quarta-feira, 1 de maio de 2013

O 'Anjo' Gabriel

Agora mais calmamente vamos lá tentar analisar a conferencia de imprensa de João Gabriel...

Comecemos pela gestão de contenção de palavras que o Benfica fez após o Benfica-Sporting;
A máquina estava montada e bem preparada tal como esteve na época passada com a rábula da gaiola que serviu para atear fogo ao estádio...
Desta vez não deitaram fogo ao estádio mas incendiaram o país de lés a lés, contestando a legitimidade de uma vitória justa e limpa. Repito - limpa, conseguida com dois golos absolutamente legais.

Insinuou-se e em muitos casos afirmou-se que o Benfica tinha o controle das arbitragens...

O Benfica, inteligentemente, não reagiu logo e deixou (parece-me que propositadamente) que essa ideia passasse...
Uma coisa é sermos acusados de controlar arbitragens e depois levarmos com os 7 «magníficos» (xistra, Benquerença, Sousa, S.Dias, Proença, Cosme Machado e Rui Costa) outra coisa é ficarmos longe dessa comandita perigosa, o que tem acontecido sistematicamente esta época...

De qualquer forma, reagir a quente daria sempre a ideia que o Benfica se sentia culpado.
Seria mais aconselhado deixar que os ecos do dérbi de desvanecessem lentamente até morrerem na eliminatória europeia - estratégia correcta.

Com a maralha já muito mais interessada na ressaca de Istambul - agarrados às canelas de Melgarejo - Vieira aproveitaria o momento para atacar os corruptos, trazendo de novo à baila os 30 anos de benefícios e os roubos escandalosos que tantos títulos lhes trouxeram...
Mais uma vez esteve bem Vieira...

Atacou o inimigo, pondo-o a descoberto, expondo-lhe o ridículo dos seus protestos e evitou que o árbitro da Madeira aparecesse com a "obrigação" de compensar quaisquer "prejuízos" dos corruptos...
Em nenhum momento Vieira mostrou azedume com as arbitragens, e pode-se mesmo dizer que teve um especial cuidado em não trazer os árbitros à coação, "mostrando-lhes" novos caminhos...

Na Madeira o Benfica ganhou com uma boa arbitragem e para tudo ser perfeito os lances de possíveis grandes penalidades aconteceram sim, mas na área do Marítimo, enquanto que em Contumil e Alvalade foi precisamente o contrario - no Porto, Xistra resolveu todos os casos polémicos a favor do patrão e em Alvalade ganhou-se com um golo ilegal!
Aí estava a legitimidade para o contra-ataque de ontem.

Desta vez, os benefícios dos nossos rivais assentaram como uma luva para "calçar" e favorecer a estratégia do Benfica - não poderia ter corrido melhor.

O Benfica (João Gabriel) disse tudo o que tinha que dizer, atacou o corrupto onde nem ele sem os seus seguidores se podem esconder (benditas escutas) mostrou à saciedade e também à sociedade os poderes sobrenaturais dos 'manetas' das antas (apenas Danilo e Alex Sandro porque Rolando entretanto saiu) sem nunca (muito importante) beliscar qualquer árbitro, sem nunca beliscar a estrutura que os comanda, evitando as possíveis represálias e mais do que isso, "sensibilizando-os" e "mostrando-lhes" que há outros caminhos para as suas carreiras...

Perfeito - para quem que como eu foi sempre um acérrimo critico da forma amadora, atabalhoada e muitas vezes patética como o Benfica geria as suas intervenções publicas, tenho que tirar o chapéu a quem delineou e definiu esta estratégia - perfeita.

Atenção - tudo só foi possível porque a equipa ganhou em campo.
Sem isso, sem uma equipa competitiva e ganhadora, esqueçam tudo o que ficou dito para trás - nada faria sentido.

5 comentários:

  1. Simplesmente magnifica a tua analise.

    DL

    ResponderEliminar
  2. Entramos em Maio. Espero que finalmente este mês seja conhecido o que realmente se passou dentro da etar de Contumil quando em Novembro passado foi encontrado lá dentro um diretor dos andrades corruptos com um tiro ou dois na testa. Olhem se isso se acontecesse na Catedral o ruido que não seria feito nos canais tv... Ainda hoje seria tema de abertura de telejornal! Como foi na etar de Contumil, é um silencio do catano ...

    ResponderEliminar
  3. "não trazer os árbitros à coação"?

    coação
    (coar + -ção)
    s. f.s. f.
    Acção.Ação.Ação de coar. = CÔA.COA
    Confrontar: coação, cocção.cocção.cocção.



    coacção (àç) coação (àç) coação
    (latim coactio, -onis, recolha, acto.ato.ato de arrecadar)
    s. f.s. f.
    1. Acto.Ato.Ato ou efeito de coagir.
    2. Situação de pessoa coacta.coata.coata.
    3. Imposição de vontade alheia.




    colação |là|
    (latim collatio, -onis reunião, encontro, embate, contribuição)
    s. f.s. f.
    1. Acção.Ação.Ação ou poder de conferir um benefício eclesiástico.
    2. Acção.Ação.Ação de comparar ou confrontar. = COMPARAÇÃO, CONFRONTO, CONFERÊNCIA, COTEJO, VERIFICAÇÃO
    3. Refeição ligeira. = CONSOADA
    4. [Jurídico, Jurisprudência] [Jurídico, Jurisprudência] Restituição, à massa da herança, dos valores recebidos pelos herdeiros antes da partilha.
    trazer à colação: referir a propósito.
    vir à colação: vir a propósito.


    ResponderEliminar
  4. Alguma (muita) dificuldade em perceber a opinião dos Benfiquistas que acham que a CI não devia ter acontecido!
    Para além de achar que foi na hora certa, gostei da forma e do conteúdo!

    ResponderEliminar
  5. Em cheio a CI do Benfica. Em cheio a análise à mesma meu caro. Sempre coerente e lúcido, ao contrário de tantos que por aí andam a "espalhar" opinião julgando-nos a todos desmemoriados.

    RC

    PS. Ainda não tinha percebido que tinha um novo corretor ortográfico. Dos bons. Tem nome próprio e tudo!

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não vale a pena perderes tempo...faz-te à vida malandro.