quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Assustador!

Pepe Guardiola e Sir Alex Ferguson - Barcelona e Manchester United.

Os habituais consumidores de jornais ou programas de desporto conhecem muito bem a falta de respeito e a "desfaçatez", diria mesmo; o desprezo pelos mais básicos princípios de grandeza intelectual, como ambos foram tratados pela esmagadora maioria dos media em Portugal, quando ao serviço do Barcelona Pepe Guardiola tinha a concorrência de Mourinho e em Inglaterra Ferguson tinha como "sombra" (apenas na cabeça de uns quantos patetas) Carlos Queirós.

Percebo os motivos mas odeio os meios usados de forma torpe e canhestra, sem respeito pelos visados, e, sobretudo, sem respeitar os consumidores com um mínimo de cérebro para usar...é que nem todos fazemos parte da carneirada!

Guardiola, durante o consulado de José Mourinho em Madrid, e Alex Ferguson, quando este resolveu levar para seu adjunto Carlos Queirós, foram mais do que destratados pela cs em Portugal. Li e ouvi barbaridades como, ser Carlos Queirós o verdadeiro mentor do Manchester, cabendo a Ferguson os louros dos triunfos, mesmo não passando de um velho apreciador de vinho. Enfim, ouvi e li tantos iluminados, carregados de bacoco patrioteirismo, demasiadas vezes abaixo de cão. 

Abaixo de rato era o que se dizia (ainda diz) de Guardiola! Que o Barcelona jogava sozinho, sem precisar de treinador, e que aquela espantosa máquina de jogar futebol nascera da soma dos miúdos vindos da 'cantera' do Barça, do conhecimento que todos tinham entre si e de um milagre qualquer que nunca ninguém conseguiu explicar. Com eu sempre disse; não era nada disso. Aquela maravilhosa e genial equipa foi criada pela a mente privilegiada de Guardiola, um dos maiores génios da história do futebol mundial e acabaria assim que ele se fosse embora, como aconteceu, afinal.

É evidente que não foram só os portugueses a imaginar que aquela máquina nascera de combustão espontânea e que não deixaria de arder para sempre...tanto que Guardiola sairia de Barcelona sem grandes dramas, com os "culés" convencidos que até a dona Dolores, prima da Consuelo Carmencita, moçoila de fortes atributos mamarios, dona de um tasco muito concorrido, mesmo ao lado de Camp Nou, local onde se reúnem todos os 'especialistas' lá do sítio, teria tudo o que era preciso para fazer melhor que Guardiola...O mesmo que por aqui, afinal, bastado trocar os nomes dos envolvidos...

Acabou tudo num desastre tão grande que até arrastou a selecção espanhola, que, demasiado habituada a viver do trabalho feito no Barça, nunca mais foi a mesma, caindo, caindo, caindo, até que hoje, embora continue uma selecção de top, deixou, tal como o Barcelona, de meter medo às melhores equipas, mesmo às menos fortes, que agora os olham como um tenrinho e saboroso petisco - pronto a comer.

Dirão alguns dos que conseguiram chegar até aqui, estranhando o longo intróito; e nós com isso?
Pois, e nós com isso, digo eu de igual forma...nada, nada disso nos interessa muito, enquanto benfiquistas (a parte rasca dos merdias, sim, já me diz bastante) e apenas enquanto observador atento me merece (muita) atenção.

O que eu quero fazer notar, é que; quando nos habituamos a ter na mesa todos os dias 'filé mignon', temos tendência para esquecer os tempos em que nem para a faneca tínhamos posses, limitando-nos a comer restos - e quando muito - um osso seco para rapar! Mas não só; imaginamos que a fartura durará para sempre, quaisquer que sejam as opções que tomemos no imediato, sem cuidarmos de perceber os riscos de ficarmos rapidamente a comer espinhas...

Jorge Jesus, meus caros amigos, é mais do que 'filé mignon'...Jorge Jesus é a nossa "galinha dos ovos de ouro"...
Saibamos acarinha-la e estimá-la, dando-lhe tempo para que continue o seu trabalho...sem lhe exigir o impossível, sem lhe exigir que ponha todos os ovos de uma só vez, e sem lhe oferecer o mesmo destino que lhe é dado na estória...as consequências são, como facilmente se comprova; terríveis e devastadoras.

Olhemos para o Barcelona e Manchester de hoje e comparemo-los com o Barcelona de Guardiola e com o Manchester de Ferguson. Lembrem-se que se passaram apenas três anos no caso do Barça e dois em Manchester!
Assustador, não? Eu, até me arrepio.

9 comentários:

  1. Quando o Guardiola assinou pelo Bayern disse que tinha muitas dúvidas que teria sucesso porque uma coisa é treinar o Man Utd, o Real Madrid ou o Bayern Munique e outra é treinar o Barcelona. Dou a mão à palmatória porque o Guachos tinha toda a razão e na Baviera já ninguém se lembra do Jupp Heynckes.
    Noutra nota quem diz estes exemplos diz o nosso Portinho tanto quando Mourinho foi despachado como o Libras-tão-boas, porque "Mourinho não ganhou sozinho" grunhia o velho senil e bastava o velho serigaita manter a sua actividade de "estrutura" relativamente a árbitros que qualquer bardamerda lá seria campeão, no entanto em vez disso Victor Fernandez dançou, Couceiro mamou, Jesualdo lavou os dentes com lixívia, Vitó Broas Pereira ganhou um campeonato sem saber como porque o seu presidente lá acautelou um empate na Luz com um golo em fora-de-jogo do Estoril, Marco Silva derrapou, digo, Paulo Fonseca, é que são tão incompetentes para clubes grandes (Benfica e Palermo ponto e talvez Sporting de Braga se quisermos ser generosos) tanto um como o outro, e como resultado disso em cada um dos casos o velho senil uivou de dor como um porco no espeto com o Benfica campeão.
    Na mesma linha da importância de ter um treinador extremamente competente é perfeitamente compreensível como os inimigos do Benfica estejam mortinhos mortinhos por verem o treinador Jorge Jesus fora do Benfica, e o que será do Atlético de Madrid sem o Simeone por exemplo.
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. Nem mais!

    No entanto, a situação no Manchester é neste momento bem diferente - van Gaal é um grande treinador, ao nível de Guardiola e de Ferguson... seria mt engraçado q, depois de estar quase 20 pontos atrás, terminasse o campeonato à frente do nosso d'artagnan... para grande desgosto do Hélder conduto e do Calado...

    ResponderEliminar
  3. Nem mais... explicar isso a alguns é que é complicado...

    Isso e isto: http://colunadaguiasgloriosas.blogspot.pt/2015/01/o-eriksson-quando-foi-bicampeao.html

    O exemplo de Manchester é gritante... e é só esperar porque o Wenger é outro que vai mostrar isso. O Ancelotti no Milan também já mostrou isso... tantos exemplos e ainda há quem acredite no Pai Natal...

    ResponderEliminar
  4. Vou comecar pelo aguia,que seria do Atletico sem o Simeone olhem acabou agora de aplicar dois secos ao Grande Real pois nos passamos a malhar no JJ que e teimoso mais este e mais aquele e muito mais preocupam-se com os 4 milhoes que esta a ganhar eu quando disse nos a falar mal do Jesus atencao alguns de nos os eternamente insatisfeitos mesmo que fossemos campeoes 10 anos seguidos os instifeitos falavam do Jesus,o que disse o caro amigo Guachos e verdade nua e crua que tem sido o Barcelona sem o Guardiola que tem sido o MU sem o Fergurson e que seria o Benfica sem o JJ com a sangria que sofre todos os anos enquanto esses ditos clubes perdem poucos jogadores comparados com o Benfica e verdade que nos de momento nao estamos a jogar bem,,mas tambem nao esquecer os jogadores que temos no estaleiro e mesmo assim vamos na dianteira do pelotao eu ate me arrepio se nao tivessemos perdido ou melhor vendido esses jogadores nos ultimos anos eramos camepoes uns quantos anos seguidos e ate batiamos o recorde de titulos seguidos da gremiacao da fruta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens toda a razão. Em relação ao Atlético até parece que adivinhei mas ná, já vem do ano passado. E no caso de Jesus já vem mais de trás com vitórias em cima de vitórias.
      Cumprimentos

      Eliminar
  5. É que é mesmo isso Guachos, sem tirar nem pôr...
    O que me assusta é a quantidade de Benfiquistas que não percebe isto.
    Ainda há meia dúzia de anos tínhamos o Benfica que tínhamos e agora após uma época em que ganhamos tudo e fomos a uma Final Europeia há demasiados Benfiquistas que não percebem o que Jorge Jesus tem feito pelo nosso Benfica.

    ResponderEliminar
  6. Comparar o contexto de guardiola no barcelona e de ferguson no united com o de Jesus no Benfica é aceitável, é uma boa figura de estilo, mas não é simples como a farinha amparo.
    JJ é um grande treinador, como o era ferguson e é guardiola. Agora os clubes e os contextos são diferentes.
    Se calhar por isso mesmo, JJ tem ainda mais mérito que guardiola ou ferguson.
    Mas eu não acredito em heróis. Os resultados do Benfica, assim como os do barça, manunited ou bayern, não podem ser, nem serão nunca obra de uma pessoa só.
    Há muito mais para descascar por detrás desses sucessos.
    Espero que JJ continue no Benfica, mas não perco o sono se JJ sair.
    CARREGA BENFICA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ninguém ganha nada sozinho. O que é estúpido é pensar que se ganha só porque sim e não perceber o porquê de se ganhar!

      Eliminar
  7. Alex Ferguson, um homem que esteve décadas a ganhar aos comandos do Manchester United, que criou equipas vencedoras a partir de jogadores duvidosos, que geriu egos até mais não a aproveitar-se do Queiroz?
    Ahahahah! Que bela piada, felizmente que nunca a ouvi nos tempos em que o professor andava por lá, caso contrário tinha-me passado com quem dissesse isso!

    Guardiola, inventor e reinventor do futebol moderno como jogador e depois como treinador, que saiu do Barcelona - onde poderia ter sido eterno! - porque os jogadores (e alguns comentadores) começaram a dizer que o seu futebol era chato foi Munique reinventar mais uma vez o futebol - é olhar para o Neuer para saber a bitola que vão ter os GR daqui para diante - a ficar atrás de um José Mourinho que já algo pelo futebol mas agora parece um velho dos Marretas?
    Esta ouvi, mas ignorei abertamente. E que gozo me deu que no ano a seguir ao Mourinho falar na equipa dos 100 pontos o Barcelona fizesse o mesmo!

    E lembrava mais um exemplo, um treinador que não acho dos melhores mas que sabia gerir egos.
    Del Bosque que no Real Madrid mais não fez do que manter os Galácticos todos na linha para conseguir ganhar duas Champions e muitos mais troféus.
    Uma década depois disso o Real continuou a acumular jogadores caros mas Ligas dos Campeões nem vê-las.
    E até o Queirozinho passou por lá...

    Pois, isto de ter um treinador tem muito que se lhe diga.
    E nós, no Benfica, temo-lo!
    Quem me dera que ele pudesse ter a matéria-prima humana de outros que andam por aí a meter o Fábregas a ser defesa...

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.