sexta-feira, 31 de julho de 2015

Leonor Pinhão abandona o pasquim do papa croquetes!

O pasquim "abolha viu sair Ricardo Araújo Pereira, solidário com Diogo Quintela, um sportinguista que com as suas cronicas acutilantes incomodava (tal como RAP) o plagiador Tavares. O censor serpa preferiu perder o Quintela mesmo que também ficasse sem o Ricardo, que, só por si, tinha centenas de milhar de seguidores, que apenas compravam aquela bosta por causa das suas crónicas. Tudo para manter satisfeito o plagiador tavares. Agora perde Leonor Pinhão que, tal como o Ricardo, garantidamente, (conheço muitos assim) "obrigava" a que milhares de benfiquistas comprassem aquela trampa todas as quintas feiras. Agora, passarão a comprar o jornal da concorrência, que avisadamente contratou a Leonor e por arrasto (assim o espero) os seus fieis leitores. Não sei se por causa do tavares, que sempre se mostrou incomodado com a vizinha do lado, ou se por causa de outro plagiador qualquer. A verdade é que o pasquim do serpa é cada vez mais um lugar mal frequentado (tresanda a suíno) onde a demência clubística é uma realidade. Se juntarmos ao plagiador tavares a cretinice crónica do imbecil pedro qualquer coisa (f)lopes, adicionando-lhes o doente megalocéfalo duardo burroso, fica fácil verificar o grau de insanidade em que a 'abolha' se transformou. Espero que os leitores da Leonor se mudem com ela. Nem que seja só por ela. Essa gentinha tem de ser penalizada, caramba.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Centralização dos direitos de TV.

Por José Albuquerque

Como me dizem que persistem, entre muitos Companheiros, sérias dúvidas sobre o tema em título, para mais agravados pela eleição do “cabeça d’unto” para a LPFP (não tem nada a ver, porque o seu único objectivo está na FPF e chama-se vitinho “de cócoras” pereira), aqui me têm a cumprir o dever de recordar tudo o que é pertinente sobre o assunto e, finalmente, a dar a minha humilde opinião sobre o que devemos esperar no futuro ainda distante, já que, pelo menos, o quadro actual se vai manter por duas épocas mais.

O passado remoto.

Talvez os mais novos não saibam e alguns dos mais velhos já tenham esquecido, mas eu não: a LPFP nasceu, sob a capa de “associação patronal” dos clubes, exactamente para permitir ao “mamão chupista” e ao JEM, então patrão da RTP, a edificação de um sistema que assegurasse o monopólio do primeiro e a vantagem da segunda no controlo sobre as transmissões televisivas do “futeluso”: o mamão, esperto e ancorado pela fortuna do mano e o JEM, determinado em inviabilizar o crescimento dos (então) novos canais abertos (a sic e a tvi), arrebanharam o grupelho de marginais que controlava o “futeluso” (o “bando dos 4 pintos” mais o major) com este projecto básico que antecipava o verdadeiro maná que, em todo o mundo desenvolvido, caracterizava o futuro do futebol – um espectáculo televisivo por excelência.

Executados os planos na perfeição (especialmente porque os Nossos Dirigentes ou estavam cegos, ou pior que isso), a RTP esmagava os seus concorrentes (o programa Domingo Desportivo era disso o símbolo perfeito) e o mamão construiu a fortuna que lhe permitiu criar um impressionante grupo de média e, sobretudo, por via da trela económica sobre todos os clubes e instituições do “futeluso”, financiar a edificação do POLVO imundo e grosso com o qual o D. Cor(no)leone garroteou a Verdade Desportiva a seu bel prazer e quase conseguiu destruir o Nosso Clube.

Cerca de uma década depois, os Benfiquistas elegeram (e eu também) um tipo que, perfeitamente consciente daquela realidade, teve todas as condições para alterar essa realidade, caso não se viesse a confundir com um marginal, demagogo e medíocre gestor como, infelizmente, veio a acontecer.
Ainda assim e na minha humilde opinião, há que reconhecer que esse tenebroso período da Nossa Vida Colectiva teve o mérito, infelizmente sem proveito, de colocar a nu muitos dos absurdos legais sobre os quais nasceu e floresceu o império do mamão, diagnosticando-lhe os pés de barro que sempre teve (é impressionante, mas esta é a verdade: o mamão, mesmo trilhardário, sempre teve o seu império assente numa vergonhosa marginalidade jurídico-legal), os meandros corruptos que o favoreciam e explicavam a pujança do POLVO que, entretanto, generalizara o garrote sobre a Verdade Desportiva a muitas outras “Federações” e “Modalidades”.

O regabofe foi de tal ordem que os capos do “xistrema” cometeram um erro irremediável e ... subestimaram-Nos!

Vai fazer sete anos (como voa, este pássaro chamado tempo) que o Benfica transmitiu, em direto e em emissão experimental, o Benfica vs. Nápoles ... na Nossa Catedral.

O passado recente.

Depois de uma batalha jurídica titânica, o Glorioso conseguiu obter as necessárias licenças e ... nasceu a BTV.

Na sequência dessa batalha jurídica, duas Altas Autoridades, a para a Concorrência e a para a Comunicação Social, muito devagarinho, lá foram demonstrando a irregularidade jurídico-formal dos fundamentos da olivedosporcos e da própria sporcostv, tornando inviável a manutenção do tipo de contratos com base nos quais se mantinha o controlo económico absoluto sobre os clubes e os seus direitos de televisão.

Finalmente, há pouco mais de 2 anos, o CA da Nossa SAD emitiu um comunicado de informação ao mercado confirmando a rejeição de uma proposta (já ilegal, uma vez que pretendia cobrir 5 épocas desportivas) do mamão no valor de 111M€ e, com isso, decretou o fim do monopólio que subsistia há mais de duas décadas, ainda desde antes do aparecimento da própria sporcostv.

O presente.

Com todos os defeitos que lhe queiram atribuir (mais faltaria que os Benfiquistas limitassem a sua insuperável e histórica “exigência” aos Atletas e Dirigentes), dois anos depois, a Nossa televisão é um sucesso com tão pouca comparação como tudo o resto no Clube que Nós Amamos e constitui a única oferta televisiva válida de conteúdos desportivos lusófonos, em alternativa à sporcostv.
Além de se ter consolidado como um player incontornável deste mercado, a Nossa BTV também já assegurou a prova absoluta de como a última oferta do mamão (apesar de representar cerca do triplo daquilo com que Nos roubava antes) continuava a ser uma subavaliação do verdadeiro valor dos Nossos direitos de TV.
Tudo isto aconteceu no meio do pináculo da maior crise económica que Portugal atravessou desde 1975.

Concomitantemente, privado de uma das Nossas duas “tetas” (ainda lhe resta a dos Nossos desafios fora da Catedral, Equipa B incluída), o mamão entrou em quase colapso, enveredou por um inadiável processo de eliminação de gorduras no qual viu voar a EPL (English Premier League), entre mais uns quantos conteúdos fundamentais.
Neste processo e em apenas dois anos, os tentáculos do POLVO parecem baratas tontas, à míngua dos luxos a que estava habituado: tratando-se de um exército de “migalhistas, comissionistas e tachistas”, sem o comando (envelopes vazios com dinheiro lá dentro e conteúdos das arcas do reinaldo ranhoso) do D. Cor(no)leone, até o canibalismo se tornou hábito.

Pouco a pouco, modalidade a modalidade, a Verdade Desportiva liberta-se de um garrote de três décadas e ... as Nossa Vitórias desportivas sucedem-se!

O futuro.

Não querendo dar ares de “adivinhador”, permitam-me que vos tente ajudar, Caros Leitores, a antecipar este filme e, para isso, comecemos por algumas perguntas e respostas ...

Como raios é que o mamão conseguiu manter o seu monopólio durante tanto tempo (e continuar a resistir, porque ainda só lhe escapou o Farense, depois do Benfica)?
Mantendo um mercado de oferta atomizada (cada clubeco bem isolado), esfomeada (“f*dida e mal paga”) e agarrada por contratos de muito longo prazo, sempre renovados quando a corda mais lhes apertava a garganta e mediante algum dinheiro (pouco) e muitas “promessas desportivas” (boas apintagens e alguns empréstimos dos clubecos do “xistrema”).

Obviamente, a centralização desta oferta (de conteúdos) e a nova capacidade de venda de “pacotes” que possam interessar a outros operadores (que antes, se confrontados com a hipótese de comprar todos os jogos de determinado clubeco, não tinham nenhum interesse), adicionada à calendarização do mercado (por períodos de 3 anos, com um leilão aberto a todos os operadores) e à existência de, pelo menos, mais um operador capaz de concorrer a todo o “leilão” (a Nossa BTV), asseguram todas as condições para a quebra definitiva do antigo monopólio e, talvez ainda mais importante que isso, para que seja possível garantir uma receita global muito superior à miséria com que o mamão escravisava os clubes.

Quem não for capaz de perceber isto, só lá vai com um desenho!

Quem admitir a hipótese que anuncia que os mesmos que implodiram o monopólio do mamão, travando uma luta de quase 10 anos e da qual só têm dois aninhos a saborear os benefícios, vão estar, agora, com o mamão de joelhos e o POLVO à rasca, disponíveis para “deixar cair” a Nossa BTV ... já nem com desenhos lá vai, carago !!!!!

Que quiser deduzir que o Benfica, por estar a liderar o processo de estudo da futura centralização da negociação dos direitos televisivos dos clubes que participam nas competições profissionais organizadas pela LPFP, está a “atraiçoar-se”, só pode estar movido da pior das má-fé.

Ao contrário de todos os clubecos nacionais, o Nosso Clube tem uma (Senhora) TELEVISÃO, com contas auditadas e lucros demonstrados!
O Benfica e os que o representam não têm só as estatísticas das audiências como argumentos: têm dois exercícios económicos (até agora) de crescentes receitas em subscrições e proveitos de publicidade (quer a estática na Catedral, quer a que passa na BTV)!

Quem quiser admitir que os Gestores de uma SAD cotada em bolsa, armados com estes argumentos, se vão permitir “vender barato” o que tanto Nos custou a consolidar, que vão “facilitar” o que quer que seja e a quem quer que seja, pois que cometa (mais) esse erro crasso, que Nós cá estamos para o aproveitar, como sempre que Nos subestimaram.

E quem pensar que o Benfica vai ser condicionado “pelo voto da maioria dos clubecos” e, assim, voltar a ser “mamado e mal pago”, pois que questionem qualquer jurista, mesmo de vão de escada, sobre o que são Direitos Reais (costuma ser uma das cadeiras que mais chumbos provoca na faculdades de Direito), ou Direitos Constitucionais, até perceberem que nem o Estado, nem qualquer “maioria”, nem qualquer “democracia”, terão essa capacidade!

E parem! Parem, de uma vez por todas, de fazer demagogia com aquela que foi a Nossa Maior Vitória deste milénio: a Nossa BTV!
Parem, de uma vez por todas, de tentar explorar a Paixão dos Benfiquistas menos preparados para criticar a vertente económica e financeira da vida do Grupo Benfica, fazendo-os imaginar “espantalhos e papões”, com o único intuito de os desestabilizar e mesmo que isso seja conseguido à custa da imagem de inegável solidez económica e financeira que, Todos Um, conseguimos construir para o Nosso futuro colectivo.

Já chega de tanta bandalheira!

Viva o Benfica!


P.S.: como estou impossibilitado de aceder a muitos dos eventuais comentários, responder-lhes-ei num próximo texto, deixando já o meu agradecimento por todos os que quiserem apoiar e incentivar estes textos de esclarecimento que eu considero serem, antes de tudo, um dever que assumo por ser Benfiquista.   

quarta-feira, 29 de julho de 2015

De pipa cheia...


Anda por aí uma euforia do caraças...
Embora as capas dos jornais de hoje não lhe dêm grande importância - a verdade é que vamos ter que levar com o cabeça de unto na presidência da liga. O árbitro que mais roubou o Benfica na ultima década - volta ao activo como dirigente máximo da liga. Se fizer na presidência o que fez com o apito pode-se desde já perspectivar que as idas ao Colombo não lhe vão ser muito gratas...

O candidato derrotado diz que não se sente traído e até me pareceu aliviado. O brunalgas já cantou vitória e a generalidade dos analistas e especialistas da bola dizem que foi uma derrota do Benfica. Olha-se para alguns focinhos e percebe-se como estão felizes. Mais que uma derrota festejam uma goleada. Se algum pé-de-microfone descesse ao inferno para entrevistar os antigos figurões da bola, do tipo pedroto, adriano pinto ou pôncio monteiro - todos afirmariam, e só não digo que sem pestanejar porque estão de pestanas queimadas, que foi um grande 'chito' - à moda do porto.

Para estes analistas especialistas - saber que grande parte dos clubes meteram no cu o voto de confiança que deram a Luís Duque (há menos de um mês) para agora eleger o cabeça de unto, é uma grande derrota do Benfica. 
Eu acho que é uma derrota da decência, da palavra de Honra e da seriedade. Conceitos que por certo não fazem parte do dicionário quer de uns quer de outros. Por mim, no lugar de Vieira, não tomaria isso como uma traição e muito menos como uma derrota. Quando muito - uma lição (nunca é tarde para aprender). Ninguém perde nada quando fica a perceber que uns montes de merdas vão ser sempre uns montes de merda. Basta que a partir de agora saiba desviar-se quando os encontrar pela frente...

Vai ser complicado sair dos lugares de despromoção no campeonato da pré-época - versão "rascord".
Acumulando aos terríveis desaires nas Américas - ainda se podem contabilizar na conta do bicampeão muitas outras derrotas!
Perdeu o treinador dos últimos anos - 3 pontos para os lagartos.
Perdeu o castanho uruguaio para os espanhóis de Contumil - 3 pontos para o clube da fruta.
Perdeu as nomeações dos árbitros - 3 pontos para cada um dos compadres do clube da fruta e lagartedo.
Perdeu o campeonato das contratações por goleada - 3 pontos para os mesmos compadres.
Perdeu Lima, nos últimos dias elevado à condição de insubstituível! - Os especialistas ainda estão na fase da contabilização dos danos mas as previsões mais optimistas apontam para pelo menos uma boa meia dúzia de derrotas. Maior calamidade só a queda de Roma!

O lagartismo militante continua nos píncaros da cretinice. No pasquim do serpa, dois megalocefalos ocupam duas colunas de opinião onde dão largas a um calamitoso estado de embriaguez lagartoidócompulsiva...
Um é Pipa (andré) de nome e o outro mais parece um garrafão com pernas tal é o tamanho da pipa (pança)!

O doente barroso, aposta tudo no amuo de Gaitan, na venda de Lima e no campeonato da pré-época, para projectar um cenário idílico para o lagartismo militante. Palavra de honra que nunca imaginei possível reunir tanta imbecilidade dentro do mesmo paquiderme. A quantidade de merda que este coiso vomita todas as semanas, nos jornais e nas tvs, dava para encher o alvalixo até às bordas se ele não estivesse já a esbordar! Diz o imbecil, que "acompanhou o treinador na linha lateral como se de jogadas de golo se tratasse". Há poucos meses queria trucidá-lo - chamando-lhe ignorante e assassino em directo na TBI!!! Que nojo de gente.

O Pipa diz-se impressionado (eu diria completamente embriagado) com o rigor e o impacto do novo visconde do alvalixo e só lhe falta dar estalos com a língua enquanto a vinhaça desliza pela (goela) pipa abaixo.! Sagaz como um rato, o especialista Pipa conseguiu ver tudo isso no torneio da África do Sul, onde os lagartos fizeram dois jogos com o Ajax Cape Town local, e, com o poderoso Crystal Palace. 

O impacto do novo visconde foi tão grande nesse torneio que até levou à demissão do director de turismo da cidade, que não resistiu ao enorme prejuízo. «"Falhei redondamente do ponto de vista financeiro. O falhanço é tão grande que é suficiente para eu colocar o cargo à disposição", adiantou Groenewald, citado pelo jornal sul-africano.» «O "Cape Times" avança que o clube organizador, Ajax Cape Town, apenas conseguiu vender cerca de 22 mil ingressos para todo o torneio, quando o seu estádio tem capacidade para 64.100 espectadores.» É. O prestigio dos lagartos junto com o «impressionante impacto do novo visconde» já arrasou metade da África do Sul! E custou-lhes uma boa pipa de massa. Depois deste impacto, quem sabe se o Pipa não arranja ali mesmo, na África do Sul, o novo patrocinador das camisolas dos lagartos. Deve haver, no mínimo, uma pipa de candidatos!

"A mulher de Benítez devia preocupar-se com a dieta dele" - José Mpourinho
Mourinho é do tipo rafeiro. Sempre foi; desde que em Portugal se dava a comportamentos como os de rasgar a camisola de Rui Jorge, ou, em Espanha, o de meter o dedo no olho do malogrado Tito Vilanova. Aqueles tempos do vale tudo que passou em Contumil deram-lhe cabo do intelecto. Como bom rafeiro - aproveitou um ''fait divers'' da mulher do...Rafa, um dos seus muitos ódios de estimação, para se meter com a barriga (pipa) de Benitezl. Mesquinho, muito mesquinho. Se é verdade que Maria de Montserrat (mulher do Rafa) pode não saber cuidar da dieta do espanhol, não consta que Matilde Faria seja ela própria uma exímia cozinheira. E mesmo que fosse. A fama que Mourinho tem, desde os tempos de Contumil, é a de gostar demasiado de petiscar fora de casa. Se calhar, e só por isso, é que ainda não lhe cresceu a (pipa) barriga.

terça-feira, 28 de julho de 2015

Jakson Martinez? esqueçam. É um pichote quando comparado a Lima.

Estive a ouvir Lima entrevistado pela BTV em Nova Iorque.
Entre outras coisas duas que me chamaram a atenção; o respeito pela camisola "Arrepia falar do Benfica" e a sinceridade; "a parte monetária contou muito" para sair do bicampeão. Não há que esconder - Lima teve uma proposta irrecusável, falou com o presidente, compensou o Benfica com uma verba bem interessante e sai em paz consigo mesmo, com o Clube e com os adeptos. Sai em grande. Vai ter saudades. Deixa saudades.

Houve um castanho uruguaio que tinha tudo para fazer o mesmo - para sair em gloria. Cobarde, mordeu a mão que durante tantos anos lhe deu de comer, sai pela porta dos fundos, desprezado pelos adeptos, como um desertor. Vai ter muitas saudades. Não deixa nenhumas.

Gaitán amuou e a imprensa adorou. Não há volta a dar - muitas vezes assim aconteceu no passado e vai continuar a acontecer no futuro; com a cabeça à roda por causa dos milhões - são raros os que conseguem resistir-lhe. Coentrão, Witsel, Oblak, Di Maria, Javi Garcia, Matic, Garay...uma extensa lista de gente que forçou a saída do Benfica, tornando insustentável a permanência na Luz. Atitudes mesquinhas (em muitos casos) que são estudadas ao milímetro pelos empresários. A imprensa faz o resto (aqui há pouco para criticar quando tudo se passa à frente de todos) ampliando as coisas à medida da importância dos clubes. No Benfica já se sabe; se alguém espirrar constipa-se o mundo. Gaitan parece ser apenas mais um que sairá de qualquer jeito. Por mim - quanto mais depressa melhor. Por este e por (todos os) outros é que as saídas de jogadores me deixam completamente indiferente. Atrás de uma serra alta está sempre outra mais alta e o Benfica está muito acima de qualquer deles.

Samaris...
Um dia até pode seguir as pisadas do castanho uruguaio ou dos muitos Gaitans desta vida. Por agora é o jogador/homem que mais me enche as medidas como benfiquista. Cumpre as ordens do treinador em qualquer posição do terreno, com competência e sem refilar. Dá tudo em prol da equipa. Solidário, (não deixa nenhum colega sem ajuda) garra intransponível, líder, postura admirável, lutador, disciplinado, e muito bom tecnicamente (não confundir com trivelas e outras palhaçadas). Este grego que num ano aprendeu a falar melhor português do que a maioria dos imbecis que o criticaram, joga sempre com enorme prazer. Dá prazer vê-lo jogar. E bem merece a braçadeira de capitão na ausência de Luisão.

Voltando a Lima...
Ouvindo/lendo o que se vai dizendo por aí - cheguei à conclusão que este moço é um autentico Messi em versão melhorada. Depois de Lima só restará o caos! E eu que passei grande parte da época passada lendo/ouvindo que o brasileiro já não era o mesmo, que não vai para novo, que perdera velocidade, que falhava muito diante da baliza, que o banco é que lhe faria bem e que era urgente o Benfica contratar um avançado, ouço/leio essas mesmas prostitutas prevendo o tão ansiado Apocalipse assim que o brasileiro sair. Andei eu durante três anos a pensar (baseado na opinião dos mesmos especialistas) que o Jakson Martinez é que seria um avançado insubstituível, de nivel mundial! esqueçam. É um pichote quando comparado a Lima.  

Voltando à importância dos clubes...
No lagartedo o novo visconde tirou a camisola ao Tanaka, um activo de 60 milhões (clausula de rescisão) para a entregar a um novo recruta. Retirou a braçadeira de capitão a Rui franguicio, prestigiadíssimo guarda-redes da selecção nacional, e entregou-a a um seu colega de equipa. Tudo normal para a imprensa desportiva. Ninguém achou polémico e ninguém foi a correr entrevistar o Tanaka ou o bom do franguicio, o pai do franguicio, a namorada do franguicio, o cão do franguicio, o gato do franguicio. Nada. Ninguém quis saber. Eu tenho para mim que o mãozinhas não gostou. Só falta perceber se vai levantar ou baixar a cabeça - como é seu costume. Seja como for, lembro que o ultimo treinador (flopatego) a retirar a braçadeira ao seu capitão não ganhou merda nenhuma e ainda comprou uma data de chatices. Premonitório?

Todos vimos Peido da costa, triunfante, afirmar que «vai manter-se a sucessão do número 2 a ficar na historia do FC Porto, com João Pinto, Jorge Costa, Danilo, e o Maxi. Tínhamos a camisola disponível. Vai ser um digno número 2 do FC Porto»...
Após essa sentença (bravata?) tão espectacular ninguém estranhou que o minimiliano pereira se apresentasse em campo com o nº 25 na marreca? Depois das muitas criticas dos históricos portistas - será que peido da costa meteu o rabo entre as pernas e arrumou o nº 2 na gaveta onde a carolina guardava os trocos? Esta, e outras perguntas, era o que os adeptos gostariam de ver respondidas. Era, porque à imprensa desportiva nem cocegas lhe chega fazer. Olha se Rui Vitória tirasse a braçadeira a Luisão. Olha se fosse o Jonas a perder o numero da camisola. Olha se fosse o Viera a meter o rabo entre as pernas quando pressionado pelos históricos do clube! 

segunda-feira, 27 de julho de 2015

As reservas da pré-época...

Ontem reservei o sofá para ver o Benfica, pela primeira vez nesta pré-época.
As certezas...
Olhando para o onze inicial do bicampeão fiquei logo com a certeza que ninguém da imprensa portuguesa (talibans da internet incluídos) voltaria a falar em "jogar com as reservas" expressão usada até 'cheirar a alho' no Benfica-PSG. A segunda certeza é que ninguém lembraria os 4 golos que este NY Red Bulls espetou no todo poderoso Chelsea de José Mourinho, uns dias atrás. 

Agora as duvidas...
Ederson fez-me lembrar Pinto, o guarda-redes fetiche de Guardiola, que ele usava para testar o coração dos barcelonistas e para provar a toda a gente que mesmo dando um ou dois golos de avanço o Barcelona ganharia de qualquer forma. Todos os génios têm uma pancada; Guardiola tinha aquela! Num jogo a sério era coisa para eu estilhaçar o comando da TV e para deixar muitos benfiquistas que eu conheço à beira de um ataque cardíaco! Que aflição, meu Deus! 

Resultado injusto para tantas oportunidades desperdiçadas...
Vi muita qualidade técnica, alguma boa circulação de bola, mas demasiados passes falhados. O frenesim das ultimas épocas é para esquecer. Futebol rendilhado, muito trabalhado no meio campo, mas, por agora, muito desperdício frente à baliza. Luisão foi luisinho, vi muita gente a tentar imitar o Messi em situações onde o melhor é mandar a bola pró quintal e vi atrasos ao guarda-redes de arrepiar! E disso não gostei mesmo nada. Toca a acordar minha gente, que a competição a sério está aí ao virar da esquina. Apreciações individuais deixo para novas oportunidades...

Este plantel tem qualidade mais do que suficiente para manter o bicampeão no trilho certo. E até ao fecho do mercado muita coisa vai acontecer. Não dá para reservar o Marquês porque esse já foi reservado pelos vizinhos do lado, mas com o passar dos meses quem sabe não serão despejados. Aguardemos serenamente.

Termino com duas constatações que vão de encontro ao que os especialistas da internet (e da cs) afirmam desde sempre. Bastou que Eliseu e Jardel saíssem da equipa para que o Benfica ganhasse tranquilamente. Ainda não de goleada, mas percebeu-se que ali é que está o busilis...

Um conselho a Rui Vitória: não use o passado recente para justificar os desaires de agora. É terreno movediço que só lhe trará problemas. Concentre-se no trabalho presente e esqueça o resto. É de borla (o conselho) mas acredito ser dos bons.

sábado, 25 de julho de 2015

Há que esperar por melhores dias...

A coerência dos ''especialistas'' e demais talibans...
Bastou que a imprensa noticiasse a possível (ainda não confirmada) saída de Lima do bicampeão nacional para que o brasileiro passasse de um veterano em fim de prazo que andava a tapar a evolução de um jovem para mais uma complicada perda de um ''activo desportivo muito importante''.

Dos pasquins - «Questão sobre Taarabt... ficou sem resposta» 
Como eu escrevi aqui no GV - Taarabt é o eleito da cs adestrada - e demais talibans - para pressionar o treinador do Benfica. Todas as épocas é a mesma conversa. Embora continuem a marrar com Eliseu e Jardel, Taarabt tem tudo para ser o novo Roberto versão 20015/16.
No final de cada jogo lá estão eles, os pés-de-microfone, com a lição na ponta da língua, pressionando Rui Vitória porque o marroquino ainda não foi chamado à equipa. Não se vê nenhum destes camelos a perguntar a flppatego porque ainda não chamou o internacional Rolando, ou ao novo visconde, porque motivo deixou em Lisboa Miguel Lopes, outro internacional português, Labyad, que até é marroquino, etc, etc...

Do incendiário...
«Pereira Cristóvão queima cheques. Desapareceram 65 mil dos 145 mil euros em notas roubadas.»
Pelos vistos o vicio do incêndio pegou-se-lhe...A paulo cristovão serve-lhe tudo para ver o lume a arder. Desde que incendiou o estádio da luz que o fdp não pára de queimar coisas. Até cheques. Que se consuma no ódio que sempre devotou ao Benfica...

As desculpas das comadres...
Lopetegui: «Ainda há umas semanas ganharam ao Bayern...»
Foi assim que flopatego desculpou a derrota dos castanhos. Continua o mesmo flopatgo e tudo lhe serve para se desculpar. Até mentir, ou dizer uma meia verdade, para ser mais verdadeiro. O B. M´gladbach não ganhou ao Bayern, empatou nos 90 minutos. No final marcaram-se uns penaltis (o habitual em torneios de verão) e aí o B. M´gladbach superiorizou-se ao Bayern. 

O novo visconde também se desculpou...
Jesus: «Chegar há três semanas é diferente de estar há seis anos»
Ao que parece - jogar contra o Ajax Cape Town Football é um pouco mais difícil do que golear a equipa b à porta fechada. 
De Rui Vitória, até agora, nem um queixume. Também por aqui se vê a maturidade intelectual de um...e dos outros. Quem o ouvir até pensa que o moço está no Benfica há dez anos. Apenas um senão; os penaltis não são uma lotaria, como erradamente afirmou. São uma questão de eficácia. E de forte mentalidade.

Os compadres são assim; solidários em tudo. Até na falta de patrocinadores. Lagartos e corruptos apresentam-se ambos sem patrocinador nestes primeiros jogos de temporada. A mim ninguém me tira da ideia que é tudo uma estratégia para confundir o Benfica. Unidos no sorteio dos árbitros. Unidos ao redor de Proença para a presidência da liga. Só lhes falta fundir o portocanal com a lagartostv e aí está um patrocínio capaz de ofuscar o da "Fly Emirates" das camisolas do bicampeão nacional! Ir para o estrangeiro sem patrocínio nas camisolas só pode ser visto à luz de um golpe de génio - apenas ao alcance das mentes brilhantes de brunalgas e peido da costa, que, como se sabe, são ambos eméritos negociadores e dois extraordinários gestores.

Que dirá o serpa...
Segundo a imprensa desportiva os lagartos demoraram mais de 15 horas para chegar à África do sul. Dava para ir a Toronto duas vezes e ainda sobrava tempo para arranjar um patrocionador...
Foram de carregueiro, à boleia, só pode. E andam os especialistas da bola preocupados com o cansaço do bicampeão que percorre as Américas facturando milhões! Basta-lhe apanhar um avião!

Uma nota de destaque para o brasileiro Fabiano que continua a comprometer na baliza do clube da fruta. Deve ser do clima. Diz que não se dá com os ares da Alemanha. Estivesse na baliza um guarda-redes de top, do tipo Casillas, e nunca o B. M´gladbach chegaria com tanta facilidade à vitória.

Ultima nota de destaque...
Hoje falou-se pouco em derrota para qualificar a performance do Benfica, apesar de o bicampeão ter perdido nos penaltis (regras da maioria dos torneios de verão) com a Fiorentina...Tivessem os compadres (clube da fruta e lagartos) conseguido as vitórias que todos esperavam e um outro galo cantaria na imprensa desportiva. Assim...há que esperar por melhores dias.

Centralização dos direitos de TV.

Por José Albuquerque

Nem sei o que diga, ahahah.
Os Companheiros que sempre me informam sobre as últimas modas Taliban ... devem estar todos de férias: o Presidente deu uma, imensa e soberba, entrevista a mais um pasquim e a minha caixa de correio continua, surpreendentemente, tranquila.

Será possível que o Presidente tenha conseguido evitar mais umas dúzias das chamadas “mentiras”?
Será possível que ele tenha confirmado que a Nossa SAD continua a liderar o processo de estudo e análise da eventual centralização dos direitos de TV da Liga NOS e ... os Taliban não o acusam de mais nenhuma “santa aliança espúria com o seu amigo mamão”?
Será possível que o Presidente não prometa “bombas”, nem garanta que o Gaitan e o Jonas ficam, sem que lhe caiam todos os Taliban em cima?

Se ainda havia quem duvidasse das profundas alterações recentes sofridas pelo “fute luso”, até naquelas minhas perguntas eu leio sinais eloquentes do contrário. Ou melhor, de tudo e do seu contrário, ou seja: sinais de profunda crise e ... de oportunidades sem fim!

As dúvidas que eu tenho (e a que não tenho).

Os Leitores do GUACHOS conhecem bem as dúvidas essenciais que me preocupam por estes dias e eu só volto a esses temas quando virmos os sinais concretos que englobarão a Nossa próxima época, o mais tardar ... no fim de agosto.
Mas se há assunto sobre o qual eu não tenho a menor dúvida, é, exactamente, sobre a Nossa BTV!

A Nossa maior Vitória neste século!

Só um grande poeta poderia ter escrito que “o sonho comanda a vida” e só Nós, Nós que Somos o Benfica, para conseguirmos sonhar tão alto, tão longe e tão bem.
Honra lhe seja, o Presidente foi o grande mentor deste Nosso projecto. Mas esta Vitória, que é dele e de todos os que nele trabalharam, é a mais colectiva e abrangente de todas as Vitórias do Nosso Clube: a BTV é o colinho, por definição!
Há muitos anos (mesmo antes dela ter nascido) que eu afirmo que o dossier da Nossa Televisão foi aquele que o Clube mais e melhor preparou, planeou e executou. Todos sabíamos a dimensão da oposição que a BTV ia ter, era difícil prever que íamos ter a capacidade para vencer a imensa “barragem” de artilharia que o POLVO lhe iria dedicar, começando ainda antes da primeira emissão de ensaio (o Benfica x Nápoles, lembram-se?) e terminando (?) quando ela se tornou um player incontornável no panorama do audiovisual desportivo em língua portuguesa.

Reparem nesta breve lista de factos históricos ...

O Benfica (o Clube e a SAD) travaram uma tremenda luta para conquistar as licenças necessárias à concretização do projecto.
O Benfica elegeu os investimentos inerentes como absolutamente prioritários (carago, gastar recursos tão escassos numa televisão?).
Logo que esta sua nova “Casa” se consolidou, o Benfica começou a investir em conteúdos desportivos (futebol, evidentemente) externos ao Clube, medindo a sua receptividade.
O Benfica recusou uma oferta de 111M€, por 5 épocas, e não renovou o seu contrato com o mamão chupista!
A Nossa BTV, já como canal “premium”, implodiu o monopólio da sporcos, reforçou os investimentos em meios e conteúdos, sem receio de o fazer em plena crise económica e financeira e transformou-se no mais recente “case study” mundial do setor.

Deve ser por isto que os Taliban não se atrevem a especular sobre o futuro da Nossa BTV, ahahah.

Que ninguém confunda a “Centralização” com um qualquer monopólio!

Muito menos com o regresso ao que a BTV fez implodir!
A centralização da negociação dos direitos televisivos das competições profissionais de futebol, é isso mesmo: uma fórmula de negociação!
Na minha (muito) humilde opinião, é a fórmula que melhor pode defender todos e cada um dos clubes que participam nessas competições, além das próprias competições, como o comprovam as experiências das “Ligas” que já a praticam há mais anos e, até, pela negativa, as várias competições profissionais nacionais: nunca o “mamão chupista” teria construído o seu império (com fundações de barro, mas império), caso a LPFP tivesse optado por esta fórmula, como deveria, logo desde início dos anos 90 do século passado.
Nunca o POLVO teria sido o mostrengo que chegou a ser, nem teria tido o poder (quase absoluto) que teve, caso os Clubes tivessem mantido o poder de negociação desses direitos.

Mas isso não pode significar que o Benfica, que tem argumentos incontestáveis nesta matéria, seja “obrigado” a nada ou coisa nenhuma, Companheiros: não existe nenhuma fórmula de centralização que possa fazer-se sem a vontade expressa e completamente livre, de todos os clubes que a adotarem; não existe nenhum suporte jurídico para permitir a uma qualquer “maioria de clubes” nem sequer uma tentativa de “imporem a sua vontade ao Benfica”!

Nem na negociação em si, nem, muito menos, nos valores que o Benfica vai obter como compensação por/se perder o exclusivo das transmissões dos desafios disputados na Catedral.
Que ninguém imagine que se vão aplicar em Portugal exemplos, nem de negociação, nem de partilha dos rendimentos, que caracterizam outras ligas (muito menos a BPL). Que ninguém “sonhe” que a Nossa BTV pode sair prejudicada neste processo (nem “beliscada”, quanto mais prejudicada).

Eu vou, mesmo, mais longe e prevejo que osgalhada e andruptos se vão colocar contra este processo de “centralização”!

Porque o processo os prejudicaria a eles?
Não, Companheiros!
Porque esse processo vai, acima de tudo, beneficiar os clubes mais pequenos e ... o Glorioso!

O Benfica? Como? Porquê?
Pensem, Companheiros!
Pensem nas vantagens que temos, quer no mercado interno e, sobretudo, no mercado externo, por liderarmos este processo, sendo o único Clube que detém a sua própria TV.

E, por favor, pensem que há um único problema que poderia colocar em causa o Nosso futuro. Um único!
Seria o caso de uma crise tão profunda no “fute luso” que inviabilizasse a existência de competições internas onde o Benfica inscrevesse as suas 2 Equipas profissionais ... ou que fossemos Nós a ter de a sponsorizar ... a menos que já existissem alternativas de campeonatos à escala europeia!  


Viva o Benfica!