sábado, 27 de junho de 2015

Para ti, Telma.

Por José Albuquerque

Sentei-me em frente ao computador afogado no tanto que te queria conseguir dizer e a lutar contra a consciência de que me falta talento até para começar, quanto mais para lá chegar ... ao olimpo que já te devia festejar.
E, confesso-te, só vou tentar porque não o fazer seria nem sequer merecer admirar-te.

Tu sabes que eu sou mais um daqueles tontos que quer que o Nosso Clube seja o mais feminino possível e que, enquanto assim nao for, não Nos estamos a cumprir como Clube e tu, Telma, tens sido a Nossa maior bandeira por esse caminho fora. Se eu acreditasse no destino, era capaz de já estar convencido de que tu nasceste predestinada a percorrer esta espécie de via sacra em que as lesões te têm obrigado a fazer uma jornada épica e impossível, só para que essa bandeira seja levada, em Glória e com exageros de Determinação, nas asas da tua feminilidade e para que todas as Companheiras sintam o apelo do Desporto, para que o vivam e com ele infectem os seus filhos e familiares.

Caramba, Telma.
Não, não me olhes com esse sorriso humilde: tu és a mais formidável judoca da tua geração (talvez, mesmo, deste início de milénio) e não o és só no horizonte europeu.
Sim, já sei que encolheste esses teus ombros, quase como se isso fosse coisa pouca, ou resultasse de algum privilégio genético que tivesse amplificado as tuas indescritíveis qualidades humanas e desportivas, quando o tempo que o tempo tem revelou à saciedade que assim não foi, nunca. Assim não foi, não é e não será, Telma.

Que sim, porque foste ajudada ... como se outros e outras não tivessem tido essas e ainda mais ajudas e como se tu não Nos tivesses devolvido essas ajudas com um troco maior que o pagamento. Pergunta aos que mais te ajudaram e vais ver a Alegria de quem recebeu mais e melhor em troca. De quem te soube eleger como exemplo, como bandeira.

Só não percebe quem não quiser, Telma. E tu não te vais esconder por detrás de modéstias, nem que seja a tua modéstia de Gloriosa Atleta.
Só quem nunca teve de chorar uma lesão, chorando a dor e ainda mais a frustração de não poder discutir com o corpo essa “ordem de paragem”. Tu já tiveste de chorar tantas ...
Só quem nunca enfrentou as dores da recuperação, da fisioterapia que quase nos parte para impedir atrofias e perdas definitivas de elasticidade. As dores de saber que se tem de recomeçar tudo de uns quantos degraus abaixo e, também, as que chegam quando se luta para afastar a tentação do conforto e o medo de não voltar a conseguir.
Só quem nunca venceu, Telma. Quem nunca se venceu. Quem julga que o Desporto é ver outros vencer e simular um prazer orgásmico porque eles venceram com o Nosso Emblema e derrotaram o emblema do vizinho.

Dizes que és, apenas, uma mais ...
Oxalá fosses, Telma!
Mas, infelizmente, não és apenas uma mais: tu és, entre muito poucas e poucos, um exemplo raro do melhor que há no Desporto, de tudo o que ele significa e seria formidável se isso fosse entendido por toda a gente.
Pode ser que sim, oxalá que sim, pelo teu exemplo e dos raros e raras que se te assemelham, que possam vir a ser “apenas mais uma” (ou mais um) as que aceitarem o desafio de se desafiar e de nunca mais parar de lutar por fazer mais, por fazer melhor, sem nunca parar de ser solidária, universalista e ... desportista.

Desengana-te, Telma, porque há pouco em ti que seja como nos demais e todos os que te conhecem o reconhecem.
Eu, que já te admirei por tudo e mais umas botas, que tenho idade para não ser surpreendido, continuo a ficar embasbacado a cada um dos teus novos combates.
Todos os que te conhecem te admiram pelo rigor do treino que te reconstitui a força e a velocidade. Todos admiram a tua determinação e coragem.
Todos te admiramos e já sabemos que te vamos continuar a poder admirar, porque é óbvio que tu vais brilhar em tudo o que fizeres, muito para além desta fase de Judoca de eleição.

Mas, depois deste torneio, a admiração que por ti temos ganhou mais um pilar ... ou dois, ou mais.

O Respeito, Telma. O Respeito pela tua humildade, pela convicção de quem vai lutar sabendo que fez o seu melhor e está pronta a reconhecer a superioridade das adversárias, se fosse o caso. Tu és uma galáxia de estrelas que abre os braços à hipótese de ser só um espelho, um espelho para o valor das adversárias.

Caramba, Telma.

E esse perfume que trouxeste ao judo com a tua maturidade e, ainda mais, com uma inteligência vibrante. O judo que mostraste nestes combates vai ficar nos anais do que a experiência e a inteligência fazem na prática de um Desporto, mesmo quando ele é tão marcadamente atlético como o Judo.
É espantoso verificar como tu cresceste com cada um destes quatro combates e como conseguiste somar outras tantas vitórias sobre quatro Judocas que me pareceram (muito humildemente) em melhor condição atlética do que aquela com que tu podias contar. E atletas que já te tinham vencido antes, quando estiveste em melhor condição atlética.

Caramba, Telma, que quase me fizeste sentir pena da húngara que defrontaste na final.
É impossível fazer um relato radiofónico de um combate: tudo acontece à velocidade da luz (mesmo quando parece que não se passa nada, ahahah) e não há voz que possa acompanhar o que os olhos vêem.

Todos a vimos ir “com demasiada sede ao pote”, percebemos como tu te preparaste para essa agressividade e notámos os convites que lhe fizeste, até lhe provocares o desequilíbrio.
Caramba, Telma: foste perfeita!
Naquele instante, ainda as tuas costas estavam no ar, eu senti que o ippon já era inevitável (gostava de saber se tu também), mas nenhuma de vós perdeu a concentração e ela conseguiu o milagre (que soberba atleta) de evitar o “flat on her back” ... quis fazer do teu braço corrimão (tem de ter sido instinto e uma força tremenda) e tu permitiste, ahahah.
A inteligência e a concentração que te permitiram (com uma técnica e velocidade perfeitas) trocar a surpresa do ippon evitado in extremis por aquela imobilização do braço que tinha salvo a tua adversária, tem de ficar nos manuais do Judo.

Eu não fiquei absolutamente nada surpreendido por este teu Pentacampeonato (desde que passaste a meia final). Todos vimos que tu ficaste, mas eu não.
E digo-te mais, Telma: ou os treinadores das tuas adversárias as preparam muito bem, ou elas correm o risco de ser vencidas no Rio.
E vencidas assim: com um perfume de humildade e inteligência madura!

Caramba, Telma, que recital!

Faço votos de que o Clube que Amamos te honre devidamente e te ajude a multiplicar este fabuloso símbolo do Desporto Feminino.

Obrigado, Telma!   


Viva o Benfica!   

13 comentários:

  1. Grande texto. Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. Vamos Telma Monteiro,
    que a glória voltará,
    Como Eusébio e Mário Coluna,
    Mais uma campeã Imortal!

    Caríssimo José Albuquerque:

    Da minha parte, um grande aplauso para este teu texto, que é dedicado à melhor, como tu dizes, judoca do milénio na Europa! De forma humilde, reconheces que as palavras que lha dedicas nunca alcançarão o valor, ou farão a justiça devida à nossa estimada e apreciada atleta. Mas o nome dela, para mim, já está na galeria dos imortais que se libertaram das amarras do esquecimento e do tempo pelos feitos que ecoam pelas areias da eternidade!

    No entanto, deixo aqui apenas um lamento: em tempos, tal como o autor do post o faz, defendi o Benfica pela aposta que faz no desporto feminino e que engrandece o Universo Benfica! Que esta era uma das apostas mais acertadas que o Benfica prosseguia e que os títulos conquistados no desporto feminino deviam e devem ser alvo de reconhecimento, de orgulho e satisfação, pois as nossas atletas femininas cumpriam os desígnios e a génese do nosso Benfica: vencer! Apesar dessa minha defesa, recordo-me dos comentários de diversos benfiquistas a desdenharem tais feitos e palavras. Para eles, as únicas modalidade importantes seriam o futebol, o futsal, hóquei, basquetebol, andebol e Voleibol! Que o restante era irrelevante e nem devia merecer qualquer menção!

    Existirem sócios e adeptos a defenderem esta linha de raciocínio entristece-me, porque no meu entender, mancha os valores do nosso Benfica, e desrespeita todo o Universo Benfica, construído e assente no ecletismo e na devoção ao desporto em geral, lutando sempre por vitórias e por sermos melhores a cada dia que passa! Conforme me ensinou o ilustre José Albuquerque, a minha obrigação é entregar às próximas gerações um Benfica ainda mais forte e mais rico que o Benfica que as gerações passadas me entregaram! E nesse ponto, um Benfica forte e melhor, para pelo apoio do Benfica na luta contra as desigualdades dos géneros e pela promoção e desenvolvimento sustentado do desporto feminino, em qualquer modalidade.

    Um bem haja a todos e um forte abraço para este glorioso blogue.

    Benfica sempre, sempre Benfica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enormerrimo Menino Rebelde, Companheiro,

      Estou integralmente de acordo contigo, mas ja' nao estou, como tu pareces estar, tao preocupado com as estreitas vistas de alguns (muitos, eu sei) Companheiros que insistem em desvalorizar o contributo do Feminino para o Nosso Clube.

      Eu tenho a certeza de que, passo a passo e Vitoria a Vitoria, as Senhoras vao continuar a "invadir" o Clube e o vao fazer (ja' fazem, mas vao alargar essa presenca) desde as bancadas 'as pistas, passando pelos gabinetes e todos os cantos do Glorioso.
      Nao tenho a certeza se os Nossos Corpos Sociais tem feito todo o possivel para apoiar este movimento, mas, ainda assim, os resultados ja' sao incontestaveis e constituem um sinal do que me parece ser um processo imparavel.

      E se houver Companheiras entre as Leitoras do GUACHOS, aqui fica o meu humilde convite para que se deixem de duvidas e "tomem de assalto' o Benfica, na certeza que eu tenho que o vao fazer ainda melhor e maior (alem de muito mais bonito, ahahah).

      Viva o Benfica, tambem no Feminino!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
  3. Grande texto ze embora sendo o futebol a minha grande paixao tudo o que envolve o Benfica nas outras modalidades me entusiasma particularmente a parte femenina ver aqueles corpinhos esbeltos com aquelas roupinhas curtas e com a camisola gloriosa me levam ao extase no bom sentido sao uma gracinha,viva o Benfica viva a Telma e parabens pelo teu texto.

    ResponderEliminar
  4. Grande Navegador, como sempre: conhecedor e seguro do que escreves, opinas ou comentas.
    Não tenho dúvidas, a nossa Telminha sentir-se-á lisonjeada e feliz com a justiça do teu post e texto simplesmente BRILHANTE!
    Ela merece!
    O Benfica merece!
    Parabéns, companheiro!

    ResponderEliminar
  5. Fora do tema, poderia dizer-me qual é o timing de capitalização das obrigações do Benfica?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Enorme FranciscoB, Companheiro,

      Suponho que me querias perguntar sobre o prazo de subscricao, que creio que termina no dia 7 de julho. Mas se tens a intencao de investir, o melhor e' perguntar ao teu gestor de conta.

      Aproveito esta tua pergunta para sugerir a todos os Companheiros a leitura do Prospeto desta emissao (podem baixa'-lo ou no slb.pt, ou no sitio da cmvm) uma vez que ele inclui informacoes que nao se encontram nem nos "R&C".
      E' claro que o documento e' uma "estucha" infinda (sao umas 130 paginas), mas eu dou uma ajudinha, ahahah: sigam para a pagina 59 (resumos das compras e vendas das 3 ultimas epocas) e, depois, saltem para a pagina 88.

      E se quiserem, leiam o maximo possivel: vao ver que gostam.

      Viva o Benfica!
      (Jose' Albuquerque)

      Eliminar
    2. Não era bem isso - era se os juros capitalizam ao ano ou aos 3 ou 5 anos.

      Eliminar
    3. ok, creio que os juros sao pagos semestralmente ... tens de ler o prospeto

      Eliminar
  6. A Telma merece, mas desta vez excedeste-te meu caro amigo. Que bela demonstração de benfiquismo. Que bela demonstração de paixão pelo judo, conhecimentos e respeito pela modalidade. Contigo o nosso benfiquismo (e ecletismo) é obrigado a estar sempre em alta só para te podermos acompanhar...obrigado, mais uma vez, por o fazeres tão bem como o fazes e por teres escolhido este local para o fazeres.

    ResponderEliminar
  7. Que orgulho em ti Glorioso José!
    Que orgulho na nossa Telminha!
    Depois de ler o teu texto estou tão emocionado, que nada mais me resta do que gritar
    VIVA O BENFICA!
    Sou tão feliz.... que nada mais posso dizer

    ResponderEliminar
  8. Dois tópicos que são hinos.
    Este e o próximo.

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.