quarta-feira, 21 de maio de 2014

O senhor dos (m)Anéis.

Por José Albuquerque

Nunca fui pessoa de individualizar os resultados que são (quase sempre) colectivos, sejam esses resultados melhores ou menos bons, mas creio que todos compreenderão que, neste caso da Nossa Equipa, eu sinta a oportunidade para escrever, especificamente, sobre o Nosso Técnico: um Homem ao qual se aplica, na perfeição, o titulo deste texto.

Parece-me perfeitamente normal que, num qualquer clube de futebol, seja a figura do Presidente aquela que concentra a maior qualidade e quantidade de criticas e polémicas. No Nosso caso e apesar dos Estatutos não configurarem nenhuma espécie de “presidencialismo”, também me parece normal que, sendo o Nosso “core business” o Futebol e sendo este gerido pela SAD, ela sim completamente “presidencialista”, acabe por ser na figura do Presidente que todos concentremos as Nossas criticas, elogios e sugestões: é assim que tem sido e vai continuar a ser, ainda que eu deseje que já tenhamos ultrapassado os inconcebíveis exageros da minoritária minoria anti Vieirista, que ultrapassaram todas as mais elementares regras que deveriam reger os relacionamentos entre seres humanos.

Uma vez que o Presidente tem feito saber, insistentemente, que Jorge Jesus é o “seu” Técnico, não me parece descabido que uma parte das criticas, opiniões e sugestões dos Benfiquistas se tenha como que desviado de LFV para o Nosso Técnico. Desprezível mas logicamente, boa parte daqueles que vivem as suas vidas miseráveis com o principal objectivo de atacar o Glorioso e/ou de substituir o Presidente … trataram e continuarão a tratar de alvejar o JJ, seja como for e custe o que (e a quem) custar, até ao dia em que ele saia do Benfica.

E continua a ser miserável o vergonhoso espectáculo a que temos vindo a assistir nesta cruzada anti Jesus!
Uma tremenda tempestade em que o intervalo nos cúmulo-nimbo, em vez de ter raios de sol, acaba preenchido pelos que, agora, lhe preveem uma saída “em grande e para um clube ainda melhor”, num pináculo de hipocrisia que revela uma pressão atmosférica ainda mais baixa.

Por tudo isto e neste cenário exageradamente escabroso, vocês vão compreender e desculpar-me por eu considerar que é absolutamente necessário escrever algumas coisas individualizadamente sobre o Nosso Técnico
Tanto mais que me sinto particularmente bem colocado para o fazer, quer pelo meu facciosismo Benfiquista (sim, se ainda não sabiam ficam a saber que eu sou completamente apaixonado e obcecado pelo Clube), quer por ter desconfiado da entrada de Jorge Jesus no Glorioso, quer por, desde essa véspera, sempre o ter defendido e tentado demonstrar que ele é o técnico “perfeito” para o Benfica a longo prazo e, no mínimo, enquanto mantiver intactas as suas enormes qualidades.

E olhem que não é nada fácil escrever sobre um refinado fora de série, que é isso mesmo que o Jorge Jesus é!

Apesar de alguns cumentadeiros e especialistas da mérdia, de bancada ou do teclado, uma espécie já quase em extinção, ainda terem tentado colocar em causa a sua eximia competência técnica, hoje por hoje já nem o mais anti (Benfiquista, Vieirista e) Jesus se atreve a repetir esse tipo de graçolas e, apesar de todas as correntes adversas sobre as quais assenta a relativa escassez de “títulos”, é já quase uma unanimidade que estamos a falar de um dos melhores técnicos deste milénio.
Pouca coisa?
De modo nenhum, porque o Nosso Técnico conquistou este reconhecimento nas mais difíceis condições possíveis: contra ventos e marés, entre abismos pelos lados e todo o tipo de obstáculos (até internos) pela frente, numa epopeia que só foi possível a um ser humano porque lhe foi permitido vacilar (pelo Presidente), cerrar punhos e dentes e prosseguir com cada dia mais determinação.

Os factos são indesmentíveis e, em apenas cinco anos, Jorge Jesus arrancou a Equipa de uma discreta mediania (discreta, mas muito atacada pela BOIADA a nível interno) e liderou-a até um soberbo quinto lugar no ranking da UEFA, ultrapassando equipas formadas por futebolistas astronomicamente pagos e seleccionados e lideradas por treinadores famosos, todos muito mais bem pagos (especialmente em termos líquidos de impostos) do que ele próprio. Nesta altura só verdadeiros jumentos ainda se permitem subestimar a Nossa Equipa e, quando aparecem … phodem-se!

Tecnicamente dos mais competentes do mundo e, também por isso, bastante “mal pago” pelo Benfica, o Jorge Jesus ainda revelou um largo conjunto de outras qualidades que o tornam quase único.

Não, não me vou referir ao mérito revelado a transformar jovens Atletas com potencial em alguns dos melhores futebolistas desta geração, nem ao mérito de os substituir por outros “num piscar de olhos” e nem sequer ao brilhantismo com que, numa Equipa assolada por lesões traumáticas, inventa “manéis” em série … não, essas fabulosas qualidades são parte da excelência técnica do Jorge Jesus.

O que eu quero sublinhar é ainda mais importante que esses raríssimos méritos e vai fazer-me esgotar o vocabulário de adjectivos … porque o Jorge Jesus é um Líder excepcional e, sobretudo, senhor de uma capacidade de resistência absolutamente invulgar.

Vou confessar-vos que, há cerca de um ano e apesar de acreditar que o Técnico tinha a competência mais que necessária e suficiente para fazer ainda mais e melhor, eu compreendi alguns Companheiros que se assustavam perante a imensa “montanha” que a Equipa ia ter de escalar para ter o sucesso que lhe pedíamos: pensando com a maior objectividade e rigor, todos temos de reconhecer que se tratou de uma tarefa quase hercúlea.
Mas, felizmente, alguns de Nós (Obrigado Luís Filipe Vieira) sentimos que ele era perfeitamente capaz de conseguir esse “impossível” e, principalmente, ele próprio, o Nosso Técnico, sabia que seria capaz, que teria as condições para o conseguir e … teve a Coragem de enfrentar esse desafio.

999 em cada mil seres humanos não teriam tido a Coragem necessária nem para tentar e, dos que a tivessem, 999 em cada mil teriam soçobrado face a uma qualquer, mesmo pequena, dificuldade adicional.

O que Jorge Jesus fez, é o supra sumo do Desportivismo: sofrer (“hurt the pain”, diz-se em Inglês), resistir, autocriticar, melhorar e persistir com determinação e convicção crescentes. Parece simples, mas só os verdadeiros Vencedores o conseguem.

Jorge Jesus já se libertou da “lei da morte”!
Ele vai ficar na história não só como o melhor dos Nossos Técnicos, nem só como um dos melhores treinadores de futebol de sempre: Jorge Jesus vai lá ficar como um exemplo de Coragem e Desportivismo.

Jorge Jesus não será “Nosso Senhor”, mas já é o Nosso Senhor dos (m)Anéis.

Viva o Benfica!                                   

19 comentários:

  1. Se me lesses os pensamentos não o terias escrito de outra forma.
    Não que eu consiga fazê-lo assim, com essa elegância (como sabes o meu vocabulário é mais meia bola e força) mas está lá tudo e Jorge Jesus não merece menos.

    Como menos não merece o nosso presidente, que, tal como muito bem relembras, é homem com 'eles' bem grandes e no sítio certo...

    O jeito que dá ter dois maneis à frente do glorioso.

    ResponderEliminar
  2. Ja que estamos na tematica Tolkieniana, a personagem que simboliza tantos e tantos aziados que polulam nestes dias por esse pais fora so pode ser o.. (en)Gollum! (e mil desculpas pela vulgaridade a roçar o ordinarismo)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpas?! Qual quê, que maravilha...manda vir mais dessas. Ha ha ha enGollum...

      Eliminar
  3. Meu caro Albuquerque

    Antes de mais, daqui de Évora, segue um abraço para um benfiquista daqueles que eu aprecio.
    Depois dizer-lhe que concordo consigo, só não sendo capaz de afirmar com a sua segurança que ele seja o melhor de todos os técnicos do nosso Benfica, porque, felizmente, já tivemos grandissimos treinadores, mas certamente o tempo o confirmará inequivocamente como tal. Assim o espero.
    Seja como for, Jesus é o homem certo para a grandeza do Benfica. Julgo que se fizer o favor de vez em quando ler o que por aqui vou escrevendo sabe bem aquilo que eu penso sobre Jesus. Aprecio pessoas que acreditam em si próprias, que sabem o que valem e que são capazes de se levantar quando as coisas correm menos bem e, principalmente, quando têm boa parte do mundo a empurrá-las para a fossa.
    Embora viva o Benfica com paixão avassaladora, a vida ensinou-me que a "Ave de Minerva só levanta voo ao entardecer" ou, se se quiser, como diz o povo, "as cadelas apressadas párem os filhos cegos", por isso, se a paixão me leva(va) a querer ganhar rapidamente e a maioria das vezes, a razão dizia-me que isso iria levar tempo face a 30 anos de imoralidade instalada no futebol e em tudo aquilo que lhe é subjacente.
    Tinha consciência que para que isso acontecesse o Benfica tinha de fazer o seu caminho com segurança e consubstanciada na aprendizagem que resulta dos erros, como tem feito desde há anos, e com a certeza de que não seria nada fácil, como ainda hoje não o é, nem nunca será, porque os merdosos andam por aí, sempre a procurar minar e insidiosamente à espreita de percalços para os poderem potenciar.
    Por isso, quando Jesus chegou ao Benfica e da forma como entrou, com determinação e crença nas suas capacidades, depressa as conseguiu transmitir à esmagadora maioria dos benfiquistas de verdade. A mim pouco me importou ou importa a forma como pronuncia algumas palavras. Eu sempre percebi as suas mensagens e os jogadores, pelo visto, também. É o que me interessa, pois se se quisesse um bem falante teria de se procurar noutra freguesia, mas o Benfica necessitava era de alguém que conhecesse bem a merda que grassa neste futebol e que pusesse os jogadores a jogar à bola de forma competente. Como ele então disse, a jogar o dobro ou mais ainda. Essa é uma das formas para levar de vencida a viciação que ainda por aí anda.
    E é isso que ele tem feito neste 5 anos. Jesus, a mim, transmitiu-me não a crença irracional benfiquista, que essa vive sempre em mim, mas sim a crença da razão de que finalmente as coisas iriam mudar, porque tinhamos um treinador à Benfica, determinado, apaixonado por fazer cada vez melhor e sobretudo pela forma como ele vive o Benfica.
    Os mesmos que os criticam são incapazes de censurar politicos, jornalistas e outros que por aí andam e que, de tão letrados que são, dão cada pontapé na gramática que até dói. Mas não, Jesus é que está à mão de semear - uns por inveja, outros para atingir outros fins, outros, os tolos, porque sim, como, por exemplo, o meu barbeiro, que, à falta de argumentos, me diz que não gosta dele e prontos!, é um direito que tem, o direito dos tontos -, e então toca a descascar. Já agora, sugiro a quem quiser ouvir alguém a debitar faladura de forma escorreita que ouçam, por exemplo, o CR7. O paradigma do que é ser um poeta da palavra. (continua)


    ResponderEliminar

  4. (continuação)

    Adiante, nestes 5 anos de Jesus, ele devolveu-me a esperança da felicidade, da alegria, que tão arredia andou durante anos e anos. Eu devo-lhe isso. Mesmo nas tristezas, mesmo nos erros, que também os cometeu, não fui capaz de o deitar abaixo, porque tinha e tenho a consciência de que com ele ganhar está sempre ali. Que com ele a dinâmica de vitória que tanto custa a alcançar será uma realidade e que depois dele aquilo que há muitos anos Mário Wilson disse será de novo verdade.
    Nestes 5 anos, em momento nenhum me lembro de ter ouvido algum jogador do Benfica a incompatibilizar-se com Jesus, mesmo aqueles com quem aqui e ali poderá ter havido discordâncias, como foi o caso de Cardozo. Recordo sim os elogios de Aimar, que, segundo penso, terá chegado a dizer que tinha pena de ter sido treinado por Jesus já tão tardiamente na sua carreira. Lembro Saviola, lembro, sei lá, todos eles, e nem interessa para nada a excepção"soft" Nolito.
    Nunca ouvi nem li nenhum treinador, mesmo aqueles que todos sabemos, pôr em causa a sua competência, apesar, isso sim, da inveja, muita inveja.
    Vi, ouvi, li, Jesus a ser diminuido, a ser enxovalhado, a ser cuspido, a ser destratado, por uma cáfila nojenta que não quis saber da dignidade da pessoa na hora da derrota.
    Vi, ouvi, li, Jesus a demonstrar ser bem formado, a dar mostras de não ter rancor nem espirito vingativo na hora da vitória. Eles, os tristes imbecis, não sabem, porque não têm capacidade para alcançar, mas foram esbofeteados de uma forma elegante como raramente se vê!
    Vi, li, ouvi, Jesus a fazer jus a um seu homónimo que por aí andou há dois mil anos. Não é para todos!

    Grande abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado "Alma"
      Isto é o que chamo - escrever com Alma. Ainda por cima, estou 100% de acordo.

      Eliminar
    2. Belíssimo texto, é um prazer ler o que escreve.

      Eliminar
  5. Dizes tudo.

    Eu também desconfiei de JJ quando entrou. Primeiro pelas declarações ao serviço do Braga (roubado contra o Benfica fez uma tempestade, roubado contra o Porto não fez nada) e depois porque Quique só não foi campeão porque foi super roubado.

    Dito isto, o JJ entrou e mostrou uma diferença tal que só aquele primeiro ano servia para ter renovado por 10 anos.

    Quanto ao final da época passada... a malta tem de deixar de analisar o futebol à moda dos merdia. Os comentadores, perante jogos de qualidade igual, dizem uma coisa se a equipa está a ganhar 1-0, dizem outra se está 0-0 e dizem ainda outra se está 0-1. Ou seja, o resultado é que dita tudo. E foi isso o que se passou com o JJ.

    Ninguém viu que o Benfica teve a primeira final europeia em 13 anos, o Benfica lutou contra tudo e todos e esteve a 10 segundos de vencer o campeonato (e o JJ a ter de jogar contra o árbitro nesse jogo, para não falar que os outros só tiveram hipótese de serem campeões por causa de arbitragens). Verdade seja dita, aquela acabou por ser a melhor época de JJ até agora (em termos de % de pontos).

    A malta esqueceu-se e agora parece que fizemos uma época perfeita. Aposto que o JJ está chateado por ainda não ter ganho o primeiro jogo do ano desde que está no Benfica nem de não ter sido campeão sem derrotas. Só para falar de campeonato.

    Este gajo é o maior, devolveu o entusiasmo em redor do Benfica, subiu de novo a fasquia (por isso é que há malta chateada por se perder a final da liga europa com o Sevilha... com os outros treinadores até o AZ teria sido difícil) e esquecem-se que isso só acontece por causa do JJ.

    Que ele continue. É a nossa melhor hipótese de continuar a ganhar troféus.

    ResponderEliminar
  6. Caro José Albuquerque,

    Não podia estar mais de acordo com tudo o que foi escrito. Aliás, parecendo estranhas, numa primeira analise as contantes criticas a JJ, alicerçadas em primeiro lugar porque um treinador tantos anos de Benfica teria de ganhar mais titulos, como se o Benfica nos últimos trinta anos, ganhasse de forma sistemática vários títulos e agora como ganhou quase tudo ( o que não ganhou foi escandalosamente roubado pelo Alemão) o JJ para os comentadores paineleiros, só pode sonhos mais altos e portanto um qualquer fantástico Clube Europeu o levará do Benfica. Assim, para mim é claro, e tal como, por este blogue já foi dito e redito existe apenas a preocupação de tirar JJ do Glorioso.
    Todo isto, para alem de reflectir, o desejo legitimo dos nossos rivais, de quererem JJ fora do Benfica, para assim os seu Clubes ter mais possibilidades de ganharem títulos, parece-me também que toda esta preocupação com JJ visa em 1ª instância atacar o nosso Presidente. È claro para mim, e para muitos Benfiquistas que com JJ fora do Benfica, este fica mais fraco e logo com menos probabilidades de ganhar titulos.
    Todos nós sabemos como funciona a arbitragem em Portugal e como a CS está sempre disposta a fazer grande alarido, se eventualmente o Benfica for beneficiado e a diminuir o ruido quando os outros rivais são favorecidos (temos observado este facto ao longo dos anos quando escandalosamente o FCP é beneficiado). Tudo isto é, em si mesmo uma forma de pressão e de condicionar os árbitros pois estes sabem que se beneficiarem o Benfica, levarão com o alarido semanal da CS e ao contrário se prejudicarem o Benfica e beneficiarem os nossos rivais tudo passa mais despercebido. Ora até isto JJ tem conseguido ultrapassar, colocando o Benfica a jogar um Futebol tal, que tem conseguido inviabilizar toda esta trama da arbitragem e da CS em Portugal
    Dizia eu, que esta preocupação por parte da CS de tirar o JJ visa atacar o LFV, porque sem JJ o Benfica terá muito menos “chances” de ganhar títulos e assim começará a destabilização do Benfica com intuito de retirar o apoio da massa adepta do Benfica a LFV e assim retira-lo da Presidência do Benfica e colocar alguém mais maleável e que possibilite a reconquista por parte dos interesse instalados, de muito daquilo que com tanto esforço LFV conquistou nomeadamente as transmissões televisivas por parte da Benfica TV.
    Portanto caros amigos Benfiquistas, eu sei que por este blogue todos estão muito atentos, mas não pode haver distracções, porque o Sistema está ferido mas não está morto e utilizará todos os meios para voltar a ter o total e indiscutível domínio do Futebol em Portugal
    Nota: Lembram-se os caros amigos Benfiquistas deste Bloque, eu ter referido que na Quinta feira antes da Pascoa, ter visto o Joaquim Oliveira, o Humberto Coelho e o Fernando Seara, a sair de Restaurante o Solar dos Presuntos em Lisboa? Na altura eu já coloquei a hipótese de se estar a cozinhar a candidatura à Presidência da Liga por parte de Fernando Seara. Pois hoje temos a confirmação, Fernando Seara vai anunciar ás 18 horas a sua candidatura á Presidência da Liga. Não sei se vai ter o apoio de LFV ou não, mas parece-me que Joaquim Oliveira está tentar colocar na Liga, alguém que sendo Benfiquista, não será muito contestado por estes, mas para mim sendo Seara um frouxo e maleável não espero que seja mais positivo para as nossas cores de que um outro qualquer não Benfiquista. A ver vamos, e caso seja eleito (o que duvido) espero não estar enganado.

    VIVA O BENFICA

    ResponderEliminar
  7. Enorme Alma Encarnada, Companheiro,

    Uma venia por mais um comentario verdadeiramente brilhante. Estou certo de que todos os Leitores do GUACHOS ja' estamos habituados a esta rotina de prazer que tu nos proporcionas.

    Em segundo lugar e porque ainda te nao convenci a tratares-me por tu, quero que compreendas que a vida me levou a ser quase intimo de pessoas com as quais nunca senti a empatia que os teus comentarios me provocam.

    Finalmente e porque compreendo as tuas reservas 'a minha (arriscada, eu sei) afirmacao segundo a qual o JJ e' o Nosso melhor tecnico de todos os tempos, quero justificar o risco que assume ...

    Trata-se de um Homem de origens muito humildes, o que, na minha humilde opiniao, ja' lhe confere vantagem num qualquer eventual "desempate". Trata-se de um profissional que nunca se escondeu atras da hipocrisia de uma falsa modestia, mesmo sabendo que (mais de) meio mundo lhe ia "cair em cima" so' por ser o Tecnico do Glorioso, o que lhe garante mais uma vantagem em caso de desempate (no tenis, 2 vantagens ja' conferem o jogo).

    Mas, acima de tudo o resto, reconheco ao JJ uma dose adequada de "loucura", desde que o sentimos obcecado pelo trabalho (parece obvio que e' no trabalho que ele colhe toda a felicidade), passando pela coragem com que assume certos riscos taticos e terminando na humildade (que lhe pode ser exigida por uma imensa vaidade) com a qual nao se importou de "ajoelhar" perante o infortunio.

    Ha' ja' muitos anos, aprendi com um Amigo o significado que ele dava 'a expressao "super homem:: era assim que ele qualificava os que eram capazes de fazer quase tudo razoavelmente bem e cujos pontos fracos nao faziam mal a ninguem. O Senhor Jorge Jesus tambem cabe nesta definicao.

    Todos ja' testemunhamos erros por ele cometidos e apostas que nao venceram, pelo que ficou provado que ele e' humano.
    Todos ja' testemunhamos os resultados da sua capacidade de autocritica, porque conferimos varias mudancas/correcoes/alteracoes nas escolhas dele, o que constitui mais uma qualidade rarissima, sobretudo em "cinquentoes" e, ainda mais, em quem ganha tanto dinheiro.
    Finalmente (podia escrever muito mais), eu que considero que devo quase todos os sucessos que construi ao longo da minha vida "a minha capacidade de automotivacao, mas que perdi mais de 90% da minha capacidade de sacrificio logo que consegui patrimonio suficiente para garantir o futuro dos netos que ainda nao tinha, curvo-me perante a tenacidade com que o Senhor Jorge Jesus se "aborrece" durante as ferias.

    Nao sei se consegui explicar-me melhor do que o tinha feito no texto, mas fico satisfeito por ter conseguido, pelo menos, dar testemunho do imenso Respeito que tenho pelo Nosso Tecnico

    Nao ha' insubstituiveis, mas eu espero que esteja longe o dia em que ele saira' do Clube.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiros,

      Um pouco na linha do que o Enormerrimo Guachos comentou mais acima ("O jeito que dá ter dois maneis à frente do glorioso"), reparem que mais de 95% do que eu escrevi a proposito do JJ tambem poderia ter escrito (de facto ja' o fiz) a respeito do Nosso atual Presidente.

      Confesso-vos que gosto da coincidencia de vermos, neste periodo, o Clube a ser de alguns modos liderado por fois Homens de origens muito humildes, como que sublinhando a marcada raiz popular que define a Nossa Gloriosa Historia.

      Viva o Benfica!

      Eliminar
  8. Companheiro Albuquerque

    Também eu gosto de ler as vossas opiniões e é nelas que em muito revejo o meu sentimento benfiquista e é por isso que aqui venho com muito gosto. E enquanto me permitirem aqui virei para ler e escrever sobre a minha selecção, o meu BENFICA!
    Claro que entendi, cá vai o tu, a tua perspectiva pela qual consideras o nosso Jesus, sim, não tenho dúvidas que é dos nossos, o melhor de todos.
    Finalmente, acho muito interessante a tua referência ao ajoelhar de Jesus no couto dos corruptos. Tão apoucado foi ele por tanto lhe ter doído a derrota, curiosamente enquanto era gozado pelos adeptos dos outros, o que compreendo, os benfiquistas da treta amesquinhavam-no por ter manifestado daquela forma a sua dor, que era a nossa. Por ter sido humano.
    Nesse dia, cá em casa, instalou-se a tristeza pela derrota mas também a certeza de que o Benfica tinha como treinador um individuo sem disfarces. Um homem e um profissional de excelência que, como bem o dizes, merece o nosso respeito.

    Grande abraço e, claro, viva o Benfica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. JJ, um Treinador com H grande!

      Como já escrevi antes, os corruptos têm no seu museu, num espaço dedicado ao Benfica, um dos momentos mais altos da nossa História, o momento em que JJ se ajoelha perante a dor imensa da derrota, não de um jogo, não de um ou três campeonatos, mas sim da derrota todos os Benfiquistas... a dor de mais uma derrota injusta que explica a imensa alegria vivida durante esta época em que comemorámos todos os troféus que nos têm sido roubados nos últimos 35 anos.

      Que diferença entre o êxito fugaz de um cromo inútil como o kelvin e a grandiosidade de um Homem que sofreu mas acreditou que o trabalho de quatro anos era válido, que o caminho trilhado era o correcto e que soube reerguer-se, sem ajudas, sem roubos, constantemente fustigado por mercenários ao serviço do clube da corrupção e pelas instituições desportivas, policiais e judiciais.

      Eliminar
  9. Como sabe bem passar por uma auto-estrada,onde se respira,sente,cheira e vive Benfiquismo do mais puro!!!!

    Cumprimentos para todos!!!!!!!

    ResponderEliminar
  10. Meus Caros Companheiros, Enormérrimos, como diz o nosso Albuquerque,

    Eu que já vou nos 50, recordo o que mais me marcou nestes tempos de Jesus - a forma demolidora, esmagadora, triunfal, épica, como agarrou com mãos de ferro(mãos de Oblak) a oportunidade de uma vida, e se lançou há 5 anos nesta epopeia que tem sido a sua fulgurante passagem pelo Glorioso, devolvendo-me o orgulho, não de ser Benfiquista, porque isso nem se discute, ao presenciar o maior rolo compressor de uma das equipas do Benfica nos largos tempos anteriores, onde sofremos ás mãos das nossas incompetências, e da lama em que o futebol havia mergulhado em Portugal, desde a entrada do senhor do Mal, Pinto da Costa de seu nome, juntamente com o ministro da propaganda, Pedroto de seu nome.

    Uma equipa que só não brilhou mais, pela inexperiência do próprio Jesus num Clube histórico e lendário, como dos jogadores, tenrinhos e ainda a abrir os olhos, mas que com o seu imenso talento(que saudades do Anjo Di Maria, do Magico Aimar, do Coentrão, coração encarnado,e do enorme jogador e Ser humano, Saviola) e que moldados por JJ, brilharam a grande altura no firmamento das grandes equipas que pisaram o nosso Estádio da Luz.
    Depois de épocas consecutivas a ver a corrupção triunfar, com treinadores medianos, jogadores bons, mas não tão bons assim que justificassem tantos títulos seguidos, Jesus transformou um casulo numa borboleta, e transportou-me para uns bons 30 anos atrás.
    Depois de um período de adaptação, em que sinceramente me pareceu que o Benfica era demasiado grande para Jesus, e em que este foi desperdiçando algum afecto do meu coração, renasceu literalmente na Pascoa, e munido das pedras que encontrou no caminho, construiu um castelo inexpugnável, este onde habita agora uma equipa imbatível em casa, temível, ambiciosa e lutadora - e tudo isto pode ser resumido na imagem do André Gomes a pregar o Fernando ao solo com um truque de cartola, e a implodir o nosso maior rival , com Raça, Orgulho, Querer e Ambição. Nem contra 10, nem com Proença foi possivel aquilo a que estavam habituados, e agora, sempre que olharem para a camisola com a águia ao peito, o sangue gelará, e as pernas tremerão!

    Já o disse e repito, parafraseando Churchill, "o pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o optimista vê oportunidade em cada dificuldade", Jesus soube sempre enfrentar com galhardia e coragem as dificuldades, e tocou-me profundamente o seu gesto de, na final da taça, depois do que passou na época transacta, colocar o Cardozo a jogar - onde podia ter havido mesquinhez, houve grandeza, e no final posaram juntos, sorridentes, como irmãos na luta -por falar nisso, onde estão essas imagens e essa referência na comunicação social?

    Por isto, pelas comemorações, onde foi tão efusivo e entusiasta como eu próprio, pelo trabalho, por não baixar os braços, e pela enorme Crença, e grande Alma, e pelas vitórias, Jesus está junto com outro monstro que ocupou a cadeira de treinador do Benfica, no lugar que sempre esteve por mim reservado como o melhor treinador que vi brilhar no Glorioso -Sven Goran Eiksson.

    Que o Universo o proteja, e que a inspiração o guie, para consolidar o trabalho feito, porque....
    O CAMPEÃO VOLTOU !!!!!
    VIVA O GLORIOSO, BENFICA ...AMOR ETERNO!

    ResponderEliminar
  11. Atenção que já começou a desinformação e a desestabilização com os costumeiros "cumentadores" e talibans da net em grande.

    A pasquinada já começou a compra e venda de jogadores e os famosos "roubos", "desvios" não tardarao a chegar.

    Há que estar sempre alerta contra esta cambada, pois não vão dar tréguas até os corruptos voltarem ao seu normal, cheios de fruta e marisco para distribuir à Proençada e companhia.

    T Pizarro

    ResponderEliminar
  12. JJ, o Alex Ferguson do Benfica.

    ResponderEliminar
  13. Caríssimo e estimado amigo José Albuquerque,

    há alturas na vida em que não é preciso dizer nada... ou em que silêncio é tranquilizador!

    As situações simplesmente ultrapassam-nos e falam por si. As ideias dos outros encontram em nós, um espaço de receptividade, acomodam - se e sentimos - nos aconchegados pela simpática noção de tantas e excelentes pessoas partilharem e comungarem desta concepção ou filosofia de vida e de alma que nos faz a todos um...

    Por isso, mais do que catalogar o texto, coloco rótulo na reactividade ao mesmo! Que fantástica fenómeno se despoletou. Que soberbos comentários e excelsa humanidade transparece de todos eles...

    Assiste-se em directo, aquilo que sempre ambicionei ver...

    Sob a influência quase diria solar e lunar do nosso Benfica, as pessoas superam- se, escrevem com divina inspiração, a elegância de ser e estar aflora à superfície e escorre e abundante manifestação cultural... para falar Benfica, ser Benfica, sentir Benfica.

    E é assim, com este sentimento de tríplice satisfação que me calo, para honrar as palavras como comecei...

    Tão bem se acarinha e a afaga o nosso colosso, que me vou resguardar no silêncio e ficar apenas a observar o sismo que provocaste e deleitar - me com cada uma das suas réplicas, porque estes companheiros estão feitos em lava tão incandescente que até queima o ar e afugenta... os negros corvos!

    ResponderEliminar
  14. Estimados Benfiquistas,

    Achei muito interessante o post colocado por José Albuquerque, embora me pareça existe maior enfoque nas qualidades de Jota Jota, e algum "perdão" nos seus defeitos.
    É fácil dizer hoje que sempre se defendeu JJ.
    Eu confesso que comecei por achar que era mais um que iria ser trucidado assim que o ouvi dizer que com ele o Benfica ia jogar o dobro, e as arbitragens não iam ter nenhuma influência.
    Penso que JJ também já deve ter aprendido (logo na sua segunda época no Glorioso) que as arbitragens podem mesmo ter MUITA influência.
    Confesso também que no final do primeiro campeonato pensei que era dessa que podridão lá de cima iria começar a desfazer-se. Pura ilusão.
    Acredito hoje, que mesmo com JJ o "sistema" está bem vivo e que os escândalos vão continuar, impunemente.
    E também já aqui escrevi, que temos que reconhecer a evolução de JJ não só na forma de comunicar com a cs e os Benfiquistas, como também na forma mais humilde como "vê" o seu trabalho no seio de um todo (equipa, clube, BENFICA).
    Acreditem também meus caros companheiros, que hoje não estou preocupado com a saída de JJ. OBVIAMENTE que com JJ as nossas hipóteses de sermos bicampeões são sempre altas.
    Mas não duvido que caso haja um sheik ou um oligarca com uma mala cheia de dólares em cima da mesa, o nosso presidente terá já o substituto preparado para dar continuidade ao projecto do BENFICA.
    Esse sim, o nosso presidente, será bem mais difícil de substituir.
    Desculpem a sinceridade, mas tenho alguma dificuldade em elogiar o Jorge Jesus depois de ter ganho quase tudo. Prefiro fazê-lo após a primeira jornada da próxima época mesmo que (espero que não ) voltemos a perder o jogo.
    CARREGA BENFICA!

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.