segunda-feira, 2 de outubro de 2023

Dos Zaidus aos Canavarros!

Quando se agarram às expulsões dos seus arruaceiros sem o suporte da decisão arbitral errada que até os cartilheiros de onojo - na sua maioria e por mais contorcionismos que façam (Jorge encornado é um escarro) não conseguem fazer as piruetas necessárias para desmentir o indesmentível - percebe-se como andam todos, jogadores incluídos, à deriva! Todos os cartões vermelhos foram justificados e se os árbitros tivessem a coragem necessária, muitos mais teriam acontecido para o seu lado. O facto de o treinador recusar sair do campo depois de ser expulso pelo árbitro ou de os (i)responsáveis no banco do foculporto empurrarem Fábio Cardoso para dentro do relvado minutos após a amostragem do cartão vermelho, ao invés do recalcar do “coitadinhos”, só acentua o seu desprezo pelas regras.

E por mais que a MDCSDQT lhes sirva de altifalante recorrendo a imbecis como o Casillas, no Benfica debate-se se Roger Schmidt escolhe António Silva ou Morato, se Aursnes joga na esquerda com Jurásek e Bernat à espreita, se joga Florentino ou João Neves ou se opta por David Neres, Di Maria e Rafa ao mesmo tempo, tendo de reserva Gonçalo Guedes quase, quase, quase pronto...

No campeão nacional, um craque de nivel mundial como Kökçü (incrível como a MDCSDQT e os especializados especialistas da especialidade ignoram a superior capacidade do superlativo médio do SLB) quase passa despercebido! No foculporto - apesar de a MDCSDQT ridiculamente etiquetar 'magico' Ivan Jaime, e, pasme-se, pôr o rótulo de Canavarro a Zé Pedro que, aos 26 anos - por lesão de Marcano, a ressaca W52 do arruaceiro Pepe e a expulsão de Fabio Cardoso - fez os primeiros minutos na equipa principal do foculporto, quem mais "brilha" longe das primeiras paginas dos jornais são os Eustáquios e os Zaidus! O problema deles - e o melhor para nós é que quanto mais se recusarem admiti-lo (e os jornais o omitirem) mais se enterram - é a falta de qualidade do plantel! 

Fizeram na Luz um grande jogo? Àquela coisa que a MDCSDQT apelida de futebol é que chamam um grande jogo? Fizeram mais que o Vizela/Portimonense quando se deslocam ao mesmo estádio? Cair que nem tordos desde o primeiro minuto do jogo ou queimar tempo à mínima oportunidade, até sem ela, é fazer um grande jogo? Quando muito um grande anti-jogo, na minha opinião, uma enorme porcaria. Frente ao Benfica estão formatados para tudo menos para jogar futebol. E mesmo depois do jogo, quando alguns, timidamente, tentam largar a canga do foculportismo, falando tranquilamente com os adversários, é o próprio treinador que entra em campo, se intromete entre eles - com cara de quem acabou de ser sodomizado - afastando-os com medo de serem infectados com o vírus da civilidade.

Só num campeonato mentiroso, onde os árbitros decidem a maioria dos jogos, é que  um plantel muito abaixo dos Sporting do Lumiar e de Braga se consegue manter à tona à 7ª jornada. Num país a sério já estavam arredados do titulo. Jogadores como João Mário, Fábio Cardoso, Zé Pedro, David Carmo e Wendell, Eustáquio, Francisco Conceição, André Franco, Toni Martinez, Zaidu, Veron, Grujic, Baró, Fran Navarro...inseridos num plantel com outras cores lutariam para manter-se na primeira primeira metade da tabela. Noutro campeonato, com árbitros sem medo, não chegavam ao fim dos 123 minutos com jogadores suficientes para terminar essas partidas. Com arbitragens minimamente decentes, deviam ter, no mínimo, 7 pontos a menos. E o mesmo para o Sérgio Paulo Marceneiro da Insurreição.  

Ainda não tinha terminado o clássico e já imbecis como o Casillas davam corpo à cartilha da fruta expondo-se ao ridiculo nas redes sociais. Pepe, a curar a carraspana de W52 tamanho XXL, foi um deles. Cobardemente, como quando dá um coice à sucapa a um adversário atirando-se agarrado à cara para o relvado, já veio dizer, através do pasquim da fruta, onojo, que a imagem do circo e os palhaços que partilhou não visavam os árbitros. Nem precisava de se acobardar. O CD não tem tomates para o castigar e todos percebemos que os palhaços são o Taremi, o injinheiro Grrrrrronçalves e o boneco da insurreição. O circo? todos que lhe dão cobertura.

domingo, 1 de outubro de 2023

Que nojeira arbitral!

Até o mais totó dos adeptos, com um mínimo de conhecimento das forças que minam e dominam os bastidores do futebol indígena, tinha a convicção que, com prémios a duplicar e apenas um clube com assento garantido na Champions, este campeonato iria ser o campeonato de todas as batotas. O que poucos esperariam é que, desde o primeiro jogo, se transformasse num asco do tamanho do Apito Dourado. Desde a primeira jornada - onde o Benfica começou por ser espoliado de três pontos e os sapos e o clube da fruta começaram a ser levados ao colo com golos decisivos muito para lá dos 90 minutos, expulsões forjadas e erros escabrosos de arbitragem sempre favoráveis - que a espiral de roubalheiras não mais parou de aumentar. Entre os dois compadres vão-se trocando mimos e acusações. 

Tendo no fruta canal, oferecido pelo estado português ao foculporto, um comentador a equiparar Benfica e Sporting a Hitler e Mussolini, o clube da fruta sentiu-se legitimado para acusar o Sporting de "discurso xenófobo, racista e de ódio" por causa de uma declaração do lagarto Carlos Xavier, num programa da lagartos tv, onde chamou mergulhador mulçumano ao mergulhador Taremi. Os sapos retaliaram de imediato com o Maqueiro Vagandas a apontar o óbvio «Mouros de Lisboa» que a turba azul e bronca não se cansa de zurrar. 

Nos favores arbitrais o Sporting «lamenta "chacota internacional" no FC Porto-Arouca e aponta "três simulações de faltas inexistentes"». O condenado/agressor de mulheres Francisco traques dá o troco referindo-se ao jogo de Faro com uma frase lapidar - "O que está a acontecer no campeonato português é demasiado grave para não preocupar quem gosta de futebol e de verdade. Quem não vê o que se vê tão bem não pode ter a responsabilidade de arbitrar jogos. Isto assim está a ser uma gigantesca farsa" - que, na essência, assenta como uma luva ao clube da fruta. E andamos nisto com o Benfica a tentar sobreviver e a ver os comboios a passar. 

O Farense 2-3 Sporting foi um, mais um, escarro arbitral! Durante o Apito Dourado os roubos eram à descarada, é certo, mas sem os recursos tecnológicos de hoje grande parte deles, abafados por uma comunicação social subserviente e cobarde, não chegavam ao conhecimento dos adeptos. O que se sabe desses tempos é uma gota no imenso oceano de gentalha sem escrúpulos (muitos ainda estão no activo) e de pilhagens indignas de um país minimamente civilizado. No Algarve, por muito que a sporttv a quisesse escamotear, não é possível esconder a actuação sórdida de dois indivíduos, Luís Godinho no apito e, Manuel Mota, no VAR, que deviam ser definitivamente impedidos de arbitrar! O que se viu em Faro, como já se tinha visto a favor dos sapos no Casa Pia-Sporting, e, em todos os jogos do clube da fruta desde o início do campeonato, em nada fica a dever a esses tempos de lodaçal onde, durante decadas, roubar - para a Merda De Comunicação Social Desportiva Que Temos - tornou-se tão natural como respirar. A mesma MDCSDQT que, nas suas primeiras páginas de hoje, despudoradamente, ignora completamente o roubo que aconteceu no Algarve. Que nojo!

O Farense foi privado de um jogador a partir dos 18 minutos por um erro escandaloso de arbitragem. Para isto acontecer nem o árbitro nem o VAR conhecem os regulamentos ou então, não passam de vulgares ladrões. Num ou noutro caso têm de ser proibidos de arbitrar. Aos 42 minutos não expulsaram Hjulmand como mandam as regras e, cereja em cima do bolo, aos 90 minutos, ainda inventaram a grande penalidade vergonhosa que deu três pontos aos sapos e, consequentemente, a liderança conspurcada do campeonato. No entretanto, o Farense que, com menos uma unidade, tinha conseguido empatar, viu-se espoliado de um ponto que o pode enviar para as divisões inferiores. Os sapos, esses, lá vão cantando e rindo. O seu treinador diz que não fala dos árbitros. O goleador Gyokeres (com dois) diz que «Foi bom finalmente ter um penalti». A MDCSDQT nos seus escaparates, indiferente como já vimos, disse zero. 

Um gajo passa a vida a dizer que os Soares Dias, os Tiagos moedas, os Verísssimos, os Ferraris, Nobres e Melos, os Rui e Manuel Oliveira, os Vascos Santos, os Iancu Vasilicas, são árbitros de bosta e depois verifica-se que os Pinheiros e os Godinhos, ligeiramente menos maus que os acima citados, são efectivamente a mesma trampa! Depois de ver as imagens como é que o Godinho consegue dormir? E o que dizer de Manuel Mota (há muitos anos a tentar o perdão espúrio da saparia) o seu VAR de algibeira? Caputa de nojeira!

sábado, 30 de setembro de 2023

Salão de festas!

Meus caros, caputa de noite bem dormida! Vamos lá então esmiuçar essa goleada de três pontos. Hoje tenho de reconhecer. Jogando de início com Di Maria e David Neres, como os catedráticos da chincha insistentemente exigiam, os primeiros 45 minutos do Benfica foram fantásticos para...o clube da fruta. Cumcatano! Acordei tão bem disposto que só me apetece concordar com os especialistas da especialidade. Roger Schmidt, sem margem para qualquer dúvida, levou do boneco Ceição o habitual banho táctico. Bem, como se viu, ao facilitar a vida ao foculporto, Schmidt não errou apenas na escolha do 11 para iniciar a partida. Esteve, como de costume, horrível nas substituições, errou a toda a linha na táctica que escolheu, a estratégia foi de fugir e, nas substituições, revelou-se uma autentica tragédia! Quem ouviu os programas da especialidade no pós jogo pode confirmar isto que vos digo. O Ceição deu (mais) um bigode ao alemão!

Superlativo esteve o admirável («um dos melhores do mundo») Ceição, desde logo nas opções iniciais, ao deixar o mágico Ivan Jaime no banco de suplentes no intuito de confundir António Silva e Otamendi. Só quem não esteve no estádio é que não se apercebeu do ar de medo dos centrais do Benfica a cada vez que eram forçados a passar perto do banco do foculporto. Depois, quando o filho da puta SLB Cardoso (comido como uma colegial) por David Neres, foi expulso, entendeu retirar o seu, até ao momento, mais profícuo jogador, olhei para esse coelho da cartola do boneco como o toque de génio que enganaria definitivamente o atarantado alemão do Benfica. 

Quando aos 80 mts o vi, lampaneiro, meter Gonçalo Borges e o pequeno Conceição arruaceiro e, aos 84, apostar no mágico Ivan, guardando a última substituição que tinha direito para o próximo campeonato, definitivamente, confesso, ter ficado maravilhado! Podia só ter dois planos: segurar o empate a qualquer custo e fazer da roda da fortuna no final do jogo a sua tese, mas eram ambos deslumbrantes. Se não acreditam perguntem aos especialistas da especialidade. Eu já deixei de ter dúvidas. Aquele homem é um mister! Não tem nada a ver com um certo treinador que só faz substituições tarde e a más horas a quem, de resto e continuadamente, continua a dar lições. No confronto entre os dois, em quatro jogos, venceu apenas um (o único com arbitragem de Soares Dias) mas, para a MDCSDQT, quem foi sucessivamente arrasado foi Schmidt! E desde que assim continue, meus caros, estarei sempre ao lado dos especialistas.

O árbitro João Pinheiro? Vejamos. Surpreendentemente bem na primeira expulsão, falhou ao não ter tomates para enviar os outros dois centrais - todos de altíssimo nivel - do foculporto tomar banho mais cedo. Aos 34 minutos pegou no andor do clube da fruta quando o supersónico David Carmo caçou Rafa (partiu com 30 metros de atraso) por trás numa jogada em que o comendador que cagou na selecção do Rónalde já ia disparado para a baliza do melhor Diogo Costa em campo. Vergonhosamente, perdoou o vermelho a Zé Pedro (82mts) quando este, de sola, teve uma entrada à foculporto sobre João Neves que, só por milagre, não o arrumou para os próximos muitos jogos do Benfica! E já estou a dar de barato o execrável cartão amarelo que exibiu ao mesmo João Neves ou quando foi, primeiro, em cima de Kökçü ameaçando-o junto à bandeirola de canto, e, depois, correndo como um arruaceiro atrás de Rafa, querendo obrigá-lo a sair a correr aquando da substituição, depois de assistir impávido e sereno às perdas de tempo do foculporto desde o primeiro minuto do encontro! Como eu sempre digo. Pior que o pasteleiro (até ele viu que o David Carmo tinha de ser expulso) nem o injinheiro macaco. Mas, a este Pinheiro, sonso como uma universitária da Taverna do Infante, só lhe falta lamber os entrefolhos dos trauliteiros da fruta. 

Os que mais se destacaram. Fabio Cardoso, por motivos óbvios, David Carmo que só por acção do João Pinheiro não conseguiu imitar o filho da Puta SLB e, claro, o pequeno fedelho arruaceiro a quem meia dúzia de minutos bastaram para sacar cartões amarelos a Otamendi por ripostar (que ingenuidade, meu Deus!) a uma entrada de cartão alaranjado e a Jurásek que se foi juntar à festa. No Benfica não há por onde gostar muito. Trubin começou a errar desde o minuto em que se levantou e Di Maria, com aquele falhanço que, por acaso, só acabou na baliza do melhor Diogo Costa em campo, voltou a pôr a nu a casmurrice do treinador que insiste em não o substituir atempadamente. Rafa, protegido pelos árbitros que não o multam por excesso de velocidade, confirma a cada aceleração como continua amuado. João Neves não passa daquilo. Não se percebe o critério da sporttv em nomear o puto para melhor Diogo Costa em campo quando o mágico Ivan Jaime, com os 6 minutos (mais os descontos) que o boneco lhe concedeu, superou-o largamente no impacto que trouxe ao jogo!

quinta-feira, 28 de setembro de 2023

O censo/senso e a falta dele.

Em semana de clássico tem sido um corrupio de estatísticas encomendadas onde o fantástico Ceição, ainda mais que o Soares Dias, arrasa completamente o Campeão. Curiosamente - neste frenesim de 'lembraduras' - não li uma palavra sobre os confrontos mais recentes entre os actuais treinadores, o que a mim, um dos que mais sentem os arrasos do Boneco e que, ainda por cima, ao contrário da esmagadora maioria dos benfiquistas, não lhe reconhece um pingo de mérito/categoria (para além das arruaças e dos favores arbitrais) ainda se torna mais bizarro. O Benfica de Roger Schmidt defrontou os fruteiros do incensado Ceição em três ocasiões. Uma najantas, que ganhou (0-1), uma na Luz onde foi derrotado (1-2) e outra, em Aveiro, em que, com um titulo (não é assim que gostam de chamar à supertaça?) em disputa venceu Ceição por claros 2-0! Em jogos: Roger Schmidt 2 Ceição 1. Em títulos: também em confronto directo: Schmidt 2 (campeonato e supertaça) - Ceição 0. São factos. Estatísticas à medida dos fruteiros só as chupam os que querem.

É sempre um suspirar de alívio, em quaisquer circunstâncias, quando o arbitro nomeado não dá pelo nome de Soares Dias. Já era assim com o pai mas com o filho - muito mais manhoso e, porcamente, protegido por toda uma chusma de bajuladores (BTV incluída que durante anos lhe lambeu a tomatada) que, sem pudor, lhe lavam todas as filhas da putice que brotam do seu apito azulado - a coisa agravou-se de tal maneira que, para os benfiquistas, sabem sempre a quadriplicar as parcas vitórias que festejam com o pasteleiro a apitar. Saiu João Pinheiro. Se eu gostei? Não, outra vez em contramão, não gosto dele. Não consigo tirar da memória o jogo da época passada, em Chaves, onde, com a prestimosa ajuda do dragão António Nobre, transformou uma mais que provável vitória para o Benfica (penalti surripiado a um minuto do fim) numa derrota, concretizada na jogada seguinte, que quase comprometeu toda a época do Benfica.

Recordo o penalti do tamanho da sua falta de vergonha na cara, que, em Setúbal - também nos últimos minutos do jogo - não assinalou sobre Carrillo (derrota do Benfica 1-0) e, claro, o trabalhinho de VAR aberto onde, por meia rolha, deitando mão ao frame errado, escamoteou um golo a Darwin e ao Benfica, entregando, em pleno estádio da Luz, as faixas de campeão ao clube da fruta. Nesse jogo, que terminou (no golo de Zaidu) com uma cavalgada (4 fruteiros isolados) de fazer inveja ao Usain Bolt, Luís Godinho mostrou 10 cartões amarelos ao Benfica (4 ao foculporto, 1 no período de descontos) o que diz praticamente tudo dos confrontos Benfica-foculporto. Tipos a correrem loucamente até para lá do minuto 90, recuperações milagrosas na semana do clássico (Pepe vai a jogo mais recauchutado que uma bicicleta W-52 foculporto), paragens constantes, intimidação, arruaça, cartões amarelos a granel para acalmar a vontade benfiquista, e o VAR, se for preciso, que faça o resto. Nesse jogo foi o Pinheiro. Amanha será o pasteleiro. Venha o Diabo e escolha. 

Na Taça de Portugal mantem-se a tendência do colinho à saparia. Benfica de viajem aos Açores (Lusitânia) entre o Estoril e a Real Sociedad, o foculporto vai a Vilar de Perdizes para júbilo do presidente do clube - «Quem me conhece, sabe que tenho um carinho especial pelo presidente Pinto da Costa, revejo-me na sua liderança, paixão e luta. Acho que foi perfeito» - que, assim, desta forma desempoeirada, faz morrer de inveja boa parte dos lideres das equipas que habitualmente defrontam o clube da fruta, que, com receio das comparações com as universitárias da Taverna do Infante, se limitam a blowjobs um pouco melhor disfarçados. Os sapos vão ali, aos Olivais, e já voltam. Fazem-me lembrar o foculporto quando o número de clubes era impar. Calhava-lhes sempre o «isento» no 'sorteio'.  

quarta-feira, 27 de setembro de 2023

Do Apito Dourado que não existiu ao Cashball que não aconteceu!

2018: Frederico Varandas: “Tenho na minha lista dois juízes-conselheiros do Supremo, um procurador da República, um juiz-desembargador. Acha que estas pessoas não vão fazer braço-de-ferro na justiça pelo Sporting?”. 2023: Cashball: todos os arguidos foram absolvidos. Assim como não existiu o Apito Dourado (sabe-se como as escutas do Youtube foram uma invenção do benfiquistão) o Cashball também nunca aconteceu. Muita sorte terá o Benfica se os ataques terroristas a Alcochete não vieram a ser (ainda não é tarde) imputados à águia vitória e se não acusarem um funcionário da área informática de plantar o Cashball na cena mediática.

Para os profetas da desgraça, desde que o campeão do mundo Di Maria regressou ao Benfica perdidamente apaixonados por David Neres, eu recordo que o - na época passada por eles rotulado sonolento - jogador do campeão nacional, para a supertaça - num jogo onde Roger Schmidt foi retalhado às postas antes e depois da vitória por 2-0 em cima do clube das putas - nem sequer se sentou no banco de suplentes. Ora, segundo a minha experiência, que é longa na observação das piruetas dos verdadeiros exigentes, catedráticos da chincha, MDCSDQT e demais especialistas da especialidade, qualquer que seja o resultado no próximo jogo contra o foculporto, Roger Schmidt será sempre crucificado e o Benfica, se ganhar, é porque - «num jogo atípico» - teve toda a sorte do mundo pelo seu lado. 

Aliás, e em jeito de futurologia, posso desde já adiantar que, se aquele remate que passou a 5 metros do poste de Trubin nos primeiros minutos da partida entrasse, nunca o Benfica teria vencido. Sorte do jovem de 22 anos (o único dos espécimes ucranianos espalhados pelo mundo a quem a guerra não provocou graves problemas) que fez tudo mal desde o minuto em que assinou e do treinador que, além de escolher mal o 11 inicial, falhou redondamente o timing das substituições - umas cedo demais e outras tarde a más horas - na táctica, na estratégia mas, sobretudo, na forma leviana como insiste em não satisfazer os caprichos de quem verdadeiramente percebe da poda. Pode ter ganho, pela segunda vez consecutiva ao foculporto, mas seguramente que levou para casa mais um bigode do boneco. 

Socorro-me de uma notícia (online) do rascord da saparia para terminar o arrazoado habitual em beleza. «Surreal: atletas fogem de agentes do antidoping em prova na Índia» (...) «Final dos 100 metros foi corrida apenas por um corredor». Imaginem que, na próxima sexta-feira, os vampiros que acabaram com a batota da W52-foculporto ou os farejadores da PJ que desmantelaram o maior laboratório clandestino de doping em Portugal entravam, sem aviso prévio, nas instalações do Benfica meia hora antes do jogo começar. Quantos corredores das camisolas barracas de praia entrariam no relvado a tempo do pasteleiro da fruta dar inicio às hostilidades? 

UEFA autoriza seleção sub-17 russa a regressar à competição, mas com condições: os jogos em casa terão de ser disputados em campo neutro, os jovens jogadores não poderão usar o equipamento da Rússia e o hino não será ouvido antes das partidas. Que bom! Putos com menos de 17 anos despojados dos seus direitos de cidadania, sumariamente condenados por uma entidade que, na essência, é corrupta até ao tutano, obrigados a jogar fora do país, sem direito a ouvir o hino e a jogar sem o equipamento (podem usar um de marca russa ou serão obrigatoriamente da Reebok, da Nike ou New Balance?) habitual! Val lá. Por 90 mts deixarão de ser um perigo para a humanidade! 

terça-feira, 26 de setembro de 2023

Tenha nojo, tenha muito nojo!





Milagres que acontecem...

As sondagem florescem como dióspiros caramelizados na pastelaria do Soares Dias. Não há pasquim desportivo que não apresente a sua. Desde antigos dirigentes a treinadores (chamemos-lhes assim) benfiquistas dos sete costados, anos/decadas a fio desempregados, todos entendem que Di Maria e Neres devem jogar no mesmo 11 onde também cabem, todos acampados na frente, Musa e Rafa. Quatro lanças apontadas para não deixar respirar o clube das putas a quem se juntam, obviamente, dois laterais sempre ao ataque, sobrando para os dois do meio campo, a quem se exige que também se cheguem à frente, as despesas defensivas contra os 5 prováveis mastins que povoarão o meio campo do foculporto. Retirar o pensador do futebol equipa (João Mário) tornando-a anárquica com dois puro-sangue virados para a frente é tudo, digo eu, o que o treinador do foculporto mais queria. Não admira que nenhum clube lhes pegue!

Mais estilhaços do laboratório de doping desmantelado pela PJ. A entrevista, no podcast Final Cut, do doutor milagres Paulo Araújo (exigência do boneco Conceição para a renovação de contrato) toda ela é um poema. Longe, mas não muito, vão os tempos em que Marega tinha de viajar até à China, onde, no Shanghai Port, treinado por Vitor Pereira, encontrava na baba de caracol e na placenta de égua os ingredientes do milagre que o meteu a jogar, e a correr que nem uma lebre, frente ao Benfica. São celebres, de resto, as curas milagrosas dos futebolistas do clube das putas, que se lesionam gravemente (quase sempre nos treinos e longe dos olhares indiscretos) uns quinze dias antes (o que os 'obriga' a falhar a selecção) para surgirem plenos de pujança física, curados de todas as maleitas, frente ao campeão nacional! Sérgio Conceição, Deco, Derlei, Quaresma, Moutinho, Jesús Corona, Marega, Pepe...são alguns dos grandes clientes da medicina milagrosa que, até as costelas partidas do Otávio solidificou em menos do riscar de um fósforo!

Dr. milagres e a saída do foculporto: "Saí porque... Como hei de dizer sem ferir. Prefiro que fique no segredo dos deuses. Havia uma antipatia com a minha presença, não da parte dos jogadores, nem da parte do técnico. Os jogadores queriam que eu continuasse, todos. Eu fiz, em estágio, 1153 tratamentos nesse ano. Preparava os jogadores para o jogo, aumentava o oxigénio dentro do organismo, retirava a fadiga e à noite, quando saíam do jantar, subiam para a minha sala. Picava-os de forma a irem dormir tranquilos. O sono era tranquilo, acordavam bem, depois pegava neles novamente e retirava a fadiga. Nessa época, toda a gente viu o que a equipa corria. 90 minutos era uma equipa consistente e forte. Trabalho com o departamento de fisiologia foi fantástico, eles passavam a informação para corrigir. Foi sempre feito um trabalho em equipa com o staff do mister Conceição ("Este homem tira água da pedra"). Não era preciso falar muito comigo, porque temos uma coisa em comum: gostamos de ganhar, cada um na sua área. A mim bastou da primeira conversa que tive com ele. Sempre que precisou de algo, só teve de dizer o que queria. Até pegava jogadores às 3 da manhã. Pegava neles após o jogo, ficava com eles na minha escola de madrugada e às 7 ou 8 da manhã estavam lá novamente para prepará-los para jogo." Palavras para quê?

Quase tão importante como o árbitro da partida - se for Soares Dias, com mais milagres na folha de serviços que o próprio doutor milagres ao serviço do clube das putas, bem pode o Benfica encomendar a alma ao Criador - é o controle antidoping. Porque razão se bate tanto nas conversas do VAR e nunca se exige um controle apertado, a começar nos treinos, sobretudo na semana dos clássicos? Porque raio se continuam a permitir curas milagrosas! Quando se fala em treinar duro, onde é que cabe o 'milagres' que «preparava os jogadores para o jogo, aumentava o oxigénio dentro do organismo, retirava a fadiga e à noite, quando saíam do jantar, subiam para a minha sala. Picava-os de forma a irem dormir tranquilos. O sono era tranquilo, acordavam bem, depois pegava neles novamente e retirava a fadiga. Nessa época, toda a gente viu o que a equipa corria. 90 minutos era uma equipa consistente e forte. Trabalho com o departamento de fisiologia foi fantástico, eles passavam a informação para corrigir. Foi sempre feito um trabalho em equipa com o staff do mister Conceição»?

Sapos como peixes na água. Rio Ave - Luis Freire: equipa entrou apática, o Sporting marcou dois golos e podia ter marcado mais - de caudal murcho.  O golo anulado ao Rio Ave foi assim (fora-de-jogo de 6 cm) por um nadinha. Não se pode ser Costinha...e fora de questão entrar no alvalixo de trunfa grande sem cair nas garras do Ferrari. Com alma até (Nuno) Almeida segue de vento em popa a saparia.

Vasco Seabra (Paços de Ferreira) numa das várias degolas de Contumil: «Não estivemos bem ao nível da agressividade, principalmente, fomos macios e facilmente ultrapassados nos corredores». Guarda-redes do Paços - «Temos que pedir desculpa a todos os apoiantes, sócios e direcção. Não é esta a imagem que queríamos deixar». No Estoril Praia baza um fruteiro entra outro. Vasco Seabra é o preferido para suceder ao emproado Zé do boné. Acumulam despedimentos e insucessos mas jamais lhes falta emprego. Que raio vêm nestes moços de recados que não seja a esperança de, encostados ao clube das putas, o manto protector os proteja também a eles?

Contas do pior e do melhor ponta de lança da liga da farsa. Musa, 5 jogos, 267 minutos de utilização, 3 golos marcados. Supertaça no bornal e mais um golo obtido em 45 mts. Gyokeres, 5 jogos, 450 minutos de utilização, 3 golos marcados. Nada a declarar na Supertaça.