quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Estratégia de comunicação – um esclarecimento.

Por José Albuquerque
 
Embora persista a minha aflição com falta de tempo livre, a gravidade deste tema, a vergonha da pedreira e, sobretudo, a amizade para com o Autor deste blogue e os seus Leitores, obrigam-me a esclarecer os fundamentos da minha opinião sobre a estratégia de comunicação do Nosso Clube.
 
Como sabem, a minha “tese” (aparentemente e por simples coincidência, a mesma seguida pelos Nossos Corpos Sociais) pode sintetizar-se na seguinte frase: (1) aguentar, sem estrilhar, as primeiras investidas dos BOIS, (2) reclamar, apresentando as provas insofismáveis, junto da FPF e do CA, (3) esperar que “a organização” corrija (pelo menos) os exageros e, finalmente (4), caso “a organização” não atue e permita uma acumulação dos ROUBOS, escolher o momento ideal para, nas condições cuidadosamente escolhidas, desferir um “ataque” sem defesa possível.
 
Notem que usei uma linguagem tecnicamente inaceitável (chumbaria, se isto fosse um teste académico), para que não subsistam dificuldades de interpretação. E notem que eu escolhi usar o conceito “a organização”, em vez do mais natural “xistrema” …
 
Quer gostemos, quer não, o Benfica pertence, tem de pertencer e tem de querer pertencer ao que chamei de “a organização”, embora correndo o risco de ver alguns Taliban nisso tentar fundamentar que “o orelhas faz parte do sistema”: cada modalidade desportiva que entre em crise em Portugal corresponderá a um grave problema para o Nosso Universo e, no caso do Futebol, isso colocaria em causa o Nosso futuro.
Como não escrevo para os Taliban, não vou perder tempo a enumerar as provas que demonstram que o Nosso Clube e desde que temos este Presidente, tem sido o epicentro de todos os terramotos que afrontaram o “xistrema”.
 
Como elemento primordial desta “organização” (também não vou perder tempo a demonstrar que o Benfica é o centro de todo o universo desportivo nacional), o Nosso Clube deve e tem de tentar contribuir para a sua evolução e crescimento, especialmente no que toca ao restabelecimento da Verdade Desportiva em todas as modalidades em que o POLVO a vem garroteando há mais de 3 décadas
 
Conclusão – o Nosso Clube tem de defender o Universo Desportivo nacional, ate’ dos seus vícios internos (o POLVO), por forma a determinar o seu crescimento e desenvolvimento sustentáveis e a defender a Verdade Desportiva.
 
Estou, com esta conclusão, a criticar todos os Companheiros que fizeram (muitíssimo bem) um coro de indignação contra a roubalheira da pedreira?
Não! Nada disso e muito antes pelo contrário: sou absolutamente solidário com todos vocês (tal como escrevi “emocionalmente solidário”), estou grato e orgulhoso com as múltiplas demonstrações de imenso Benfiquismo que, mesmo com pouco tempo, pude testemunhar.
Incoerência?
Não!
Não querendo tratar-vos como “totós”, ainda assim recorro a um exemplo simples: se um de Nós, simples consumidor, for mal atendido por uma certa Empresa (ou “organização”), deve reclamar imediatamente e com todos os argumentos possíveis, mas, se um grande “parceiro” (Cliente, Fornecedor, etc.) dessa Empresa for mal atendido, em vez de fazer um “basqueiro”, deve fazer uma reclamação formal e pelos canais apropriados, tentando levar o seu “parceiro” a corrigir o seu erro e, assim, contribuindo para o beneficio mutuo.
 
É claro que aquela conclusão coloca, imediatamente, a questão fundamental da “liderança da organização”, do seu crescimento e desenvolvimento.
Creio que todos concordamos que o Nosso Clube é o centro de toda esta “organização”, no sentido em que, mesmo sem nela termos capacidade de decisão, somos o seu elemento primordial, o maior, aquele que mais e melhor a “representa”, interna e externamente, o que maior parte do seu “valor” significa. Por mais que os anti se rebolem, o Nosso Clube só pode ser hegemónico em todo o Universo Desportivo nacional: esta é uma realidade que foi temporariamente colocada em causa, por obras do POLVO e muita culpa Nossa, mas que, uma vez ultrapassado esse período negro da Nossa História, é absolutamente incontestável e eu nem sequer vejo muitos a pretender contestá-la.
 
O Benfica, o Clube que Somos Nós, é o centro, o motor e o “ganha pão” de todo o Universo Desportivo nacional, ou seja … da “organização”. Para muitos Companheiros, o simples reconhecimento desta evidência deveria corresponder a uma presença determinante de Benfiquistas (representantes nomeados pelo Clube) em toda a cúpula da tal “organização”. Teoricamente e enquanto o POLVO preferiu (compreende-se) manter-se como uma espécie de “eminencia parda”, foi isso que aconteceu na esmagadora maioria das Federações.
 
Como sabem, eu tenho defendido a tese contrária e prefiro que os Benfiquistas continuem a concentrar-se no Clube, sem envolver-se diretamente no dirigismo federativo. Confesso que até posso concordar com exceções mas apenas nas modalidades que estejam limpas de um historial corrupto.
Que os Benfiquistas se compenetrem que Amam um Clube absolutamente impar! Impar desde a sua Fundação e impar ao longo da esmagadora maioria da Nossa Gloriosa História. Um Clube que ainda não conhece os seus limites, nem os físicos, nem os qualitativos e um Clube que tem a responsabilidade histórica e patriótica de “descobrir” esses limites, de os testar e, dessa forma, libertar o “des porto” nacional (para já) do POLVO andrupto.
Eu acredito que o POLVO transformou o Nosso Clube numa “mola comprimida” e que, nesta década, ele se extenuou a tentar impedir, ou retardar, a definitiva e imparável descompressão dessa “mola”. Eu acredito que o Nosso Clube e o Benfiquismo não é só hegemónico em Portugal: o Benfica é, potencialmente, absurdamente hegemónico em Portugal e para todo o universo desportivo e esse imenso potencial resulta assustador para a esmagadora maioria dos outros agentes desportivos, desde a mérdia aos outros clubes, passando por todos aqueles que subsistem destes “negócios”.
Eu acredito que o dia chegará em que, naturalmente, o dirigismo desportivo nacional vai estar repleto de Benfiquistas, respondendo a um processo perfeitamente natural e a uma afirmação dos Nossos Valores.
 
Mas, enquanto o “des porto” nacional em geral e o “futeluso” em particular, permanecerem minados pelos restos e fragmentos mortais do POLVO e subsistirem num cenário de corrupção e outros anti Valores, humildemente eu considero que o Benfica pode e vai ser o agente da mudança, mas sem que sejam Benfiquistas a protagonizá-la, sob pena de a inviabilizar.
 
Regressemos ao fator “comunicação” e com uma curtíssima passagem pela chamada “comunicação interna” …
Sei que alguns Companheiros acusaram os Nossos Dirigentes de não prepararem os Nossos Atletas e Equipas para tragédias como a da pedreira e outras como a que aconteceu há dias num desafio de hóquei em patins, mas eu discordo em absoluto e sustento esta opinião no comportamento absolutamente exemplar de todos os Nossos Atletas, Técnicos e Dirigentes perante essas ocorrências.
Todos os que já praticaram desporto de competição sabem bem que não há nada que se lhes possa fazer do que condicionar-lhes, externa e injustamente, o nível de desempenho. Sempre que isso me aconteceu, só muito dificilmente consegui (algumas vezes) controlar a raiva que esse tipo de afronta representa, sobretudo quando ela provém dos que deveriam ser Árbitros.
O comportamento exemplar das Nossas Equipas nestes dois casos constitui uma prova insofismável de que todos os seus elementos estão bem preparados para este tipo de incidentes.
 
Deve, então, o Clube continuar a “comer e calar”, perguntar-me-ão alguns dos Leitores?
Não! De modo nenhum!
Em primeiro lugar porque o Clube não “comeu e calou”: tal como aconteceu com a Federação de Patinagem, a quem o Clube já tinha apresentado outras reclamações, com a qual vivemos aquele clímax na final da TCE no ladrãocaixa, o Benfica acaba de anunciar uma medida tremendamente grave, ao anunciar que vai retirar de pista qualquer Equipa sua que seja objeto da falta de segurança em competição. A esta Federação o Benfica deu oportunidade de se emendar e, perante respostas insuficientes, reage com a indispensável determinação.
 
Apesar de tudo, temos todos que reconhecer que a BOIADA tem evitado “marrar” nas Nossas Equipas de futebol (apesar de aproveitarem todas as oportunidades para punir os Nossos Atletas, especialmente no capitulo disciplinar) nos meses mais recentes e, em particular, neste inicio de época. Este comportamento tem sido tanto mais surpreendente quanto todos esperávamos vê-los a agredir-Nos desencabrestados logo desde a primeira jornada.
Para sermos verdadeiros, até teremos de reconhecer que os BOIS andam a evitar aquele tradicional andor aos andruptos, tanto mais que todos prevíamos o contrário.
De facto e nas competições internas, o arraial da pedreira foi a primeira demonstração incontestável da miséria tradicional do “futeluso” nesta época desportiva.
 
Nestes termos como deveria o Clube reagir?
Espadeirando, de cima abaixo, a torto e a direito, tipo brunalgas aldrabão?
(quanto ao sucesso da estratégia da osgalhada, ainda temos de dar algum tempo ao tempo, mas, por enquanto …)
Ou, com rigor, seriedade e determinação, “avisando”, discretamente, a FPF (e o seu CA) que lhes compete a eles impedir que uma tal ROUBALHEIRA se repita?
E notem que eu escrevi ROUBALHEIRA porque considero que os factos demonstram uma intencionalidade premeditada que nada tem a ver nem com “incompetência”, nem com “erro humano” e nem mesmo com uma “má exibição num dia mau”.
 
Aos Companheiros que me contestarem recordando que o Nandinho “faturas de deusas” Gomes e o Vitinho “de cócoras” Pereira não merecem que o Benfica os … “defenda”, ou “defenda a organização” pela qual eles são os diretos responsáveis, eu pergunto se acham que seria este o momento para os substituir com a certeza de o fazer para melhor?
Parafraseando alguém de grande notoriedade, eu recordo-vos que o Grupo Benfica é ainda mais que um “porta aviões”: o Nosso Clube é o “Navio Almirante” de toda esta armada. Uma armada cheia de submarinos inimigos!
Por isso (e muitas outras razões), os Benfiquistas não devem deixar-se embalar nos típicos “cantos de sereia” dos diversos subtipos de brunalgas.
 
Ainda ontem o Enormérrimo Guachos escrevia que o mais grave de tudo, em casos como o da pedreira, é o branqueamento servilmente providenciado por uma mérdia asquerosamente anti, branqueamento esse que pode permitir a sucessiva repetição dos mesmos ROUBOS e … impunemente. Eu também preferia saber que, algures pelo meio dos jornaleiros, junta letras e pés de microfone, havia um número suficiente de Companheiros capazes de impedir esse branqueamento.
O Guachos lamentava-se de Nós não conseguirmos, mesmo juntando o coro de todos os Nossos blogues, evitar esse branqueamento. Eu também preferia que tivessem sido todos os blogues que se consideram Benfiquistas a lutar contra esse branqueamento.
 
Mas, ainda que eu possa concordar com parte desta indignação do Guachos e com 100% dos seus fundamentos, não reconheço a essa frustração razão suficiente para preferir que o Presidente, o Técnico e o Clube não dessem aos responsáveis da “organização” a motivação necessária para a emenda indispensável, trocando-a por comportamentos que fariam as parangonas do próximo mês, desviando todas as atenções do que, de facto, aconteceu.
 
Companheiros,
Eu não vos posso garantir que tenha razão e, mesmo que pudesse, nunca vos poderia garantir que esta estratégia vai conseguir produzir os resultados exigíveis e indispensáveis, mas aqui ficaram os meus argumentos, as minhas razões, que descrevi com a mesma Paixão Benfiquista que anima cada um de vós.
Se tiverem tempo para mais leitura e me quiserem distinguir com ainda mais consideração, então pesquisem, aqui no Guachos, uns textos publicados há uns 15 meses sob este mesmo titulo e assuntos.                                         
                  
Viva o Benfica! 

31 comentários:

  1. Meu caro José Albuquerque, todo o teu raciocínio tem lógica e esta muito bem fundamentado, a única coisa que me preocupa é o facto da "organização" estar corrompida e as estratégias a longo prazo dos agentes benfiquistas pouco ou nada importarem para alterar o estado de coisas no futebol português... obviamente que sinto que o Benfica está mais forte a todos os níveis, mas também sinto que ainda falta muito para o Benfica conseguir reconquistar o respeito generalizado no futebol nacional, muito por causa da corrupção e da prostituição intelectual que abunda neste futebol demasiado pequeno para a grandeza do Benfica, este clube se tivesse inserido num outro país era facilmente um dos clubes mais poderosos do momento a nível internacional... ei, espera aí, estamos no top 5 não é, imaginem com o poder financeiro de clubes como o Real, Barça, Bayern, Manchester, etc... considero que o Benfica está preso numa economia insignificante e de facto esta direcção tem feitos autênticos milagres, falta o título internacional que nos fugiu por entre os dedos nas épocas passadas... havemos de conseguir, custe o que custar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Papoila, Companheiro,

      Obrigado pelo teu comentario, ate' porque me permite testar que todo o raciocinio resultou inteligivel (e' sempre melhor ler uma confirmacao externa).

      Obviamente, esta "Guerra" vai continuar a ser muito dificil e composta das "3 batalhas" a que eu me referia nos textos publicados ha' mais de um ano (as batalhas desportiva, economica e da comunicacao), mas creio que o resto do teu comentario e' claro quanto aos avancos solidos que temos conseguido em todas as (3) frentes.. Mais importante do que isso, temos registado um assinalavel crescimento e desenvolvimento do Clube.

      Claro que ninguem pode "provar" que resultados teriamos ja' obtido se os Corpos Sociais tivessem seguido uma estrategia de "Guerra aberta e declarada", mas convem que ninguem esqueca o que aconteceu quando, ha' uns anos, um Plenario dos Corpos Sociais "decretou" um boicote aos jogos fora da Catedral.
      E' que uma "Guerra aberta" exige um "exercito" minimo e/ou minimamente disponivel e/ou organizado, coisa que os Benfiquistas ainda nem de longe representam (com a BTV podemos vir a estar mais proximos).

      O caminho e' longo, cheio de obstaculos, mas faz-se ... caminhando. E a "felicidade" nao vai ser o premio 'a chegada: a "felicidade" faz parte do percurso!

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  2. E o enorme abraço ao grande e impoluto Luis Duque? Bem acompanhado anda o Benfica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hoje, vou abrir uma excecao e responder a anonimos que nem uma porra de um argumento se dao ao trabalho de explicitar ...

      Voce deve ser um tipo cheio de moral para lancar labeus sobre "pureza"!
      So' lhe faltou listar alguns "impolutos" que a Nossa SAD poderia apontar como alternativa.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Nunca roubei nem fui acusado ou condenado de qualquer tipo de crime. Mas cada um se dá com quem querm e com quem se identifica. Mas também reconheço que em Portugal é difícil alguém não se dar com criminosos dado que nascem como cogumelos em todo o lado.
      Daí não passar de um país merdoso no cú do mundo civilizado.

      Eliminar
    3. Realmente só num país merdoso há gajos a emitir opinião mas recusando identificar-se, tens razão.

      Eliminar
    4. E para que queres a identificação? Não estou interessado em conversa íntima nem dou trocos a peditórios. Também não tenho um nome tão interessante como o teu nem vivo numa cidade mitológica a meio do atlântico. Com ou sem identificação, o país continua a ser merdoso e recheado de criminalha e ademais seguidores.

      Eliminar
    5. Anónimo das 22:28, como não assinas (mesmo com um nick) não sei se és o mesmo palerma dos comentários anónimos anteriores. Percebes agora para que serve assinar? Suponhamos que escolhias como nick Totó. Assim já te podia chamar Totó, como não assinas vais continuar a ser um palerma qualquer.

      Eliminar
    6. Deve ser mais fácil encontrar oricalco do que sacar conteúdo de um comentário teu. Não é que fiques a destoar, diga-se.

      Eliminar
  3. Almada Negreiros, 80 anos depois, continua actual:

    "Há, sim senhor!
    Há um Portugal sério, um Portugal que trabalha, que estuda; curioso, atento e honrado! Há um Portugal verdadeiro que não perde o seu tempo com inimigos fantásticos e cujo único desejo é apenas e grandemente ser Ele próprio! Há um Portugal, o único que deve haver e que afinal é o único que não anda por causa dos vários Portugais inventados de todos os lados de Portugal! Há um Portugal profissionalista, civil e insubornável! Há, sim senhores! Mas entretanto... Entretanto, a nossa querida terra está cheia de manhosos, de manhosos e de manhosos, e de mais manhosos. E numa terra de manhosos não se pode chegar senão a falsos prestígios. É o que há mais agora por aí em Portugal: os falsos prestígios. E vai-se dizer de quem é a culpa de haver manhosos e falsos prestígios: a culpa é nossa, e só nossa!" - José de Almada Negreiros, In Diário de Lisboa de 3 de Novembro de 1933

    Integrado na luta contra o xistema, e aproveitando a confusão gerada pela situação na Liga, conseguirmos adquirir para BenficaTV os nossos jogos fora? E será possível adquirirmos os nossos jogos na UEFA?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme FranciscoB, Companheiro,

      Brilhante citacao do Almada (so' pode ter sido Benfiquista, ahahah), embora neste caso a culpa nao seja so' Nossa, mesmo que seja integralmente nossa.

      A Nossa BTV e' a "wild card" do futuro da LPFP, disso eu nao tenho a menor duvida!
      Tenho fe' que o CA da Nossa SAD a vai saber utilizar sem fundamentalismos nem preconceitos, com a maior criatividade e, obviamente, na defesa dos superiores interesses estrategicos do Benfica.

      Como e' que isto vai ser possivel?
      Ahahahahah, "dancando conforme a musica"!

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albvuquerque)

      Eliminar
    2. Já agora, aproveitano a deixa do Francisco, alguém sabe quando é que o Benfica vai poder passar a transmitir os jogos da taça de Portugal?

      Eliminar
  4. Comecei a ler...é demais, desisti! este Benfica não é o meu nem de milhões de Benfiquistas! tirem-lhe as palas, será assim tão difícil?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fez bem. Fez bem em parar de ler: e' que era tempo perdido.
      A ileteracia, a intolerancia e a extrema preguica intellectual so' podem produzir desertos de ideias.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. O teu Benfica? Este Benfica não é o teu...nem de milhões de benfiquistas? A sério, ainda há idiotas que utilizam este tipo de frases?!

      Eliminar
    3. O Benfica dele é mais o do Vale e Azevedo, do Damásio, do Figueiredo, e do Capristano...

      Eliminar
  5. O Benfica tem de se preparar para estas situações, é verdade que a reacção que Todos os Nossos tiveram foi excelente, mas a preparação que falo é no âmbito desportivo, lá dentro, os jogadores sentem que os estão a impedir de chegar à vitória e ai ainda não fizemos tudo! Abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro anonimo,

      Totalmente de acordo: por isso eu digo (em outros textos) que esta "Guerra surda" so' se pode vencer em 3 "frentes simultaneas - a Desportiva, a Economica e a da Comunicacao.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  6. Muito boa argumentação, e consigo compreender esta estratégia; embora possa apontar outros caminhos desejo ardentemente que este seja O CAMINHO.
    VIVA O BENFICA|!!!

    ResponderEliminar
  7. Parece-me que abordas dois temas. A estratégia de comunicação e a estratégia de relacionamento com organismos e clubes.

    Relativamente à segunda, estou de acordo com o que escreves, e parece-me ser a única possível de ser seguida.
    Para mais porque é óbvio que tem vindo a dar muito bons resultados. A evolução que se conseguiu em termos dos equilíbrios de poder nos últimos 10 anos é de tal forma notória que não carece de grandes explicações.
    Estamos a falar de campos onde não se evolui com gritarias, grandes ou pequenas declarações públicas, e menos ainda esfregando na cara de outros clubes o quão grandes somos, tentando impor em vez de aglutinar.
    É necessário portanto, continuar no caminho trilhado até agora. Ou seja, ir em direcção absolutamente oposta ao que pretendem os talibans. Convindo que nisto como em tudo o resto, são gente que não conta para nada. Excluem-se de qualquer tarefa construtiva.

    Relativamente à estratégia comunicacional, volto a opinar que não temos hipótese nenhuma de sermos eficazes nesta matéria olhando à actual conjectura da merda dos média.
    Não é o que dizem os presidentes dos clubes que define o sucesso ou insucesso de quaisquer estratégias nesta área.
    Antes o que é dito pela corja dos cumentadeiros e jornaleiros após as comunicações.

    O Brunalgas só diz disparates e no entanto continua a ser apresentado na comunicação social como um herói.
    O Pinto da Costa passou décadas a dizer ordinarices puras, e no entanto foi sempre apresentado pela corja como o rei da fina ironia e do humor provocante.
    Já o presidente do Benfica, diga o que disser, até sobre assuntos internos do clube a que preside, e logo vem a corja por em causa, insinuar, caluniar, duvidar, discordar, etc, etc, etc.

    E isto é só parte do problema. A outra parte é que existem muitos Benfiquistas, e não me refiro só aos talibans que como já disse não contam para nada, que continuam a achar que se vem escrito nos jornais ou se é dito nas televisões é porque é verdade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Manuel Afonso, Companheiro,

      Excelente comentario!
      Estou completamente de acordo com o que escreveste, mas sublinho que a "impossibilidade de sucesso comunicacional" que referes (e com a qual concordo no sentido restrito), nao se deve apenas 'a quase integral incapacidade de "controle" sobre a merdi@: a multiplicidade de audiencias (em que a merdi@ funciona como "intermedia"), dos Adeptos aos Parceiros, passando pelos Institucionais e os extermos, transforma a Comunicacao do Benfica numa matriz altamente complexa e cheia de "linhas" (ou "colunas", se preferires) que chegam a ser contraditorias.

      Se pesquisares e leres os meus textos antigos a que acima me referi, vais poder encontrar alguns detalhes sobre esta complexidade (ou "impossibilidade").

      Muito Obrigado pelo teu comentario.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Caro Albuquerque, lerei com toda a certeza.
      Mas mesmo sem ler percebo o que dizes. E dizes com toda a lucidez.

      Eu estava mesmo a referir-me à comunicação em sentido restrito. Basicamente, e um pouco no seguimento do "desabafo" do Guachos, na comunicação virada para os adeptos.

      Porque quando se vem para a "rua" gritar com ou para os árbitros, não se está a comunicar com os árbitros. Está-se a comunicar com e para os adeptos.
      Isto vale exactamente nada para aquilo que tu defines, e bem, como estratégia de comunicação.
      Serve "apenas" para massajar egos e entreter as massas.
      As aspas devem-se à percepção que começa a haver, mesmo da parte dos mais lúcidos e pragmáticos, que a imagem que chega aos adeptos do que se passa no clube, é quase tão importante para a tranquilidade que é necessária ao trabalho diário, como o que se passa no clube na realidade.

      E é aqui que não há estratégia de comunicação que nos valha.
      O Sporting compra um mini-messi, e é a contratação do ano segundo os jornaleiros.
      O Benfica compra o Talisca e é seguramente o flop do ano segundo os jornaleiros.
      O Porto dá 11 milhões por 60% do passe de um tal de Adrian Lopez, e logo se lêem os elogios dos cumentadeiros pela aquisição do avançado que faltava.
      O Benfica dá 10 milhões pelo Samaris, e logo se lêem as "preocupação" dos cumentadeiros pelo montante gasto.

      Exemplos destes são às centenas, e contra isto a única hipótese é ir denunciando a hipocrisia, a parcialidade com que os mérdia tratam o Benfica, e esperar que os Benfiquistas abram os olhos.

      Eliminar
  8. Caro José,

    plenamente de acordo com a sua opinião sobre a politica de comunicação do Benfica, tudo o que houver para reclamar deve de seguir sempre os trâmites legais permitidos dentro da "organização", pois numa estrutura altamente qualificada como a do o Benfica, não acredito que as coisas sejam feitas por acaso... parece-me a mim que nada dentro do nosso clube neste momento seja amador e tudo seja estudado ao pormenor... se assim não for, então sim, algo está errado...

    No entanto, há algo em temos de concordar com o Guachos, que é o branqueamento feito pela CS das situações como as de Domingo, e aí o assunto já foge ao controlo doBenfica, pois toda essa CS ainda vive às custas do Polvo que ainda estrebucha, embora na minha opinião cada vez menos... na minha modesta opinião é este o grande cavalo de batalha que deve mover a politica de comunicação do Benfica, pugnando por uma CS isenta e critica da própria "organização" que como muito bem foi explicado tem o Benfica como principal "activo". O que seria para todos um campeonato português sem um Benfica forte e gerador de receitas como é?

    No meu entender parece-me claro como a água, o objectivo que o Polvo tem desde o seu inicio é apenas um - ultrapassar o Benfica em numero de títulos e para isso tinha dois caminhos, o primeiro tentar lutar com as mesmas armas que o Benfica e tornando-se competitivo e ganhador seguindo as regras, ou então procurar ilegitimamente com meios obscuros chegar ao seu objectivo... como sabemos este foi o processo seguido, que na minha opinião está em contagem descendente e muito perto de impludir, mas que ainda é sustentado por uma CS subserviente e branqueadora de tudo o que prejudica o Benfica... o trabalho extra-futebol que tem o Benfica é mesmo este, lutar por uma CS isenta e critica... A TVB deve de ser um bom instrumento para começar... mas de estratégias de comunicação eu não entendo nada...

    Viva o Benfica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme cml, Companheiro,

      Olha que eu concordo com o Guachos quase em tudo o que ele aqui tem escrito e nesse ponto do "branqueamento feito pela merdi@" concordo em absoluto.

      Aquilo em que eu fora da esmagadora maioria dos Benfiquistas e dos Leitores do Guachos e', apenas, neste aspeto especifico que aqui tentei fundamentar: ao contrario da (esmagadora) maioria, eu aprovo a linha escolhida pelos Nossos Corpos Sociais (desde o frustrado boicote aos jogos fora da Catedral), enquanto voces preferiam que (por exemplo) o Presidente manifestasse publicamente uma posicao clara contra os ROUBOS como este a que assistimos em Braga, enquanto eu espero que a reclamacao que a SAD (seguramente) apresentou formal e imediatamente produza resultados concretos.
      E se nao produzir, se a ROUBALHEIRA continuar, entao eu prefiro que a Nossa SAD deixe acumular os erros ate' ao momento "ideal" e, nesse momento, no local criteriosamente escolhido e num evento profissionalmente preparado, o Clube deve desmascarar incontestavelmente o ROUBO, deixando clara a subversao da Verdade Desportiva e anunciando medidas que correspondam a uma tao grave realidade.

      Em linguagem mais simples e figurada, ha' que (1) dar-lhes a oportunidade para assumirem as responsabilidades que lhes cabem (refiro-me ao CA da FPF), ha' (2) que nao gastar energias com tiros de "pressao de ar" (que a merdi@ rapidamente subverteria) e, finalmente, se o ROUBO persistir, (3) usar um morteiro de 120 mm e no momento/local que maximize a explosao.

      E aos Companheiros que (como eu os compreendo) dizem que aqueles 3 pontos ja' ninguem no-los devolve, eu, inteiramente solidario, digo que ... por isso mesmo.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  9. Caríssimo e grandíssimo amigo José Albuquerque,

    Como sempre um excelente Post. Defendes magistralmente a posição. Bom « pressing » sobre os adversários, antecipação das suas investidas e... saída a jogar com a bola controlada.

    Venceste a minha resistência na parte da comunicação e acabo por concordar na totalidade com a estratégia em questão.

    Já sobre o facto de jogarmos em 4 - 6 - 0 tenho as minhas dúvidas!

    Jogar sem ponta de lança corpulento e com bom jogo de cabeça na Federação e sem um segundo ponta de lança móvel e com boa definição final dos lances na Liga de Clubes... é algo arriscado e um tanto defensivo para o meu gosto pessoal.

    Não podemos esquecer que os « gajos » da equipa adversária, jogam com dois alas bem abertos por fora do campo na Liga e na Federação; com uma equipa de apanha - bolas bem integrada nas televisões e jornais; com um trinco de preto; dois centrais completamente vesgos no BES e uma avozinha toda trabalhada na criminalidade e na batotice que ainda diz « no meu tempo não era assim... os árbitros custavam só 50 cêntimos »!

    É preciso ter em conta, que os Yakusas do Bolhão possuem uma equipa com muito potencial criminal, cadastrados de topo, avençados mesmo, mesmo bons ( daqueles que se vendem por um par de rissóis e um copo de tinto ), bailarinas e até talicoisos ( daqueles que ficaram a meio do caminho ) para dançar sevilhanas!!!

    Enfim, passe a brincadeira... compreendo realmente a tua posição caríssimo amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Mathayus, Amigo e Companheiro,

      AHAHAHAHAHAHAAHA ai que me engasgo, ahahahahah.

      Tu tens um talento especial!

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  10. Nao consigo concordar a 100% com este texto, estratégia ou não aquilo que se passou em campo na pedreira foi mau demais, ver as entradas sobre o talisca, jonas, gaitan e não reclamar com o arbitro, nao se levantar do banco para mostrar indignação é sinal de medo.

    Após o jogo e de cabeça fria aceito estrategia mas no calor do jogo deviamos demonstrar a nossa razão

    ResponderEliminar
  11. Caro José, estou a ver o programa "Aquecimento" na BTV e está a ser brilhante. Aí está para que foi criada, e isso deixa-me muito feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Liverpool, Companheirio,

      Eu estava numa reuniao de trabalho que durou muitas horas, mas deixei a graver e espero poder ver durante este fim de semana.
      A Nossa BTV e' um trunfo fundamental na estrategia de comunicacao do Clube.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  12. Merece ser lido.
    http://227218.blogspot.pt/2014/10/adestradores-de-bancada.html

    ResponderEliminar
  13. Em primeiro lugar quero felicitar o Companheiro José Albuquerque pela excelente e completa análise relativa á comunicação do Benfica.
    À semelhança da grande maioria dos companheiros não poderia ficar indiferente a vergonhosa (principalmente em termos disciplinares) arbitragem na pedreira, sabendo-se que tal arbitragem foi praticada por alguém que sistematicamente o faz quando é chamado a arbitrar os jogos do nosso Benfica. Basta recordar as últimas arbitragens.
    Assim, “a quente” insurgi-me contra a passividade da nossa Direcção relativamente a mais este ROUBO.
    Mais calmamente e “a frio”, também já me tinha interrogado da possibilidade da nossa Direcção não fazer o alarido tão desejado pela CS, mas sim apresentar o seu protesto junto do CA. Regozijo ao verificar que o Companheiro José Albuquerque também partilha dessa opinião.
    Numa abordagem mais racional e pouco emocional tenho que concordar que a mesma será a mais adequada. E isto porquê?
    Todos sabemos que a CS vive da polémica sobre o Benfica e isso, nessa perspectiva, seria estarmos a dar “perolas a porcos”. Porque o alarido criado pelo Benfica ia, passado o impacto inicial, ser tratado pela CS de forma ligeira e dizendo que afinal neste ou naquele lance o arbitro até tinha beneficiado o Benfica
    E isto porque temos um CS adversa. Todos nós sabemos que esta mesma CS que acha que os problemas do Benfica não são os árbitros mas tudo o resto, quando acontece uma arbitragem menos simpática para outro lado da Segunda Circular, já acha que o arbitro foi um Ladrão e tudo o resto funciona às mil maravilhas.
    Como podemos esperar preocupação por parte da CS relativamente aos roubos contra o Benfica em Portugal se numa Final da Liga Europa em que está em causa um Clube Português e um outro estrangeiro não houve nenhuma preocupação por parte da mesma em defender o Clube Português? Alias é absolutamente vergonhoso para a comunicação social Portuguesa que tenha vindo do outro lado da fronteira o realce relativamente ao roubo perpetuado contra o Benfica.
    Portanto e concluindo mais uma vez parece-me que fazer logo alarido pelos roubos praticados contra nós, repito, acho que é dar “perolas a porcos”.
    Fazendo uma análise sobre o que serão os “interesses” da CS, e se pensarmos que o País estará dividido entre os Benfiquistas e os anti-benfiquistas se calhar terá alguma logica que a mesma crie polemica, com tudo o que ao Benfica diga respeito porque senão agrada há grande maioria dos Benfiquistas (Talibans á parte) agradará a todos os anti-benfiquistas e portanto terá uma clientela mais vasta do que se não criar polémica. Do ponto de vista comercial e sabendo que o negocio CS já não se coaduna com o caracter, rectidão e verdade que deveria ser, a forma de agir, de todo e qualquer agente que faça da comunicação o seu modo de vida, pode, nessa perspectiva, ser entendível
    Mas infelizmente o que me parece é que a maior parte dos Directores dos Jornais e respectivos jornalistas movem-se apenas, por não gostarem do Benfica, ou por não gostarem do Presidente, ou por não gostarem do Treinador. E assim, tenho a certeza que na sua grande maioria ( a Bolha, é disso, flagrante exemplo) toda a polemica que criam, visa atingir as principais figuras do Benfica, por interesses ou razões que só eles saberão.
    Em conclusão direi, que nestas circunstâncias não é fácil agir perante esta CS. Julgo que a nossa Direcção e os estudiosos do assunto só pode estar atentos e preocupados com toda esta problemática. Todos nós sabemos que a grande maioria não perspectiva de forma racional tudo o que se diz sobre o Benfica e que isso vai minando a credibilidade da Direcção e do Treinador perante os Benfiquistas. Veja-se o facto mesmo após termos ganho tudo o que havia para ganhar, basta uma derrota para já haver Benfiquistas a porem muita coisa em causa, o que leva á destabilização, objectivo principal de muitos dos agentes da CS em Portugal, em nome de interesses que poderemos perspectivar, mas que, sem uma análise profunda, não poderemos de forma clara, concluir.

    Saudações Gloriosas

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.