já a osgalhada, carregada de auréulios importados e uma multidão de dois jovens tão refinadamente lusitanos como as caldas de Viseu, encantaram os espectadores amantes do melhor futebol com uma exibição de sonho, daquelas mesmo imorredouras, malbaratando a equipa campeã da Champions, embora incapazes de subverter o malfadado alinhamento astral e escapar às 93 marretadas do apocalipse instigado pelo antigo director de comunicação do Benfica.

E é este o patrioteirismo dos FDGP!  
  
Viva o Benfica! 

10 comentários:

  1. Tenho que fazer uma grande vénia a este Post!! Que nunca te fartes de escrever neste blog.

    Ricardo Oliveira

    Benfiquista do Norte

    ResponderEliminar
  2. O engraçadinho,

    O que é isso de "caldas de Viseu"?

    Tem cuidado, ok?

    ResponderEliminar
  3. E o novo Garrincha Zé? Os gajos até descobriram um novo Garrincha, pá!!!
    Hahahahahah!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E paulatinamente vamos percebendo desde ontem (na semana passada ninguém sabia de nada) que o Garrincha Português em 2014 esteve com um pé no Real, em 2012 com um tornozelo no Barcelona e hoje é a vez do João Mário que já teve um joelho não sei quando no Inter... Enfim carneiradas dos mérdia!

      Ps: Granda posta Zé

      Abraço
      M Rossetti

      Eliminar
    2. Ahahahahahah e nem com o novo Garrincha deixaram de perder?

      Ora porr@ para o "oitentayocho" e o "novientaytrés".

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  4. Tenho que admitir que essa das "caldas de Viseu" me passou ao lado. Ilustre Zé importas-te de me esclarecer? É que houve reação, e se é para rir também quero.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas vocês querem que eu me sinta um literato?
      Menos, Companheiros. Muito menos que tudo isso.
      Eu escrevo o que penso e, por isso, perdem tempo se me interpretarem sinusoidalmente.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  5. ...E aqueles q com vmoc's ardilosas
    Se vão da lei da falência libertando...

    ResponderEliminar
  6. Companheiros,

    Este foi o texto que eu escrevi há umas 30 horas e sobre o qual comentei, no anterior post do Guachos, que era impressionante a identificação entre os Leitores deste blogue: o texto anterior, os comentários que ele mereceu e este meu texto, todos refletem uma mesma identidade.

    Entretanto (eu estou em Singapura e com horários trocados), como tudo me chega com atraso, só agora percebi que a osgalhada foi a Madrid passear aquele equipamento verde-cueca de que a FPF tanto gosta: mais um sinal desta ridícula colagem dos auréulios, tão do agrado dos patrioteiros.

    Também só agora vi a capa de "a bolha" e só espero que haja quem a aproveite para fazer uma montagem com a pergunta capital: quantos títulos ganhos pelo lumiarense?
    Com o título do pasquim em baixo ... BOLA!

    Viva o Benfica!
    (José Albuquerque)

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.