segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Pornochanchada e a Liga Palhinha...


Voltando ao filme de quinta categoria do último sábado. Alguém que conheça em pormenor os regulamentos da liga (os do Palhinha são outra coisa bem diferente) se há algum limite de tempo jogado a impedir a perda de 2 pontos do Benfica se o jogo terminasse 0-0? Imagine-se que o auto-golo aos 30 segundos (até os melhores argumentos podem ir pela sanita abaixo) não acontecia e que três jogadores da BSAD seriam atacados, aí pelos 3/4 minutos de jogo, pelo mesmo vírus que vitimou os dois que ficaram doentes na cabine ao intervalo e o outro que caiu redondo no relvado assim que o Manel do talho apitou para a segunda parte. A vergonha mundial diminuía de tamanho ou ainda havia espaço para acusar o Benfica de fabricar a nova variante que ameaça exterminar o que resta da humanidade pela enésima vez? A cada vez que penso no assunto mais me convenço que o choro daquela draconiana concubina ao intervalo mais não era do que a raiva que a consumia pelo auto-golo (do tipo dildo tamanho XXL) que não estava no guião! Que fique bem claro. Quem correu todos os riscos foi o Benfica, que podia perder dois pontos sem nada poder fazer para o impedir, para além do perigo de contágio da COVID-19. Eu lembro-me bem do que aconteceu najantas de onde o Benfica saiu com meio plantel infectado.

Os puristas, assinantes do sex-hot, chegaram ao ponto de acusar o maior clube português de ficar em vantagem na luta pelos melhores marcadores, atirando-se à tomatada negra de Darwin, Weigl e Seferovic, que impiedosamente a meteram meteram toda lá dentro. Ora o que eu vi foi que os jogadores do Benfica ficaram 45 mts, sem contar com os descontos, impedidos de facturar ainda mais, enquanto que em Contumil e no alvalixo os punheteiros de serviço usufruíram da hora e meia da ordem para acertar no sítio certo. No roteiro dasjantas vimos o Vitória obrigado a jogar com dez jogadores (onze para onze o resultado era um empate) quase toda a segunda parte e ninguém do Guimarães pensou em desistir ou mudar de canal. O clube da fruta, pelo seu lado, investiu com onze 'Jonh Holmes' mais Luis (en)Godinho e, na cidade do futebol, ainda dispunha do actor 'prime sex' Artur Soares a Dias para o que ainda desse e...viesse.

No alvalixo a verdade desportiva também se manteve a altíssimo nivel. O Tondela, além do treinador, apresentou-se em 5 jogadores impedidos de actuar por COVID. Nada que afecte a moral e a natural bazófia dos sapos. Hugo Miguel, Ricardo Santos, Hugo Ribeiro, actores principais, entraram de tal forma decididos a dar uso ao (a)pito que não sobrou nada para encher o Pote e nem o franco atirador uruguaio (Coates) teve oportunidade de fazer uso do seu tamanho avultado. O inenarrável Luis Ferreira, na cidade do futebol, que validou o primeiro golo dos sapos obtido em fora-de-jogo de vários metros, completou o foleiro casting. Lembram-se do Benfica-Arouca e do golo anulado a Waldschmidt? Pois foi obtido a papel químico do sancionado a Sarábia. Tal como nos cartões amarelos mostrados a Palhinha, além da esverdeada verdade desportiva, no alvalixo imperam leis implementadas para sapos. Nutro profundo nojo por essa gentalha. Talvez mais do que pela canalha do clube da fruta. Aos fruteiros, pelo menos, nunca os vimos a tentar roubar quatro titalos Peyroteo e nem muito menos pretendem passar por santinhos. A batota está-lhes no sangue, sim, mas não tentam sequer disfarçar. Mais lhes vale assim. 

Os sapos, além do expediente no caso Palhinha usado para utilizar o jogador contra o Benfica, aproveitando os serviços de um batráquio de toga para defecar nos regulamentos da liga, em 2020 obrigaram o V. Setúbal a ir a jogo quando os sadinos tinham o plantel dizimado pela gripe (ainda não se chamava COVID-19) alegando o calendário apertado. Tão apertado que até recusaram adiar o jogo da equipa b com o Fabril (também com o plantel dizimado pela COVID) no campeonato de Portugal, onde os «bês» do sapal vegetam actualmente. Sonsos, dissimulados, hipócritas, caloteiros, batoteiros...sem moral para criticarem merda nenhuma. Tenho asco dessa confraria toda.

domingo, 28 de novembro de 2021

Filme rasca, de quinta categoria!


13 H do dia do jogo, Rui Pedro Soares, dragão de ouro e presidente dessa aberração jurídica chamada B-SAD que, num país a sério, não reuniria sequer condições para disputar o campeonato de berlinde. "Não pedimos adiamento do encontro, nem ao Benfica, nem à Liga e nem às autoridades de saúde. Portanto, não houve nenhum pedido e logo não houve nenhuma recusa". O dirigente lembrou ainda que "a equipa tem 38 jogadores inscritos" garantindo ter "confiança de que estão preparados para este jogo". "Todos têm valor. A decisão é das autoridades de saúde, em que confiamos em pleno", adiantando que os que testaram positivo fizeram também teste PCR para confirmar a testagem em antigénio: "Quem tiver negativo, pode ir a jogo." rematou, ainda o fruteiro. Horas depois foi aquele chorrilho de indirectas de um individuo à deriva, discurso rasteiro do tipo chefe de claque, metendo os pés pelas mãos a cada suspiro, saindo e entrando na sala de imprensa (quem lhe terá bufado ao ouvido para dizer a seguir o que disse?) para sub-repticiamente atacar o Benfica. 

Que ninguém tenha dúvidas. Este cozinhado teve como único objectivo atacar e sujar mais uma vez o nome do Benfica. Porque razão o "dragão de ouro" não pediu formalmente e atempadamente o adiamento do jogo ao Benfica e à liga quando ainda era possível fazê-lo? Porque razão veio com aquele paleio de chacha à hora de almoço no dia do jogo? Porque razão não se apresentou a B-SAD com os que testaram negativos e que ficaram em casa? O que aconteceu ao resto dos 38 jogadores inscritos na liga? Porque razão não foram chamados jogadores da equipa b? Quem me garante que o jogador que saiu ao intervalo estava mesmo lesionado? Quem me garante que o jogador que se "lesionou" no inicio da segunda parte também se encontrava lesionado? Porque é que esperaram 46 minutos até provocarem o fim do jogo? Quem é que beneficiou com todo esse teatro? E quem é que me garante que os nove que subiram ao relvado estavam mesmo livres de COVID? Qual a razão de toda esta badalhoquice a não ser a de meter à força o Benfica num filme rasca, guião de quinta categoria, forjado à moda dos e-mails roubados ou do bacanal dos compadres no hotel Altis?

Porque razão a liga Palhinha do inenarrável Proença não falou atempadamente deixando o Benfica livre de toda esta sujeira? Porque razão a federação do Naundinho das facturas cagou um comunicado assim que terminou a "Libertadores" a felicitar o Abel Silva mas não foi capaz de emitir uma linha a dar os parabéns a Proença e a Rui Pedro Soares? Rui Costa esteve assertivo nas palavras, mas, a meu ver, perdeu demasiado tempo a gastar cera com tão fracos defuntos. Um comunicado ou uma newsletter, como tem sido habito do Benfica sempre que é escandalosamente roubado, teriam sido mais do que suficientes para responder a esses trafulhas. 

Há, ainda, esse pedaço de merda (que asco me provoca esse individuo com passado no SLB!) do comentador sportv que, ao que me disseram, passou o tempo a destratar os jogadores do Benfica. Até quando, nós benfiquistas, vamos financiar televisões e órgãos de comunicação social que passam a vida a achincalhar os nossos profissionais? Para quando um boicote total a toda essa gentalha? Obrigá-los a respeitar o Clube que lhes põe o comer na mesa, deixando-os a pão e água, devia ser o nosso maior objectivo. Cancelem a merda da assinatura, parem de dar canal ao esgoto da manhã e a outros anormais que só (sobre)vivem à nossa custa. 

Rui Costa também alinhou pela designação de mais uma "página negra" do futebol português. Pois foi, Presidente, pois foi. Não tão negra como a cornadura do Pedro Henriques mas, ainda assim, quase imaculada se a compararmos com a invasão (impune) dos superdragões ao campo Coimbra da Mota, que proporcionou o saldar de uma dívida (que não constava do relatório e contas das duas SAD) de 784 mil euros, pagos pelo clube da fruta ao Estoril Praia no intervalo que durou 37 dias, no jogo mais comprido da história mundial!

Ainda o Jamor cheirava a porco que fedia e já os sapos emitiam um comunicado onde é afirmado que "O futebol português como um todo sai hoje seriamente prejudicado, assim como os clubes que dele fazem parte e lutam apenas em campo. O que se está a passar tem implicações graves na credibilidade deste campeonato e das instituições que o regulam. A situação não pode, ou não devia, deixar ninguém indiferente porque assim o futebol português nunca será levado a sério". Por um momento ainda pensei que o Sporting de Lisboa estaria a recordar a mão do Tonel ou o Palhinha, que passou grande parte do campeonato que ganharam a jogar com 6 cartões amarelos sem cumprir o correspondente castigo. Cheguei a imaginar que se referiam à escarradela do presidente brunalgas no rosto do presidente do Arouca quando finalmente entendi que - "mais um episódio negro do futebol português, que vive hoje já manchado por permanentemente estar envolto em suspeitas de corrupção" - tinha só a ver com o cheque que Paulo Cristóvão, vice-presidente dos sapos, mandou depositar na conta de um árbitro assistente em vésperas de arbitrar o Marítimo-Sporting. 

Da pocilga de Contumil foi Francisco J. traques a soltar o peidinho da ordem. Com o discurso de porco que lhe é peculiar, afirma o caloteiro, arguido e insolvente - naturalmente referindo-se às trocas de jogadores com o Porto b do Algarve, ao Banco Carregosa, ao Apito Dourado, ao Calor da Noite e à Taverna do Infante, mais a desesperada fuga do seu presidente para Vigo, que «há sempre quem atire Portugal para o terceiro mundo». E há, lamentavelmente. Sobretudo a MDCSDQT que aproveita todas as migalhas para manchar ainda mais o nomo do maior clube português ao invés de desmascarar toda essa escumalha.

Nem toda esta nojice consegue apagar o facto de Manuel Mota aproveitar este jogo 'extremamente complicado' para o Benfica, para assinalar o primeiro penalti da época (com 5-0 no marcador), terceiro nas últimas 46 jornadas da liga Palhinha. E os adeptos que pagaram o seu bilhete que processem a liga, a B-SAD e o Rui Pedro Soares. No mínimo, que lhes seja devolvido o dinheiro dos bilhetes.

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Mais vale um bandeirinha na mão que dois pontos a voar!

Quando os especialistas e os exigentes (se fossem assim rigorosos nas suas profissões...) me vêm com a conversa fiada que o Benfica fez um mau resultado na Ucrânia (a inenarrável CNN/TBI palermo diz que Kiev fica na Rússia) eu recordo o penalti - que até o Soares a Dias teria dificuldade em ignorar - que bem poderia dar os três pontos ao Benfica. Também me lembro de, em Munique, ver um golo anulado (seria o 0-1) ao Benfica por um putativo fora-de-jogo que só aconteceu na cabeça dos xistras da UEFA. E em Barcelona vimos o bandeirinha...russo, levantar a bandeira (alegando que a bola curvou por fora da linha final) segundos depois de Otamendi marcar aquele que seria o primeiro (grande) golo do Benfica. Não é só na liga Palinha que o Benfica tem sido escandalosamente roubado. Não contem comigo para escamotear que na Europa tem sido um filme semelhante, com óbvios prejuízos para o maior clube português. 

Com azar ou sem azar, com árbitro ou sem árbitro, o Bayern demonstrou nos dois jogos (convém não esquecer que duram 90 minutos) ser melhor que o Benfica. Não custa reconhecê-lo. Com o Barça aconteceram dois jogos equilibrados em que, se no primeiro o SLB teve a sorte do jogo pelo seu lado (aquele golo logo aos dois minutos...) ontem, apesar do equilíbrio, o azar (e a arbitragem) tiraram a noite para marrar com o maior clube português. E assim chegamos à ultima jornada com Benfica e Barcelona (descomunal o tamanho da cornadura dos talibãs da internet e dos especialistas da especialidade) a lutarem pelo segundo lugar, com o Barça a depender apenas de si próprio mas com uma tarefa aparentemente bem mais complicada. Veremos o que a deusa da fortuna deixará no sapatinho no próximo dia 9 de dezembro. Antes há que descascar a B-SAD (sábado) e sapos (no dia 3), tarefas que devem merecer prioridade absoluta.

Deem lá as voltas que quiserem mas em  Barcelona o Benfica fez um enorme resultado. É claro que vai ser fod@ desatar o nó da garganta; golo anulado e golo falhado no último minuto da partida, mas, ainda assim e porque é justo dizê-lo, estão de parabéns jogadores e equipa técnica pela excelente performance que tiveram num dos estados mais emblemáticos da história. O Barcelona, em qualquer circunstância, é sempre um grande do futebol mundial e quaisquer tentativas de menorizar o colosso catalão apenas revelam falta de honestidade intelectual de quem as faz.

Notas do jogo. Louvar a enorme classe de Otamendi (incrível a quantidade de disparates que foram ditos sobre o seu caráter e a sua competência). Weigl idem idem, aspas aspas, tirando o facto de não ter jogado no clube da fruta antes de chegar à Luz para ajudar Jorge Jesus a afundar o Benfica. E a garra de Gilberto, negociata de Vieira e JJ, que nem na segunda liga tinha lugar. É tanto o que se aprende com os talibãs da internet e com os especialistas da especialidade!

Curiosidades. O contorcionismo dos analistas, especialistas da especialidade, que fizeram do Barcelona uma equipa de pixotes - a pior dos últimos trezentos e muitos anos - já estão desde ontem à noite com a crica aos saltos cheios de fé em que os desajeitados espanhóis reduzam (o Bayern de) Munique à mais ínfima expressão futebolística!

Meninos do Seixal. Na Youth League os jovens benfiquistas ofuscaram (0-3) o Bayern em Munique (ultimo classificado com 0 pontos) e discutirão com o Dínamo Kiev o primeiro lugar do grupo. Barcelona (com 4) já conhece o seu (terceiro) lugar definitivo na prova.

Escaparates. O empate em Barcelona, que seria épico conquistado por sapos ou clube da fruta, valeu - para além de ofuscar por completo as buscas ao curral de Contumil e ao peidoso senil - o insipido "Desperdício" no pasquim do Serpa, o "Quase quase" no pasquim (dos sapos) rascord, e um caloroso "Seferovic desperdiça final (in)feliz" no pasquim da fruta. 

No esgoto da manhã cheira mais a dor de corno do que outra coisa qualquer. Acusar o injinheiro macaco e os suspeitos de saberem antecipadamente a hora e os locais onde os farejadores da justiça actuariam, faz-me lembrar o ditado a mãe que aconselha a filha que andava na vida - 'Chama-lhes putas minha filha, chama-lhes putas antes que te chamem a ti'. Ou querem ver que foi o injinheiro burrié e os suspeitos a avisarem o pasquim da cofina, desde cedo na peugada dos investigadores!

Li hoje na imprensa online que o João Rendeiro só pode voltar a Portugal sem ser detido quando tiver quase cem anos. Eu até nem acho nada de especial. Pelas contas feitas (entrega ao município de Gaia 500 € de renda mensal) o clube da fruta levaria 2666 anos para pagar centro do Olival. E nunca vi ninguém muito preocupado com o assunto.

segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Não há como os fruteiros para preparar uma vitória retumbante.

Rui Ferreira: "Os jogadores tremeram perante uma atmosfera de nível grandioso". A semana nem começou mal para a confraria da fruta. No sábado, um Feirense (difícil imaginar o que sofreu o antigo comentador do fruta canal para não festejar os golos do foculporto) amigo pacar@lho tudo fez para dar moral para Liverpool. Os relatos da emocionada MDCSDQT não deixam margem para dívidas. Para além da exibição assombrosa do foculporto o dia foi todo da família Ceição. Desde a mãe (lavada em lágrimas) que se deslocou de propósito para assistir à alternativa do fedelho, ao pai, inchado como um boi com o momento mágico da cria, todos os encómios foram poucos para assinalar e perpectuar o momento. O caso não era para menos. O pequeno piscineiro estreava-se a marcar na pocilga, ainda por cima de penalti - a especialidade mais apreciada da casa - e após mais um belo mergulho de Taremi. Impedido, por ordem do banco, de engrossar a conta pessoal, o bom do iraniano que, com a bola na mão já se dirigia para a marca de grande penalidade, lá teve de refrear os impulsos com a promessa de (com a chegada das chuvas) nas próximas jornadas, os saltos para a água contarem a dobrar. Foi uma maneira à maneira de acalmar o mergulhador e tudo acabou pelo melhor. Como num conto de fadas, casaram e tiveram muitos penaltis.

Talvez inebriado com o feito do pequeno boi do Jamor, ontem foi dia do velho fruteiro aproveitar a maré atirando-se de cabeça ao jogo da selecção do Rónalde disputado na Luz. Najantas ('talismã das selecções') garantiu peido da costa que o Rónalde e os seus apêndices tiravam a selecção da Sérvia de letra. Parece que já estou a ver o programa. Jantar dos árbitros na Marisqueira de Matosinhos seguido de passeio pela rua escura para estimular a libido. Ante-estreia na torre dajantas do filme; "A desaparecida arma que suicidou Mesquita Alves" e um bacanal de frutas no pacote ao deitar. Pepe despenalizado por ordem do CD da liga, guarda de honra do injinheiro macaco aos sérvios logo à saída do aeroporto, bonecos com as cores da Sérvia enforcados à porta do estádio, pedras da calçada para atacar o autocarro, bolas de golfe para arremessar no estádio e quatro galinhas pretas enterradas de véspera no relvado. E se o Rónalde, antes de sair de campo amuado, atirasse a braçadeira de capitão ao relvado, até o pequeno boi do Jamor o foculporto emprestaria de bom grado. E então sim, seria o penalti mais emocionante da história! Não há como os fruteiros para preparar uma vitória retumbante.

Poucos, tirando os interessados e os obviamente avisados, esperariam tamanha confraria a entrar portas adentro do imaculado talismã das selecções. E ainda menos a visita guiada aos covis dos não menos imaculados presidente e dos empresários que lhe mantêm o pomar a funcionar! Se eu acredito no Pai Natal? Tanto como nos benefícios do cartão do adepto ou na bondade das negociações dos direitos televisivos. E quando eu olho para efeitos nulos do apito dourado ou, mais recentemente, para o André Cashbal (viram o futsal ontem no circo das osgas?) apanhado com (os envelopes) as mãos na massa no alvalixo a circular livremente por aí, acho que nem valia a pena tirar da redação os incansáveis procuradores da CMTV. Eu punha todo aquele bando de desocupados a farejar as cuecas do Rafa que, com a sua personalidade complicada e notória falta de empenho, não só é o grande culpado da má sina que se abateu sobre a selecção do Rónalde como o verdadeiro artífice da corrupção que há cerca de 40 anos tomou conta do futebol nacional.

O gajo das framboesas (Pedro Pinho) de Moreira de Cónegos, avisadamente, deu de frosques para a Roménia assim que lhe cheirou a chamusco. O velho putanheiro, pelo seu lado, não partiu à desfilada para Vigo. Está-se mesmo a ver que quem alertou os mastins da CMTV para o directo da ordem, semanas antes terá ligado ao peidoso para ele deixar a tomatada limpa e desinfectada de caruncho. Eu acredito que terá os escritórios mais vazios do que a tomatada esvaída depois da massagem à próstata do 'personal trainer' francisco j. traques. No máximo, os farejadores encontrarão uma calçola chiscada - herança da doce Carolina que o velho mantém imaculada debaixo do travesseiro para combater a insónia - ou uma, do tipo fio dental, roubada do cesto da roupa suja da universitária Naundinha, que o seboso usa para para limpar a cremalheira sempre que os dióspiros estão verdes. Acham mesmo que os resultados práticos justificarão tamanho aparato? Amanhã ou depois sai na SIC uma reportagem escabrosa do batizado do Viera e esgota-se o tema na hora.

sábado, 20 de novembro de 2021

Personalidades complicadas...

Filme do jogo. No regresso à Luz, depois da selecção do Rónalde mostrar toda a sua garra com a selecção Sérvia, encontrei o meu lugar na Catedral com uma enorme 'falta de compromisso' até ao minuto 78. 'Personalidade complicada', o estupor da cadeira só me deu descanso depois do Cebolinha a enfiar toda lá dentro. Pelo meio, mais um petardo do Grimaldo no esfíncter dos especialistas da especialidade. Um alivio do Rafa, que se anichou na cornadura dos anti, completou o apocalipse que já se cozinhava na MDCSDQT.

Bayern Munique, duas derrotas - entre os jogos para a Champions com Dínamo de Kiev e Benfica - com equipas da segunda metade da tabela, juntando à de ontem (contra um dos últimos classificados da liga alemã) que antecede a jornada europeia, demonstram claramente que nem as melhores equipas do mundo conseguem estar sempre a 100%. Não deixam de ter grandes profissionais, os jogadores, alguns dos mais bem cotados do mundo, não perdem um pingo do seu valor e o treinador não passa, aos olhos dos especialistas da especialidade, por não perceber um cagalhão do ofício. Curioso, não é?

Os 10 golos marcados pelo Benfica nos últimos dois jogos, pelo contrário, revelam não só a falta de classe do plantel, se o compararmos com o elenco brilhante de sapos e clube da fruta, como a incapacidade do treinador para ajudar o Presidente (outro desqualificado) a contratar jogadores, formar um onze capaz de ganhar quinjazero ao intervalo ou de fazer, vá lá, uma simples substituição de rotina.

Jorge Jesus, o inepto treinador do Benfica, entendeu dar os parabéns ao árbitro da partida. Parece que escutou a minha conversa com meu amigo Pinto no final da partida. Concordamos que esteve brilhante, não tanto como os sapos contra o Varzim, mas, ainda assim, e sem marcar qualquer grande penalidade manhosa a favor do Benfica, tinha conseguido manter um nivel de imparcialidade que nos últimos 30 e muitos anos, em jogos do maior clube português, nenhum de nós se recorda observar nos relvados nacionais.

Eu atrevo-me a dizer que com uma arbitragem à moda da liga Palinha, castigando com faltas o mínimo contacto dos jogadores do Benfica, muito dificilmente passaríamos a eliminatória. E aqueles últimos 15 minutos de grande qualidade seriam passados com os jogadores do Paços deitados no relvado, livres laterais em catadupa, lançamentos assinalados ao contrario (lembram-se do último jogo no Estoril?) a empurrar o Benfica para trás, com o credo na boca - um regalo para a MEDCSDQT - com medo de sofrer mais um golo. 

Uma palavra de apreço para os cornos do treinador do Paços (que nojo aquele cretino emproado me provoca!) e a súbita pressa que o acometeu no lançamento da linha lateral - Grimaldo e o doutor Seferovic já lhe tinham curado a letargia e a calma que durante 78 minutos pedira aos seus jogadores - que deu origem imediata ao tremendo golo de Rafa. Valeu pela noite em que a personalidade complicada do pé esquerdo de Grimaldo e a falta de compromisso da cabeça do doutor Seferovic estragaram os sonhos húmidos do cagão Simão.  

No jogo da moca também ninguém me tira da ideia que foi a falta de compromisso de Rafa ajudar a França a enfiar 5 batatas na baliza do arruaceiro Girão, que sem o fato espacial da liga portuguesa parece medir menos dois metros de largura. E também me palpita que as arruaças e as bazófias do treinador português frente à Espanha tiveram o dedo da personalidade complicada do jogador do Benfica. Bonito foi ver os mesmos mentecaptos (sobretudo os da MDCSDQT) que se babam com as manigâncias do hóquei nacional, fodidos com a Espanha e a França por defenderem o resultado que mais lhes interessava. Custa, não custa?

terça-feira, 16 de novembro de 2021

A culpa, que é do Rafa, e a falta do penalti pró foculporto.

A selecção do Rónalde, que voltou a fugir dos pés-de-microfone como as grandes penalidades dos jogos do Benfica, jogou na Luz (sempre ao colinho do melhor Rónalde do mundo e do melhor Bruno Fernandes em campo) a sua ultima cartada antes do play off necessariamente salvador. Houve alguma desilusão nos adeptos pelo resultado adverso mas na verdade a única coisa que faltou foi o penalti da ordem pró foculporto. Eu aposto singelo contra dobrado em como nos dois jogos do ply of contra uma qualquer Macedónia da Europa servirão apenas para cumprir calendário e para o filho da melhor Dolores do mundo bater (a minha aposta são dois penaltis e um tomahawk por jogo, oferta de um dos Soares a Dias da UEFA, que nestas coisas não brinca) mais não sei quantos recordes. 

E pouco mais interessa à MDCSDQT. Vai para uma vintena de anos que quem ganha os jogos é o Rónalde e que o injinheiro (ou outro vassalo que ocupe o lugar) perde todos os que o filho da melhor Dolores do mundo não ganhar. Por mim dei graças a Deus por Rafa e João Mário escaparem ao bom futebol que imanou das chuteiras do craque, na Irlanda e na Luz. Não fossem as benditas lesões e a esta hora tinham toda a MDCSDQT agarrada às canelas. Quem esteve acima da média, é preciso admitir, foi o lagarto Palhinha. Na marcação a Mitrović, no lance que resultou do golo da vitória da Sérvia, esteve tão bem que ninguém da MDCSDQT deu por ele. Nem mesmo o avançado sérvio! E eu, apesar de procurar com afinco, desta vez também não descortinei a presença da melhor Dolores do mundo. Não a vi nas bancadas e, tal como o filho menos famoso, escafedeu-se da flash interview. O pequeno Cristianinho (e os seus remates no relvado no final das partidas) estará reservado para a festa que será de arromba assim que a presença no mundial esteja garantida. Aguardemos...

Se nos programas da especialidade a derrota do injinheiro foi objecto de analise durante poucos minutos (o resto do tempo foi ocupado a debater a vida pessoal dos fisioterapeutas da Luz e o apocalipse do SLB), bastaram dois dias para ser imputada ao Benfica. O rascord das petas insinua, na sua primeira pagina de hoje, que a culpa terá sido do Rafa mas na forja já estarão imagens a comprovar que a relva e as cadeiras da Luz também não colaboraram com o Rónalde...Eu, ainda o craque se divertia a dar nas orelhas do injinheiro, tinha apontado algures entre o Eliseu e o Pizzi. Lembro-me bem que o açoriano, na sua ultima partida, preferiu passar a lambreta ao Cardozo em vez de lamber no relvado os entrefolhos do Rónalde. E o Pizzi, para além das canelas roídas pelos especialistas da especialidade, tem sido useiro e vezeiro em ignorar o filho da melhor Dolores do mundo, chutando para a linha lateral sempre que tem o pé mais à mão...

O Messi do Olival foi capa de onojo. O pasquim da fruta trata de meter o pequeno piscineiro dajantas, ainda não na boca dos grandes tubarões europeus, mas no resto das bocas mais esfaimadas do mundo. Modesto, como cabe a um fedelho mal educado avisado, o especialista do mergulho assistido diz que apenas que ser conhecido por Francisco Conceição. E faz muito bem. O ultimo mini-Messi (Iturbe) que passou por Contumil, custou (números da SAD da fruta) 22 milhões de euros ao foculporto e dali, para além meia dúzia de mergulhos (e de outros tantos jogos aos bochechos) e das grandes parangonas da MDCSDQT nada saiu de positivo. Engraçada esta mania dos pequenos-Messi que também atacou os sapos - 2,5 milhões pelo "mini-Messi" escocês, Ryan Gauld. Unidos até na comédia.

Se há coisas que eu admiro é união de facto entre a MDCSDQT e talibãs da internet nessa nobre missão de ajudar o Benfica a resolver os seus problemas. Agora, mais do que nunca, parecem um só na vontade de sacudir Jorge Jesus para fora do Benfica. Pepa já está de reserva nos escaparates mas ainda antes do Natal é de prever que o marquês se torne demasiado pequeno para reservar tantos técnicos especialistas capazes de, num dia mau, meter o Benfica a ganhar 15-0 ao intervalo. 

Jesus, com 600 jogos na primeira liga, é que não pesca puto daquilo. Quem é que pode apreciar os méritos de um treinador que só não gosta de jogadores portugueses quando trabalha no Benfica? No Sporting, por exemplo, onde pernoitava nas camaratas de al cacete para ser ele próprio a dar de mamar aos sapinhos, mostrou bem a sua aversão aos jovens portugueses fazendo titulares do clube do Lumiar; lembram-se daquele futebol avassalador que chegou a espantar o mundo e arredores? - William Carvalho, João Mário (hoje por hoje um player carregado de defeitos) lançando o prodigioso novo (Gelson) Garrincha, Ruben Semedo; com o provável uso da baba de caracol e da placenta de burro, prestes a transformar-se num dos melhores centrais da Europa, talvez até, acima do  Diogo Leite - Adrian Silva, o Palhinha amarela, Rafael Leão, Esgaio, Podence, Mané e Iuri Medeiros...que chegaram na sua maioria à selecção do Rónalde.

No Flamengo, onde ganhou o Carioca, o Brasileirão e a Libertadores, antes de ingressar no Benfica, foi onde mais se notou essa mania do amadorense ostracizar jogadores tugas ao contrario do injinheiro do penta, que adora brasucas. Acabou por deixar o clube brasileiro lançado para repetir os triunfos no Carioca e Brasileirão, mais a supercopa Brasil e a Recopa Sul-americana. Renato Gaúcho, um dos seus maiores críticos, agora à frente do Flamengo dos milhões, onde, segundo ele, bastava a JJ mandar os jogadores para o campo que as vitórias e os títulos caíam de maduros, está à beira de ver o Atlético Mineiro (vegetava na serie B do Brasil em 2019 e 2020) ganhar o Brasileirão com uma equipa, comparada com a sua, de tostões. Uns artistas (vejam-se os ex-treinadores/comentadores/especialistas da especialidade que têm a receita certa para o Benfica chegar a ganhar 15-0 ao intervalo) a cagar tacos por fora.