sábado, 16 de outubro de 2010

Mais um negócio com contornos obscuros!

Ha!Ha!Ha!Hi!Hi!
Para quem andou a gozar com o "Benfica Stars Fund", esta notícia dá-me um gozo enorme!...heheheh
Veja-se que o próprio "o nojo" tem dificuldade em informar o seus leitores sobre a origem das tais (cheira-me a fraude da grossa) empresas investidoras...
Delicioso este pequeno esclarecimento; Após uma simples pesquisa na internet, não é encontrada praticamente nenhuma referência às empresas em questão, com excepção da Pearl Design Holding Ltd., que adquiriu parte do passe do brasileiro Walter. Relativamente a esta, percebe-se apenas que está sediada em Bristol, em Inglaterra.

in  onojo

Mais abaixo a explicação daquilo que é um « fundo de investimento mobiliário fechado»,  perfeitamente legal !



1

O que é um fundo de investimento mobiliário fechado?
Um fundo é uma forma de aplicação financeira em que várias entidades se juntam para a realização de um investimento financeiro, tendo como objectivo a obtenção de retorno, neste caso, com as mais-valias decorrentes da transferência de jogadores. Ser fechado quer dizer que o público em geral não teve acesso à sua subscrição, assim como não é permitido o resgate antecipado das unidades de participação.

2
Qual o capital inicial, a sua duração e número de subscritores?
O "Benfica Stars Fund" constituiu-se com um capital inicial de 40 milhões de euros, correspondente a oito milhões de unidades de participação com o valor nominal de cinco euros cada. Terá a duração de cinco anos e o número de subscritores ou participantes do fundo, a 30 de Setembro de 2009 - data de início da sua actividade -, era de três. O valor mínimo de subscrição está fixado em cinco mil euros.
3
Quem gere o "Benfica Stars Fund" e qual o banco depositário?
A entidade gestora é a "ESAF - Espírito Santo Fundos de Investimentos Imobiliários", uma sociedade anónima com capital social de três milhões de euros e que terá como funções seleccionar os activos para integrar o fundo, adquirir e aliená-los, exercer os direitos relacionados com esses activos, administrar esses activos e comercializar as unidades de participação. O banco depositário é o Banco Espírito Santo.
4
Quais os critérios de selecção dos jogadores do fundo?
Para além de ter de ter entre 16 e 25 anos e um contrato não inferior a três anos, também conta: o sucesso nos seus clubes anteriores e camadas jovens; a expectativa de valorização futura; a probabilidade de integrar o plantel principal ou a assiduidade na equipa; internacionalizações e historial nas selecções; a posição do atleta em campo tendo em conta o mercado; e ainda o passado disciplinar do jogador.
5
Que benefício retira o Benfica da constituição do fundo?
Por um lado, encaixa já um pouco mais de 22 milhões de euros, que é a soma das percentagens dos passes de jogadores que passaram para a posse do "Benfica Star Fund". Por outro, ao subscrever 15 por cento do fundo, num total de seis milhões de euros, também participa nas receitas que o fundo vier a adquirir com a venda de jogadores, tendo a vantagem de estar sob uma gestão altamente profissionalizada.
6
Que obrigações tem a SAD do Benfica perante o fundo?
Quando faltarem 18 meses para o final de contrato de um jogador, terá de colocá-lo no mercado, para prevenir que este possa sair a custo zero, o que não daria ganhos ao fundo. Por outro lado, se a SAD recusar uma proposta por um dos jogadores incluídos, terá de comprar ao fundo a percentagem do passe do jogador em causa e pelo valor que seria caso a proposta tivesse sido aceite.
7
Qualquer pessoa pode entrar no investimento?
Se um dos subscritores do fundo estiver interessado em vender unidades de participação, pode vendê-las a investidores particulares ou empresas interessadas, servindo o BES como intermediário. No entanto, para que isso aconteça, é preciso consultar os outros subscritores, pois eles têm direito de preferência na venda de quaisquer unidades. O preço é determinado entre vendedor e comprador.

8
A Benfica SAD pode alienar a totalidade de um passe ao fundo?

Não. A SAD do Benfica terá sempre de deter 10 por cento dos direitos económicos de cada um dos jogadores incluídos no "Benfica Stars Fund". Por seu turno, o fundo não pode estar na posse de mais de 60 por cento do passe de cada atleta. Até agora, Rúben Amorim é o jogador que tem uma maior quantidade de passe alienado ao fundo: 50 por cento.
Comentários
0 Comentários

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.