sexta-feira, 24 de maio de 2013

Estratégia ou falta dela...

Já quase toda a gente já opinou sobre os méritos e desméritos de Jorge Jesus, se deve ou não deve ficar, o grau de culpabilidade nas derrotas (nas vitórias sabemos que o mérito é dos jogadores) e se tem condições para no futuro continuar a ganhar títulos! Sim, os títulos que até agora nunca deixou de ganhar...

Quem contabiliza como títulos supertaças, jogadas num único jogo, para somar ao currículo, não pode ter o descaramento (para não lhe chamar desonestidade intelectual) de menorizar títulos em que todos os melhores clubes participam! Aqui não.

Mas vamos ao que realmente interessa...

Já o afirmei várias vezes e não tenho nenhum motivo que me leve a pensar estar errado; Jesus é, na minha opinião, o melhor treinador português e um dos melhores da Europa.

É um treinador capaz de pôr a sua equipa a jogar um futebol vibrante e encantador, acutilante, jogado a 100% à hora, que enche estádios - alegria dos adeptos...
É capaz de tirar de cada jogador o que de melhor ele tem para dar e é capaz de catapultar para a fama todos os que - com talento - queiram trabalhar no duro e seguir os seus ensinamentos...
É daqueles (raros) treinadores que valoriza a maioria dos jogadores - até os que habitualmente não jogam!

Tem defeitos?
Não vejo muitos mas vamos lá falar dos que as pessoas acham mais evidentes...

O que mais (eu) lhe apontava corrigiu-o (finalmente) ao terceiro ano de Benfica e hoje já pouco tem a aprender nesse campo - a forma desenfreada como obrigava a equipa a encarar (todos) os jogos, quando sabemos que nem todos os jogos podem jogar-se da mesma maneira e nem sempre correr muito significa correr bem ou jogar bem...

Sempre me pareceu que se corrigiria com o tempo, embora com custos  e derrotas bem dolorosas, mas a verdade é que hoje já vemos um Jesus completamente diferente, mais completo, finalmente maduro e conhecedor do meio em que está inserido - estar no Benfica significa (sempre) defrontar adversários super motivados, mesmo a nível internacional onde o nome Benfica moraliza e motiva todos os que nos defrontam!

Com o que aprendeu nos últimos anos, sem ter que refazer a equipa a cada ano que passa, o Benfica de Jesus já seria uma das melhores equipas europeias!
Muita gente acha que Jesus é teimoso. Eu também acho. E espero que nunca mude. Sempre vi na sua teimosia uma virtude e jamais um defeito. Porquê? porque se calhar também sou teimoso, luto sempre para fazer fazer o que acho estar correcto, porque prefiro, se tiver de morrer, morrer sempre pelas minhas ideias, e porque invariavelmente estou (quase) sempre de acordo com as suas opões!

Só ainda não consegui perceber que raio vê ele em Maxi Pereira para lhe dar tanta liberdade!
Quer dizer; perceber até percebo. Não acredito é que os benefícios superem prejuízos para a equipa - deve ser por isso que ele ganha o que ganha enquanto que eu ando por aqui a passar o tempo...

O discurso...
Jesus é das poucas pessoas e não apenas treinadores, que quando falam de futebol, dizem realmente coisas interessantes! (aquela palestra na faculdade foi memorável)
Aqueles discursos enlatados, comprados no supermercado no inicio da época e que duram até ao fim do ano, não fazem parte do seu cardápio. Tem ideias, defende-as, foge dos lugares comuns, é genuíno, fala de tácticas e do jogo sem qualquer constrangimento e qualquer conferência de imprensa sua tem mais conteúdo (estamos a falar de futebol não de palavras polémicas) que milhares conferências de outros treinadores!

Se lhe quiserem pegar pelo português mal amanhado, peguem-lhe. Mas não é disso que estou a falar...

Este ano apenas lhe aponto dois erros. Dois erros de estratégia, muito mais culpa da estrutura do que a dele próprio, embora não possa deixá-lo completamente de fora, pois me parece que seguiu o caminho que mais lhe interessava - o do reconhecimento internacional...

O primeiro erro, é chegar ao fim de um (qualquer) jogo onde o Benfica tenha sido claramente prejudicado e calar-se. 
Pior do que se calar é dar o flanco, ajudando a "enterrar" jogadores, permitindo que lhe apontem erros individuais publicamente - a rever rapidamente.
Um erro que noutras latitudes nunca acontece, com imediatos efeitos "terapêuticos"

O outro erro foi manter um discurso oficialmente aceite por todos e na pratica fazer (quase) tudo ao contrario...
Jesus sempre afirmou que o campeonato era a prioridade. Chegou a dizer e muito bem (foi por aí que o começaram a queimar) que quem primeiro saísse das competições europeias teria mais chances de vencer o campeonato!

Todos se lembram dos ataques que foi alvo e o homem apenas dissera o óbvio!!!
Todos, benfiquistas, anti-benfiquistas, bloguistas, redes sociais, comentadores, cumentadeiros, fazedores de opinião e todos os que de alguma maneira têm acesso à palavra, escrita ou falada, todos foram unânimes em o contradizer! Muitos (benfiquistas) usando palavras humilhantes para com ele!
Que não, que o Benfica tinha obrigação e equipa para ganhar tudo!
Não tinha. Como - dolorosamente - "todos" percebemos agora!

Sempre aqui o afirmei; os jogos do campeonato são por demais afectados pelos compromissos uefeiros.
Os jogos do campeonato, antes ou após os das competições europeias, principalmente os jogados nos meses de Março, Abril e Maio, seja qual for o adversário, são sempre complicadíssimos e de resultados incertos!

Os corruptos foram eliminados da Champions, após os melhores e muito corridos (talvez demasiado corridos) jogos do campeonato!
Foram eliminados por uma equipa (Málaga) que lhes era inferior e onde cometeram praticamente os mesmos erros que o Benfica viria a cometer com o Estoril... 

Apresentaram-se mal fisicamente (tal como o Benfica com o Estoril) com Defour estupidamente a fazer-se expulsar (tal como Carlos Martins) e com Moutinho estourado fisicamente (Enzo Perez e Matic também deram o berro físico)...
No fim do jogo percebia-se melhor o estouro físico e a coça que levaram do Málaga - tinha havido controle anti-doping...
Consta-se que os Malaguenhos - avisados - não tinham facilitado e arranjaram maneira de meter o controle anti-doping!
Na ressaca ainda perderam dois pontos no Maritimo, mas foi só. De resto, apenas vitórias e o campeonato no bolso.

O Benfica gastou pouco em Istambul, com reflexos positivos na Madeira, mas depois gastou tudo o que ainda tinha (mesmo o que já não tinha) em Lisboa contra o Fenerbahçe, num dos melhores jogos da época, mas que deixou a equipa vazia de energias para o jogo com o Estoril, que ao contrário, foi muito bem "preparado" e "incentivado" para a Luz como facilmente se verifica ao olharmos para estes últimos e rápidos negócios realizados...

Há muitas maneiras de se pagar um favor e nestes últimos negócios do Estoril e do Paços de Ferreira, há muito de agradecimento pelos "serviços" prestados...
Mais um aspecto descurado pelo Benfica e onde me parece que continua a ser comido  - ano após ano!

Bastava Jesus fazer o que sempre tinha afirmado; O CAMPEONATO É A PRIORIDADE, poupar a equipa (se perdêssemos tanto pior) contra o Fenerbahçe, e jamais teríamos perdido pontos contra o Estoril, por muito "preparados" que eles se apresentassem...
Um erro estratégico imperdoável e é bom que todos os membros da direcção o percebam...
Desta vez, mesmo com a merda do Xistra, do Artur Soares Dias e do Hugo Miguel, só não ganhamos o campeonato por culpa própria. 
Por uma questão de estratégia ou por falta dela!

6 comentários:

  1. Enormerrimo Guachos, Companheiro,

    Parabens por mais um excelente texto!

    Estou de acordo contigo em quase todas as tuas 'teses', menos na mais fundamental, ahahah.

    Recordas-te de, antes do "Fener" o Tecnico ter dito "a partir de agora vai a carne toda no assador", sugerindo que ele acreditava que a Equipa era capaz de vencer o Campeonato e chegar a Amesterdao?

    Recorda-te bem de como poderiamos ter vencido o Estoril. Recorda-te bem de como Nos fugiu o empate no ladrao.

    Sinceramente, nao creio que tenha havido "erro de estrategia": o que houve foi coragem de assumir a Final em Amesterdao.

    Nao sei se tiveste a felicidade de ter ido ao ArenA, mas, se foste, ja sabes como esse dia foi importante para o Glorioso.

    Eu dar-te-ia razao se achasse que a Equipa merecia ter perdido no ladrao, mas ... acontece que nao acho.
    Eu dar-te-ia razao se a Equipa nao justificasse toda aquela ambicao, mas ... penso que ela a justificava.

    Viva o Benfica!

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
  2. Companheiro,

    Eu nao queria estar a fazer uma 'avaliacao' da epoca da Nossa Equipa, mas este teu texto 'puxa-me' pela lingua, ahahah.

    Estou absolutamente convencido de que NAO foi um erro deixar sair o Nolito, ou o "barril": nenhum deles era capaz de fazer aceitavelmente a posicao "8" (para permitir mais repouso ao Enzo e, depois, do proprio Matic)

    Estou convencido que a SAD (incluo todos: Presidente, Rui Costa e JJ) esperava poder contar com o Aimar e com o Martins, um ou outro, em condicoes de fazer o lugar do Enzo.

    Espero que a SAD nao se tenha ficado por esse "wishful thinking", que tenha tentado antecipar para janeiro uma das contratacoes a que vamos assistir em junho/julho e ... nao tenha conseguido.

    Mas, mesmo assim, mesmo considerando que a Equipa nao compete em condicoes de igualdade com o crac, mesmo com a frustracao desses "wishful thoughts", eu creio que a Equipa mereceu, no campo, vencer o Campeonato.

    Humildemente e friamente, e isto que eu sinto.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
  3. José Albuquerque,
    É certo tudo o que dizes, mas isso em nada belisca o que eu escrevi atrás!

    Estou 100% de acordo contigo se quiser ter uma visão optimista. Já não estarei tanto se me puser no lugar do pessimista.
    Repara que não chamei aqui erros de plantel, nem o maldito minuto 92!

    Tentei ser frio e objectivo, pondo de lado o coração.
    E estou absolutamente convencido que sem o Fenerbahçe o Estoril seria passado a ferro...

    E o Nolito é o jogador que menos falta fez ou faz ao Benfica...

    Sobre isso, de jogadores falarei depois de ganharmos a taça...

    Viva o Benfica

    ResponderEliminar
  4. Concordo que ouve culpa própria, mas concordo principalmente que a culpa própria não teria chegado para perdermos o campeonato se não fosse a "estrutura" profissional do Porto, também conhecida por Hugo Miguel, Artur Soares Dias, Carlos Xitra, Jorge Sousa, e todos os outros, já para não falar das facilidades dadas aos corruptos, bem como dos "desbloqueadores de 0 a 0", e os penalties contra não marcados.

    O Benfica não aguentuou, e, penso eu, não se motivou o suficiente para o jogo contra o Estoril. Acreditaram que por ser em casa se resolveria mais tarde ou mais cedo. O problema foi principalmente psicológico. Aquele jogo tinha de ser para entrar a matar logo na primeira parte, marcar um ou dois golos, e espreitar sempre o terceiro.

    Só que eles acreditaram que se tinham ganho tanto até então, aquele jogo com o Estoril seriam então uma questão de minutos.

    E depois, o Carlos Martins. O Carlos Martins que em 3 opções viáveis escolhe o passe mais difícil, que falha, e depois vai a correr atrás e faz um carrinho depois de levar um amarelo por protestos.
    Que cabeça? Que inteligência? E que estofo de campeão?

    O que é certo e sabido é que, apesar de todos os erros próprios, o Porto viu tantos e tantos jogos desbloqueados com trafulhices.
    Olha o Braga ver-se a ganhar com os dois penalties que não foram marcados contra o Porto?
    Olha o Porto ver-se a perder aos 60 minutos, em casa com um dos vários penalties que lhe deviam ter sido marcados por mão do Alex Sandro ou Danilo? ... pois é, assim fica difícil.

    E imaginar o FCP a ter um jogador expulso como o Carlos Martins numa situação idêntica? Nem por sombras.

    O FCP teve um penalty contra, com o resultado favorável de 3 a 0, quase a acabar o campeonato.
    Teve um jogador expulso, tb com o jogo a acabar e já resolvido.

    No único jogo em que o FCP viu um jogador expulso e um penalty assinalado ainda antes de ter o jogo resolvido (estava 0-0), o Porto perdeu e não foi goleado porque o Braga foi completamente azelha.

    Com as regras iguais, este Porto mesmo com os erros do Benfica, ficaria 12 pontos atrás.

    Nós benfiquistas somos muito exigentes, e martirizamo-nos pelos erros que o Benfica comete. Isso faz parte da nossa nobreza.

    Só que às vezes chega a ser violenta a forma como esquecemos ou menosprezamos a enorme ajuda que o Porto tem, época após época, e que vale sempre uns 10 pontos, se não MAIS.

    Um abraço

    ResponderEliminar
  5. SLBenfica Vencedor,
    Essa é a analise apaixonada do adepto sofredor com a qual estou 100% de acordo.
    O que pretendi fazer foi a outra análise que também é necessária, apontando aspectos em que podíamos ser mais fortes!
    Abraços

    ResponderEliminar
  6. Caro Guachos,

    E eu estou plenamente de acordo com a tua análise. Aliás, eu acho que o Benfica pode SEMPRE melhorar.
    O nosso Benfica deste ano foi, na minha humilde opinião, o melhor Benfica dos últimos 30 anos. Nem o Benfica de 1993/1994 se chegou perto.
    O Benfica do Aimar, Ramires e do Di Maria foi muito bom, mas este conseguiu ser ainda mais espantoso.

    Mas ainda assim, podemos sempre melhor.
    Deixei um comentário sobre isso no O Belo Voar da Águia que vou partilhar também no meu blog.

    Um abraço

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.