quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Vamos a “contas” (preliminares 2015/16) ?

Por José Albuquerque

Como já devem saber, a Nossa SAD acaba de emitir para a CMVM o já habitual comunicado sintético com os principais números que virão a ser detalhados e explicados no R&C final do exercício económico de 2015/16.
Não sabendo se o Companheiro Guachos vai querer reproduzir, neste texto, as 4 páginas desse comunicado, ou, em alternativa, oferecer-vos o link (AQUI) através do qual lhe poderão aceder, vou fazer um pedido aos Leitores deste texto: tratem de acompanhar as partes pertinentes que vos escrevo com um acesso simples ao comunicado, porque isso facilitará a leitura que vos proponho.
Antes de mais, importa, portanto, sublinhar que este comunicado não substitui, de modo nenhum, a apresentação próxima futura do R&C e deve ser interpretado como o cumprimento de uma oportunidade para informar os Sócios neste período pré-eleitoral, bem como confirmar ao Mercado as melhores expectativas que “ele” já tinha previsto.

A propósito de previsões e recordando o texto (em 3 partes) que o Guachos publicou com as minhas estimativas para os resultados deste exercício (2015/16) da Nossa SAD, da osgasad e da andruptosad, quero prometer-vos que, após a publicação dos 2 R&C ainda em falta (só a osgasad já publicou o deles), farei uma análise comparativa dos aspectos mais relevantes, com uma “autocrítica explicativa” aos desvios verificados entre a realidade e as minhas estimativas.

Ainda antes de entrar pela matéria do tópico em título, permitam-me que, uma vez mais, explicite o meu protesto pela forma como a mérdi@ “des_portiva” nacional quase ignorou o tremendo bléu reflectido no brutal prejuízo de quase 32M€ que o Al Calotes conseguiu na osgasad.
E como acabei de ler/ver diversos “recortes” dos pasquins e das tv’s que os meus Filhos fizeram, como sempre (Obrigado, Filhotes), o favor de me remeter, vou estender o meu protesto anterior às diversas tentativas da mérdi@ para interpretar o mais negativamente possível o conteúdo do comunicado da Nossa SAD, nomeadamente exarcebando o significado do ligeiro acréscimo do Nosso Passivo consolidado.

Eu começo por vos confessar que nunca, mas nunca mesmo, me vou conseguir habituar à ideia de ver nas televisões uns absolutos e militantes ígnaros a botarem faladura sobre a situação económica e financeira do Glorioso.
A coisa é mais ou menos como se me pedissem a mim que fosse comentar uma laproscopia ao pâncreas, ou os cálculos para as fundações da ponte Vasco da Gama: para uma e outros eu olharia como “um burro para um palácio”, que é, exactamente, como aquelas bestas de cumentadeiros olham para este comunicado e/ou para os R&C, sejam eles de quem forem.

O exemplo mais ridículo é de autoria de um dos 3 estarolas que “alertava” para o tal crescimento do Passivo, desrespeitando o, bem maior, crescimento do Ativo porque, na “argumentação” do ignorante, este último “não se pode vender”, ahahah (mas quem é que lhe ensinou tal bacorada?).
E “explicava” o abestalhado comparando com todos os que fizeram um empréstimo para adquirir uma casa (que também não convém vender, a menos que seja para comprar uma melhor, ou ir viver acampado), que têm de pagar com o que recebem de salário .... (?????).
Não querendo fazer-vos perder tempo com este tipo de símios, ainda assim gostava de lhe poder atirar à tromba que não o ouvi discorrer “argumento“ similar quando deu a notícia do crescimento do Passivo da osgasad, esse sim 32M€ superior ao crescimento do Activo e talvez porque esses (ou os andruptos) nem centro de estágios têm para vender, no caso das osgas porque já o “venderam” ao Millennium e, no caso dos andruptos, porque o usam quase de borla por benesse da edilidade de Gaia.
Mas “Caburros”! Cambada de FDGP!

Para não perdermos mais tempo com estes merdas, vou fazer um pedido aos mais voluntariosos entre vós que tenham página de “feicebuque”: por favor, inundem as páginas de todos esses mérdi@s (e, já agora, também dos Companheiros que participam nesses miseráveis programas de “debate”) com as 3 seguintes séries de números ...

... a ver se essa malta começa a conseguir contar pelos dedos e a juntar estes números aos dos títulos entretanto conquistados pelo que eles chamam de “3 grandes” (ahahah).

Bem, deixemos os cães a faladrar e vamos ao comunicado (que, espero, tu já aí tens num dos lados do teu monitor): reparem nas seguintes duas frases ...

“A rubrica de caixa e equivalentes de caixa aumentou essencialmente devido ao recebimento no final do exercício da primeira prestação do valor de alienação do atleta Renato Sanches;” (sic, na página 2).

Porque será que lhes escapou esta parte?
Será, assim, tão difícil de interpretar, sobretudo depois de, há uns dias e na entrevista que deu na Tvi, o Presidente ter dito que a venda do “Bulo” foi feita por 60M€, mais eventuais 20M€, (“eu sei bem o que é que assinei”, ouvi-o eu a sublinhar)?

Não, Companheiros!
Este ponto do comunicado é muito evidente e só vem comprovar o que eu já aqui tinha afirmado anteriormente!
E se me perguntarem como é possível que a CMVM não conteste a diferença entre a informação oficial sobre a venda (apenas 35M€ que, agora, é chamada de “primeira prestação”) e estas sucessivas afirmações (60 + 20), eu digo-vos que a CMVM perdeu toda a autoridade moral quando fechou os olhos à descarada omissão dos custos da osgasad, no ano anterior e respeitando ao caso Doyen, ficando, agora, incapaz de criticar um “adiamento” de proveitos que a Nossa SAD está a confessar nesta operação.

O que é que aconteceu, de facto?
É bastante simples:
1 o Bayern entendeu dever proteger o seu jovem atleta da pressão que os média certamente fariam caso o valor declarado fosse o que, realmente, foi negociado (recordem que o RS nem sequer já tinha sido convocado para o europeu); e
2 o Glorioso não só se solidarizou com os bávaros nesse objectivo, como esfregou as mãos de contente por não ter de apresentar um resultado líquido neste exercício ainda mais exagerado (seria de 45M€).

“A dívida bancária registou uma forte diminuição neste exercício, no valor de 49,7 milhões de euros, a qual foi compensada quase na totalidade pelo incremento do valor dos empréstimos obrigacionistas por subscrição pública;” (sic, na página 2).

Comprovando o que fora anunciado na ocasião da emissão obrigacionista (EM) e confirmando a sustentada troca de financiamentos bancários (mais caros e associados a garantias reais) pelo eficaz recurso ao mercado de capitais, para gáudio de todos os investidores que, assim, lá conseguem uma (pequena) remuneração (líquida) para as suas poupanças sem alternativa e ... com o ínfimo grau de risco associado à Nossa Marca.

E, agora, vamos aos números principais ...

Já devem ter notado que eu tinha sobrestimado o Resultado Líquido do Exercício (estimei 27,1, contra 20,4M€), ainda por cima quando subestimei os Proveitos Operacionais (estimei 120,4, contra 126,1), ou seja ... tudo “trocos”, ahahah (Bcool, trata de ser meigo comigo, ahahah).
Deixemos o primeiro desvio para mais tarde e concentremo-nos no segundo: uma vez que parece que eu “acertei” na estimativa dos proveitos da BTV, creio que vamos ter muito boas notícias no que toca aos novos valores dos Nossos Sponsors, já que não admito ter errado assim tanto quanto à previsão das receitas de “Match Day”.

Quanto à minha estimativa de Proveitos ROPA (84,0 contra 81,9M€), tal como os Custos com Pessoal (60,4 contra 61,5) e com FST’s (33,4 contra 34,8), as minhas estimativas andaram satisfatoriamente e comprovou-se que a Nossa SAD já tinha pago, antes de 31 de março, todos os prémios decorrentes da chegada aos quartos de final da Champions (o talixo tem muitas razões de queixa, o cabrão).

As minhas “surpresas” principais ...

Em primeiro lugar, surpreendeu-me a contabilização de uma Imparidade (um “custo” ou “prejuízo”) de 3,8M€, que não tem a ver com Operações sobre Passes de Atletas e que eu, especulando, vou admitir que corresponda à anulação do valor contabilístico (Activo) dos contratos da BTV relativos às transmissões das outras ligas estrangeiras (só o contrato com a BPL é que terminou em junho).
Se eu tiver razão, tratou-se, então e assim, apenas da “antecipação de um custo”, que será devidamente compensado, no(s) próximo(s) exercício(s) pela NOS, entidade que prefere ter a BTV afastada dos conteúdos concorrenciais.

Em segundo e último lugar, fui surpreendido com a antecipação (face ao que me tinham dito) do pagamento de cerca de 41M€ por parte do Clube/SGPS à Nossa SAD (passando a “dívida” do Grupo para com a SAD a resumir-se a uns míseros 7,4M€), já com algum impacto ao nível da redução dos Proveitos Financeiros que, a partir de agora, reduzem-se a um valor quase residual.

Em síntese, Companheiros,

Este comunicado de que falamos, vem confirmar tudo o que de mais pertinente eu já tinha concluído nas anteriores análises às Nossas “Contas”, sendo cada vez mais gritante a forma como caminham, par a par, os resultados desportivos e económicos do Glorioso, por mais que todos os anti, Taliban incluídos, tentem disfarçar, omitir e/ou deturpar.

E não quero terminar sem saudar, gloriosamente, a forma brilhante como o Companheiro DSO respondeu (ou melhor, aniquilou) ao adjunto do Al Calotes (que vergonha, num tipo que é CFO de uma sociedade cotada): às atoardas da osgalhada, ou não se deve responder, ou, caso se queira, tem de ser assim ... com um “ferro de morte”.

Naturalmente, fico atento às perguntas que queiram colocar-me na caixa de comentários.
  
Viva o Benfica!




38 comentários:

  1. Estou com uma grande dúvida em relação às contas da lagartagem. O saldo entre compras e vendasna DR é positivo em 7M€....mas só aparecem as vendas! E as compras de 24M€ da pag 146 do relatório?!!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro moguita,

      Desculpa-me, mas este não é o texto para falarmos sobre as contas da osgasad.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  2. Mais uma vez muito obrigado pelo esclarecimento das contas do nosso Glorioso. Mas gostava de perguntar o seguinte! O que pensa da constante subida de custos com o pessoal e com as despesas F S E, ano após ano tem aumentado. Comparando as F S E dos nossos rivais, o Benfica gasta muito mais que eles. A que se deve esse facto e se será possível diminuir esse custo tal como as despesas com o pessoal. ABC saudações gloriosas
    Ass: José Ferreira Vila Nova de Famalicão

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Companheiro José Ferreira,

      Eu é que te agradeço pelo incentivo e, também, pelas questões que colocas.

      Quanto aos Custos com Pessoal, não é verdade que a Nossa SAD gaste mais que os andruptos (gastamos muito menos), nem que as osgas em relação às quais tens que perceber que o número de Empregados e Colaboradores (chamemos ao conjunto de ... "tripulação") da Nossa SAD é bastante maior que os da osgasad, além de que Nós tivemos prémios para pagar, quer pelos 2 títulos internos, quer pelos "quartos" da Champions.

      Quanto aos FST's, uma vez mais tens de perceber que não podes comparar os custos de um porta aviões, com os de um pequeno cargueiro, ou um arrastão de 35 metros, ahahaha.
      Se tiveres em conta estas realidades, vais concluir que o controle do crescimento dos custos do Grupo Benfica tem sido francamente bom.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Ontem passei a noite a ver o aniversário da nossa caixa futebol campus. E devemos ficar orgulhosos por todo o trabalho que lá é realizado. Parabéns a todos os que fazem da caixa aquilo que ela é
      Voltando ao tema das contas, tens razão, não se pode comparar o nosso porta aviões com os pequenos cargueiros que mais não fazem que poluir as nossas águas. Se eles tivessem a humildade e tentassem fazer o mesmo talvez o futebol português fica se melhor. É difícil para eles chegarem à dimensão do nosso Glorioso, mas pelo menos e dentro da realidade deles fazerem algo semelhante.
      Para finalizar, o crescimento dessas despesas têm que ser acompanhadas com o crescimento de receitas.
      Não quero que o Benfica se torne numa Câmara Municipal, se é que me fiz entender
      ABC e quando o relatório e contas estiver disponibilizado passo por aqui para ler a sua opinião.
      Ass: José ferreira

      Eliminar
  3. Caro José Albuquerque:
    Obrigado pela explicação. Parece-me que sabe da poda.
    Tem toda a razão em relação aos comentadores profissionais que acham que sabem tudo de qualquer assunto e comentam tudo sem o mínimo de vergonha. Na verdade não sabem nada de nada. Mesmo eu, que me considero um ignorante em contabilidade de empresas, consigo detectar alguns erros básicos nas análises desses comentadores.
    Mas gosto de ir sabendo algumas coisas sobre temas que não domino. Portanto, aproveito a oportunidade para lhe colocar uma questão: existe uma designação técnica, "Activo Intangível", que me parece representar uma variável com algum peso no resultado final dos equilíbrios das contas; o que eu gostava de saber era como é que se garante que as várias parcelas (por exemplo, "valor de jogador x"?) dessa variável sejam fidedignas? Existe alguma entidade reguladora para verificar isso? Possivelmente é uma questão muito básica, mas já tinha dito que sou quase ignorante no assunto.

    Sérgio.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Sérgio, Companheiro,

      Antes de mais, Obrigado pelo incentivo e pela pergunta.
      Se me permitires uma sugestão e uma vez que te pareces interessar por este tema da realidade económica do Glorioso, tenta ler outros textos aqui publicados, em que eu procuro simplificar a compreensão destes assuntos, além de procurares no teu círculo familiar e de amizades, alguém com formação técnica específica que, com maior facilidade, te pode resolver as dúvidas.

      Quanto à questão que me colocas, só te posso dar uma explicação tão simples que corre o risco de ser simplista ...
      A contabilidade não pode ser "criativa" e reúne um conjunto de técnicas e princípios que visam espelhar da forma mais correta possível a realidade da instituição em causa.
      O Ativo das Empresas é formado pelos mais diversos valores em que estão aplicados os capitais (próprios e alheios) envolvidos no negócio e que podem ir de um depósito bancário até um terreno.
      O Ativo Intangível é constituído por items (o valor de um alvará, o direito de uso de uma marca, um contrato de exclusividade, um "passe" de um Atleta, etc., etc.) normalmente designados por "incorpóreos", mas que só podem ser contabilizados pelo seu custo real de aquisição, razão pela qual o seu "valor contabilístico" só se afasta significativamente do respetivo "valor real de mercado", ou se foi muito mal adquirido (ou demasiado bem), ou se se alterarem muito as condições do mercado.

      Por exemplo, pensa no caso de uma Farmácia na qual podem ter sido investidos 1 milhão de euros no respetivo alvará e que, dadas as atuais condições de mercado, pode ter um valor quase nulo.
      Do ponto de vista contabilístico, o valor pago por esse documento seria sempre amortizado até que, no final do prazo de amortização, ele acabaria por assumir um valor líquido igual a zero, mas pode ser mais correto assumir a anulação antecipada desse Ativo, através do registo da Imparidade (assumindo o "prejuízo") que lhe corrigisse o valor contabilístico.

      Nas Empresas sérias, nomeadamente aquelas que estão cotadas em bolsa, existem exigências legais em termos de Auditoria e Certificação de Contas, que concorrem para que sejam inviabilizadas (ou dificultadas, no mínimo) quaisquer derivas "criativas" na contabilidade.

      Espero ter-te ajudado.

      Viva o Benfica!
      (josé Albuquerque)

      Eliminar
    2. Obrigado, José Albuquerque.
      Foi perfeitamente entendível. Mas continuo a ter algumas dúvidas. Por exemplo, em Março deste ano, quanto valia o passe do Renato Sanches? Para um sportinguista nunca valeria grande coisa e se o Benfica lhe atribuisse por exemplo um valor de 30 milhões o tal sportinguista iria dizer que se estava a "inflacionar" o valor do passe para aumentar os activos e disfarçar a situação de falência. Mesmo contando com auditorias independentes e algum outro tipo de regulação, parece-me que não se consegue evitar alguma subjectividade.

      Sérgio.

      Eliminar
    3. Caro Sérgio, para não sobrecarregar o Albuquerque, ajudo eu respondendo a essa pergunta.

      1)Em primeiro lugar tudo é subjectivo ou, o que é o mesmo, a subjectividade não se pode alterar. Haver uma entidade externa que certifique o valor dos passes dos jogadores, não diminui essa subjectividade. Pelo contrário, na minha opinião aumenta, porque obrigaria os clubes a estar constantemente a fazer apreciações e depreciações quase mecânicas do valor dos seus activos sem beneficio aparente.

      2) Em contabilidade existe um principio que, no óptimo, deve sempre regir a nossa actuação que é o da prudência. Ou, utilizando o jargão técnico, não contar com o ovo no cú da galinha. Isto significa que, ainda que eu esteja convencido de que o passe do Renato vale muito mais, tenho pouco incentivo em aumentar o valor do meu activo até porque isso equivale a aumentar os meus resultados sem uma correspondente entrada de cash flow na empresa. Inversamente, e por isso o Albuquerque preferiu centrar-se na redução de valor do activo, quando eu tenho um activo que razoavelmente sei que vale significativamente menos que o contabilizado, devo proceder à redução do seu valor preventivamente não só porque me permite tomar melhores decisões tendo em conta a real situação da empresa como também porque, ao registar o custo, me liberta cash-flow (se tenho cash-flow disponível) para tentar remediar a situação.

      Outra coisa é que queira embelezar o meu balanço para enganar a terceiros (clientes ou credores). Mas esse caso podemos deixar para quando o Albuquerque analise as contas do Sporting.

      Eliminar
    4. Caro Sérgio,

      Do ponto de vista contabilístico (o valor de balanço), o RS só valeria alguma coisa (diferente de zero), no caso de ter recebido algum prémio de assinatura quando assinou o seu primeiro contrato (ainda só de 3 épocas, porque não tinha 18 anos), o que até me parece ter sido o caso (25.000€, segundo me disseram), percebes?

      O que sucede é que a contabilidade (e as Normas IFRS) não se adaptam a esta especificidade tão típica do futebol, em que são frequentes as disparidades absurdas entre os "valores de balanço" e "de mercado" de muitos futebolistas.
      É, exatamente, dessa incapacidade que resultam as imensas mais valias resultantes de operações com passes de Atletas, especialmente os mais jovens e mais valiosos.

      Portanto, não se trata de "subjetividade", Companheiro: trata-se das regras de contabilidade universalmente aceites e da respetiva não adaptação a esta ideosincrasia do futebol "industrial".

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    5. Ahahahahah, Companheiro RDS,

      Obrigado pela ajuda, que, tenho a convicção, o Sérgio vai compreender melhor do que com a minha tentativa de explicação.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    6. Explicações perfeitas. O meu muito obrigado a ambos.

      Eliminar
  4. Gracias, Gracias Mister Albuquerque

    Impressionante esse olho de falcão que reparou na "primeira prestação" do Renato. Eu também tinha lido exactamente o mesmo, e segui em frente sem reparar nesse pequeno grande pormenor.


    As minha principais duvidas são:

    1. Como é que deduzes que acertaste na estimativa dos proveitos BTV?

    2. A outra é em relação aos activos intangiveis...
    Como é que crescem tanto, antes até da compra do Rafa?

    Somando as percentagens adquiridas de Pizzi, Jardel, Jimenez, prémios de assinatura conhecidos de Carrillo e Zivkovic, compras de passes de Cervi, Horta, Mitroglou e Benitez, (praticamente acho que só fica a faltar o prémio do Kalaica), não consigo chegar aos quase 65 Milhões de diferença.

    Alguma "renegociação" entre clube e SAD em relação aos direitos da marca seria possível?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu Caro Pica-miolos, Companheiro,

      Ahahahahah, o teu "olho de falcão" (porque não de águia?) não reparou na "primeira prestação" porque tu já estavas a tentar encontrar a solução para o anormal crescimento da rubrica do Ativo Intangível, ahahah.

      Tens razão!
      Uma eventual reavaliação do contrato de exploração da Marca entre a SAD e o Clube (que ajudaria na antecipação do pagamento do Clube à SAD da dívida que existia antes), poderia ser uma boa explicação, sobretudo se estiver associada a algum Sponsor especial e a um projeto especial como aquele (olha que sei pouco sobre o assunto) que tem estado a ser preparado na China.

      Outra hipótese explicativa pode ter a ver com a parceria com a NOS, especialmente se for disso mesmo que se trate - uma PARCERIA, e não só um mero contrato de distribuição da BTV.

      Obrigado por este teu excelente contributo.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  5. Nunca é demais agradecer o verdadeiro "serviço público" Benfiquista q o Enorme José Albuquerque faz regularmente neste Glorioso Blogue, certamente à custa de algum sacrifício pessoal mesclado c/ uma paixão incontrolável pelo Benfica.

    Embora não esperássemos outra coisa, também é digno de elogio o seu acerto nas previsões.

    Chamava a atenção para os cerca de 210 MEuros de proveitos operacionais q, pelos vistos, seriam 225 MEuros s/ o "adiamento" do pagamento do Renato, para concluir - estamos imparáveis!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ó meu Caro Companheiro FranciscoB,

      Ahahahahah ... tu és um mestre da ironia (essa do "acerto das previsões", ahahah) e acertas em cheio quando falas da Nossa Paixão incontrolável pelo Nosso Clube: tal como concordámos há uns dias, trata-se de uma Paixão que, cada dia mais, temos todos os motivos para alimentar racionalmente.

      Apesar de toda a simpatia ... olha que não seriam 225 ... (210 + 25 = 235M€).

      Aquele Abraço e

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  6. Obrigado Guachos e José pela disponibilidade em defesa do nosso Benfica, hoje fiquei com a pequena e assim que ela se agarrou ás bonecas lá fui eu dar uma vista de olhos na cmvm para consultar o nosso relatório. Olho para tudo isto e apenas com algumas explicações é que chego lá e honestamente não sendo a minha area tomo atenção a alguns pontos.
    Queria com isto perguntar se os "Gastos com transações de direitos de atletas (15.011)" são as comissões que nós pagamos aos intermediários? O presidente disse claramente e concordo em absoluto que se queremos vender por um valor e alguém o faz esse alguém tem de ser remunerado que se não estou em erro ía ate 10% (corrija-me se estiver errado) mas o valor de vendas é de 81.9 e as comissões se fossem de 10% tinha de haver vendas de 150, eu li mal o relatorio ou pagamos algo mais que 10%?

    Muito obrigado aos dois
    João Teixeira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro João Teixeira, meu Caro,

      Obrigado pela simpatia do teu incentivo e pelo interesse da tua pergunta.

      Sim, o Presidente falou em 10% (a propósito da Parceria com a Gestifute) e eu tenho vindo a alertar os Leitores para uma tendência para o crescimento do que poderemos chamar de "Custos de Aquisição de Passes" que se vem notando desde há 2 épocas desportivas.

      Mas também é positiva a resposta à tua última hipótese, porque há casos em que, mesmo além dos 10%, podem ter de ser contabilizados outros gastos/custos e para todos os diferentes casos possíveis de "Operações sobre Passes de Atletas" (vendas, compras, empréstimos cedidos, empréstimos aceites e, até, renovações contratuais).

      O crescimento sustentado das diversas componentes dos ROPA, quer em valor, quer em complexidade, parece-me constituir mais um argumento em desfavor daqueles que não entendem como esta "fonte de streams de negócio" pode e deve, ser considerada como uma função normal de criação de valor para uma SAD como a Nossa.
      Verificar o sustentado crescimento dos ROPA (em quantidade e qualidade, insisto) e, ainda assim, pretender considerá-los como resultados "extraordinários", é ... não perceber a tremenda desvantagem competitiva que resulta de termos de lutar contra a reduzida dimensão do Nosso "mercado interno", agravado pela desvantagem fiscal que enfrentamos.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Penso que esse diferencial das comissões vem dos prémios de assinatura aos jogadores que vieram a custo "0", Carrillo, Zivkovic e Kalaica.

      Eliminar
  7. Grande companheiro,

    Informação extra:
    - o movimento que referiste entre o Clube e a SAD aparentemente foi a 'renovação' da utilização da Marca Benfica, por mais 10 anos...

    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo Abidos, Companheiro e Amigo,

      Antes de mais, permite que eu te felicite e agradeça pelo fabuloso farol de Benfiquismo em que tu e o Redheart transformaram OINDEFECTÍVEL, que é paragem obrigatória em toda e qualquer "passeata" pela Gloriosasfera.

      Eu espero que sim, que seja essa uma explicação para (uma parte d)o crescimento verificado nos "Intangíveis".

      Aquele Abraço e

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Quando o trabalho interfere com a minha vida de Benfiquista é tramado. Mas não deixo de ler diariamente os magníficos textos do companheiro Guachos, e não poderia deixar de de agradecer este serviço público em prol do Glorioso. Abraço.

      Eliminar
  8. O valor que diz respeito às amortizações de passes é brutal: 36M€! E isto sem contar com o Rafa e outros reforços confirmados após o fecho do exercício. Representa mais de 50% da massa salarial. A direcção deve reduzir este valor no mínimo em 10M€. O Sevilha, que tem um modelo de compra-valorização-venda muito similar, e carregado de sucesso, gastou:

    12/13 - 13.3M€
    13/14 - 13.6M€
    14/15 - 18.3M€ - Lucro com vendas: 37M€ (Rakitic, Moreno, Fazio, etc.!

    Não vale a pena tentar negar o óbvio, o valor actual é injustificável, mas tudo indica que o seu crescimento ainda não terminou.

    Pede-se mais eficiência quando se contratam reforços, caso contrário pode-se esquecer o prometido abate do passivo. Relembro que estes resultados significam que, só para cobrir as amortizações da última época, tiveram que entrar 37M€ líquidos em vendas (o que é diferente de 37M€ brutos).

    Só em amortizações e juros já vamos em 56M€/época!!!

    Cumprimentos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já cá faltava um anónimo para alegrar a festa, ahahah.
      Especialmente, quando se trata de um daqueles que nem tem a desculpa de ser ignorante em contabilidade e Gestão.

      Companheiro,
      Não imaginas como eu lamento que não tenhas tido tempo para nos explicar essa relação direta entre as "vendas" e as amortizações contabilísticas do valor de balanço do Plantel (em contabilidade pública é bem conhecido o princípio que "proíbe" esse tipo de "emparelhamento").
      Nem a comparação com o Sevilha, sobretudo quanto ao "modelo" que desenhaste.
      Nem como é que se baixa esse Custo (não se trata de despesas), a não ser reafirmando o mesmo modelo que desenhaste.

      Ao menos que tenhas acertado nos números do clubeco de Sevilha, porque nos Nossos esqueceste outra parte das amortizações, ahahah (pois é, são 70M€ e não 56).

      Por favor, aparece mais vezes, escolhe um nome qualquer e passa com mais tempo e vontade de contribuir com comentários mais positivos e transparentes, porque (e tu bem o sabes) o que sugeriste foi mais o modelo lagarto ...

      Ou seja, peço-te comentários com ... "mais eficiência", concordas?

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Porra que é preciso ser-se muito ignorante. Por acaso as amortizações até superam os 50M.
      Como se paga o passivo? Com dinheiro. Dinheiro gerado pela actividade corrente da empresa ou por entrada de dinheiro fresco.

      Ora as amortizações, embora sejam custos contabilísticos, não são saída de dinheiro. Significa que o dinheiro das amortizações poderá ser utilizado para várias coisas, entre elas para o abatimento (vulgo pagamento) do passivo. Também pode ser utilizado para investimentos, que é o que o Benfica tem feito, assim como para o pagamento dos juros do passivo, etc.
      Por isso, acusar as amortizações de impedirem o pagamento ou o abatimento do passivo é de uma burrice extrema!

      PS. Pedir que as amortizações baixem para apenas 10M/ano significava que o Benfica teria de acabar com todo o tipo de investimentos futuros. O melhor é sugerir que Benfica feche as portas.
      Why not? A ignorância é livre e muito atrevida e a democracia permite todo o tipo de dislates!

      E já agora, qual é necessidade de comparar com o Sevilha? Podia comparar com o Sporting que está mais perto, apenas no outro lado da rua, eles tiveram pouco mais de 13M de amortizações. Apesar disso tiveram um resultado final de -32M. Brilhante!!
      Será que o anónimo já se deu ao trabalho de calcular quanto tiveram de cashflow? A seguir compare com o Benfica.

      Eliminar
    3. Caro Manuel, abater passivo? A sério? Qual foi a última vez que o passivo bancário, superior a 300 milhões, foi reduzido? Era bom era, mas vai ter que esperar.

      Até agora ignorante o único que vi é você, que fala em amortizações de "apenas 10M€/ano" quando deixei bem claro que se trata de uma redução de 10M€. Leia o que está escrito antes de começar a distribuir insultos.

      Será que reduzir as amortizações de passes em 5M€ (!!!) relativamente ao nível em que estavam em 14/15 é o equivalente a subir ao Evereste? Se calhar é relativamente simples, e passa por coisas como poupar 10M€ em dois jogadores que hoje estão... na equipa B. "O futuro a deus pertence" dirão. Pois, mas será que era assim um investimento tão fundamental para a existência do clube? Será que o tetra seria fisicamente impossível sem o contributo do Jovic e Saponjic? É que se todos os reforços são intocáveis então estamos perante deuses infalíveis do futebol. Já eu acho que são humanos que cometem erros como qualquer pessoa, como o próprio LFV admitiu na última entrevista.

      Amortizações e perdas de imparidade de direitos de atletas (página 3):

      14/15 30M€
      15/16 36M€

      Qual é a dúvida sobre este aumento? 6M€ a mais, e um recorde em Portugal, tanto quanto sei.

      O Sevilha investe praticamente metade desse valor, é um facto (pelo menos assim foi em 14/15). E não se preocupe com os valores do Sevilha, porque eu não vivo numa bolha e estou por dentro das finanças de outros clubes europeus. Mau seria se estivesse reduzido a três clubes, ainda por cima quando dois deles não são exemplo para ninguém. Só se de facto tivesse orgulho na minha ignorância é que não procurava estar informado sobre as melhores práticas a nível europeu.

      E depois ainda se vai buscar o Sporting. Sr. Manuel, não sei o que vê quando olha para o Benfica, mas eu vejo um clube que só se compara com os melhores, e não com clubes ridículos. Mais um bocado e estamos a comparar o Benfica com o Braga.

      No fim disto tudo, continuo sem perceber onde errei: o Benfica entre amortizações de passes e juros, contabilizou 56M€ no R&C. Isto é o melhor que se consegue fazer?

      Para mim pode-se fazer um bocadinho melhor. Nem digo muito, mas só um bocadinho. Por exemplo nesta época voltar aos 30M€. É que isto de ter de fazer 60M€ líquidos em vendas todos os anos para equilibrar as contas torna-se "chato". Eu sei que é esse o modelo, mas o modelo não diz que têm de ser 60M€ todos os anos, certo? Podem ser, sei lá, 50M€ ou mesmo 40M€, numa época em que se chegou aos quartos da Champions.

      A não ser que o Benfica seja o clube mais bem gerido na história da humanidade e seja fisicamente impossível melhorar a gestão 1€ que seja. Será que é isso que defendem? Espero que na direcção não pensem assim, e acreditem que há espaço para melhorar, de uma época para a outra.

      Caso contrário fica mesmo complicado cumprir o objectivo da direcção para o passivo. Pois, não é o meu objectivo, é o da direcção: ter a dívida bancária ao nível das receitas anuais. Neste momento faltam 100M€ para lá chegar, portanto se calhar a direcção até pensa como eu.

      Afinal foi o próprio LFV que disse, e cito: "nos próximos anos vamos contratar menos".

      Vejam lá se ao atacarem a minha lógica não estão na realidade a atacar... a direcção.

      Cumprimentos, e evitem os ataques baixos a quem expressa uma opinião diferente da vossa, não combina bem com a tradição de pluralismo que tanto honra a história do Sport Lisboa e Benfica, que presumo conheçam bem. É que acho que ter opinião própria não é ofendem. Pelo menos não é assim que eu encaro uma conversa.

      Cumprimentos.

      Eliminar
    4. Em 1º lugar quero pedir desculpa por ter lido enviesado e não ter percebido que era uma DIMINUIÇÃO das amortizações em 10M. No entanto, não muda em nada o conteúdo do que eu afirmei. E continuo a dizer que o que diz não passa de um chorrilho de disparates sem sentido.

      Compara o Benfica com o Sevilha. WTF?
      No entanto fica ofendido por eu preferir a comparação com Sporting. Qual é na realidade a diferença entre o Sevilha e o Sporting no que a amortizações diz respeito?

      Mas vamos fazer-lhe a vontade, vamos diminuir as amortizações em 10M, como sugere.
      Ora essa diminuição significa uma abatimento de investimentos em 50M, já que se amortizam 20% por ano.

      Significa então que, 50% do Jimenez (12M), o Rafa (16M), 50% do Pizzi (7M), o Jovic e Saponic (8M) e o Mitroglou (7M) não seriam comprados. E ficávamos todos contentes porque poupávamos 10M em amortizações e 50M em investimentos que podíamos utilizar para abater o passivo. Poupávamos 6M em juros do passivo, imaginem, uma fortuna!

      Sim, senhor, muito bem, o senhor é um génio! Mas ficávamos sem alguns jogadores importantes.
      Mas isso para o brilhante anónimo não é importante! Fiquei esclarecido! Importante é poupar 6M de juros e abater o passivo em 10M!

      E depois ainda se sente ofendido quando dizemos que o que sugere é uma perfeita burrice!
      Não percebe que com as suas sugestões está a ofender a inteligência de todos os benfiquistas?

      PS. Uma coisinha, porque com toda essa sabedoria lhe deve ter passado, não é tanto o tamanho do passivo que importa, a importância está mais nos juros que o passivo custa. O facto é que os juros têm vindo a diminuir e o passivo remunerado também.
      Para terminar, qual seria a importância do tamanho passivo se não pagássemos juros? Como faz o Sporting! Ainda era importante?

      Eliminar
    5. Peço desculpa que com a pressa houve um engano nas contas. "Poupavam-se 3M de juros e abatia-se o passivo em 50M". Assim é que está certo, o que dá ainda mais razão ao argumento.

      Eliminar
  9. A meu ver, a redução da dívida é uma orientação estratégica importante, mas deve ser efetuada de forma gradual. Não deve ser um fim em si mesmo, mas quando houver oportunidade para tal. Prioritário sim é nunca beliscar a necessidade de se investir na qualidade do plantéis, no desenvolvimento comercial, nainternacionalização da marca Benfica e na melhoria dos equipamentos e infraestruturas existentes.
    Isso é que trará vitórias e aumentará as receitas.

    Quanto aos números apresentados realço em particular a marca superada dos 200Me de receita e menção de que 60% dela é proveniente do mercado internacional. Interessante seria obter essa preponderância do mercado intetnacional nas receitas excluídas de operações com jogadores..

    A parceria "chinesa" e a definição dos termos acordados com a Nos merecem ser desenvolvidos na medida do possível visto pairar alguma incerteza sobre a sua materialidade. Serão temas de tostões ou milhões?

    E Pluribus Unum!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Companheiro Superaguia 1904,

      Como sabes, estou 100% de acordo com este teu comentário, que te agradeço.

      Quanto à tua questão, eu espero que venham a ser temas de milhões:
      1 - Porque, talvez pelo cenário de crise, me parece que o modelo anterior para a Nossa BTV estava a amadurecer abaixo dos 35M€ anuais de proveitos, pelo que uma verdadeira parceria com um distribuidor de conteúdos pode ser a solução para elevar esse patamar para os 50M€; e
      2 - Porque eu acredito, mesmo e muito, no potencial do mercado chinês num horizonte relativamente curto (3 a 5 anos).

      Vai dar trabalho, mas eu acredito que é esse o caminho.

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
  10. Nao sei se percebi bem,o Renato foi 60 certos mais 20 em variaveis?E so recebemos 35 agora?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente, Companheiro.

      E "só" recebemos 35M€ a pronto (estando garantidas mais 5 "prestações" de 5M€ num prazo que vai variar entre 3 e 5 anos)!

      Viva o Benfica!
      (José Albuquerque)

      Eliminar
    2. Boa pergunta.
      Ninguém aqui no blogue te pode confirmar essa informação por muito que gostassem.
      Se vierem exige provas....
      Em nenhum comunicado da BSAD aparece essa informação.

      Como tal o que te posso dizer é que o Benfica informou o mercado que recebe 35M mais 45M de acordo com objectivos.

      Aqui no blogue o que alguns parecem entender é que não são 45M em objetivos mas apenas 20M...já que 25M são certinhos como eu estar a respirar enquanto escrevo.

      Eliminar
  11. Caros companheiros

    Segundo o que "ouvi dizer" está a grande "bomba" a ser tratada, a renegociação do contrato com a NOS. Essa renegociação incidirá sobre a BTV (contrato de distribuição). Pelo que "sei" estará já mais ou menos acertado e passará pelo Benfica ficar com as receitas das assinaturas do canal, que descontando comissões dos distribuidores e direitos de distribuição deverá significar uma receita de cerca 18-20 M€ por ano. Isto vigorará por 3 anos, pois a Autoridade da Concorrência prepara-se para proibir os contratos por mais de 3 anos. Isto acontecerá devido ao grande poder negocial da nossa SAD e à proposta da MEO (terá oferecido uma barbaridade) para o Benfica abandonar a NOS ao fim dos 3 anos. Por outro lado "também sei" que o desagrado de LFV e DSO para com a NOS é grande, pois essa empresa para ficar com o SPORTING, assinou um contrato muito acima do valor justo de mercado (tento em consideração as audiências e a relevância da marca Sporting comparado com o Benfica). Esse desajuste chegou ao patrocínio das camisolas, estando a NOS a pagar muito mais que pagava a PT.

    Cumprimentos
    MG

    ResponderEliminar
  12. Eu tenho de cumprimentar todos os que participaram em mais este 'tratado' do Enorme Albuquerque.
    A Ele, aquele abraço do costume e o meu obrigado.

    ResponderEliminar
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  14. Caro José Albuquerque,

    O expresso apresentou as contas consolidadas do grupo Benfica, onde supostamente o grupo Benfica tem um buraco(assim dizem os lagartos) de 83M.

    http://www.record.xl.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/Benfica/detalhe/benfica-divulga-contas-consolidadas.html

    Pode explicar-me o que significam esses 83 Milhões Negativos de capitais próprios e se isso significa, de alguma forma, que estamos em falência técnica?

    Em caso negativo, e eu acredito que seja este o caso, como posso explicar as contas apresentadas a alguém que diga que o Benfica está em falência por ter esses capitais próprios negativos?


    Obrigado

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.