terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Os mitos de 2014 (I).

Por José Albuquerque

Parece-me inegável que este ano que agora finda se vem juntar a uma já longa série que fica na memória dos mais atentos pelos inúmeros mitos que se vão desvanecendo aos mesmos ritmos avassaladores, quer do desenvolvimento cientifico, quer dos mais miseráveis sinais que escorrem daquilo a que chamamos civilização e, no plano mais estrito do “des porto” nacional e do “futeluso”, o panorama também não poderia ser diferente.
Ora como sucede que Nós amamos o Maior Clube do Mundo, que, também por isso, constitui o pináculo em torno do qual gravitam dezenas de milhar de agentes desportivos e/ou simples interessados a ele conectados através de uma mérdia indigente, não Nos podemos surpreender ao verificarmos que uma boa dose desses mitos como que se pegam ao glorioso nome do Benfica.

Nesta série de textos, vou tentar abrir um espaço para que, aqui no GUACHOS, possamos todos Benficar sobre aqueles que julgo serem os mitos recentes mais relevantes, começando por sugerir aos Leitores que completem esta minha lista inicial com outros temas dos quais eu me possa ter esquecido.
Na (minha preferencial) área económica, ao mais velho mito do “Passivo”, veio agora juntar-se o novo mito “Promovalor”, havendo gente que insiste na tecla que tenta atacar o Presidente por via de alegados problemas nos seus negócios pessoais e pretendendo que esses poderiam estar na base de inventadas dificuldades de financiamento do Grupo Benfica. Ainda nesta área, surgiu o mito do “all in” que anda de braço dado com um sonhado abismo financeiro dos andruptos.
Na área institucional, acumulam-se vários mitos fresquinhos, desde a tal “santa aliança” ao desejado definhamento do que resta da “olivedosporcos”, passando pelo caso da “reestruturação financeira” da osgalhada que, na minha humilde opinião, constitui a mais gritante deturpação actual da Verdade Desportiva e, por isso mesmo, tem de ser desmascarada como tal.
Finalmente e na esfera desportiva, aos já estafados mitos dos “4 milhões” e da “alergia chamada Champions”, recentemente agravados pela precoce eliminação das provas da UEFA, tem assumido um papel quase monopolista o novo mito “made in Benfica”.

Ou seja e assim de uma penada, quase uma dezena de temas que saltaram para o centro das polémicas este ano, ou, para os que vinham de antes, assumiram novas facetas determinantes recentemente. Mas que não se assustem os Leitores, que eu proponho-me abrir estes debates em suaves prestações …

O mito do “Passivo”.

Herdeiro natural do velho mito da “falência”, todo esbardalhado por anos e mais anos anunciada e nunca verificada, o mito do “Passivo” mistura menos ignorância e compensa com ainda mais má fé, uma vez que há que reconhecer que compreender as inúmeras fontes de subavaliação dos Nossos Activos não podia estar ao alcance de todos.
Mas se a mais desbragada ignorância já deixou de fazer escola, o mesmo não se passa com a vergonhosa desonestidade intelectual dos que alegam que deveria ter sido possível sair de um colossal abismo económico e financeiro e concretizar todos os investimentos deste milénio sem recorrer a capitais alheios: é aquilo que eu chamo de “sol na eira e chuva no nabal”, desejo normal naqueles que se consideram muito exigentes, mas, nunca, nunca, foram capazes de colocar alternativas no papel e, se possível, traduzidas em números.
Que nenhum Companheiro se iluda a este propósito: se queremos permanecer os donos do Nosso Clube, do seu Grupo Económico e dos Activos que o representam a longo prazo (não me refiro, portanto, a futebolistas), então há uma só forma de reduzir a parte do Passivo que Nos custa mais de 20ME anuais e essa passa pela acumulação de LUCROS e/ou outras vias para aumentarmos os Nossos Capitais Próprios.
Trata-se, pois, de uma verdade “lapalisseana” da qual é completamente impossível fugir, pelo que até um alcoólatra como o ‘osga roc’ sabe que reduzir rápida e fortemente o Passivo remunerado só não seria incompatível com resultados desportivos internos se fosse essa a opção dos andruptos (e eles estão longe disso).

O mito “Promovalor”.

Não deixa de ser espantoso como todos os anti, depois de passarem anos a acusar o Presidente de “comichões” e outros mimos que demonstravam que ele só tinha chegado onde chegou, do ponto de vista da sua fortuna pessoal, por ter sido eleito Nosso Presidente, agora, assim como quem não quer a coisa, querem idealizar um cenário em que uma alegada (e mais que ridícula) ruína pessoal do Companheiro LFV, estaria a ser um travão ao desenvolvimento e crescimento do Benfica.
Como sempre e em tudo o que Nos diz respeito, a miserável aliança entre os anti internos e externos repete furiosamente os mesmos boatos, confunde demagogicamente conceitos (como “dividas”, por exemplo) e especula sobre cenários absurdamente incredíveis, tudo isso na vã ilusão de menorizar os méritos de mais um homem de origens humildes e sem os privilégios académicos que, por isso, os esmaga sob uma inveja sem fim.
Que nenhum Companheiro se iluda e fique com pena de uma alegada ruína do Nosso Presidente, cujos negócios seguem florescentes e cujo património pessoal já há muito ultrapassou o limite do inatacável, ou com receios de que uma eventual falência de algum dos seus investimentos pessoais pudesse ter qualquer influência perniciosa sobre o Nosso Clube, uma vez que o Benfica também já ultrapassou, há vários anos, aquela escala em que poderiam existir receios de ‘orfandade’: a realidade económica do Grupo Benfica não depende de nenhum homem e nenhum dos Nossos dirigentes é insubstituível. Nunca o foram no passado e hoje muito menos.

O mito da “santa aliança”.

Tal como em todos os outros mitos que seleccionei, também este poderia ter outra designação e, se repararem bem, muitos são os que lhe chamam “como o Vieira deu a mão aos andruptos, oliveiredo incluído”. Nunca a designação de Taliban lhes assentou tão bem!
Ora muito bem: o “futeluso” estava confrontado com a iminência da interrupção de todas as competições organizadas pela LPFP (mesmo antes do inicio da Taça da Liga) e esses visionários fundamentalistas, alegadamente visando a “destruição da olivedosporcos/sporcostv” (ahahah, como se tal fosse possível, atendendo aos detentores da esmagadora maioria do seu capital), consideram que o Nosso Clube deveria ter gritado que “o Estado somos Nós”, impondo uma solução de capitalista numa operação de “takeover” sobre a LPFP, talvez completada com uma OPA da Nossa BTV sobre a sporcostv. E tudo o que ficasse aquém disso … cairia no titulo “como o Vieira lhes deu a mão”.
Que nenhum Companheiro se iluda e perca a consciência de que o maior risco que impende sobre o Nosso Clube e todos os Nossos projetos e ambições já não é a erradicação do POLVO imundo e grosso: o pior que Nos poderia acontecer seria uma falência das instituições e competições profissionais de futebol.

Vou deixar os mitos seguintes (e aqueles que nos queiram sugerir) para os próximos textos, mas não vou concluir sem alertar todos os Companheiros para uma verdade insofismável: claro que o Nosso Clube poderia ter feito mais e melhor nestes anos mais recentes, tal como, consequentemente, também poderiam ter sido mais e melhores os resultados desportivos alcançados pelas Nossas Equipas e Atletas.
Se preferirem outra forma de escrever a mesmíssima coisa, que nenhum Benfiquista aceite contentar-se com o tanto que já conseguimos construir e vencer nestes últimos anos, porque o Benfica (que somos Nós) não é Nosso: ele apenas Nos foi depositado nas mãos em nome dos Companheiros mais novos, a quem o haveremos de entregar maior e melhor do que o recebemos.              

Viva o Benfica!


P.S.: O Enormérrimo Guachos, nosso anfitrião neste formidável blogue, manifestou, a propósito do caso da prisão de um ex-primeiro ministro de Portugal, uma posição e opiniões que representam os antípodas daquilo que sempre foram as minhas convicções e, por isso, eu sinto-me moralmente obrigado a confessar-me envergonhado por ser cidadão de uma Nação com quase 9 séculos de História e, apesar disso, que ainda não conseguiu construir um Estado capaz de aplicar a Justiça de forma isenta, eficaz e equilibrada, preferindo desresponsabilizar grandes bandidos e prender cidadãos sem culpa formada e sem conseguir condenar em Juízo mais de 30%. Eu não conheço a pessoa em causa, nem nos ligam afinidades de nenhuma ordem além do nosso Benfiquismo, mas quero deixar bem claro que sou integralmente solidário com ele contra todas as indecentes afrontas de que tem vindo a ser alvo, incluindo as directamente perpetradas ou indirectamente permitidas pelo Estado Português.

24 comentários:

  1. São tudo mitos,nem vou discutir passivo pois nunca vai ser recuperado,quanto aos activos vejo-os todos a desaparecer e falam de 200 milhoes de vendas e o passivo aumentar incompreensivemente,daqui a uma semana vão falar do mito gaitan...mais um que prepara as malas e do mito maxi mais outro...os melhores jogadores que podem dar titulos e alegrias e não me falem de obra feita e de cimento ...isso aos sócios não diz muito eles querem ver vitorias e titulos ano após ano e quando se ve mentiras atrás de mentiras...os melhores vão embora quando lhes apetece e vão e assim se perde muita coisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Castro, Companheiro,

      Tu tens de me desculpar por nao te conseguir entender, nem um pouco. Para nos ajudarmos um ao outro, faz-me um pequeno favor e responde-me a duas pequenas perguntas:

      1 - Atemdemdo a que o Nosso Clube e Grupo Economico representam Ativos com um valor contabilistico superior a 500ME (mesmo muito subavaliados), como imaginas que o poderiamos deter sem termos "Passivo"? Entendes que isso significava que os Nossos Capitais Proprios teriam de ter, grosseiramente o mesmo valor?

      2 - Tu ja' te deste conta do incrivel numero de Vitorias e Titulos conseguidos pelas Nossas Equipas e Atletas nestes anos mais recentes? E que esse numero e' exponencialmente crescente ?

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Se fosse a si vestia o colete à prova de bala e punha o capacete...

      Eliminar
    3. Eu é que não estou preparado para perder jogadores que me fizeram vibrar como nunca,fico lixado com estas coisas porque este ano é diferente a equipa está lá em cima mas ainda não convenceu em alguns setores pior vou ficar se saírem mais,como disse não vou comentar passivos e ativos está no rc de certeza,mas era assim urgente vender o Enzo? Não poderia ficar até ao fim da época? Não vejo os outros a vender,certamente iriam por água abaixo.
      Este título esta época é muito importante.
      Abraço José

      Eliminar
  2. Mais um belo e transparente texto do meu homónimo, esta é a realidade, o que nós lemos nos mérdia e alguns ditos benfiquistas encapotados é conversa para boi pastar.
    Um grande abraço e saudações gloriosas, e já agora umas boas entradas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo homonimo, Companheiro,

      Quanto aos merdi@ eu ate' poderia entender que a Nossa hegemonia, se esmagadora, lhes pode baixar as vendas (eu gostaria que fossem publicados estudos comparativos das vendas e audiencias depois das Nossas Vitorias, com as dos outros dias), ja' quanto aos Taliban ... so' me ocorrem a inveja e a ambicao desmedida e injustificada, como explicacoes possiveis.

      Viva o Benfica!
      (Jose Albuquerque)

      Eliminar
  3. Louvo o teu esforço mas como se viu pelo 1º comentário vai para muitos cair em saco roto porque alguns só conseguem acreditar em mitos porque para perceber a realidade é necessário um certo esforço ;)

    PS: sobre o teu PS só posso dizer que infelizmente há muitos que afinal devem concordar que os fins justificam os meios e por isso são almas gemas do Pinto da Costa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme 71460_5/8, Companheiro,

      Quanto ao meu "Post Scriptum" ... nao se trata de um tema em debate, pelo menos aqui e para mim.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  4. Ó Castro!!!
    Os activos do Benfica são só os jogadores?
    Que certeza tens e informação previligiada de que o passivo nunca vai baixar?...Deves ser a Maya disfarçada de Castro.
    Já agora explica-me o que é um passivo e um activo que eu não sei o que é,e que pela amostra tens conhecimentos suficientes sobre o assunto para nos dar umas lições.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha dúvida não são ativos e passivos é tentar perceber a necessidade de vender em momentos importantes a palavra irrevogável também não se entende,sem dúvida um bom negócio financeiro mas não gosto de arriscar uma pedra fulcral na nossa equipa,mas também se Jesus conseguir mais um Manel sem dúvida nenhuma proponho uma estátua ao homem.
      Abraço!

      Eliminar
  5. Não percebi praticamente nada da parte relativa ao passivo. Grande trapalhada... Acho que o autor também não percebeu bem o que escreveu...
    Percebi que nos custa 20 M de Euros só em juros por ano.
    Também acho que não se pode reduzir rapidamente esse mesmo passivo, até porque ele é colossal, mas ao menos podia-se ir reduzindo e eu só o vejo a aumentar. Pode contra-argumentar com os activos mas eu pergunto-lhe: vendemos os activos para reduzir ou pagar o passivo e ficamos com o quê? Uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma?

    Orgulhosamente Benfiquista

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro,

      Embora eu nao tenha por habito responder a quem nao assina (nem sequer com um simples nickname) o que comenta, creio que mereces uma excecao ...

      1 - "O Passivo e' colossal" - nao, meu Caro! O Passivo e' (sempre, sempre, sempre e em todos os Balancos de todas as Empresas e/ou outras Pessoas Juridicas) igual 'a diferenca entre o Ativo e os Capitais Proprios.

      2 - O total do Nosso endividamento oneroso nao Nos custa "20ME so' em juros"! Ele custa-nos (somatorio total do Grupo) cerca de 23ME e nao e' "so' em juros", porque ele so' Nos custa juros.


      3 - Vou admitir que tu (ou os teus Pais, ou algum Filho, ou algum Familiar proximo, ou algum teu Amigo) vives numa casa que adquiriste com recurso a um emprestimo bancario e pergunto-te se fazer uma soma de todos os juros pagos (ou a pagar) ao longo do periodo de mutuo e' o unico criterio de avaliacao do "negocio" e, se quiseres responder afirmativamente, se os podes comparer com alguma coisa (por exemplo o valor de uma eventual renda de aluguer de um imovel semelhante).

      4 - Vendemos items do Ativo (depois de lhes acrescentar valor) para realizar mais valias, garantir o "Cash Flow" necessario e atingir objetivos de Gestao para os Capitais Proprios.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  6. Podes mostra a evolução do Passivo Bancario e do Passivo exigivel (Bancario + Fornecedores)? (nos últimos 6 anos)
    vs
    Activo Operaccional
    Activo Operacional + Vendas
    vs
    Valor do Plantel (calculado por ti numa perpectiva moderadamente conservadora)

    é que vendemos a equipa qs toda e o máximo q conseguimos foi manter as contas estaveis? Eu esperava uma quebra consideravel do passivo bancario. E confesso q fiquei desiludido qd não o vi.

    Ainda podemos crecer nas receitas operacionais : novo contrato de publicidade das camisolas, aumentar receitas da BTV e os novos contratos da publicidade nas bancadas ou naming do estadio. Mas isto não chega para tapar o buraco que ainda temos de pagar com as vendas de jogadores.

    As vezes tenho a sensação que estamos a esticar a corda, tal como o Porko, para ver quem cede primeiro. Eu pensava que era este ano, mas com a descoberta de petroleo na torre das antas....isto está para durar mais um par de anos.

    Saudações,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme X24, Companheiro,

      Tu conheces bem esses valores que me pedes (e os "ratios" possiveis e imaginarios), pelo que sabes muito bem que, desde a integracao da Benfica Estadio, os Passivos onerosos (boa parte dos quais intimamente ligados aos descontos/antecipacacoes das vendas de Atletas) esses valores demonstram, pela sua enorme estabilidade, estar sob absoluto controle e isto quando:

      - Desportivamente, tivemos de proceder a enormes investimentos e afrontar uma hegemonia (e um POLVO) que chegou a ser esmagadora;

      - O Nosso Grupo cresceu (vertical e horizontalmente) no quadro da maior crise financeira da Historia da Civilizacao e da maior crise economica nacional desde ha 100 anos.

      Quanto aos teus paragrafos finais, dos quais nao discordo substancialmente, permite-me duas perguntas:

      1 - Qual te parece dever ser o objetivo (/Visao) de longo prazo para o Grupo Benfica ... maximizacao do Valor Acrescentado: (a) Economico, ou (b) Desportivo?

      2 - Achas, mesmo, que o Nosso nivel de exigencia (ou os Nossos objetivos) devem ser funcao da existencia de adversarios?

      Finalmente e quanto a avaliacoes sobre o Nosso Plantel, pesquisa aqui no GUACHOS e vais encontrar dois textos exclusivamente dedicados ao tema, comparando a minha propria avaliacao (eu sou um "expert" na area, ahahah) e a de outras fontes.

      Obrigado pelo teu comentario.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  7. Já todos tínhamos saudades destes magníficos manuais, aulas de benfiquismo, do nosso Enorme Albuquerque...
    Por mim só posso sentir-me honrado pela preferência. Bem hajas meu amigo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AHAHAHAHAHAH,

      Tu estragas-me com mimos, mas sou eu que benificio do privilegio de ter voz no melhor blogue Benfiquista.

      Bem Hajas tu, meu Bom Amigo.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  8. Eu gosto dos palermas que dizem que este ano a equipa não convenceu e que no ano passado é que era.
    Há exactamente um ano atrás andavam todos borrados com o jogo que iamos ter com os corruptos. Que tínhamos feito até esta altura?
    Tivemos jogos maus? Também os tivemos na época passada... lembro-me do jogo contra o Belenenses... do jogo contra o Arouca... do jogo em Paris... do jogo contra o Gil... do jogo nos Barreiros. Convencer só tínhamos convencidos em Atenas.
    E já agora... não somos nós que os vendemos... são os outros que os compram. Nós não metemos os nossos melhores no mercado, são os outros clubes que fazem tudo para os ter.
    O Valencia veio buscar 3 jogadores por 70 milhões, que 2 anos antes não valiam nem 10 milhões (segundo muito entendido). Liverpool e Atl. Madrid bateram as clausulas de Markovic e Oblak, respectivamente. Garay aproveitou a Lei Webster para pressionar o Benfica a o vender e assim conseguir ser um dos centrais mais bem pagos (em termos de salário líquido) do mundo. Matic foi vendido por 25 milhões quando tinha chegado 2 anos antes como moeda de troca.
    Todos esses atletas têm hoje salários incomportáveis para o Benfica ou qualquer clube português. Todos eles são estrelas que não eram quando chegaram à Luz.
    Há 10 anos atrás ninguém queria os jogadores do Benfica. Eram restos. Hoje todos os querem comprar. E dão muito dinheiro. Muito mesmo.
    O Benfica é dos clubes mais espiados do mundo.
    Foram os melhores... sim... mas melhores serão também criados. Talisca, Pizzi, Samaris, o puto italiano... cuidado com eles.

    ResponderEliminar
  9. O passivo é esse "bicho de 7 cabeças". a maioria dos adeptos não percebe que o que se tem se fazer não é baixar o passivo mas sim compensá-lo. Primeiro que tudo, o problema do passivo não é algo que vem do tempo do LFV, é um problema que já existia no tempo do Verão Quente. o Sr Manuel Damásio até teve a preocupação de o baixar. As vendas do Rui Costa e do Schwartz, a participação na Champions em 94/95, o patrocínio com a Parmalat, os novos sócios aliciados pela promessa de um Benfica com capacidade para ganhar tudo: tudo isso deu fundos para reduzir o passivo, mas depois o Sr Damásio também fez questão de estragar tudo isso ao fazer 4 revoluções de balneário em 4 anos. Agora o valor do passivo pode ser mais alto, mas também é mais suportável do que há 20 anos atrás. E quando vejo Carvalhos e Rangéis a falar do passivo como se este fosse uma ameaça maior que o Ébola até fico parvo. Muitas equipas de nível europeu têm passivos altos e sobrevivem.

    ResponderEliminar
  10. "Que nenhum Companheiro se iluda a este propósito: se queremos permanecer os donos do Nosso Clube, do seu Grupo Económico e dos Activos que o representam a longo prazo (não me refiro, portanto, a futebolistas), então há uma só forma de reduzir a parte do Passivo que Nos custa mais de 20ME anuais e essa passa pela acumulação de LUCROS e/ou outras vias para aumentarmos os Nossos Capitais Próprios"

    Ou seja, andamos nesta história há 10 anos... e o passivo da era Vieira nunca diminuiu, foi sempre a aumentar vertiginosamente... De 75 M para mais de 400 M...
    Com esta gestão, é claro que todos os anos vamos vender os nossos melhores activos e desmembrar plantéis vencedores.
    E quanto às outras equipas de nível europeu que têm passivos elevados como o nosso, não se esqueçam que também têm receitas bem superiores às nossas.
    Quem acha que o passivo do Benfica é um mito, está redondamente enganado, e quem o vai pagar vão ser as direcções vindouras que vão andar a tapar os buracos... Aliás, alguma parte do nosso activo é património imóvel - não se esqueçam disso!
    Não defendam o indefensável. A gestão económica de Vieira e companhia está longe de ser a mais adequada. Se têm dúvidas, consultem 5 economistas conhecidos em Portugal e eles dirão o que pensam sobre o assunto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se tivesses assinado este teu comentario, obterias uma resposta da minha parte. Assim ... so' te digo que mentes com todos os dentes que tens e demonstras uma ignorancia abstrusa sobre assuntos economicos.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  11. Um Extraordinário Novo Ano Benfiquista a todos os frequentadores deste excelente blog.
    :::::::::::::::::::
    Só para recordar aos choramingas(como eu, ahahah) -Eusebio, Aguas, Coluna, Bento ,HCoelho........JVP,Rui Costa, SSabrosa, Cardozo, Matic, Garay.....já não envergam a nossa Gloriosa Camisola, mas o Benfica não acabou!Deixem os que ficaram trabalhar, porque são bons, são bem orientados e nós só temos de fazer o que fizeram muitos de nós desde o inicio do século XX- levá-los ao colo, apoiar e acarinhar, porque os que partiram como o Enzo já não são dos nossos; os NOSSOS são aqueles que daqui a 20 minutos vão suar a mais bela camisola do Mundo, a do nosso Amor Eterno-BENFICA!
    VIVA o Benfica!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme Chakra Indigo, Companheiro,

      Bom Ano Novo Benfiquista para ti tambem e para todos os que mais amas.

      Quanto ao teu oportunissimo comentario ... Muito Obrigado.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  12. Nunca é demais agradecer os seus esclarecimentos.

    Uma pergunta - Considera um bom investimento para o Clube a redução dos montantes do crédito pedido aos bancos de forma a reduzir, se possível até zero, o montante dos juros? Q prioridade daria a esta operação?

    Um Bom Ano Novo para todos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme FranciscoB, Companheiro,

      Eu e' que agradeco mais esta tua pergunta tao pertinente.

      Como eu, toda a vida, fechei os negocios cuja rentabilidade nao fosse muito superior 'as taxas de juro (o quadruplo, pelo menos), acho que so' se compreenderia esse "combate ao endividamento bancario" no caso de o Clube nao ter nada melhor o que fazer com o dinheiro e, na minha humilde opiniao, ainda estamos muito longe disso.

      Se reparares que todo o Nosso endividamento se pode pagar com uma boa venda por ano (como esta do Enzo, por exemplo) ou com a venda de dois "maneis" (tipo Andre' Gomes), talvez concordes que esse impacto, em termos desportivos, e' nao so' irrelevante como, acima de tudo ... inevitavel.

      Bons investimentos para o Glorioso sao os que forem orientados para os Socios e Adeptos (para acrescer a sua ligacao ao Clube), os que melhorem (e/ou diversifiquem) o Nosso Parque Desportivo, os que melhorem a competitividade das Nossas Equipas e Atletas e, obviamente, os que forem mais "reprodutivos", como os Di, os Fabio, os Rodrigo, os Witsel, os oblak, etc.

      A minha (quase) obcessao pela recuperacao dos Nossos Capitais Proprios, destina-se a reforcar as Nossas autonomia, credibilidade, sustentabilidade e, sobretudo, a Nossa capacidade para ('a Nossa pequena escala) admitir novos Acionistas estrategicos (os principais sponsors e os principais mercados fora de Portugal), como fonts de "boost" para os Nossos Proveitos Operacionais.

      Reduzindo tudo isto a uma palavra, meu Caro Francisco ... a MARCA! Tudo pela Nossa Marca!

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.