terça-feira, 19 de setembro de 2017

Benfica SAD - Relatório e contas

Melhor exercício e maior lucro de sempre, redução do passivo, recuperação dos capitais próprios e volume de negócios na casa dos 300 milhões de euros. Resultados onde não constam as vendas de Nelson Semedo e Mitroglou e sem antecipação de receitas dos direitos televisivos. Quatro anos sem empréstimos bancários, 44,5M€ de lucro. Quatro anos - 11 títulos conquistados em 16, com os rivais a triplicarem custos, calotes e incumprimentos financeiros. Aí está a síntese das contas, habitualmente publicada em Setembro. 
Fica a promessa do 'enormérrimo' José Albuquerque de em breve nos brindar com sua analise pormenorizada...




48 comentários:

  1. Companheiros,
    Pedi ao nosso anfitrião que começasse por publicar o documento, por duas razões principais: (i) espoletar algumas perguntas imediatas que possamos ir discutindo e (ii) dar-me mais tempo para investigar alguns destes números.
    De facto e ao contrário do verdadeiro R&C (que deverá ser publicado dentro de algumas semanas, no máximo até ao final de outubro) esta síntese obriga-nos a algum trabalho de investigação, para tentar "descomplicar" a síntese.
    Por exemplo, reparem que na rubrica "Direitos de Televisão" (ao alto da página 4) é apresentado o somatório dos Proveitos NOS, mais o "market pool" da Champions, além de outros Proveitos (Prémios UEFA, por exemplo) que eu vou ter de tentar descobrir quais serão.

    Até amanhã, convido-vos a lançar as vossas dúvidas e comentários iniciais e comprometo-me a ir passando cá para partilhar as minhas opiniões.

    Viva o Benfica!
    (José Albuquerque)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. QUe Orgulho! 10 anos à frente da concorrência! E 10 anos é muito tempo...

      Que diferença entre um Clube que vende saúde (financeira) e 2 clubes falidos, 1 deles pertencente, literalmente, à banca... e q se mantêm à tona graças à capacidade que ainda têm de manipular as estruturas da liga e da fpf com o auxílio dos mérdia nacionais...

      Era isto q se previa alguns anos atrás neste Blogue, que adivinhávamos através das suas sempre elucidativas exposições, considerações, sugestões e previsões. Parabéns!

      Estamos agora em condições de entrar na Super Liga Europeia que tanto desejávamos; ela que venha o mais depressa possível para continuarmos a cumprir o nosso destino - sermos 1 dos maiores Clubes do Mundo!

      Eliminar
    2. Troco todos estes "bons" resultados contabilísticos por um PENTA.
      É que é já....

      Eliminar
    3. Caro José Albuquerque como sempre aguardo com expectativa a sua sábia análise a mais um R&C da SAD do nosso Glorioso BENFICA. Uma das rubricas que gostaria ver cabalmente esclarecida é precisamente a dos direito televisivos e como se decompõe os proveitos obtidos. Em especial perceber se de facto como eu penso que acontece, já que nada veio a público do contrário; que a receita das mensalidades da BTV, são do Benfica e não foram alienadas à NOS. O que foi público e bem diferente, foi que Benfica cedeu na contratualização do novo contrato os direitos de transmissão do canal em outras operadoras, mas não as ditas receitas de assinatura. Se assim for é bom perceber que além do Benfica recebe pelo o novo contrato, há a somar (até pode ser em outra rubrica, não sei) o valor das assinaturas, que devem somar uns bons milhões e dai a importância dos jogos do Benfica em casa continuarem a ser transmitidos pela BTV (quais as contrapartidas? % do montante de assinaturas?) pois são estes que alavanca e muito o número de assinantes... e aqui pode estar a solução (ou parte) encontrada pelo Benfica e a NOS na renegociação do contrato que chegou a bom porto para ambos segundo palavras do DSO ao Jornal de Negócios sem ter que mexer nos valores do contrato e respectivo clausulado em concreto naquele que o Sporting poderia ter salvaguardado direitos e vir pedir mais à NOS. Sim porque antes da assinatura do novo contrato com a NOS o Benfica tinha por exemplo clausulas de cedência de parte da receita das assinaturas consoante os operadores que transmitiam a BTV conseguiam angariar mais ou menos assinantes... será que agora esses valores serão totalmente do Benfica?

      Cumprimentos e VIVA AO BENFICA

      Benfica UNO&PLURAL

      Eliminar
    4. Muito obrigado Guachos e José Albuquerque

      Com blogues como este e a BTV, Radio Benfica e jornal Benfica não precisamos de ler nem ouvir mais nada

      José Pedro

      Eliminar
  2. Bem, cá temos o anunciado início da descida do passivo, porque tendo um exercício parecido com este, o passivo poderá ter outra queda pelo menos igual.

    Sem contar com o aumento do ativo e do capital próprio sem recorrer a antecipaçãod e receitas.

    O grande José Albuquerque dirá do alto do seu conhecimento o que estes números significam na sua totalidade.

    Eu como leigo nestas matérias simplesmente digo, que os números indicam o que sentimos no rumo do clube em direção ao futuro, confiança.

    ResponderEliminar
  3. Só olhei de relance, e os resultados parecem ser mesmo extraordinários!
    Um dia destes o Benfica ainda vai conseguir ter tantos records financeiros como o Casinhas tem records da treta.

    Entretanto já deu para ver, mesmo sem ler, que já há blogs a queixarem-se das contas! Foi só espreitar um blog taliban que todos conhecem e os títulos dos posts de outros blogs, na barra do lado direito, dizem tudo. E lá também já estava qualquer coisa.

    Até sou capaz de adivinhar.
    Queixam-se que o passivo só baixou 17 milhões, quando se vendeu muito e comprou pouco.
    E pronto, aposto que embicam aí, e não olham para mais nada.
    Esquecem-se que os activos também aumentaram. E nos activos estão dívidas de outros clubes. Isto é, o Benfica vendeu, já está registado contabilisticamente, só que ainda não recebeu o carcanhol. Só de relance vi logo que a rubrica de clientes e outros devedores subiu de 6 para 49. São muitos milhões que ainda não "entraram". E quando entrarem, aposto que sei para onde irá, mais uma vez, uma parte.

    Eu quero é ler a análise do Albuquerque, e nessa altura quero ver quem é o palerma que se irá atrever a discutir contas do Benfica comigo. Levam com cada amasso que até mete dó. Um gajo só tem de ler o que o Albuquerque escreve 2 ou 3 vezes, e nessa altura nem um dragartão com mestrado em finanças mete medo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpem o meu francês, mas o filho da puta daquele sombras, um ignorante sem vergonha, um verdadeiro cão sarnoso e raivoso, ferrou logo os dentes, veio dizer que o passivo foi amortizado apenas em 17M quando o passivo oneroso, aquele e o único que interessa discutir (aos bancos e investidores), porque é aquele que custa dinheiro, baixou 30 milhões!!

      Quando alguém escreveu a desmentir o comentário mentiroso, informando que foi o passivo oneroso que caiu 30M, não os 17M de que ele falava, o filho da puta sem vergonha censurou o comentário.
      Isto é para aqueles que ainda têm dúvidas sobre as agendas daquela gente.
      Mentiu e quando foi corrigido escondeu cobardemente a verdade. Por aí vêm o carácter daquele monte de esterco e cão raivoso!

      Eliminar
    2. Companheiros,

      Desculpem lá mas esses números estão incorretos, porque a redução do Passivo bancário foi de 88,9M€, o que a somar aos 49,7M€ do exercício anterior, dá a brutalidade de 133,6M€ de empréstimos bancários liquidados em 2 anos!
      E se também é verdade que esse corte só foi possível através das emissões obrigacionistas (mais 59,3M€), estamos perante a mais brutal transformação de passivos financeiros a que eu já assisti numa empresa desta dimensão.
      Concomitantemente, todo o Passivo foi objeto de uma consolidação tremenda, verificando-se uma redução da parte corrente (vencimentos até 1 ano) de 263,9M€ para 141,9M€ (menos 122M€).

      Finalmente, para calar o mais fundamentalista dos Taliban, tudo isto foi conseguido em simultâneo com a conquista de 3 dos 4 títulos/troféus internos.

      É obra!

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    3. A rubrica emprestimos obtidos baixou 30M, os correntes diminuiram 124M e os não correntes aumentaram 94M. Se só foi emitido um emprestimo obrigacionista de 60M, significa que 34M foram reestruturados?

      Eliminar
    4. Pica-miolos,
      "E quando entrarem, aposto que sei para onde irá, mais uma vez, uma parte." Desafio-te a dizer então para onde vão. Mas antes de o fazer analisa com atenção estas duas rúbricas:
      Passivo:
      Fornecedores (corrente): 70.3M
      Fornecedores (não corrente): 29.9M
      Total: 100M

      Fala se do dinheiro que vai entrar mas no dar e receber corrente existe um saldo negativo de 49 milhões de euros.

      Eliminar
    5. Trancoso, o activo corrente e n/ corrente assim como o passivo corrente e n/ corrente estão equilibrados. Nos fornecedores estão 100M, mas nos clientes estão 118M mais 13M em caixa.

      Agora há uma coisa que quase toda a gente se esquece. O Balanço é uma fotografia das contas num dado momento, num determinado dia, 30 de Junho. No dia seguinte já as contas podem estar diferentes.

      Para além disso, o corrente é a um ano ou menos e o n/ corrente é a mais de um ano. Só que um ano tem muitos dias e meses.

      Façamos um "supônhamos" para explicar melhor o timing dos pagamentos.

      O activo n/ corrente de 50M será pago em 13 meses a contar da data do fecho do exercício, mas os fornecedores n/ correntes (29M) serão pagos apenas a 23 meses do fecho do exercício. Isso deixa-nos com um "gap" favorável de tesouraria de 10 meses, não é assim?

      "Supônhamos" que o activo corrente de 68M será pago a um mês do fecho do exercício (durante Junho) enquanto os fornecedores correntes de 70M serão pagos apenas a 11 meses (Maio de 2018). Isso dá-nos um "gap" de 10 meses favorável de tesouraria. Como vê… os números valem o que valem, mas têm de ser interpretados.

      Para além disso, vendemos Semedo, Mitroglou e Rui Fonte, para além de outros, depois do fecho do exercício pelo que esse dinheiro irá influenciar favoravelmente as contas e a tesouraria num futuro próximo.

      Isto para dizer o quê? Que o balanço tem alguma importância mas eu não lhe dou uma importância por aí além. O principais indicadores estão na Demonstração de resultados que é o que vai mostrando a evolução da empresa ao longo dos meses e dos anos. E é por esta que os gestores se devem guiar.

      Por isso, quando se faz um orçamento, não se faz um orçamento do Balanço, faz-um orçamento da demonstração de resultados. Este é o mapa que tem de ser seguido.

      Eliminar
    6. Como é que podes dizer que os activos correntes estão equilibrados?
      Valores a receber 67.6M, valores a pagar 141.8M.

      Ou seja no espaço de um ano temos um défice de 74.2M que mesmo contabilizando as vendas de Mitro Nelson e Rui não dá para cobrir.
      Isto depois de um ano em que vendemos mais de 120M é para mim no mínimo preocupante.

      Em caixa temos 13M mas já viste quanto tinhamos o ano passado? 30M!

      Esses pressupostos sao todos muito bonitos o que eu sei é que no corrente temos um defice de 74M e no não corrente é de 234M, vir com datas ficticias de quando entra e sai dinheiro não faz sentido. Também se poderia supor que tinhamos que pagar tudo em setembro e so vamos receber em Março do proóximo ano.

      O que eu sei, através destas contas, é que no espaço de 1 ano temos a receber 67.6M mas temos que pagar 141.8M.

      Vir dizer que a rúbrica de clientes aumento bastante sem olhar para o que devemos é atirar areia para os olhos.

      Olhar só para a DR é um bocado redutor, principlamente numa entidade com um passivo tão elevado, mas mesmo fazendo esse exercicio o único factor "positivo" que eu vejo é os 123M de vendas de jogadores e digo coloco aspas no positivo porque o Benfica não deveria estar tão dependente de mais valias extraordinárias. Enquanto isto acontecer o sonho europeu e provavelmente mesmo a hegemonia interna não vai passar de isso mesmo, um sonho.

      Eliminar
    7. Caro Companheiro André Trancoso,

      Tu sabes o que é o cash-flow de exploração/EBITDA?
      Tens noção de qual é o volume de meios libertos na Nossa exploração?
      Se não sabes e quiseres um valor aproximado, soma o resultado líquido com todas as amortizações contabilísticas.
      Percebes, agora, porque é que o Grupo não tem quaisquer problemas de tesouraria, mesmo que o Passivo corrente seja superior ao Ativo corrente?

      Em segundo lugar, pára de considerar os ROPA como "receitas extraordinárias", quando "extraordinário" seria que eles não contribuíssem para a Nossa exploração corrente.
      Mete na cabeça que o Glorioso não vende Atletas só porque quer: vende porque outros clubes, salarialmente competitivos, cá vêm comprá-los.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    8. He he he o gozo que me dá constatar que contra factos não há argumentos he he he.
      Caro José Albuquerque que grande serviço fazias ao Benfica, se fosses até território TALIBAN colocar os pontos nos Is em tanta demagogia, ignorância mas acima de tudo mentira que gostam semear por lá. Claro que tinhas que colocar as tuas sábias lições com outro nick; se não já sabes que serias logo censurado e mesmo assim como acontece comigo, quando vou lá sem nada nem ninguém ofender, mas sem dar hipóteses a contra respostas demagógicas e mentirosas... logo sou censurado ou lançado para as SOMBRAS de um merdas que se diz Benfiquista, mas que só o vejo a destilar ódio aqueles que nos representam.

      Benfica Uno&Plural

      Eliminar
  4. Contabilisticamente, variação dos capitais próprios = lucro da demonstração de resultados? Ou existe mais alguma parcela nesta relação?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exacto! É essa a relação directa entre a demonstração de resultados e o Balanço (CP).

      Eliminar
    2. Caro anónimo, Companheiro,

      É exato, mas deves perceber que o Resultado Líquido de 44,5M€ é o consolidado de todo o Grupo, uma vez que a Nossa SAD conseguiu, em termos individuais, uma cifra ainda melhor: 48,2M€!

      E repara que está calculado o pagamento em sede de IRC de quase 850m€, apesar de ainda termos resultados negativos transitados de exercícios anteriores.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  5. Eu não percebo nada de contas mas...fico grato quando o ativo é superior ao passivo... seja de que instituição for.... do glorioso ainda melhor...

    ResponderEliminar
  6. Este relatorio nao vai criar a situaçao que o Jose tinha defendido acerca de lucros exagerados? e o que tem a dizer acerca da parceria com o clube da premier league e como vai influenciar as contas do clube?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Alexanderson, Companheiro,

      Defendido? Creio que querias dizer ... alertado!

      Claro que sim e repara que estamos a falar de um "Resultado por ação" de quase 2€, ou 40% do valor facial dos títulos e acima da cotação média em bolsa ao longo do exercício.
      Esta realidade, a manter-se a prazo, vai atrair investidores, quer daqueles bons, quer especuladores ... que me assustam um bocado.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  7. Boa noite Jose albuquerque
    Nao percebo nada de contas mas uma rubrica com perda de imparidades e amortizações no valor de 43 milhoes!!! devia vir mais explícito? Ou vira no RC?
    Obrigado
    Saudacoes gloriosas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro Nelse,

      Claro que esse valor virá detalhadamente explicado no "R&C", até porque assim, como ali foi apresentado, é altamente enganador, porque eu não acredito que a Nossa SAD tenha registado nada parecido com 7M€ de imparidades.
      É uma das cifras que vamos ter de ver com cuidado no "R&C"

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  8. e tudo isto feito por um adepto dos carneiros bardamerda, se o juntarem com um adepto da fruta entao o passivo desaparece logo no próximo trimestre e o José A. e o Guachos ficam sem nada para comentar e de boca aberta,LoL. E PLURIBUS UNUM.
    P.S. - isto é um comentário a brincar e para rir nao a criticar (isso é para outros blogs) o ou quem quer que seja dai o loL.

    ResponderEliminar
  9. http://www.record.pt/multimedia/videos/detalhe/foi-assim-que-bruno-de-carvalho-divulgou-o-que-tem-em-comum-com-cristiano-ronaldo.html

    o gajo queimou de vez...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os fusíveis foram ao ar… Deixá-lo andar.
      Que saloio!

      Eliminar
  10. Sobre o assunto contas gostaria de ser esclarecido sobre um aumento considerável da rubrica de proveitos "Cliente e outros devedores", isto é antecipação de receitas ou calotes?

    Cumprimentos,
    Luis Lopes

    ResponderEliminar
  11. O que salta à vista numa primeira impressão:
    - o valor dos ativos intangíveis (valor dos passes dos jogadores de futebol) aumenta 9 M€, após as saídas (vendas), o que não deixa de ser interessante;
    - a rubrica de clientes sobe 43 M€, que está relacionado com a venda em cima do encerramento do exercício do Mitro e do Nelson, já que o valor das transferências não entra logo na conta bancária;
    - Total do Capital Próprio sobe 47 M€: associado ao resultado consolidado do periodo de 44 M€, sem dúvida a melhor notícia que se podia ter.
    - nos passivos não correntes aumenta o valor dos empréstimos (obrigacionistas), mas nos correntes, o que interessa mais porque significa que tem de se liquidar em prazos mais curtos, destaca-se a diminuição de 124 M€ dos empréstimos (à Banca). Que trabalho da equipa financeira fantástico, uma vez que deixamos de pagar juros mais altos aos Bancos, porque: a) liquidamos efetivamente parte da dívida e b) substituímos por empréstimos obrigacionistas com juro mais baixo;
    - O que aconteceu então durante o ano para justificar tanto ganho? Ao nível de entradas, destacam-se os direitos de TV de cerca de 70 M€ (aqui tenho muitas dúvidas, se o contrato com a NOS será efetivamente bom, se não poderia e devia gerar maior rendimento, de análise difícil, uma vez que me parece que continuamos a ser nós a explorar os direitos de publicidade, que estão incluídos em outros contratos celebrados com outras SAD's ...); Os 123 M€ com vendas de jogadores;
    - ao nível dos gastos, destaque para o aumento em 12 M€ dos custos com pessoal face ao ano anterior totalizando 75 M€, aumento dos custos com transações de jogadores em cerca de 12 M€ totalizando 64 M€ (aqui é que me dói efetivamente, este valor é exagerado na minha opinião, mas reflete a realidade, para se vender bem também há que pagar ...).
    Resumindo: Aumento dos resultados, líquidos e operacionais, melhoria significativa dos Capitais Próprios, aumento do volume de negócios, e ... títulos, muitos títulos. PARABÉNS!

    ResponderEliminar
  12. Em primeiro lugar, bons olhos te vejam, caro Albuquerque.

    Depois tenho uma dúvida que talvez me consigas esclarecer.
    Em que medida é que isto se encaixa na estratégia de destruição do Benfica perpetrada pelo Luís Filipe Vieira?
    Confesso que estou baralhado a pontos de me explodir...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Manuel Afonso, Companheiro,

      Essa tua pergunta é muito pertinente, mas eu confesso-me tão baralhado como tu e considero o "orelhas", nesse ponto específico, de uma incompetência assombrosa.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  13. Caro Pedro Alvares Cabral,

    Não sendo especialista, este parece-me um excelente relatório!

    Só uma rubrica ma chama a atenção, que é o resultado Operacional sem venda de atletas ter sido quase metade quando comparado com o exercicio anterior...

    Alguma preocupação ?

    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro João Laranjeira,

      Um dos fatores que contribuíram foi a diminuição das receitas UEFA.
      Veremos melhor quando tivermos o R&C.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  14. Companheiros,

    Quero agradecer-vos pelos vossos comentários e questões, bem demonstrativos da importância da matéria. Mais logo aqui terão a análise que faço a estes resultados.

    Viva o Benfica!
    (José Albuquerque)

    ResponderEliminar
  15. Bom dia,

    Visto haver aqui tantos entendidos na matéria gostava que me esclarecessem algumas dúvidas:
    - Fala se muito na recuperação dos capitais próprios o Presidente já disse que quer recuperar os 115M, qual a vantagem que isso nos trás?;
    - Qual a justificação para o aumento de gastos com pessoal em 13M?;
    - Agradecia também um comentário à redução do dinheiro em caixa em 17M?;

    Houve um aumento consideravel na rúbrica dos clientes o que é um dado muito possitivo, só esperava que ao valor que vendemos as nosssas joias que fosse a pronto ou a menos de um ano e não com prazos alargados como estamos a verificar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu vais desculpar-me, mas estas tuas perguntas não me parecem sérias e, por isso, não vais ter resposta da minha parte.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  16. Boa tarde a todos,

    Os resultados apresentados sao extremamente positivos ainda que esperados à luz das contas semestrais e das vendas de passes de jogadores.

    Permitam-me que faça uma breve analise e comparaçao com os resultados apresentados pelo rival da segunda circular. Confesso que nao está nos meus hábitos olhar para a eira do vizinho mas a pu.. da pressao tem sido tanta e os foguetes foram lançados tao alto!!!

    A SLB sad apresenta 44,5M€ de lucro o que permite entre outros:
    - baixar o passivo em 17M€;
    - apresentar pela primeira vez um Capital Proprio superior a 50% do Capital Social e dessa forma respeitar o artigo 35 do CSC;
    - aumentar o Activo em 20M€ com destaque para o saldo dos clientes nao correntes (mais de 12 meses) de 43M€ e a variação do plantel de 9M€.

    Efectivamente o RLE (Resultado Liquido do Exercicio) e as amortizaçoes permitem gerar cash-flows (fluxos financeiros) para investir e diminuir as dividas.
    No entanto, no caso das sad desportivas é extramamente importante verificar os resultado sem direito de atletas:
    - no SLB é de 4M€ (8M€ no exercicio anterior) ;
    - e no SCP de -17M€ (-10M€ no exercicio anterior).
    Esse indicador é quanto a mim o barometro da rentabilidade, competividade e viabilidade da sad.

    Os rendimentos operacionais sem passes dos atletas do SLB sao de 128M€ e do SCP 80M€.
    O indicador que penaliza o SLB sao os resultados financeiros: -20M€ enquanto o SCP apresenta -7,5M€.
    Ainda assim os valores do SLB estao a recuar pois no exercicio anterior eram de 21,5M€.
    A diminuaçao do passivo financeiro e das taxas de remuneraçao das obrigaçoes têm contribuido e deverao continuar.
    As diferenças entre o SLB e o SCP neste ponto deixam-me muitas interrogaçoes sobre as condiçoes oferecidas pela Banca às duas instituiçoes. A resposta poderá estar nas VMOC!!!
    O passivo total do SLB é de 438M€ e do SCP de 311M€, mas se juntar-mos as VMOC passa a ser de 439M€!
    Ou seja, se o SCP quer salvaguadar a sua independencia terá de dispender mais que o SLB.
    E relativamente ao passivo bancario + VMOC: o SLB apresenta 272,5M€ e o SCP 255M€, ou seja temos mais 17,5M€ a liquidar. Veremos o que o proximo exercicio nos vai trazer.

    ... (continua)

    ResponderEliminar
  17. ... (continuaçao)

    Os capitais proprios do SLB têm vindo a melhorar de forma inequivoca (já invoquei o artigo 35 do CSC).
    O SLB apresenta -94M€ de resultados transitados enquanto o SCP... -226M€.
    E o CS (Capital Social) do SLB é maioritariamente do clube em valor e ainda mais em direito de votos.
    Quanto ao SCP apresenta uma pedrita no sapato: 128M€ de VMOC.
    Pedrita porque em Portugal os bancos vao à falência mas renovam operaçoes altamente prejudiciais a sua sobrevivência por 10 anos. Logo o problema só se tornara a colocar em 2026.
    Se fosse num país dirigido por gente séria e instituiçoes que salvaguardassem os interesses da estado, ou seja de todos nós (inclusivé dos 45% de benfiquistas).
    Para finalisar este ponto gostaria de mostrar a minha indignaçao em relaçao aos jornalistas.
    O passivo financeiro é motivo de criticas mas as VMOC é um instrumento normal sobretudo quando lezaram um banco que foi à falência...

    Outro ponto bem distinto é o Activo, com destaque para o Activo Tangivel (edificios, terrenos, ...): 167M#€ no SLB e 21M€ no SCP.
    Presumo que a Academia continua a ser propriedade do Banco e o nosso SLB avança com novos investimentos no Seixal.

    Outro aspecto os Activos e Passivos correntes:
    - SLB: activo corrente 93M€ e passivo corrente de 142M€, logo uma situaçao liquidade de -49M€;
    - SCP: activo corrente 91M€ e passivo corrente de 191M€, logo uma situaçao liquidade de -100M€.

    Aliás as posiçoes dos passivos correntes e nao correntes no SLB e SCP sao inversao.
    O SLB aumentou o passivo nao corrente (mais de 12 meses) de 105M€ e diminui o passivo corrente (menos de 12 meses) de 122M€.
    E o SCP diminui o passivo nao corrente (mais de 12 meses) de 22M€ e aumentou o passivo corrente (menos de 12 meses) de 84M€.

    O SLB deve continuar nesta senda, ainda que RLE elevados como neste exercicio sao dificeis de repetir.
    E por outro lado, os sucessos desportivos nao sao garantidos de avanço.
    Mas a investir na formaçao, salvaguardar os direitos televisivos, apresentar equipas competitivas e diminuir a exposiçao à Banca sao permissas que nos permitem ser confiantes.

    Saudaçoes benfiquistas

    Vitor Ramalho

    ResponderEliminar
  18. Antes do comentário às contas consolidadas da Benfica, SAD, uma cordial saudação benfiquista e uma convicta convocatória: em maio, todos ao Marquês! (menos os benfiquistas de merda, e claro que nestes – porque somos democráticos - não figuram os críticos construtivos, incluem-se, apenas, os críticos de merda que o são ou, porque possuem uma agenda própria ou, porque sim. Os ignorantes não são abrangidos, podem ir ao Marquês.)

    Relativamente às contas, destaco o seguinte:

    a) Nos últimos quatro anos obtivemos um lucro global de 86,10 M €.

    b) Estamos, por isso, a 49,25 M € de “expurgar” os Capitais Próprios dos prejuízos acumulados desde a constituição da SAD até 2012/2013 (os prejuízos acumulados da Sporting, SAD são de cerca de 226 M €!).

    c) Consequência: os Capitais Próprios, no valor de 67,7 M €, cumprem já (relembre-se que, não há muito tempo, para muitos, só era atingível em sonhos…) o art.º 35º do Código das Sociedades Comerciais (que diz que o valor dos Capitais Próprios tem de ser superior a metade do Capital Social). Ou seja, não só não estamos em falência técnica como já deixámos a “zona perigosa”.

    d) No que toca às três principais rubricas do Passivo: “Empréstimos” de curto e médio/longo prazo (onde se contabilizam os empréstimos bancários e obrigacionistas); “Fornecedores/Outros credores” (onde, entre outros, se contabilizam as aquisições de atletas a crédito) de curto e médio/longo prazo; e “Outros passivos correntes (curto prazo) ” verifica-se o seguinte:

    i) O valor da dívida contabilizada em “Empréstimos” (curto e médio longo prazo) diminuiu 29,6 M €.
    ii) O valor da divida a “Fornecedores/Outros credores” (curto e médio longo prazo) cresceu 15,2 M.
    iii) No cômputo geral, o passivo contabilizado em “Empréstimos” e “Fornecedores/Outros credores” decresceu 14,4 M € (-29,6 + 15,2 = 14,4).
    iv) A dívida registada em “Outros passivos correntes (curto prazo) ” manteve-se estacionária.

    e) Uma nota importante: o aumento do passivo registado em “Fornecedores/Outros credores”´ resulta de dívida contraída na aquisição de atletas o que significa que o Ativo (“Imobilizado incorpóreo – passe dos atletas”) também aumentou pelo valor da aquisição (incluiu todos os gastos) dos passes, isto é, ao aumento do Passivo (“Fornecedores/Outros credores”´) corresponde igual aumento de Ativo (“Clientes e outros devedores”).

    f) Para finalizar: há ainda a liquidar “Empréstimos” de curto e médio/longo prazo, no valor de 280,8 M €, “Fornecedores/Outros credores” de curto e médio/longo prazo, no valor de 100,2 M €, e “Outros passivos correntes (curto prazo) ”, no valor de 39,9 M €. Ao todo, estamos a falar de um Passivo de cerca de 421 M €.

    g) As contas de 2017/2018 irão manifestar a redução desse Passivo à medida que forem sendo cobrados os relevantes créditos que resultaram da venda dos nossos atletas e que se encontram contabilizados, no Ativo, em “Clientes e outros devedores”.

    Só mais uma pequena nota final: quando for publicado o relatório e contas há duas coisas que irão merecer uma análise aprofundada:

    a) O valor dos direitos televisivos negociados com a NOS.
    b) As percentagens de direitos detidos por terceiros em futuras mais-valias com a venda de passes de atletas.

    Saudações benfiquistas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro Lampiãogrande,

      Obrigado pelo teu comentário, pertinente e rigoroso.
      No entanto, esse "centro" de análise que escolheste sugere-me fazer-te uma pergunta: tu não estás a defender que o Nosso Grupo tenha todos os seus Ativos financiados por Capitais Próprios, pois não?

      Tu não imaginas o farto que eu estou com esta absurda obsessão com o "passivo".

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Caro companheiro Cabral

      Não defendo que todos os ativos sejam financiados por Capitais Próprios, há sempre a considerar financiamento com recurso a capitais alheios, ponderando, obviamente, o custo de oportunidade e a boa expetativa de que daí resulte um efeito financeiro de alavanca positivo.

      Para que os nossos queridos benfiquistas leigos nestas matérias percebam (ou, pelo menos, que fiquem com uma ideia geral), desde que o nosso dinheiro possa gerar mais rendimento se for aplicado em outros ativos e que a rendibilidade económica dos ativos financiados com capitais alheios seja superior ao seu custo.

      O que me faz feliz ao analisar as nossas contas é verificar que os prejuízos acumulados - financiados com recurso a endividamento (este sim, é claramente um Passivo mau!) - estão a ser cobertos por resultados líquidos positivos (lucros). Quero recordar, aliás, que em 2012/2013 – ano a partir do qual se iniciou o ciclo de quatro anos consecutivos com lucros – os prejuízos acumulados somavam 125,3 M €.

      Por isso, meu caro Cabral nada de “fundamentalismos” quanto a essa temática de como financiar investimentos, se com capitais próprios, se com capitais alheios, se com uma mistura dos dois. Já agora, a título de exemplo, Fernando Martins, o homem do fecho do terceiro anel, era totalmente contra financiamentos com capitais alheios, os seus financeiros bem se esfalfavam todos em recomendar-lhe essa prática esclarecendo-o quanto a novos conceitos. Para ele, eram teorias, puras teorias…

      Apraz-me ainda dizer o seguinte:

      O que realmente interessa é que o nosso negócio proporcione capacidade financeira para investir na qualidade que nos continuará a proporcionar a hegemonia do futebol português e que nos permita sonhar, com maior realismo – passo o aparente paradoxo -, com o título de campeão europeu. Como dizia Fernando Pessoa: “Deus quer, o homem sonha, a obra nasce”. E eu acredito na obra que está a ser feita no nosso QUERIDO BENFICA.

      Saudações benfiquistas.

      Eliminar
  19. Uma correcção na alínea e) em vez de se ler "corresponde igual aumento do Ativo (" Clientes e outros devedores"), deve ler-se "corresponde a igual aumento de Ativo (" Imobizado incorpóreo - passes de jogadores").

    ResponderEliminar
  20. Caro José Albuquerque,
    Encontro-me deveras expectante pela sua análise preliminar das contas da nossa SAD, com os dados já apresentados. E estou igualmente expectante para poder ler cuidadosamente o R&C da época 2016/2017. No entanto, existe um dado que desviou completamente da minha previsão para a época 2016/2017, depois de ter lido R&C do 1º semestre de 2016/2017. Esse dado foi a rubrica com gastos com pessoal onde verificamos o montante de 74,7M€ comparando com a época anterior que foi de 61.5M€. O facto que originou esse desvio, trata-se que no 1º semestre de 2016/2017 a SAD reportou gastos com pessoal de 30,3M€. Assim é seguro afirmar que os gastos com pessoal no 2º semestre foram de 44.4M€ (74.7M€ - 30.3M€) o que me parece um claro excesso de gastos com pessoal. Mesmo tendo sido por prémios de conquistas desportivas, recordo que na época 2015/2016 conseguimos a qualificação para quartos-de-final Liga dos Campeões e vencemos o Campeonato Nacional e na rubrica com gastos de pessoal, verificamos o montante de 61.5M€. Qual terá sido, na sua opinião, o facto que originou um aumento de 14.1M€ (44.4M€ - 30.3M€) no 2º semestre de 2016/2017 nos gastos com pessoal?
    Gostaria igualmente que analisa-se as declarações do DSO relativamente ao facto de se já se terem concluído as negociações com a NOS e que presentemente os responsáveis da SLB SAD se encontram satisfeitos com resultado dessas negociações? Não tendo divulgado qualquer dado relativamente pressupostos/alterações ocorridas.
    Desde já agradeço-lhe a atenção e mais uma vez obrigado por todo tempo despendido por si para iluminar este sóbrio munda das contas.
    Cumprimentos,
    Santos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro Santos,
      Em primeiro lugar, convido-te a ler o texto que o Guachos acaba de publicar e onde, creio, vais encontrar resposta a esta tua preocupação: uma resposta "intermédia", que a resposta final só a teremos após a publicação do R&C.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  21. Bom dia,

    Podem-me explicar porque ainda não temos conhecimento do RC do SAD dos andruptos? a Data não é até 30 de Setembro para apresentação do RC?

    ResponderEliminar
  22. Bom dia,

    Podem-me explicar porque ainda não temos conhecimento do RC do SAD dos andruptos? a Data não é até 30 de Setembro para apresentação do RC?

    ResponderEliminar
  23. Bom dia,

    Nos relatorios e contas de todos os clubes existe a rubrica "Amortizacoes e perdas de imparidades de direitos de atletas", que nao percebo como e' calculada. alguem poderia dar-me uma breve explicacao sobre como e' formada esta rubrica?

    Obrigado.


    Viva o Benfica!!!
    Nuno

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.