terça-feira, 7 de março de 2017

Vamos a “Contas” (1º semestre de 2016/17)?.

Por José Albuquerque
As Nossas “contas” semestrais (julho a dezembro de 2016) são excelentes e eu começo por copiar e reproduzir o texto síntese que podem encontrar na página 5 do R&C (sublinhados meus) …
“A Benfica SAD apresenta no 1º semestre de 2016/2017 um resultado líquido consolidado positivo de 2,6 milhões, o que significa que apresenta de forma consecutiva lucro nos primeiros seis meses de actividade nos últimos três exercícios;
De realçar que este resultado não inclui as alienações dos direitos dos atletas Gonçalo Guedes e Hélder Costa, que ascenderam a um montante global de 45 milhões de euros e que irão representar um impacto positivo próximo dos 38,9 milhões de euros no resultado do próximo semestre;
O resultado operacional sem direitos de atletas supera os 18,1 milhões de euros, o que representa o melhor desempenho de sempre em períodos homólogos, alicerçado no crescimento dos receitas operacionais e na entrada em vigor do novo contrato de exploração dos direitos de televisão;
Os rendimentos operacionais consolidados, excluindo direitos de atletas, ultrapassam os 69,4 milhões de euros, o que representa um crescimento de 7% face ao período homólogo, atingindo o valor mais alto de sempre num primeiro semestre, sendo ainda de destacar que esta variação foi suportada pelo crescimento que se verificou, de uma forma geral, em todas as principais rubricas de rendimentos;
O activo consolidado ultrapassa os 459,6 milhões de euros, o que corresponde a um decréscimo de 3,5% face a 30 de junho de 2016, sendo esse recuo justificado pela diminuição do activo corrente, com destaque para a rubrica de clientes;
O passivo consolidado diminui 20,5 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 4,5% face a 30 de junho de 2016, essencialmente reflectido na variação das rubricas de empréstimos obtidos, fornecedores e outros credores;
O capital próprio consolidado a 31 de dezembro de 2016 ascende a 24,7 milhões de euros, o que representa uma variação positiva de 3,8 milhões de euros face ao valor que apresentava no final do exercício transacto, contribuindo a mesma para a evolução positiva do capital próprio que se regista desde 30 de junho de 2013 e que em termos acumulados corresponde a um montante de 48,5 milhões de euros.” 

… E quando assim é, são desnecessários os meus comentários!

Se estão bem recordados, há cerca de 2 anos e meio, eu escrevia aqui que entendia possível e desejável que a Administração do Grupo aceitasse como seu principal objectivo a médio prazo, a reconstituição progressiva e sustentada dos Nossos Capitais Próprios, chegando a sugerir uma meta a 5 anos de 50M€.
Ora bem, não só essa meta foi atingida em metade do prazo que eu admiti como razoável, como já é claro que ela corre o risco de ser largamente ultrapassada (brutalmente, no caso de se registar mais alguma grande venda até junho), como isso foi conseguido num triénio de excelentes resultados desportivos e sem colocar em causa a execução de um ambicioso programa de investimentos, Plantel incluído.

Por tudo isso, a minha vénia ao Nosso CA, a todos os Colaboradores do Grupo, aos Atletas e, também, aos Sócios, Investidores e Adeptos que continuam a fazer do Glorioso um “case study” exemplar, à escala planetária.

Os números são de tal modo eloquentes e o meu tempo tão curto, que me vou permitir sugerir-vos um modelo diferente dos meus textos habituais: fica a caixa de comentários para que os Leitores me coloquem todas as dúvidas que tiverem, sejam elas globais ou relativas a simples detalhes, das mais elaboradas às típicas de quem nunca antes leu um R&C e eu comprometo-me a tentar dar respostas elucidativas a todas elas. Combinados?

Como não há regra sem excepção, não termino sem abordar uma questão que alguns Companheiros me colocaram pessoalmente e que, por isso, admito que já tenha feito pensar alguns dos Leitores.
E a pergunta é, mais ou menos, assim: como é possível que, num período em que a SAD investiu uma brutalidade no Plantel (Rafa, Jimenéz, Zivko, etc.), se tenha reduzido (em apenas 3,5%) o valor do Nosso Activo líquido?

É uma pergunta natural para quem não domina este tema, mas que está respondida em quase todos os meus textos e que se prende com o “papel” das amortizações contabilísticas na interpretação dos Balanços. Tal como eu sempre recordo, em cada exercício em que não existam investimentos, o Activo do Grupo reduz-se em quase 50M€ (!), pela simples acção das amortizações.

E é esse “pormaior” e tudo o que ele implica, que me tem feito insistir com o Presidente para não exagerar nos ritmos de redução do Passivo oneroso e da reconstituição dos Capitais Próprios, especialmente quando de tal dependam a competitividade das Equipas e a actualização/desenvolvimento do Nosso Parque Desportivo.
É claro que vais ser uma imensa “festa”, aquela que, TODOS UM, faremos no dia em que os senhores bancários, à míngua dos juros a que os habituámos, fizerem fila na Sede, a mendigarem uns financiamentos. Isso está fora de dúvida!
Mas eu, muito humildemente, continuo a considerar que, passada a maior crise da economia mundial, o Clube deve reforçar toda a ambição de crescimento e desenvolvimento, mantendo toda a disponibilidade para fazer, com rigor e critério, todos os investimentos pertinentes.

Uma vez mais aqui o escrevo: o Glorioso tem condições objectivas para acentuar os seus ritmos de crescimento e desenvolvimento (e os números provam isso mesmo), pelo que seria absurdo não realizar (ou adiar) investimentos que já estejam estudados e cuja rentabilidade, desportiva e financeira, tão segura como os seus precedentes.

Viva o Benfica!

44 comentários:

  1. Companheiro jose mais uma enorme demonstraçao como es perfeito nas contas do nosso Benfica pouco percebo disto mas o suficiente para compreender estarnmos no bom caminho,segundo o que entendi nao entraram nestas contas do primeiro semestre Gonçalo Guedes nem Helder Costa se tivessem entrado tinhamos ido bem la pra cima talvez ultrapassando os lucros da osgalhada,parabens Jose os nossos companheiros ja estavam anciando por um tetxo teu aqui esta todos felizes espero eu e amanha e para continuar com a felicidade na Alemanha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro Francisco,

      Caso as vendas do GG20 (um bom suplente) e do Hélder Costa (um emprestado) tivessem sido registadas em 31 de dezembro, o resultado do trimestre seria de mais de 40M€, uma verdadeira brutalidade.

      E se me perguntares se a Nossa SAD deve, ou não, recusar boas propostas que lhe cheguem por alguns dos Atletas mais apetecíveis aos chamados "tubarões", eu continuo a dizer duas coisas:

      1 - que espero que a "fasquia" seja colocada cada vez mais alto, isto é, que sejamos progressivamente mais exigentes nos valores das vendas;
      2 - que esses Proveitos "extraordinários" (que são tão regulares como as marés) sirvam para reforçar a Nossa capacidade para "antecipar" o programa de investimentos, para contratar os atletas que possam assegurar o aumento da competitividade das Equipas e, finalmente, como terceira prioridade, "antecipar" o pagamento de empréstimos bancários.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  2. Obrigado mais uma vez pela tua analise e um obrigado tambem ao Guachos por te deixar entrar na casa que é dele mas que é também um pouco nossa, depois de ler algumas partes do relatório gostava que me respondesses a duas perguntas minhas se souberes claro.
    Tinha a ideia que o Benfica não ia receber nada do novo contrato televisivo com a intenção de o renegociar, pelo menos fiquei com essa ideia tanto por parte do Presidente como do DSO, isso não se verifica pelo que vejo no relatório, sabes o que se passou em relação a essa renegociação dos direitos televisivos? Não sendo a minha area a partir do momento em que rebebemos o dinheiro estamos a aceitar os termos de contrato certo?

    Outra duvida penso que é generalizada, temos de entregar 50% da venda do Edersosn ao rio ave ou Jorge mendes pouco me interessa a quem, o que gostava de saber é o porque de isso acontecer visto o jogador ter vindo em 2009 para o Benfica, será que foi dado estes 50% ou existiu algum pagamento ao Benfica pelo passe do jogador?

    Muito Obrigado
    João Teixeira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro João Teixeira,

      Quanto ao tema do Ederson, só te posso garantir o seguinte: a SAD tudo vai fazer no sentido de só vender o seu passe, ou depois de ter conseguido recuperar boa parte desses 50%, ou se conseguir montar uma operação que reflita a justiça para quem valorizou o Atleta.

      Quanto ao tema NOS, há que começar por dizer que o atual contrato já teve um impacto positivo nestas contas do semestre de cerca de 7M€ (4 por acréscimo dos Proveitos e 3 por redução dos Custos) e fazer confiança no sucesso que as negociações da parceria em curso venham a produzir a médio prazo (3 anos).
      Se queres a minha opinião pessoal, sempre te digo que eu não critico a atual situação, desde que os desafios na Catedral continuem a ser transmitidos pela BTV.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  3. Caro José,

    Alguma ideia do que pode vir aí em termos de investimentos para além daqueles que o nosso Presidente já levantou a ponta do véu? Como pensa que se irá fazer o processo de internacionalização do Benfica? Acha que estará a preparar-se um aumento de capital da SAD e uma entrada de um grande investidor (China)?

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro manjob,

      Além dos vários projetos já agendados (alargamento da "Fábrica", Hotel Benfica, Benfica FM, CTF para as Modalidades e Casa Benfica Sénior), eu acredito que será na área da internacionalização da Marca que devem existir projetos que só serão concretizados se e quando os resultados económicos o permitirem.

      Uma vez mais eu repito que pelo menos tão importante como o crescimento e desenvolvimento do Clube, tem de ser o crescimento da competitividade das Equipas, principalmente a Nossa Equipa de Honra de futebol.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Caro José Albuquerque,
      A redução do Passivo tem servido como (única) arma de arremesso dos activos Blogues Talibans contra LFV e DSO. Seria didáctico explicar novamente a diferença entre o Passivo e a Factura Bancária que parece estar em redução... Afinal, a redução do Passivo seria sinal de má gestão e lesiva dos interesses do Clube...
      Saudações Benfiquistas!

      Eliminar
    3. Meu Caro FranciscoB, Companheiro,

      Acho que tu tens razão e que os anti, Taliban incluídos, também são alvo do bombardeamento ignorante da mérdi@, para quem o Passivo é uma espécie de belzebu, embora não exista Empresa que o não tenha.

      O problema é que discutir esse tema é dificílimo, a menos que recorrendo a argumentos técnicos que não é fácil traduzir em português de todos os dias. Por isso, prometo voltar a escrever um texto (espero que fique melhor do que da vez anterior, ahahah) exclusivamente sobre esse tema.

      Entretanto e rapidamente, recordo a "igualdade básica da contabilidade":
      ATIVO=PASSIVO+CAPITAIS PRÓPRIOS ou, se preferirem
      ATIVO=CAPITAIS ALHEIOS+CAPITAIS PRÓPRIOS

      É deste conceito que resulta que, enquanto o ATIVO descreve em que é que estão aplicados os Capitais ao serviço do negócio, o PASSIVO+CP são as duas ORIGENS desses Capitais, parte deles dos Acionistas (Capitais Próprios) e, o restante, de origens "exógenas" (créditos bancários, créditos de fornecedores, etc.)

      Deste ponto de vista e de uma forma simplista até se deveria dizer que, para dois negócios iguais e de dimensão semelhante, a Gestão deveria minimizar os CP e maximizar os Capitais Alheios (o Passivo, pois claro)!

      É que, caso essas 2 Empresas consigam um nível semelhante de "Lucros", a taxa de rentabilidade dos Capitais Próprios (a parte dos donos da Empresa) é tanto maior, quanto maior forem os Capitais Alheios (o Passivo, pois claro).
      Evidentemente, o recurso exagerado a Capitais Alheios costuma implicar um nível crescente de Custos Financeiros, o que pode colocar em causa a rentabilidade ou, até, a própria sustentabilidade do negócio.

      Mas, sempre que uma Empresa consiga obter crédito, mesmo pagando juros de X%, ela será mais lucrativa que as concorrentes desde que consiga aplicar esses fundos (onerosos) com uma rentabilidade superior aos tais X%.

      Se tu souberes como aplicar capitais com uma rentabilidade de 20% e conseguires obter empréstimos que te custem 10%, só se fores burro é que não aumentas o teu Passivo até ao limite, ou do teu crédito, ou da tua capacidade de aplicar esses fundos.

      O Passivo do Nosso Grupo está perfeitamente controlado desde há mais de 6 anos.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    4. Que licoes brilhantes! Meu caro Jose, eu sou um toto no que aos numeros diz respeito, mas entendi!

      Mocambique

      Eliminar
    5. Caro Companheiro e ex vizinho em Moçambique,

      Obrigado pelo incentivo, mas olha que se tu percebeste esta "lição" ... não podes ser nenhum tótó, ahahah

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    6. Companheiro Albuquerque, com toda a consideração e amizade, permito-me fazer uma ressalva à tua afirmação “a taxa de rentabilidade dos Capitais Próprios é tanto maior quanto maior forem os Capitais Alheios (Passivo)”: isso é verdade desde que a taxa de Rentabilidade do Activo (Resultados Líquidos/Activo Total Líquido) seja superior ao custo do Capital Alheio.

      Ora, de acordo com o último relatório e contas anual (2015/2016) da SLB, SAD, a taxa de Rentabilidade do Activo é de 4,81 % (20,4/425,6=0,0481) (*) e a Taxa média dos empréstimos é de 6,48 % (pág. 159, do relatório e contas), o que significa que há um efeito financeiro de alavanca negativo de 1,67 % (4,81 – 6,48 = 1,67).

      Adaptando esta realidade ao teu exemplo (aliás muito bem colocado), dir-se-ia que neste caso, o nosso Activo está a render 4,81 % com custos de financiamento de 6,48 %.

      (*) RL = 20,4; Activo Bruto = 476,3; Amortizações = 50,7 Activo Líquido = 476,3 – 50,7 = 425,6).

      Um grande abraço e Carrega Benfica!!

      Eliminar
    7. Caro Companheiro Lampiãogrande,

      Fizeste muito bem em publicar este teu comentário, que pode ajudar vários Leitores a entenderem melhor estas realidades, desde que sigam com cuidado estes argumentos, nos quais reconheço absoluto rigor.

      Tu deves ter compreendido que eu, naquele meu exemplo de caráter pedagógico, nunca cheguei a fazer cálculos e muito menos disse que a situação da Nossa SAD era, exatamente, esta ou aquela, até porque uma decisão de Gestão deste tipo não se poderia/deveria tomar com um cálculo tão (elegantemente) simples como o que utilisaste como exemplo.

      De qualquer modo, o mais importante é que os Benfiquistas percebam que os Passivos, mesmo quando custam caro, não são como tumores malignos e os anos mais recentes do Grupo comprovam-no à saciedade.
      E que, para cada Empresa e negócio, em cada momento e mercado, haverá uma "fourchette" de nível de endividamento oneroso, que melhor se adequa à sua estratégia de crescimento e desenvolvimento.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  4. Caríssimo Companheiro José Albuquerque queira receber os humildes agradecimentos de alguém, que não sendo versado em finanças, tem a literacia suficiente para compreender o que o meu Estimadíssimo Companheiro faz parecer tão simples...

    Bem haja pelas lições com que nos presenteia e pelo seu Enorme Benfiquismo!!!

    Viva o Gloriosíssimo Sport Lisboa e Benfica, orgulho de Portugal em todo o Mundo!!!

    J.C.

    ResponderEliminar
  5. Companheiros,

    Desde já, o meu Obrigado aos que já me colocaram as suas questões e, para os que ainda não o fizeram, ficam os meus agradecimentos antecipados.

    Eu prefiro dar-vos a minha visão das "contas" abordando os assuntos e aspectos que mais interessem aos Leitores, em vez de estar a escrever sobre alíneas que não interessem a ninguém.

    Viva o Benfica!
    (José Albuquerque)

    ResponderEliminar
  6. Desculpe a pergunta mas não seria acertado diminuir o passivo para 50% dos activos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro Lajes,

      Não!
      Com toda a humildade, não só eu não concordo, como te desafio a recolher Balanços na internet e, depois, fazeres o seguinte: por cada um que encontrares (1) em que os Capitais Próprios (sem VMOC's, naturalmente) sejam inferiores a 35% do Ativo (o que implica Passivo/Capitais Alheios superiores a 65% do Ativo), tu voltas aqui e escreves um comentário a dizer isso, até que (2) encontres uma exceção e, nessa altura, voltas aqui e dás as referências desse caso. OK?

      Não há empresas que financiem os seus Ativos principalmente com Capitais Próprios!

      Especialmente no caso de uma SAD de futebol como a Nossa, em que muitos itens do Ativo estão, forçosamente, muito subavaliados, essa hipótese é ainda mais absurda.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  7. Um grande obrigado pela análise, desde a saída do relatório que ansiava pela análise aqui no guachos (apesar de eu ser novo por aqui)!!
    Uma pergunta:
    O principal objetivo do Benfica/SAD passa por tornar o clube sustentável por si próprio?
    Isto é, todos os outros grandes clubes europeus (United, Bayern, etc) têm grandes receitas, desde direitos de transmissão, venda de merchandising, bilheteira etc. incomparáveis para a realidade portuguesa...O objetivo a médio/longo prazo passa por tentar contornar essa realidade e criar meios de aumentar a receita fixa (hotel Benfica, Caixa Futebol Campus, e outros investimentos) para deixar de depender de transferências?

    Obrigado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Emanuel Nunes, Companheiro,

      Obrigado pela tua soberba pergunta: acabas de colocar a "one million dolar question"!

      Se leres qualquer um dos meus outros textos, vais conhecer os meus argumentos segundo os quais a Nossa SAD só vai poder estabelecer uma Gestão que vise a "não venda de passes de Atletas", SE E SÓ SE, entre outras coisas, Portugal passar a ser fiscalmente competitivo no pagamento de salários.

      Sem essa condição (sine qua non), mesmo que o Glorioso fosse "decacampeão mundial", continuaria a ver os seus Atletas mais valiosos a sairem, atraídos pelos clubes que lhes proporiam salários muito mais altos.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Será talvez a primeira vez em anos que vou ter de discordar do meu caro José.
      Não creio que a solução passe por tentar que os países e nações em diferentes estados de evolução social possam abdicar de premissas próprias para gerir a sua recolha de impostos. Acredito ainda menos que com todas as actuais convulsões Europeias possamos chegar a acordo apara uma harmonização fiscal entre nações. Assim resta na minha opinião uma harmonização "forçada" e imposta pela UEFA, muito à semelhança do que a FFF pratica em relação ao Mónaco. Querem competir com na liga francesa tendo vantagens fiscais do principado, compensem contribuido com a diferença para todos os outros.
      Doutra forma a UEFA nunca conseguirá ter uma competição fiscalmente saudável. Pela sua perspectiva amanhã teriamos SAD's a mudarem~-se para as Ilhas de Man ;-)

      Um enorme agradecimento e maior abraço pelo seu contributo para o nosso esclarecimento.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
    3. Caríssimo Tantos lixos, Companheiro,

      E eu estou de acordo contigo, em que essa solução que propões seria a que garantiria melhor nível de "verdade" na concorrência entre os clubes europeus, mas olha que não creio que isso vá acontecer.

      O facto importante é que se com harmonização fiscal Nos seria difícil competir com os clubes dos "Big 5", sem essa harmonização ... é completamente impossível.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  8. Boas a todo o auditório,

    É de salutar ver os benfiquistas a analisar as contas do clube, ou da SAD.

    Aproveito então para me juntar a vocês.

    Relembro que a quotização dos sócios passou a ser uma receita do clube e não da SAD, e desse modo das modalidades.

    Que a taxa de juro das obrigações baixou de 7,25 % a 4,5%. Esperando que a saúde financeira e operacional da SAD proporcione taxas de juro ainda mais baixas. Creio que a comunicação pública e privada (viagens ao estrangeiro) da Direção vai nesse sentido.

    Na minha opinião o passivo financeiro não deverá ser totalmente liquidado, mas reestruturado. Processo que já foi desencadeado.
    O passivo a ser liquidado é o bancário.

    Nos últimos 16 anos o SLB construiu um estádio de nível mundial que já foi anfitrião das duas finais europeias mas prestigiosas.
    Um centro de treinos de qualidade superior e reconhecido como tal.
    Uma equipa competitiva e de futuro.
    Uma televisão que já é referência mundial.

    É claro que tudo isto obrigou a avultados investimentos e por consequência financiamentos incontornáveis.
    Mas os activos são evidentes e creio que subvalorizados, sobretudo o passe dos jogadores.
    E relativamente a esse tema deve-se lembrar que a construção de uma equipa competitiva passou por empréstimos e passe parciais. Mas actualmente quase todos os passes dos jogadores do plantel são detidos a 100% do clube.

    Dito isto gostava que me ter mais explicações do contrato com a Nos e as difusões da BTV.
    Vão-se manter essas difusões?

    E o naming do Estádio será possível?
    E em que condições?
    Creio que será de privilegiar um parceiro forte.

    Parceiros e sponsors fortes e internacionais são o melhor aliado na integração de uma hipotética Superliga Europeia.
    Desse modo, devemos justificar a parceria com a Emirates o máximo possível. E renovar.

    Saudações benfiquistas
    Vitor Ramalho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro Vítor Ramalho,

      Antes de mais, Obrigado pelos teus contributos, com os quais estou em genérico acordo.
      Lamentavelmente, eu não posso dar-te nenhuma informação concreta sobre o tema NOS e como é que essa parceria se vai projetar no médio e longo prazos.

      Como tu também leste o R&C, sabes qual foi o impacto positivo na contas (cerca de 7M€) deste semestre, tal como sabes que o Clube está a tentar melhorar essa parceria e para ambas as partes.

      Pelo meu lado e humildemente, repito que estou moderadamente satisfeito com o que já se conseguiu e só espero que os desafios na Catedral se mantenham na BTV.

      Chamo a atenção dos Leitores para as tuas últimas linhas, pela pertinência das mesmas e pelo que delas decorre em termos da necessária Política de Comunicação, além da respetiva articulação com o desejado aprofundamento do processo de internacionalização da Nossa Marca.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  9. boas, obrigado pela analise das contas, da ara aprender bastante.
    Tendo em conta a situaçao dos 3 clubes e sendo que o benfica esta bem melhor que ambos rivais, nao e estranho que gastemos menos em salarios que os outros 2? pergunto isto porque um aumento no nosso orçamento para salarios permitiria uma margem maior quer para manter jogadores quer para os que contratamos podiam ser melhores (maio o que podemos pagar, melhores opçoes temos, nao sei se me fiz entender..)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro alexanderson, Companheiro,

      Creio que, considerando que o maior objetivo da SAD devem ser os resultados desportivos e não os económicos, será unânime que as melhorias de rentabilidade devem ser aplicadas ou (1) em investimento, ou (2) na melhoria da capacidade técnica e tática da Equipa, o que, em princípio, sugere acréscimos da massa salarial. Nesse ponto, a tua ideia parece incontestável.

      Entretanto, permite que eu te diga que considero que um dos maiores méritos da Nossa atual Gestão tem sido, nestes últimos anos, o de conseguirem controlar o crescimento dos custos operacionais (não esqueças o crescimento do Grupo, nomeadamente no número de Empregados), nomeadamente a massa salarial, apesar do visível aumento global da qualidade do Plantel.

      Numa nota de tipo cómico, importa referir que a saída do velho técnico ... deu uma boa ajuda, ahahah.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  10. Obrigado, caro Albuquerque. E também a todos os companheiros que colocaram questões que ajudaram ao esclarecimento.

    Em boa verdade o papagueamento da palavra passivo vai deixar de ser feito muito rapidamente. Assim que o passivo de antense e lumiarense for superior em valor absoluto ao do Benfica, de uma forma tão evidente que não possa mais ser escondido, deixa de ser um dado relevante para jornaleiros e comentadeiros. Nessa altura o que vai ser realmente importante salientar dos dados financeiros vai ser rigorosamente nada, pois estaremos muito à frente em todos eles.

    Mas falando ainda de passivo, é esta a questão que te quero colocar.

    O que é que se chama a um gestor de uma empresa com um activo de 500, um passivo financeiro de 0, e um resultado líquido de 40?




    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mau Caro Manuel Afonso, Companheiro,

      Vindo de ti, seria estúpido esperar comentários menos que brilhantes, ou perguntas menos que muito inteligentes.

      Pelo teu comentário, Obrigado.

      Pela tua formidável questão, a resposta tem de ser muito cuidadosa:

      1 - à partida, esse gestor é isso mesmo, minúsculo, uma vez que exige aos Acionistas um esforço financeiro brutal e desnecessário (Capitais Próprios de 500) e eu só espero que o animal proponha que esses 40 de lucros sejam distribuídos em dividendos, sob pena de se tornar ridículo; mas
      2 - por outro lado, o tipinho conseguiu para os Acionistas uma rentabilidade bruta de 8%, o que é capaz de ser suficiente para continuar empregado, ahahah.

      Os exemplos extremos como este que aqui colocaste, devem servir pelo valor pedagógico.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. É precisamente isso, caro Albuquerque. É o exemplo extremo de valor pedagógico de empresa que os taliban da nova geração querem.
      Uma empresa que mantenha o activo de 500 milhões mesmo fazendo desaparecer o passivo.
      Uma empresa que se financie exclusivamente com capitais próprios.
      E ainda assim uma empresa que mantenha os 20 milhões de resultado líquido, a que supostamente se somam mais 20 milhões de poupanças com os encargos da dívida. Daí os 40.

      Em resumo, eis a empresa mais estapafúrdia do planeta, gerida por imbecis encartados.

      Eliminar

  11. As nossas contas continuam de vento em popa.
    No meio duma crise económica nacional e internacioanl, investir em meios que permitam o Benfica crescer ainda mais no futuro, controlar custos, potenciar ao máximo as receitas, manter (ou aumentar) competitividade desportiva, recuperar capitais próprios... tudo ao mesmo tempo! É obra! Obra gigante.

    No entanto, nem tudo consegue ser perfeito, e eu continuo sem perceber (quase) nada do contrato com a NOS.
    Gostaria de saber se o confrade Albuquerque já percebeu os contornos realmente.

    O que me continua a remoer a mioleira é...
    À partida só vejo 2 hipóteses em relação às mensalidades BTV: ou vão para o Benfica, ou vão para a NOS.

    Se fossem para o Benfica, parece-me que as receitas TV neste momento já deveriam seriam superiores, pois o Benfica receberia o valor do contrato NOS e o valor das mensalidades BTV.

    Se as mensalidades BTV vão para a NOS, o contrato NOS é uma festa para a NOS. Pois recebem as mensalidades BTV, que por si só devem chegar para pagar mais de metade do contrato NOS, e assim pagam ao Benfica com um "desconto" enorme. Por exemplo, e é um mero exemplo, receber 40 mas dar-lhes 20, na realidade equivale a só receber 20.

    Gostava de ver esta situação mais bem esclarecida por parte da direcção.
    Mais do que o valor do contrato ser alto ou baixo, apesar das situações se encontrarem interligadas. Pois se a NOS neste momento passasse a pagar mais 10 Milhões do que paga, eu continuaria com duvidas e preocupações em relação a este assunto.

    Mas se entretanto o Albuquerque conseguisse esclarecer algo sobre este assunto, já seria melhor que nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro Pica-miolos,

      Confesso-te que não sei o suficiente para te poder elucidar (e se soubesse, não o poderia divulgar), mas a questão que colocas é absolutamente evidente.

      Eu prefiro continuar a pensar que o acordo entre o Glorioso e a NOS pode, deve e vai ser uma parceria na área da produção e distribuição de conteúdos de TV.
      E prefiro continuar a pensar que é nesse quadro que prosseguem as atuais negociações, numa ótica de win-win e de maximização das evidentes sinergias entre os parceiros.

      Por agora, tal como já referi, a situação melhorou. Por isso parece-me que as partes ganharam direito a algum tempo para conseguirem chegar a um melhor acordo.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Caro Pica

      Esta é sem tirar nem por, rigorosamente e em absoluto, também para mim uma duvida que tenho, que ninguém sabe responder, e que me fez deixar de subscrever a BTV até saber se estou a dar dinheiro à NOS para nos pagar.
      só me faz impressão como mais ninguém entende o negocio ruinoso que me parece que pode ser, se somos nós a pagar a nós mesmos.
      Agradeço por ter conseguido na integra a passar para o papel em 100% a minha duvida.
      No restante do RC (eu que até tenho formação na área) parece-me bastante positivo e encorajador para o futuro.

      Eliminar
    3. A situação não melhorou por causa deles serem simpáticos.

      Se não me engano, a situação melhorou porque o contrato entrou em vigor. Limitaram-se a fazer aquilo a que estavam obrigados. E julgo que não mexeram nem mais uma palha para além disso.

      Eliminar
    4. Grande questão, esta, a do “Pica-Miolos”! Parabéns! Carece de uma explicação por parte da Administração da SLB, SAD.

      Eliminar
    5. Exactamente "Pica-Miolos" , aliás sem querer eu toquei no mesmo ponto num comentário que coloquei quando o teu ainda não estava disponível.

      A ser verdade que as assinaturas da BTV vão para a NOS é uma aberração que não tem explicação......
      É tão ridículo como eu candidatar-me a comprar o Novo Banco , e ser o Novo Banco a dar-me o dinheiro de borla para essa operação.....

      Não entendo como é que o Benfica apresenta no R&C uma situação económica tão ....favorável e aparentemente cede a um acordo destes onde muito pouco terá a ganhar em relação a manter a exclusividade e se calhar os ganhos a mais terão a ver com as outras Ligas Europeias que deixamos de pagar os direitos ....
      E a publicidade no canal fica para quem?....
      E os custos do canal e da produção de conteúdos quem é que paga?...

      Acho que este é um assunto muito sensível e que em breve , apontaria para a silly season , a direcção deveria de uma vez por todas esclarecer os Benfiquistas sobre o que de facto está acordado no que respeita ás assinaturas da BTV...
      Senão o pessoal vai ficar a pensar que mais uma vez fomos comidos de cebolada e ainda pagamos por isso........

      Eliminar
    6. Caro Companheiro Xander,

      Espera lá que a essa eu sei responder-te: toda a publicidade, seja a da Catedral, seja a da BTV, constitui um Proveito exclusivo da Nossa SAD.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    7. Parece-me obvio que as receitas vao todas para a NOS. No final do ano teremos cerca de 36M de resultado liquido, que foi tal e qual o que foi anunciado, antes da SAD querer renegociar o contrato.
      O Benfica apenas decidiu renegociar o contrato porque viu outros, com menos adeptos, com piores servicos de tv , com menos tudo a usufruirem de contratos inimaginaveis.
      Este contrato era bom a 3 anos, enquantos os nossos rivais tinham a PPTV, mas mau a 10anos.

      A Nos esta-se a borrifar para o Benfica. Cumprirá com o que foi acordado e mais nada. Ja veio dizer que nao tem nenhuma razao para rever os valores do Benfica em alta. Os direitos de distribuicao da sporting tv e das camisolas foram inflacionadas para que o Benfic nao tenha hipoteses de colocar os valores dos direitos televisivos em causa.

      Ainda ando a rezar para que a ERC anule os contratos e no final do 3 ano possamos passar para a Meo, que nos dára aquilo a que temos verdadeiramente direito.

      Eliminar
    8. Parece-me obvio que as receitas vao todas para a NOS. No final do ano teremos cerca de 36M de resultado liquido, que foi tal e qual o que foi anunciado, antes da SAD querer renegociar o contrato.
      O Benfica apenas decidiu renegociar o contrato porque viu outros, com menos adeptos, com piores servicos de tv , com menos tudo a usufruirem de contratos inimaginaveis.
      Este contrato era bom a 3 anos, enquantos os nossos rivais tinham a PPTV, mas mau a 10anos.

      A Nos esta-se a borrifar para o Benfica. Cumprirá com o que foi acordado e mais nada. Ja veio dizer que nao tem nenhuma razao para rever os valores do Benfica em alta. Os direitos de distribuicao da sporting tv e das camisolas foram inflacionadas para que o Benfic nao tenha hipoteses de colocar os valores dos direitos televisivos em causa.

      Ainda ando a rezar para que a ERC anule os contratos e no final do 3 ano possamos passar para a Meo, que nos dára aquilo a que temos verdadeiramente direito.

      Eliminar
  12. Caro José Albuquerque,

    Obrigado mais uma vez por este serviço público Benfiquista.
    Um post eloquente e claro como água mesmo para leigos e financeiramente iletrados como eu.

    Surge-me apenas uma ideia da tua exposição: Qual seria a entidade parceira (com peso e dimensão suficiente) que, baseada na consolidação financeira e estrutural evidenciada ano após ano pelo nosso Glorioso clube, poderíamos convencer a ajudar-nos a credibilizar definitivamente esta industria futebolística nacional, e afastar de uma vez por todas todos os incompetentes, corruptos, ignaros e demais invejosos, dos instrumentos de decisão, por forma a restabelecer um competição sadia a todos os níveis?

    CARREGA BENFICA TRINTA E SEIS!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caramba, Companheiro, mas que pergunta que tu me colocas, ahahah

      Para os crentes, teria de ser alguma entidade divina.
      Como eu sou ateu, graças a deus, não vejo melhor alternativa do que o ... Campeonato Europeu de Clubes!

      Esse é que era o parceiro com o qual eu queria ver desenhado o Nosso futuro coletivo.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  13. Mais um Bem Haja pela análise.

    Apenas um pequena duvida sobre a questão BTV e no caso o valor das mensalidades dos assinantes com os operadores é recebido pelo Benfica ou pela Nos?
    Saudações Benfiquistas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo,

      Nesta altura, parece-me óbvio que, mesmo que a Nossa SAD esteja a beneficiar do novo contrato, é a NOS quem está a retirar a maior vantagem (eu recuso aceitar que esse desequilíbrio não seja corrigido e com efeitos retroativos), mas eu, que conheço bem o Presidente e o DSO, sei que eles estão a fazer o necessário para tornar esta parceria num sucesso ainda maior.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  14. Fodasse,desculpem o desabafo,mas hoje melhor, mas levamos 4...rrrrrrrrrrrrrrr
    Foco no Belenenses
    AMO-TE BENFICA

    ResponderEliminar
  15. Companheiro Albuquerque,
    Venho prestar novamente homenagem aos teus ensinamentos nesta área das finanças.
    Como já vem sido hábito, aguardo sempre ansiosamente pelas tuas dissertações sobre as contas do nosso Glorioso.
    Desta vez não tenho questões, só um pedido, peço-te que intercedas com LFV e DSO, para clarificar esta questão do contrato dos direitos TV. Porque se for para dar dinheiro à NOS, então faço uma recomendação a todos Benfiquistas para anularem subscrição dos serviços da NOS (justificando-se com o tratamento da NOS para com SLB), de modo a forçar a administração da NOS a retificar esse grande erro de menosprezar o poder unificador e avassalador do Universo Benfiquista. Não é minimamente admissível que a NOS tenha valorizado os direitos TV e PRINCIPALMENTE o patrocínio das camisolas de outros clubes no montante que aparentemente fez, quando estes à data da assinatura do contracto nem patrocínio nas camisolas tinham e existem documentos no futebol leaks onde consta esses clubes a mendigar por patrocínios nas camisolas por um montante de 2,5milhões anuais.
    Mais uma vez obrigado,
    Cumprimentos,
    Santos

    ResponderEliminar
  16. Companheiro Albuquerque,
    Venho prestar novamente homenagem aos teus ensinamentos nesta área das finanças.
    Como já vem sido hábito, aguardo sempre ansiosamente pelas tuas dissertações sobre as contas do nosso Glorioso.
    Desta vez não tenho questões, só um pedido, peço-te que intercedas com LFV e DSO, para clarificar esta questão do contrato dos direitos TV. Porque se for para dar dinheiro à NOS, então faço uma recomendação a todos Benfiquistas para anularem subscrição dos serviços da NOS (justificando-se com o tratamento da NOS para com SLB), de modo a forçar a administração da NOS a retificar esse grande erro de menosprezar o poder unificador e avassalador do Universo Benfiquista. Não é minimamente admissível que a NOS tenha valorizado os direitos TV e PRINCIPALMENTE o patrocínio das camisolas de outros clubes no montante que aparentemente fez, quando estes à data da assinatura do contracto nem patrocínio nas camisolas tinham e existem documentos no futebol leaks onde consta esses clubes a mendigar por patrocínios nas camisolas por um montante de 2,5milhões anuais.
    Mais uma vez obrigado,
    Cumprimentos,
    Santos

    ResponderEliminar
  17. Mais uma vez, agradeço-te o tempo dedicado à Nossa luta. Mais ainda por saber a falta que ele te faz. Abraço Enorme Albuquerque.

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.