sexta-feira, 1 de março de 2024

Inchai sapos, Inchai!

Fábio Veríssimo e Fábio Melo, ambos anti-Benfica, um forrado a sapo por dentro e por fora, outro forrado a fruteiro por fora e por dentro. Pior para o Benfica só se o conselho de arbitragem da FPF do Nandinho que pagava as facturas da putas do foculporto nomeasse o sapo Bernardete Ribeiro do rascord para árbitro e o Mustafá da casinha para VAR. Eu pensava que se o SL Benfica vencesse sapos, Verdíssimo e Melo, estaria preparado para tudo. Até para levar com o pasteleiro (será o Pinheiro) da fruta najantas. Agora, com o empate (pelo menos) roubado, mantenho e reforço mais o que pensava. A procissão vai a meio e para os ajoelhados ainda há muito que penar.

O triste percurso dos Fábios. Veríssimo 🤮 tem um historial de filhas da putice de fazer inveja a Donato Ramos, José Silvano, Rosa Santos, Benquerença e comp. Tem tanto de mau árbitro como de Jorge encornado incorporado. Um asco. Melo🤮é o fruteiro que, na época passada, numa decisão de sarjeta, ignorou o penalti (Chaves 1-0 Benfica) escabroso - nos últimos minutos do encontro - sobre Otamendi, que virou ao contrario (golo do Chaves no contra-ataque) o resultado e quase mudava o nome do vencedor do campeonato. 

Os olés, que na época passada enfiaram na peida, hão-de enfiá-los no reto brevemente. Todos: sapos e verdadeiros verdadeiros (sim, sim, mostram-se cada vez mais acoplados), fruteiros ressabiados, especialistas da especialidade enraivecidos, cientistas em euforia e outros paineleiros a rebentar de alegria. Inchai sapos, Inchai! A perseguição rasca, por demais evidente, a Roger Schmidt  tem sido vinte vezes pior que a ignóbil campanha contra Roberto que até então eu nunca tinha visto igual na minha vida! Imagine-se o massacre diário, com os meios da corja exponenciados e incondicionalmente à disposição. Televisões, rádio e jornais - Merda de Comunicação Social Desportiva Que Temos - uniram-se (com a ajuda dos verdadeiros verdadeiros a quem nunca perdoarei) para massacrar o Benfica. 

O que eu li e ouvi, antes e depois deste jogo (que só existiu na cabeça de alguns) é do mais repugnante que li e ouvi, não só na história dos derbis como de todas as competições desportivas! As estatísticas ora são usadas ao cagalhimetro para destratar o treinador do Benfica ou não servem para merda nenhuma. Nunca vi a MDCSDQT descer tão baixo para ofender o Clube que lhe mete a comida na mesa, único que é maior que Portugal! Não há um jogo, independente do resultado, que lhes agrade. Não existe uma jogada bem feita. Não existe opinião do treinador que não seja imediatamente enxovalhada. Não existe opção sua que não seja prontamente condenada. Não há táctica acertada. Não há um 11 que não ofenda a sapiência dos especialistas. Não há substituição que não provoque um mar de injúrias. Não há conferência de imprensa que não seja censurada. Não há nada positivo no Benfica. Não há piroca que lhes sirva.

A mudança de Aursnes para a direita, de onde resultou o primeiro golo do Benfica, foi obra do acaso e nunca pela opção do treinador. O penalti assinalado pelo mergulho (mais um) de Edwards diz bem da vontade - como se pode ser tão peremptório perante uma simulação tão grotesca? - do Verdíssimo em fazer a vontade à corja anti-Schmidt. No empate roubado ao Benfica - grande golo de Di Maria - com todo o tempo do mundo para ver as repetições de diversos ângulos, só uma mente de sapo pode concluir que Tengstedt interferiu na acção do guarda-redes! Israel não reclamou por uma simples razão. Nem Tengstedt nem ninguém lhe estorvou a visão. Golo limpo (cago de bem alto para as opiniões retorcidas dos especialistas) que impediu o Benfica de mudar o jogo (que por enquanto e enquanto não forem os cientistas das primeiras e segundas partes a mandar, ainda dura - pelo menos - 90 minutos) a seu favor. E se algo de mau acontecer ao Benfica no que resta da temporada, os verdadeiros - verdadeiros caixas de ressonância da Merda De Comunicação Social Desportiva Que Temos - terão grande quota de responsabilidade. Tenho cada vez mais nojo do que vou lendo e ouvindo dessa gente.

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Das dores de corno às vozes do dono.

Os especialistas da farsa desdobram-se em explicações para esconder o óbvio. Sem hipóteses de alterarem a tabela classificativa ora marram nos cepos e nas individualidades do Benfica ora investem sobre o altivo treinador Roger Schmidt. Na arbitragem não é diferente. Dois lances, duas jogadas similares, análises antagónicas salvo raríssimas excepções, dos verdadeiros especialistas da especialidade. De quem eu mais gosto é do "benfiquista" Duarte Gomes, que por entre os sonhos de suceder ao rolha Proença na sua cagadeira de sonho, prossegue a sua cruzada de lambuzar sapos e clube da fruta. Sem o apoio dos compadres Kickoff Gomes sabe que jamais senta lá o cu.

Lances onde o agarrão acontece...

Kickoff Gomes e o Rio Ave-Sporting.

3' Golo de Embalo. A conclusão do avançado foi legal, mas a verdade é que no início da fase de ataque, Amine puxou irregularmente Pedro Gonçalves, cometendo infração clara que não foi assinalada. Neste caso não se tratou de toque ligeiro, mas antes de uma ação que efetivamente desequilibrou o adversário. O protocolo é claro: como o árbitro não se apercebeu, o VAR estava obrigado a alertar o colega de campo.

Kickoff  Gomes e o Sporting-Estoril

87' Se olharmos para o frame de forma isolada (imagem parada), fica-se com a sensação que houve agarrão que devia ser punido com pontapé de penálti. Na prática e em velocidade corrida, Matheus Reis pegou e largou a camisola de Cassiano, não sendo essa a causa da sua queda. O avançado terá sentido o contacto e caíu, na busca do benefício maior. 

No entender do Kickoff, Amine, passados 3 dias, ainda deve estar a agarrar a camisola do Pote...

Lances para grande penalidade...

Kickoff  Gomes e o Estoril-Benfica. 

63' Excelente intervenção de Rui Costa, VAR da véspera, ao recomendar ao seu colega (André Narciso árbitro do Rio Ave-Sporting) que anulasse o pontapé de penálti que erradamente assinalara em campo. O setubalense foi ludibriado, mas na verdade foi Koindredi quem tocou primeiro na bola e Chiquinho quem pontapeou o seu pé (não o contrário). 

Kickoff  Gomes e o Rio Ave-Sporting. 

29' Este é um daqueles lances que importa esclarecer tecnicamente: o único motivo pelo qual Francisco Trincão pontapeou o pé de Miguel Nóbrega foi porque o defesa do Rio Ave abordou o lance de forma totalmente negligente: em salto na direção do adversário, perna direita bem esticada, com sola/pitons à frente (risco alto) e velocidade. Foi precisamente essa forma de entrar à dividida que causou o contacto que acabou por lesionar o avançado do Sporting. A única coisa que Trincão fez foi, como pode e deve, (ao contrário de Chiquinho, digo eu) tentar rematar à baliza de Jonathan. 

Fundamentalismo bacoco forçado a torcer pelos compadres.

Restam três objectivos ao clube da fruta. Esperar por um novo milagre frente ao Arsenal, ganhar a Taça de Portugal (se o Santa Clara deixar ou o Vitória Guimarães vacilar) e vencer o Benfica para ajudar a saparia. Esta é a voz do fundamentalismo bacoco corporizada por Miguel Seja Tavares figura grotesca do pior foculportismo. No vómito semanal, no rascord, Seja Tavares dá voltas e mais voltas à volta do milagre de Galeno, frente ao Arsenal de Londres, tentando convencer-se que o Gil Vicente-foculporto não é a sua realidade do momento. Como sempre, a culpa do tamanho da sua enorme cabeçorra mora na Av. Eusébio da Silva Ferreira, 1500-313 Lisboa, a 380 quilómetros de Barcelos. O Benfica festeja 120 anos de história. Tavares bate pívias a pensar em como gostava de celebrar uma vitória dos sapos. 

Bravo com o árbitro do Gil Vicente-clube da fruta, seja Tavares ficou que nem um burrié ressabiado por causa do golo anulado (por falta de Wendell) ao foculporto. Na visão desapaixonada do 'plagiador', Wendell, ao contrário do que todos vimos, não se mexeu nem impediu o guarda-redes Andrew Ventura de chegar à bola. Foi mais ou menos como no golo do empate onde, juntamente com o melhor Diogo Costa em campo, Wendell ficou parado a ver Thomas Luciano marcar. E o Veríssimo não anula. Nem Malheiro, que foi o VAR. Mais marradela (nos sorteios) aqui, mais marradela (na sorte do Benfica) ali, seja Tavares tem um raro momento de lucidez - Fábio Veríssimo «é provavelmente o pior da pior geração de árbitros que me lembro» - que sou obrigado a concordar. Já quanto à sua memória selectiva...

Eu lembro-me que, no estádio dajantas em Contumil, Helder Malheiro (que substituiu à ultima hora o "adoentado" Basco Santos) no VAR, não quis ver o duplo penalti - empurrão pelas costas e mão na bola na área do foculporto - nos descontos no foculporto-Chaves que provavelmente daria o empate aos transmontanos. Quanto ao moço do apito, basta recuar a 20 maio 2023 e recordar esse Famalicão 2-4 foculporto onde seja Tavares encheu a pança com os 3 penaltis (mais um a favor do Famalicão, único que existiu de facto) assinalados por Fábio Veríssimo que originaram a vitória do clube da fruta e o 1º lugar de Taremi - 3 golos de penalti (um deles repetido até entrar) - na tabela dos goleadores. O VAR era Basco Santos (o da mão no peito de Jadson num portimonense-foculporto e o do Estoril Gate dos 784 mil euros pagos no intervalo de 37 dias) da geração dourada - a melhor a seguir ao Apito - que seja Tavares mais deve gostar. 

Não há volta a dar. Seja Tavares tem mesmo memória de sapo. Já eu cultivo esse estranho vicio de não deixar a corja escapar. Sobre a compra de um apartamento de luxo em Lisboa, no valor de 1,2 milhões de euros, que fazia parte dos ativos do Novo Banco, ocorrida oito meses depois da queda do Banco Espírito Santo, seja Tavares mostrou a sua faceta de deslembrado: "Que eu me lembre, acho que não houve (contrato-promessa)". Já quanto aos milhões (2M€) que tinha investidos no GES do seu compadre Ricardo Salgado, quando questionado, seja Tavares respondeu que não sabia de nada! O que me leva a devolver-lhe os elogios que dirigiu ao seu amigo Veríssimo. Miguel Seja Tavares é provavelmente o pior da pior geração de mentirosos fundamentalistas/foculportistas que me lembro. 

terça-feira, 27 de fevereiro de 2024

Pensavam que a VARdade era uma coutada só deles!

Famoso pelos pequenos almoços do brunalgas, onde enchia a pança até depois do jantar, o Bernardete do rascord das petas está mais fundamentalista que o Mustafá da casinha. Ao pé deste seboso individuo Carlos Dolbeth (lembram-se?) da lagartos TV, podia passar por um inofensivo passarinho! Além de fundamentalista/talibã de arbitragem, Bernardete assume-se como justiceiro do sapal, expondo o besunto em prol da suspeição da idoneidade dos árbitros André Narciso e António Nobre! Mais à frente, substituindo-se ao Mustafá da casinha, surge o lamento de os dois bandidos que assinalaram dois penaltis contra o seu clube regressarem a casa pelo próprio pé! 

Não querendo entrar em mais considerandos que cabem à ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social) árbitros ofendidos, APF, conselho de arbitragem, liga e federação, daqui onde ninguém me liga, eu relembro que o filho do Bernardo (Tomás Ribeiro) quando era futebolista do B-SAD, em 2020 - no campeonato Palhinha - num BSAD 1-2 Sporting, teve o azar (se foi outra coisa as autoridades do futebol, e as outras, que investiguem) de, em dois minutos, se fazer expulsar, com 2 cartões amarelos mostrados por Rui Costa! Os sapos acabariam por vencer com um golo de penalti obtido por João Mário, e no VAR, adivinhem, estava o agora proscrito André Narciso! E pasme-se! Sem a instigação à violência do Bernardete - desde o Narciso ao André - todos regressaram a casa pelo seu próprio pé!

Lembrar o que a corja, com o Bernardete pendurado na braguilha do brunalgas, pugnou pelo VAR libertador da tirania do SL Benfica!


Benfica grande derrotado da semana!

Ontem dediquei parte do serão a apalpar o pulso aos ecos do fim de semana desportivo. Com eu temia o Benfica foi o grande derrotado! Puxei a "cassete" atrás para ouvir no pós-jogo, na SIC Notícias, o cientista Pedro Fatela (nunca um apelido foi tão bem aplicado) que eleva o comentário desportivo a um nivel estratosférico! Segundo o cientista da SIC, que afirmou que o resultado foi muito melhor que a exibição do campeão nacional, Roger Schmidt falhou em todos os itens frente ao foculporto b algarvio! Desde o plano de jogo ao 11 inicial tudo foi mal amanhado. Já a goleada final - obtida contra um adversário fraquíssimo que perdeu pela margem mínima frente a sapos e clube da fruta - torna-se muito perigosa para o Benfica no futuro. Não é o único a afinar pelo mesmo diapasão. A opinião generalizada dos cientistas é que teria sido muito melhor para o Benfica perder do que ganhar por goleada ao Portimonense, dando a Roger Schmidt a ilusão que, com as suas ideias estapafurdias, é possível não ser severamente sovado por sapos e clube da fruta! Felizmente para o futuro do Benfica que há tantos cientistas (com o Fatela à cabeça) empenhados em ajudar a meter nos trilhos o alemão destrambelhado. 

Tem sido sistemático e explorado um pouco por todo o lado. Sempre que um jogador se destaca dos demais os cientistas descobrem inúmeros problemas ao treinador do Benfica. Puta Madre, mais uma individualidade, diriam Ancelotti e Guardiola não fossem treinadores do Real Madrid e do M. City! Onde é que Schmidt vai encaixar esta? Desta vez é Kökçü. De flop a Zidane enquanto o Diabo diz foculporto b do Algarve. E nem o facto de jogar frente a uma equipa fraquíssima lhe confere menos legitimidade para se tornar indispensável no ataque do Benfica. Quem sai para lhe dar o lugar atrás de Rafa é um maná para os cientistas que, pelo menos até ao jogo dos sapos, vão ter muito por onde marrar. João Mário não sai da equipa. Diz que anda metido com o treinador. Di Maria até debaixo d'água. Neres (não era tão simples quando o antigo brinca na areia se encontrava lesionado?) já foi uma chatice encaixá-lo no 11 inicial. Neves não sai nem que o mundo acabe. Digam-me se não era tão bom, em Dezembro, quando os cientistas olhavam para o plantel e só viam flops!

O que eu aprendi ao serão. Os jogos, que antes tinham 90 minutos mais os descontos concedidos (até o clube da fruta marcar) pelos árbitros, têem agora duas partes. As que o Benfica está empatado ou a perder, são culpa das invenções do malandro Schmidt. As outras, onde o Benfica às vezes até goleia, são as individualidades a resolver a incompetência do Roger. Não existe colectivo. Roger Schmidt não tem jogadores. Tem individualidades e cepos. Na liga da farsa as equipas são todas fraquíssimas quando defrontam as individualidades do Benfica. Quando apanham o Gyokeres pela frente (alguma dúvida, Amine do Rio Ave explica) ficam ao nível da Premier League!

A opção do Rafa móvel só resulta contra equipas fracas (fraquíssimas no entender dos Fatelas). A estratégia, afirmam, já foi testada e falhou sempre contra equipas de dificuldade um bocadinho maior que o foculporto b de Portimão. Inter de Milão, foculporto (quem venceu três em quatro não foi o Benfica, foram eles) e Guimarães, onde o campeão nacional (ou as individualidades, sei lá eu) marcou golos suficientes para ganhar dois jogos. Pensar que, contra o Inter, bastava a Roger Schmidt seguir as indicações dos cientistas, lançando um ou dois pontas de lança, para reduzir os italianos a sua insignificância! Pontas de lança que, à altura, eram todos contratações falhadas mas que agora são estrelas absolutamente indispensáveis! Pensar que bastava jogar com o Musa para ganhar aos sapos e clube da fruta!

O que eu pagaria para ver um treino do Benfica. Schmidt tranquilamente a observar a malta na cavaqueira - na risota do 'meiinho' - à espera do próximo embate, com muita fé nas individualidades e crença no São Pedro, não vá o Simão da Galileia abrir as torneiras, adiar mais um jogo dos sapos e impugnar o campeonato. Na preleção, antes de entrarem em campo, parece que estou a ver o alemão a dirigir-se às individualidades e...aos cepos. Vocês, as individualidades, vão lá para dentro e resolvam as minhas limitações evidentes. Vocês aí no canto do fundo - dirigindo-se aos cepos - não atrapalhem as individualidades e, sobretudo, moam muito o juízo aos cientistas.

Dói a alma ver figuras proeminentes do Benfica alinharem pela azia geral que as vitórias do SLB provocam nos catedráticos da chincha.

Com cepos ou individualidades são estes os resultados: Supertaça, Benfica 2-0 foculporto. Liga, Benfica 1-0 foculporto. Liga, Benfica 2-1 Sporting. Liga, Sp. Braga 0-1 Benfica. Taça de Portugal, Benfica 3-2 Sp. Braga...

Melhores goleadores da liga...
Simon Banza 17 jogos, 1245 mts jogados, 17 golos (1 de penalti) na liga da farsa.
Gyokeres 21 jogos, 1880 jogados, 17 golos (3 de penalti) na liga da farsa.  

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

Golos na Luz, galos em Vila de Conde e Barcelos!

«Até podemos golear 4 ou 5 a zero mas isto não é 11 que se apresente. O alemão não está bom da cabeça». Era isto, mais ou menos, que se ouvia nas bancadas um pouco por todo o lado. No final, com a última substituição aos 89 mts (adoro quando Roger Schmidt lhes espeta estes ferros que, por recorrentes, já parecem meio enferrujados), ainda havia gente furibunda porque o Di Maria não saiu ou porque o João Mario já foi tarde descansar. Pouco ou nada lhes importa que o Benfica ganhe. Enquanto que a mim nada me importa quem marca ou quem joga, a única coisa que lhes interessa - chego a essa conclusão - é ficar do lado dos cientistas. E como os cientistas são unanimes na loucura que tomou conta de Schmidt estão-se nas tintas para as vitórias do Benfica. Na verdade, e aqui tenho de dar razão aos cientistas (feliz expressão do António Bernardo), se lhe retirarmos aqueles 4 minutos fatídicos, o apocalipse quase acontecia. Sobra o golo solitário da individualidade Rafa Silva, aos 75 mts, que assim safou (desta vez não foi Trubin) Roger Schmidt e o Benfica!

Eu essa coisa das individualidades ainda consigo chegar lá. Embora me pareçam coisas do além, que os flops marquem golos atrás de golos (já vão em 56 com apenas dois penaltis) é na defesa esburacada que ainda não consegui penetrar na brilhante mente dos cientistas. É um mistério para mim que a equipa menos batida da liga (15 golos) jogue com um guarda-redes sem categoria para o Benfica, que apresente uma defesa remendada, sem laterais à esquerda e à direita, sem um trinco tipo rottweiler e com um meio campo repleto de indivíduos lentos, sem a raça, e que não sabem defender!! E já nem falo dos dramas que foram as saídas de Odisseas e Musa (desde que saiu o ataque do Benfica secou completamente) que Roger Schmidt patrocinou! Ah, e que bem esteve o foculporto b a bascular. Siga...

A norte, entre Vila de Conde e Barcelos, só deu galo. Enquanto Roger Schmidt levava mais um amasso do treinador adversário, o boneco Ceição dava mais uma exuberante lição táctica (a Vítor Campelos) mostrando como empatar brilhantemente debaixo de chuva, ao mesmo tempo que prestigiava os treinadores portugueses e o clube da fruta. São milagres atrás de milagres que saem da mente privilegiada deste verdadeiro mestre da tática! Wendel e Otávio muito bem, ambos às portas da seleção do Brasil, e, muito para lá da média, o melhor Diogo Costa em campo a defender o empate do Gil com os olhos. Os três merecem nota máxima. Acima deles só o espantoso Pepe, com a touca de natação, mostrando como estavam preparados para tudo. Naquela casa nada lhes escapa, é tudo é planeado ao milímetro! 

Logo a seguir ainda fiquei mais impressionado! Desta feita com o feito esmagador do campeão da primeira volta e das conferências de imprensa! Caputa categoria! Que fantástica lição táctica! Que estratégia maravilhosa! Que 11 inicial tão brilhantemente escolhido! Que substituições tão espetacularmente engendradas! Os momentos do jogo...a basculação...as recepções orientadas...as transições e o controle da profundidade...e outras malhas dos especialistas que agora não me consigo recordar, tudo, mas tudo, bateu certo! Que maneira assombrosa de contornar o mau tempo! Que arraso deu Amorim ao Luís Freire! Fiquei de queixo caído, pois. E as conferências de imprensa? Magníficas, embora tenham faltado os sorrisos marotos habituais, imagem de marca de quem domina o métier...

Para a história do MP fica esse grande momento de Amine (comprado por Boaventura) a assistir o melhor Gyokeres em campo para o 1-2 a favor dos sapos, e mais tarde, o mergulho de Adán (com as algibeiras untadas pelo empresário amigo do Cássio) aos pés de Aziz, fazendo um penalti que qualquer especialista em boaventurismo não terá dificuldade em perceber ter sido executado para favorecer o campeão Benfica. Há quem diga que a culpa foi do calçado. Por causa das pantufas de uns e das galochas furadas dos outros. Eu não penso assim. Nos sapos foi um 11 inicial igual ao do Benfica em Guimarães que faltou. No clube da fruta foi o discurso - «título? Acredito. Não piamente, mas acredito» - frouxo do fugitivo de Vigo nas Caldas que falhou. Que não acredita piamente não merece remissão! 

domingo, 25 de fevereiro de 2024

Mas caputa de dilema os especialistas me arranjaram!

Enquanto evacuo o meu Pedro Henriques matinal vou lendo a imprensa online. Em dia de liga da farsa o rascord dos sapos e o pasquim da fruta, onojo, cada um à sua maneira, dão conta de como pode lhes correr bem o dia. No onojo podemos ler que o boneco coloca no jogo de Barcelos o carimbo de final. Pois que seja o ponto final. E com galo, muito galo. Sem um pintelho para marrar com Schmidt (para benfiquistas como eu é uma benção o seu silêncio) sobrou muito pouco ou nada para marrar/falar do Benfica. Abolha, desesperada para vender, usou o recurso a um discurso. O de Rui Costa, na cerimónia de entrega dos Anéis de Platina e dos Emblemas de Dedicação, 25 , 50 e 75 anos, para não ficar a ver. Mas o mais interessante foi confirmar que o mestre arrasador das conferências de imprensa, o fantástico Rúben Amorim, já tem um plano para catástrofes, temporais, polícias em protesto, dilúvios e outros batatais. Não lhe escapa nada. Não é como o Schmidt que chegou a Guimarães sem uma estratégia para combater a força e o poder diluviano da chuva minhota!  

Para se perceber melhor a incompetência do treinador do Benfica basta olhar para o jogo de ontem, onde, frente ao Casa Pia, num dia de temporal, Gonçalo Santos, treinador maçarico que tomou conta do Casa Pia duas semanas antes, pôs a sua equipa a nadar espetando duas batatas na sapiência do Zé do Boné que arrasou Roger Schmidt! É muito curioso como as equipas, e os treinadores, se transformam quando defrontam o Benfica! O que se espuma e corre aquela gente comparando com a complacência que se segue jogos e jogos a fio! 

Em Guimarães os Silvas regressam à condição de silvinhas, a baba de raiva do Zé do boné desapareceu como que por encanto, ninguém o viu, possesso, a rosnar a cada lançamento lateral a favor do Benfica e nem a chuva (coisas do além com toda a certeza) deixou o relvado tão empapado! O percurso do Estoril e do Guimarães - como antes os do Farense e Casa Pia, desde empataram o Benfica - diz-nos que os treinadores desaprendem (acredito que alguns ficam tão maus como Roger Schmidt) e que a raiva passa a ignorar as línguas viperinas saindo-lhes directamente pelo reto. Há que diga que são milagres da natureza. Eu gosto mais dos termos, W52 e Amarelinha. 

Mesmo reconhecendo que sou pouco dado a grandes exercícios de análise que exijam um grau de inteligência acima da média, o que mais me deixa a mioleira a arder são essas certezas de que o guarda redes Trubin (entre alguns falhanços ainda assim comprometedores) é que vai livrando o Benfica de tombar estrondosamente. Bom, na minha reduzida capacidade de entender os iluminados especialistas, não me entram na caraminhola duas ou três coisitas. Trubin não é o guarda-redes do Benfica? Foi contratado para defender a baliza do Benfica ou para fazer a vontade aos especialistas? Mas onde eu bato de frente é no melhor Diogo Costa em campo. Se o foculporto, ao contrário do SLB, quase não dá chances aos adversários, que raio de considerandos são levados em linha de conta para o melhor Diogo Costa em campo ser sistematicamente considerado o melhor Diogo Costa em campo? Como Trubin, é o moço que safa sempre o clube da fruta ou é por causa da sua pinta de galalau? Deixo ficar um print do pasquim do Bernardete onde uma bola no poste de Trubin, que todos viram resultar de um fora de jogo de dois metros, é contabilizada como uma ajuda do poste, talvez comprado pelo Boaventura!

Há outro assunto que não consigo ultrapassar. Juro que já tentei de tudo e até o Cássio, especialista em facto sobrenaturais, contactei! O meu rudimentar conhecimento, e de compreensão, da ciência futebolística não dá para ir mais além. A questão: se são as individualidades a disfarçar (pela fraca oposição) na liga da farsa as fragilidades do Benfica e do seu incompetente treinador, será por isso - pela fraca oposição das equipas da liga - que o Gyokeres marca golos atrás de golos? Mas caputa de dilema os especialistas me arranjaram!

E porque não me apetece deixar esquecer, fiquei a saber que o Benfica esteve a um pequeno passo de ser eliminado pelo Toulouse. Nas contas da corja um golo dos franceses (o que faz confundir desejos com certezas) eliminava o campeão nacional. Nas minhas o 2-2 só equilibrava a eliminatória. A menos que um golo do Toulouse valha a dobrar como os campeonatos (a quadriplicar) Peyroteo da saparia! 

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

E Pluribus Unum

O Toulouse, na linha das equipas muito fraquinhas a quem o Benfica, apesar de ganhar, tem sido invariavelmente arrasado, é apenas mais um do rol interminável de pretextos grosseiros que só servem para achincalhar os jogadores e o treinador! No meio da metralha (nos resumos) uma jogada em fora de jogo de dois metros, que acabou nas mãos de Trubin, é apontada como mais uma grande oportunidade perdida pelo Toulouse para esmagar ainda mais o Benfica. Isto diz tudo da sanha persecutória mediática contra o maior clube nacional! 

Assisti em streaming, som da sporttv, desta vez em modo on, propositadamente. Foi bué da fixe imaginar o trombil do Pedro Henriques! Além do apocalipse cantado (o primeiro dos quatro ou cinco que se seguem) a desilusão dos comentadores - mais a do execrável Pedro Henriques (não consegue disfarçar o ódio que tem ao Benfica) que o, ainda assim, decente relatador - foi, no mínimo, tão evidente como a vontade, que não o jeito, da equipa francesa em chacinar o campeão nacional. No final sobra mais uma lição táctica (oferta do apalhaçado Carles Martinez) que Roger Schmidt traz na mala para juntar às 22 que já encaixou dos técnicos da liga da farsa, e outras tantas divididas pelos especialistas da especialidade, talibans da internet, cientistas da chincha e treinadores de bancada!

João Neves, António Silva e Roger Schmidt demonstram mais caráter num dedo mindinho do que a corja de justiceiros desembestada que em todos os jogos os atacam (porque todos fazem parte de um todo) ferozmente. No final do jogo, Schmidt levou mais dois bigodes. Um do Artur Jorge, que esteve fantástico no Azerbaijão, e outro de Ruben Amorim que voltou a encantar no alvalixo. Nunca ninguém na história do Benfica perdeu tantos troféus como este alemão natural de Kierspe na exigente liga das conferências de imprensa. Depois de uma semana tremendamente emocional, terrível para toda a equipa, não se ouviu uma voz de tolerância ou um comentário de pesar pelo luto de João Neves e António Silva cuja dor, obviamente, muito mexeu com o restante plantel. Como estamos perante robots sem sentimentos, que safodam todos que o que interessa é achincalha-los à bruta. Chego a ter nojo de alguns comentários.

Os verdadeiros verdadeiros, mal recuperados do vexame da segunda parte do Benfica (6-1) Vizela, nota-se que ainda se sentiram mais fecundados que o próprio Pedro Henriques! Desde “isto é uma vergonha” aos desejos (antes do "eu avisei" não passam de desejos) incontroláveis de “a jogar assim vamos descer de decisão”, “vamos levar 7 ou 8 dos sapos”, “quinjazero do foculporto” e sabe se lá porque números a cabazada a enfardar já na próxima eliminatória, valeu tudo para demonstrarem a indignação pela passagem do campeão nacional aos oitavos de final da liga Europa. Esta sequência de derrotas tenebrosas, desde a jornada inaugural da liga da farsa, não lhes sossega a passarinha e o meu temor é que tenham aproveitado a ocasião para se suicidarem com a afronta.

Quem jogou tão bem como o Toulouse foi o Sporting de Braga equipa que, a seguir aos sapos e ao clube da fruta, mais lições de jogar bom futebol tem dado ao Benfica. Com uma exibição soberba arrasou de tal maneira o Qarabağ que o obrigou a tornar-se na primeira equipa da história do Azerbaijão a chegar aos oitavos da Liga Europa. Cinco níveis mais acima está esse brilhante empate dos sapos no alvalixo, mais o melhor falhanço de um penalti desde que a liga Europa entrou no imaginário dos sapos! E só permitiram um golo ao super poderoso Young Boys para o humilhante resultado do Benfica em Toulouse não vexar ainda mais os exigentes.

Em conclusão, a sorte do Benfica é só bater de frente com equipas ainda mais fracas que o Benfica. O azar dos cientistas da chincha é que os jogos não se resolvem com desejos de apocalipses e ainda menos com palpites, insultos, mau caráter e crendices. Svilar e Cristante, dois ex-Benfica, dos mais arrasados pelos exigentes benfiquistas, também passaram aos oitavos. Quem ficou para trás, obviamente com uma exibição de encantar, foi o Feyenoord que se bem se lembram também já humilhou o SLB na pré-época, uma semana antes de o Benfica vencer a Supertaça apesar da exibição de luxo do clube da fruta. O Feyenoord com aquele poderoso avançado argentino no ataque que, contra a vontade dos cientistas que o viam como um verdadeiro Gyokeres, o Benfica rejeitou.

E por último a constatação de que não há nada como um gajo morrer para passar a ser uma maravilha. De um excomungado que, para ajudar o clube da fruta, foi para o Benfica para destruir uma equipa campeã, a um grande campeão merecedor de todos os elogios! São de ir às lagrimas as mensagens que me entram pelo feed adentro! Esta é a memória de pássaro e a espinha dorsal engelhada desta gente.