segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Não há como os fruteiros para preparar uma vitória retumbante.

Rui Ferreira: "Os jogadores tremeram perante uma atmosfera de nível grandioso". A semana nem começou mal para a confraria da fruta. No sábado, um Feirense (difícil imaginar o que sofreu o antigo comentador do fruta canal para não festejar os golos do foculporto) amigo pacar@lho tudo fez para dar moral para Liverpool. Os relatos da emocionada MDCSDQT não deixam margem para dívidas. Para além da exibição assombrosa do foculporto o dia foi todo da família Ceição. Desde a mãe (lavada em lágrimas) que se deslocou de propósito para assistir à alternativa do fedelho, ao pai, inchado como um boi com o momento mágico da cria, todos os encómios foram poucos para assinalar e perpectuar o momento. O caso não era para menos. O pequeno piscineiro estreava-se a marcar na pocilga, ainda por cima de penalti - a especialidade mais apreciada da casa - e após mais um belo mergulho de Taremi. Impedido, por ordem do banco, de engrossar a conta pessoal, o bom do iraniano que, com a bola na mão já se dirigia para a marca de grande penalidade, lá teve de refrear os impulsos com a promessa de (com a chegada das chuvas) nas próximas jornadas, os saltos para a água contarem a dobrar. Foi uma maneira à maneira de acalmar o mergulhador e tudo acabou pelo melhor. Como num conto de fadas, casaram e tiveram muitos penaltis.

Talvez inebriado com o feito do pequeno boi do Jamor, ontem foi dia do velho fruteiro aproveitar a maré atirando-se de cabeça ao jogo da selecção do Rónalde disputado na Luz. Najantas ('talismã das selecções') garantiu peido da costa que o Rónalde e os seus apêndices tiravam a selecção da Sérvia de letra. Parece que já estou a ver o programa. Jantar dos árbitros na Marisqueira de Matosinhos seguido de passeio pela rua escura para estimular a libido. Ante-estreia na torre dajantas do filme; "A desaparecida arma que suicidou Mesquita Alves" e um bacanal de frutas no pacote ao deitar. Pepe despenalizado por ordem do CD da liga, guarda de honra do injinheiro macaco aos sérvios logo à saída do aeroporto, bonecos com as cores da Sérvia enforcados à porta do estádio, pedras da calçada para atacar o autocarro, bolas de golfe para arremessar no estádio e quatro galinhas pretas enterradas de véspera no relvado. E se o Rónalde, antes de sair de campo amuado, atirasse a braçadeira de capitão ao relvado, até o pequeno boi do Jamor o foculporto emprestaria de bom grado. E então sim, seria o penalti mais emocionante da história! Não há como os fruteiros para preparar uma vitória retumbante.

Poucos, tirando os interessados e os obviamente avisados, esperariam tamanha confraria a entrar portas adentro do imaculado talismã das selecções. E ainda menos a visita guiada aos covis dos não menos imaculados presidente e dos empresários que lhe mantêm o pomar a funcionar! Se eu acredito no Pai Natal? Tanto como nos benefícios do cartão do adepto ou na bondade das negociações dos direitos televisivos. E quando eu olho para efeitos nulos do apito dourado ou, mais recentemente, para o André Cashbal (viram o futsal ontem no circo das osgas?) apanhado com (os envelopes) as mãos na massa no alvalixo a circular livremente por aí, acho que nem valia a pena tirar da redação os incansáveis procuradores da CMTV. Eu punha todo aquele bando de desocupados a farejar as cuecas do Rafa que, com a sua personalidade complicada e notória falta de empenho, não só é o grande culpado da má sina que se abateu sobre a selecção do Rónalde como o verdadeiro artífice da corrupção que há cerca de 40 anos tomou conta do futebol nacional.

O gajo das framboesas (Pedro Pinho) de Moreira de Cónegos, avisadamente, deu de frosques para a Roménia assim que lhe cheirou a chamusco. O velho putanheiro, pelo seu lado, não partiu à desfilada para Vigo. Está-se mesmo a ver que quem alertou os mastins da CMTV para o directo da ordem, semanas antes terá ligado ao peidoso para ele deixar a tomatada limpa e desinfectada de caruncho. Eu acredito que terá os escritórios mais vazios do que a tomatada esvaída depois da massagem à próstata do 'personal trainer' francisco j. traques. No máximo, os farejadores encontrarão uma calçola chiscada - herança da doce Carolina que o velho mantém imaculada debaixo do travesseiro para combater a insónia - ou uma, do tipo fio dental, roubada do cesto da roupa suja da universitária Naundinha, que o seboso usa para para limpar a cremalheira sempre que os dióspiros estão verdes. Acham mesmo que os resultados práticos justificarão tamanho aparato? Amanhã ou depois sai na SIC uma reportagem escabrosa do batizado do Viera e esgota-se o tema na hora.

6 comentários:

  1. Não vi a notícia sobre o que é que acha o Rui Pinto do caso, esse novo justiceiro solitário da nossa praça, sempre mais rápido que o Marcelo a botar faladura e tweets na MDCSDQT que luta com o vice almirante para um lugar como o homen do século

    ResponderEliminar
  2. Folgo em saber que regressaste ao ativo, caro guachos. O que descreves acima é só mais um exemplo do controlo total dos clubes a norte pelo polvo corrupto. À mais de 30 anos que é assim, vivem da mentira, da calúnia constante, do provincianismo, resultados fabricados ainda antes dos jogos ...São um autêntico cancro desta sociedade. E depois a impunidade é total. São avisados com antecedência de todos os movimentos da polícia. Não é por acaso que altos quadros da polícia do norte são frequentadores assíduos dos camarotes do ladrão e das casas de quengas do reinaldo teles.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Existem vários MACACOS dos SuperDragays infiltrados na Policia.

      Eliminar
  3. E o Estorilgate quando sai da gaveta? Bem podemos esperar sentados. É até prescrever. Mais um capítulo negro do frutabol português.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais o CASHBOLAS...ainda vai sobrar para o PEDREIRO e para o CAPITÃO AREIAS.

      Eliminar
  4. Excelente post,como sempre.
    Pena é que isto tudo será mais uma mão cheia de nada e outra de coisa nenhuma.

    ResponderEliminar

Se pertenceres aos adoradores do putedo e da corrupção não percas tempo...faz-te à vida malandro.